Marin e o Timão



José Maria Marin tenta sinalizar que a CBF, sob sua administração, teve problemas com Andrés Sanchez, mas nada contra o Corinthians. A pedido de Marco Polo Del Nero, quer isolar cada vez mais o ex-diretor de seleções da entidade e ex-presidente corintiano, visto como possível forte opositor.

Desde o final do ano passado, Marin busca uma reaproximação com o Timão, o que tem incomodado Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo.

A ideia é convidar Mário Gobbi, atual mandatário do Corinthians, para chefiar a delegação brasileira em um dos amistosos no exterior, além de contar com aliados do ex-presidente Waldemar Pires na própria CBF. O grupo de Pires chegou a fazer forte oposição a Andrés no Parque São Jorge, depois apoiou o dirigente e recentemente se afastou dele novamente.

Outra atitude de Marin é em relação ao jogo de abertura da Copa-2014, que será no novo estádio do Corinthians. A ideia é usar a estrutura do time _e não a do São Paulo_ quando a seleção estiver na capital paulista às vésperas da partida.

Irritado, Juvenal tem lançado farpas contra a atual cúpula da CBF questionando o dinheiro que ela segue pagando a Ricardo Teixeira, desafeto do presidente são-paulino, como “consultor” da entidade. Radicado na Flórida, Teixeira chega a receber mais de 100 mil reais por mês.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo