O último a sair…



Cresce no Vasco movimentação de setores da oposição interessados em pedir a saída de Roberto Dinamite da presidência do clube. A ideia é realizar uma auditoria externa nas contas do clube, que vêm sendo questionadas há tempos pelos oposicionistas. A relação do dirigente com empresários também tem sido alvo de críticas, além de acusações de gestão temerária, que estaria provocando a debandada de jogadores de São Januário.

Em virtude da falta de pagamento de salários, o Vasco perdeu o goleiro Fernando Prass para o Palmeiras, além de Juninho Pernambucano, que foi para o futebol norte-americano, e do volante Nilton, que foi à Justiça pedir a rescisão de contrato. O volante Eduardo Costa e o lateral Auremir foram outros dois que deixaram o clube.

O zagueiro Dedé, segundo a direção, continuará no Vasco até 2014, mas especulações sobre sua saída continuam, ainda mais diante da dificuldade do clube de quitar salários, que em 2012 atrasaram em diversas ocasiões, inclusive no início do Brasileiro.

Ricardo Gomes, que tem a função de diretor técnico, assume que o momento é dos piores e que o torcedor não pode esperar resultados no curto prazo. A paciência da torcida, no entanto, depois do final melancólico no Brasileiro, parece pouca. Já fez manifestações diante de São Januário, protestos em redes sociais e tem pedido o impeachment de Dinamite para “ontem”.

Para complicar mais um pouco, o presidente brigou com Romário, que virou seu desafeto e não para de espinafrar sua administração. Que de fato é das piores.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo