O caso Pistorius



A grande história da Olimpíada de Londres, pelo menos pra mim, foi a participação de Oscar Pistorius nos Jogos, tornando-se o primeiro atleta biamputado a competir no evento. O atleta sul-africano, que aos 11 meses ficou sem as duas pernas na altura do joelho, acabou na última colocação nas semifinais dos 400 metros rasos e foi homenageado pelo primeiro colocado, Kirami James, de Granada, que trocou o número com o concorrente, como fazem jogadores na saída do campo.

Na Paralimpíada, no entanto, ele decepcionou ao não aceitar a derrota para o brasileiro Alan Fonteles, comportando-se mal após a corrida e tendo que pedir desculpas por seu comportamento depois. Acusado de ter assassinado sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp, Pistorius pode estar jogando não apenas sua carreira, mas sua vida _como a de tantas outras pessoas ligadas a ele próprio e a Reeva_ no lixo.

É um momento chocante que pode fazer a sociedade refletir. Seja sobre os ídolos que temos, muitos de barro, muitos humanos (ou desumanos), seja sobre o que não conhecemos a respeito do próximo, seja sobre a vida, a morte, a existência de cada um de nós. Se tem uma palavra de que não gosto é superação, como já dizia uma amiga minha. Outra, blindagem. Duas palavras que viraram modismo e devem ser repensadas. De tanto usadas, saturaram.

Não vou entrar no mérito da acusação, que é gravíssima, mas quero tocar no campo esportivo. Esteróides teriam sido encontrados na casa do sul-africano, assim como um taco de críquete ensanguentado. Já há quem diga que os primeiros, que seriam usados para melhorar a performance de Pistorius, podem ser a causa de suposto comportamento agressivo do atleta, resultando no assassinato da modelo. Causa de agressividade ou não, mais um atleta de elite teria competido sob efeito de doping? Depois de tudo o que vimos no caso do ciclismo, com o caso de Lance Armstrong, aonde tudo isso vai parar? Existe esporte limpo? O que faz a Agência Mundial Antidoping nessa cruzada? O mundo esportivo, independentemente do que acontece em Pretória, que é caso de polícia, precisa de respostas. Se vai tê-las ou não já é outra história.



  • Mauricio Guitzel

    Realmente Janca, a confiar no ESPORTE LIMPO está muito difícil hoje em dia..

    Sou atleta amador de atletismo, e no meio do esporte, todo mundo sabe que no profissional, na alta performance, o doping rola solto, é esteroide pra todo lado, principalmente nas provas de explosão como saltos e corridas de curta distancia.

    • janca

      E a credibilidade do esporte olímpico fica cada vez mais em xeque. Quando o Lance Armstrong confessou o doping _ele e tantos outros ciclistas da elite_ dava a impressão de que fizera apenas parte do jogo, como se fosse algo normal e quem não entrasse ficaria entre os últimos.

  • Mario

    ok o caso do Armstrong foi um escândalo ,mas que moral nos temos p/cobrar os outros depois q os dirigentes acobertaram o doping do cielo?

    o esporte nunca foi limpo existem estudos q mostram na Grecia antiga os atletas já tomavam chá de cogumelos e outras historias bizarras antes da proibição e nunca sera limpo.

    • janca

      O Cielo foi flagrado no exame antidoping e depois absolvido pela Corte Arbitral do Esporte. Popov, na época, abriu a boca na época e considerou o caso inaceitável. Mas se foi absolvido, foi absolvido. Houve algo de “errado” no julgamento? Alguma interferência indevida? Cielo de fato foi vítima do laboratório ou da farmácia? A questão é muito mais ampla. O que Popov, por exemplo, salvo engano integrante do COI, uma entidade que, como a Fifa, vive atolada em escândalos, faz na luta contra o doping? O atletismo está limpo? A natação, idem? Podemos confiar nos resultados? De fato vencem os melhores ou os que se dopam mais e não são flagrados? Qual o conceito de doping? E aquele famoso “maiô inteiro de natação”, ele não dava vantagem ao competidor? Mais a uns dos que a outros? Vamos fazer Jogos para dopados e outros para os que não se dopam? É um assunto importantíssimo que muitas vezes deixamos escapar, lembrando dele apenas quando acontece um escândalo, caso do ciclismo recentemente.

    • Vaz

      Meu caro não se trata de ter moral ou não para cobrar alguma coisa. Partindo deste príncipio ninguém tem moral de cobrar nada ( o próprio Armstrong só foi descoberto porque meteram a boca caso contrário nunca teria sido descoberto) e viva o doping. É uma visão meio complexo de vira-latas onde não temos moral de nada, nunca somos capazes de nada e só o gringo é bom, nós somos sempre inferiores. Casos como o do Cielo existem aos montes e justificados (ninguém acobertou nada, o atleta foi suspenso no Brasil e o tribunal internacional anti-doping é que aliviou terminando em advertência) mas nada foi acobertado. Acho que quem anda sem moral de punir são os caras já que como se vê Pistorius e outros famosos não são identificados.
      O problema é que algo esta podre no sistema anti-doping pois como pode Armstrong passar 7 edições da volta da França dopado e ninguém sabia, aliás nesta prova ninguém era pego a anos. No futebol desde Maradona não se houve falar em doping e punição e em todos os casos que ocorreram sempre sobrou para o médico do time e para o remédio anti gripal (naldecon era o preferido) mas você acha que ninguém no futebol toma bola? No futebol ainda se baseia testes em urina e procedimentos obsoletos que estão longe dos práticados pelo COI por exemplo e que estão sendo questionados. Imaginem FIFA querendo punir jogadores e sus temos que tudo prejudica a imagem. Jogadores de futebol não são submetidos a testes surpresa e estamos naquela ainda do sorteio, troca de frascos de urina e outros escândalos pelo mundo afora. Hoje em dia a coisa está meio na base de pegar atleta sem expresão e esta é a realidade.

      • janca

        Como você diz, Vaz, há algo de muito podre nessa luta contra o doping. De muito, muito podre. E não é de hoje. E concordo que não faz sentido a afirmação de que ninguém tem moral de cobrar nada. Então viva o doping e pronto? O caso do Armstrong, que você cita, é exemplar. Teve muita gente conivente. Ganhou sete vezes a Volta da França e nada? E os outros? Era a única equipe que se dopava? E o papel da União Ciclística Internacional? O que tem feito o COI? E a Fifa? Sem falar, no caso do futebol, no escândalo que é o mundo das apostas e do acerto de jogos, escândalo revelado recentemente e com tentáculos no mundo todo.

      • Mario

        sem complexo de vira-latas , só usei o Armstrong e Cielo por ser escandalos recentes com condenação de um e a absolvição de outro, podia ter usado como exemplo Carl Lewis q foi pego no anti-doping meses antes das olimpiadas de 88 e Ben Johnson pego durante as olimpiadas , um foi punido e o outro não.

        é uma questão moral , ou pune todos ou não pune ninguem.

        no futebol tem poucos casos pegos mas teve o Rene goleiro do Bahia pela mesma substancia do Cielo , o Dodo e o Jobson no Botafogo sendo q foram punidos.

  • Tri mundial doom

    Esse Pistorius. não usou substâncias que alterasse e facilitasse suas conquistas, foi um grande atleta e fez uma besteira fora do esporte, mas como esportistas foi muito bom e talvez continue sendo. A vida dele pessoal não tira as conquistas dele, então ele atrapalhou o presente e futuro dele, mas os feitos ficaram na história. Ele errou e vai pagar pelo erro,mas como atleta ele teve seu destaque…

    • janca

      Não dá pra dizer que ele não usou substâncias para facilitar suas conquistas, não. O que estariam fazendo os esteróides em sua casa? Fora doses de testosterona e agulhas no quarto do atleta que a polícia diz ter encontrado. Ele usava pra quê? Só fora de competições? Não tiro o mérito de Pistorius como atleta, respeito sua trajetória, que parecia ser lindíssima, mas há um monte de pontos de interrogação. Inclusive sobre a morte da namorada. Mas aí é caso para a polícia resolver, algo realmente chocante.

      • janca

        Ah! Segundo a defesa do atleta ele tomava um remédio à base de plantas, que seria permitido para competições. Mas não está claro que remédio é esse. E a família da modelo quer respostas, claro, o que é extremamente natural. Sobre as circunstâncias que levaram à morte da garota. Há versões conflitantes, mas como disse isso é caso para as páginas policiais. Para as páginas esportivas, a discussão sobre o momento que vive o doping, que não é restrito ao ciclismo nem ao caso Armstrong, tem que ser feita.

        • Tri mundial doom

          Se ele usava substancias para melhor desempenho, entao nao dá nem pra considerar atleta, assim como lance armstrong que só atrapalhou as competições aparecendo em primeiro e não sendo um verdadeiro primeiro.

          • janca

            Não dá pra dizer que ele usava substâncias para melhorar o desempenho, o que começam a aparecer são evidências, se é que o relato da polícia sobre o material encontrado na casa dele procede.

  • Edson – Santo André

    Olá Janca!!

    Sou da área da saúde e posso dizer, pelas experiências vividas, que o uso de substâncias controladas (seja anabolizantes ou drogas sociais_acaba quase dando na mesma) altera o comportamento do ser humano sob vários aspectos, seja para a introversão, com atitudes persecutórias ou por extrema violência. Claro que estamos falando de um caso que acompanhamos à distância e sem as informações completas.

    Deixando o lado policial a parte, vejo que os atletas de alto rendimento (paralímpicos ou não) vivendo constantemente sob pressão psicológica intensa. O nível de competitividade faz com que muitos partam para o caminho do doping. Falta preparo psico-social para estas pessoas, que deveria ser continuado mesmo depois da aposentadoria desses atletas. Fora que existem muitas formas de burlar o controle anti-dopagem. A própria industria farmacéutica pode ter interresse nisso.

    Quando a superação e a blindagem que você mencionou, concordo plenamente. Cada um dá o que tem, nunca mais que isso. Somos, como seres humanos, incrivelmente limitados (como explicar utilizarmos somente 10% de nosso cérebro??). A blindagem se faz por comportamento e bons exemplos, afinal o nosso maior bem deveria ser a nossa imagem e o que ela reflete de positivo as pessoas. Se você se expõe a situações desagradáveis e complicadas, você mesmo destroe essa blindagem.

    Ainda veremos muitos casos de doping, cada vez mais sofisticados e atletas cada vez mais preparados fisicamente e abandonados psicologicamente. É a Era do “EU”.

    Abs!

  • francotimao

    Ola, Janca, efetivamente esses absurdos acontecimentos depõe radicalmente contra o esporte e também contra o ser humano enquanto animal superestimado como humano e inteligente, só ha por nosso lado a lamentar e de forma profunda…Abs!!!!!!

  • sandrofla

    Acho que a luta da grande maioria dos atletas e treinadores hj é de como burlar o anti-doping. Simples assim!

    • sandrofla

      …em tempo, Pistorius tem um processo arquivado como equívoco por acordo financeiro um caso de agressão a uma antiga namorada…não o julgo, mas tudo aponta para um homicídio não premeditado porém circunstancial.

  • Bruno MD

    Ele nao foi o primeiro atleta paralimpico a disputar uma olimpiada. Foi o primeiro biamputado.

    De qlqr jeito tem que ficar preso o resto da vida, nao vou com a cara dele desde o episodio com o Brasileiro. Agora entao…

    • janca

      Sim, o primeiro biamputado, vou corrigir no post, Bruno. Sobre ter de ficar preso para o resto da vida é com a Justiça, que tem de apurar bem o que aconteceu, embora os primeiros indícios pesem contra ele, claro. E o episódio com o brasileiro também me decepcionou, mas agora o caso é muuuito mais grave. Acusação de assassinato.

  • Edson – Santo André

    Janca e amigos, sei que não é o assunto de hoje, mas achei muito interessante essa matéria do L! sobre o Neymar (porque será que não estou surpreso!):
    “- Eu acho que era hora de ele dar um
    tempo, pensar: “Já fui expulso, deixa eu
    dar uma repensada, focar, deixa eu dar
    uma focada melhor nas minhas
    atuações”. Porque queira ou não, ele tem de cair na real que ele realmente é um cara muito visado, responsabilidade
    dele, perante à midia e aos torcedores, é muito maior que qualquer outro jogador -concordou o eterno capitão, ao L!Net. Por outro lado, Coutinho não quis
    comentar sobre o assunto. O terceiro
    maior artilheiro da História do Peixe já
    fez duras críticas a Neymar em outras
    ocasiões, dizendo que ele era cai-cai e
    malcriado. Desta vez, no entanto, o ex- centroavante foi direto na resposta: – Eu avisei, tudo que eu falei está
    acontecendo, mas não quero me
    pronunciar para não parecer maldoso.
    Quem tem de tomar conta disso são os
    diretores.” Reportagem de hoje 20/12 _ e a Copa está logo ai, já temos pouquissimos jogadores realmente qualificados. Esse menino precisa ser melhor preparado e assessorado.
    Abs.

    • janca

      Eu discordo, Edson. E acho que o Neymar tem aprendido e se mostrado profissional. Erra, sim, mas pode aprender com os erros. E tende a aprender com eles. O que não pode é o Santos depender apenas dele, Muricy tem que dar um jeito nisso, tampouco a seleção. Aliás muito menos a seleção. Abs.

MaisRecentes

Ainda dá?



Continue Lendo

Saída de Lucas Lima



Continue Lendo

Dorival bombardeado



Continue Lendo