Noite de Galo



O Atlético-MG começou com tudo na Libertadores. Depois de ganhar do São Paulo,  em casa, ontem goleou o Arsenal, 5 a 2, em solo argentino. Mais uma vez Cuca mostrou que sabe montar um time que joga pra frente, lembrando, em vários momentos, o inesquecível Telê Santana.

Na vitória de ontem, destaque para Bernard, autor de três dos cinco gols do Galo, e Ronaldinho Gaúcho, com assistências incríveis e o toque de bola que lhe é peculiar. A dupla, aliás, poderia ser testada junto por Luiz Felipe Scolari na seleção brasileira. Confesso que sigo sem entender como Mano Menezes não chamou Bernard para a Olimpíada, já que o garoto de 20 anos é uma das principais revelações do futebol brasileiro, talvez não tão comentado quanto Neymar e Lucas simplesmente por jogar fora do eixo Rio-SP.

Dos times brasileiros que estão na Libertadores é o Atlético o que tem o potencial para apresentar o futebol mais bonito, embora o mais competitivo, se bem montado por Vanderlei Luxemburgo, ainda possa ser o Grêmio. Em seguida, com características diferentes, aparecem o Corinthians, com um futebol combativo e de qualidade, e o Fluminense, que tem de recuperar o ritmo do Brasileirão do ano passado. Um estágio abaixo está o São Paulo e num mais abaixo ainda aparece o Palmeiras, para mim o azarão entre os brasileiros.

A Libertadores promete. E promete por causa dos times brasileiros, patamares acima de seus rivais sul-americanos. A vitória do Galo, na Argentina, foi apenas um exemplo do que ainda poderemos ter pela frente.



MaisRecentes

Deuses da Bola



Continue Lendo

Galo pega fogo



Continue Lendo

Cornetas no Palestra



Continue Lendo