A volta de Marcos



O goleiro Marcos, que faz hoje sua despedida como jogador de futebol, bem que poderia ser aproveitado pelo Palmeiras em outra função, se não em 2013, em algum outro momento de sua história.

Marcos acabou ficando muito ligado ao clube e à torcida palmeirense, conhece tudo o que acontece dentro e fora de campo e, se realmente quiser, pode tentar iniciar nova carreira no futebol.

Não acho que pelo simples fato de ter sido goleiro (e um ótimo goleiro, diga-se de passagem) dará certo como técnico, treinador de goleiros, gerente de futebol, olheiro, o que for. Talvez, no futuro, veja que o que lhe interessa mesmo é tocar a vida longe dos gramados. Há vários ex-atletas que foram estrelas em campo e até tentaram seguir no esporte como técnicos, comentaristas ou empresários, mas no final acabaram partindo para outros ramos de atividade.

Pelo que representa para o Palmeiras, que segue muito machucado com as sequelas da nova queda para a Série B no Brasileirão, Marcos pode ser útil já em 2013. Se Paulo Nobre, um dos candidatos da oposição, vencer a eleição em janeiro, deve receber um convite para atuar no futebol, fazendo uma espécie de ponte entre os jogadores e a comissão técnica e entre os atletas e a diretoria. Não que César Sampaio, gerente de futebol na gestão Arnaldo Tirone, será sacado. Pode seguir na função, tenha ela o nome que tiver. Mas com a retaguarda e a assessoria de um Marcos, por que não?

O goleiro, aliás, como costuma fazer, tem sido bem direto em suas colocações, inclusive sobre o Corinthians. Disse que não vai torcer contra _e acredito_, mas também não vai ligar a TV para apoiar. Não gosta do “papinho” de que Corinthians é Brasil, embora eu conheça muita gente que pense assim e acho esse tipo de pensamento absolutamente legítimo. Mas para Marcos “Corinthians é Corinthians” e ponto. E como palmeirense ele se diz mais preocupado com a atual situação de seu time do que com o que irá ocorrer no Japão.

E nós, brasileiros, não podemos nos esquecer de que Marcos é muito mais do que palmeirense. Foi um dos principais responsáveis pelo pentacampeonato do Brasil, com defesas incríveis na Copa de 2002, cuja decisão foi justamente em Yokohama, no Japão, estádio em que o Corinthians espera fazer a final domingo contra o Chelsea. Justa a homenagem de hoje para um goleiro que entrou na história. Do Palmeiras e da seleção brasileira.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo