O medo de Marin



Foi por não aguentar a pressão que José Maria Marin resolveu antecipar a escolha do novo técnico da seleção, que só seria feita (e decidida) em janeiro.

Marin não escolheu Guardiola por temer a reação do povo brasileiro caso perdêssemos a Copa nas mãos de um técnico estrangeiro, conforme comentou com um amigo. Chegou a lembrar que ele próprio, Marin, tem ascendência espanhola e poderia ser crucificado se o Brasil pegasse a Espanha no Mundial e, nas mãos de Guardiola, acabasse eliminado. Disse, em tom de brincadeira, que poderia até ser enterrado vivo se isso acontecesse.

Optou, então, pela saída mais conservadora e política possível. Ao escolher Luiz Felipe Scolari como técnico e Carlos Alberto Parreira para coordenador, ambos campeões mundiais pela seleção, um em 2002, outro em 1994, divide as responsabilidades por um possível fracasso com dois nomes de peso.

Se perdesse a Copa com Mano, Marin temia que a culpa ficasse toda com ele, Marin, que como presidente da CBF teria mantido a aposta num técnico sem experiência e que vinha sendo massacrado pela opinião pública _vide a reação da torcida brasileira nos três jogos que a seleção realizou no país sob o comando de Mano.

Com Felipão e Parreira, Marin tenta também melhorar seu relacionamento com Ronaldo, que é aliado de Andrés Sanchez, e com o próprio governo federal.

Scolari vinha trabalhando para o Ministério do Esporte sob o comando de Aldo Rebelo, que apoiou a escolha de Marin. E que, assim como o presidente da CBF, já tinha se declarado contra a contratação de um técnico estrangeiro. O que, aliás, lamento. O corporativismo e o pensamento retrógrado da confederação, como comentei num post anterior, acabaram prevalecendo.

Quando poderíamos avançar, com um Guardiola da vida, se não demos um passo atrás, tampouco demos um adiante. Resta torcer para a nova (velha) comissão técnica realizar um bom trabalho, pois a seleção brasileira tem sido mal tratada demais.



  • TRI MUNDIAL DOOM

    Melhor escolher logo, antes q sobre tite ou joel santana…kkkkkkk
    Tite por um milagre chegou a um mundial, diz como se ganha um mundial q nem jogou, se compara com os outros querendo dizer q estaria em vantagem e lembra q Abel ganhou um mundial q ele nem jogou ainda…
    Joel Santana cheio de bagage, segundo ele…

    • michael joshua

      Cara,eu não sei quem é mais babaca,se EU ou VOCÊ?
      EU- por comentar essa sua babaquice…
      VOCÊ-por escrever uma baboseira dessa,e ninguém comentar (a não ser esse babaca aqui).
      Isso só podia ser coisa de bambi mesmo,que não ganha nada à 3 anos,e talvez venha a ganhar a série (B) da libertadores (Sul-americana) e já estão se achando os “reis da cocada preta”,kkkkkkkkkkkk….
      CHUUUUUUUUUUUUUUPA BAAAAAAAAAMBI!!!

      • TRi mundial DOOM

        Calma! É só um péssimo técnico…Não tem o currículo do Felipao com 2 copas disputadas, ou Muricy com 3 brasileiros seguidos ou quem sabe o Abel q ganha título desde de q é tecnico e o guardiola q ganhou mais títulos em um ano q tite na vida toda …kkkkk Sua revolta é o curintias e tu nao sabe…

    • janca

      Não defendo o Tite na seleção, mas não foi por milagre que ele ganhou o Mundial. Ele preparou muito bem o Corinthians para a Libertadores no primeiro semestre e teve muitos méritos na conquista. Méritos que não foram só dele, claro, ninguém ganha nada sozinho, mas foram também dele.

      • Alexandre

        “…mas não foi por milagre que ele ganhou o Mundial”. Oráculo? 🙂

        • janca

          Não me referia ao Mundial de 2014. Parreira ganhou em 1994 e Felipão, em 2002. Isso ninguém tira deles.

  • Adalberto F. Franco

    BOM DIA JANCA :

    A falta de profissionalismo dos nossos dirigentes não existe, já estamos as portas da Copa do Mundo e nem um time definido o Brasil, tem, enquanto outras Seleções já tem um trabalho que vem se aprimorando o Brasil, parece um amontoado de jogadores que são escolhidos que nem nas peladas de rua. É lamentável o amadorismo de quem comanda o nosso futebol e depois culpam os jogadores por uma possível perda de mais uma Copa do Mundo em solo nacional. Bom Dia para ti.

    • janca

      É isso mesmo, não temos um time, jogamos dois anos e pouco de trabalho (que não foi feito) no lixo, tínhamos um amontoado de jogadores, a falta de organização da CBF em relação ao planejamento da seleção é lastimável.

      • rubens

        na hora que o Mano estava dando cara para o time mudam o técnico… será q o Felipão vai começar tudo do zero como diz o blogueiro? claro que não, já temos um time base, ou será q o Felipão vai fazer grandes alterações? Tomara que mantenha os dois volantes que sabem jogar, se o felipão não atrapalhar esse time vai longe.

  • Mario

    Aldo pensa como revolucionario comunista dos aos 60 e o Ze das medalhas pensa como ditador dos anos 70(deve ser por isso q é tão amigo do JJ presidente/ditador spaulino) ,2 caras com ideias velhas e ultrapassadas , nunca iam criar algo novo e de qualidade.
    o Ze das medalhas antecipou a escolha p/abafar o Sanches e o escanda-lo do Del Nero(outro refugo da ditadura como publicou Juca Kfouri).
    o Parreira como dirigente é uma boa escolha ,sabe bem o q fazer e ñ fazer ,ele ia ser otimo p/ajudar e explicar ao Guardiola os cu stumes dos cartolas brasileiros sem espanta-lo ,mas ne… o jeito é aguentar o Felipinho e seu futebol burocratico.

  • Renato Bastos

    Bom dia Janca,

    vindo da CBF nao podiamos mesmo esperar muita coisa, o problema do brasileiro e ter esperança sempre que as coisas vao melhorar, mas na verdade mesmo a gente nao corre tanto atras assim, se estiver bom pra mim f***** o vizinho, detesto os EUA mas tenho que reconhecer que eles estao aonde estão por seu patriotismo pelo que leio e vejo o problema de um la, e o problema de todos, coisa que não acontece aqui no Brasil, aqui quando toca o hino a maioria nao sabe nem cantar, ou acha engraçado, a grande verdade e que o povo tem governo que merece e isso se aplica ao futebol os dirigentes dos clubes estao preocupados com qual a vantagem que meu time vai ter com esse sujeito na presidencia, se ele vai fazer um bom trabalho pra mim, o restante que corra atras, ninguem aqui pensa no bem comum, enquanto a gente agir dessa forma as coisas vao ficar do jeito que estao…seja no futebol ou na politica….

    Um Abraço..

  • Mister krau

    Janca:
    Acho o Marin que ele resolveu antecipar devido o Andres ter revelado que seria o Felipão.
    Tem muita gente falando muito, dezindo que seremos campeões em 2014. Mas afirmar acho isso pode ser um tiro no “pé”. Hoje não temos mais Ronaldinho, Roberto Carlos, Rivaldo. Só que temos hoje é Neymar o resto são apenas bons jogadores.

    • janca

      Eu discordo, acho que temos uma safra de jogadores muito boa, estamos mal em outros setores _a parte tática e a falta de planejamento. Com a maioria de dirigentes e técnicos do Brasil sendo como são fica difícil para o nosso futebol.

  • Vaz

    Em resumo, tanto faz tanto fez, se ganharem continua o eterno estilo de administração CBD/Havelange de secular incompetência e desmandos, se não ganharem, a culpa é do técnico e vamos para a renovação, agora vai e permanece o ditador de plantão na CBF que a esta altura estará reeleito. Podem citar ao menos uma centena de razões contra a escolha do nome de Luiz Felipe “Pinocchio” Scolari mas acho que algumas são definitivas: superado, deve favor ao Marin por resgatar uma carreira decadente (vai ser independente ou acatar as ordens do ditador da CBF), teimoso, vingativo, arrogante (acha que não deve satisfações a ninguém) mas talvez a definitiva seja a que enterrará qualquer possibilidade de renovação técnica e tática da seleção brasileira com seus esquemas retrógrados o que acaba sendo uma contradição já que a lógica e razão de críticas não só ao Mano mas a todo técnico da seleção é a não convocação dos melhores no momento, e ele, o técnico escolhido, é um dos piores do momento.
    Não tenho dúvidas que vários nomes do passado na seleção estarão de volta. Torço pelo Brasil mas te confesso sem nenhum entusiasmo.

  • adams

    A mesmice de sempre… Scolari vai ressuscitar os veteranos da copa/10. Apesar q copa do mundo são apenas 7 jogos, fazendo um trabalho direitinho ñ tem como ñ perder. Se fosse para escolher um técnico com as ‘características do futebol brasileiro’ (se é q isso existe), poderia chamar o Cuca. Já percebeu q todos os clubes q ele treina, os times só jogam ofensivamente? Os times do Cuca são tão ofensivos qt foi o Barcelona do Guardiola. E é brasileiro…

    • janca

      Mas por uma suposta instabilidade emocional duvido que arriscassem chamar o Cuca. Eu também não sei se o chamaria, ainda é verde para uma seleção que jogará a Copa em casa, assim como o Mano também era. Embora, claro, o futebol dos times do Cuca é muito bonito (e ofensivo) do que o apresentado pelos times do Mano. E gosto de Cuca como técnico.

      • rubens

        Todo time do Cuca joga bonito e perde.

  • José Henrique

    Estou achando uma grande hipocrisia essa rasgação de seda para o Marin, criticado quase que envergonhadamente por toda a conivência e tolerância, o homem.

    Criticas light bem, light, oportunas, e tímidas, afinal o “serviço sujo” foi feito por uma figura dessas.

    Hoje, o pensamento dos desenxabidos, é mais ou menos esse:

    “Porém como o fim justificam os meios, e como ” tiramos Sanchez e Mano” nós críticos precisamos se alguma forma, segurar bem firme na broxa, já que a escada foi removida”

    Então vamos ficar batendo de leve, no nosso “herói” prá disfarçar a nossa felicidade.”

    • Joe LHP

      Bem por ai mesmo, vi nessas colunas desses jornais, ai chamando essas figuras arcaicas de “revolucionarios do futebol”, mas a imprensa no Brasil e até no mundo é isso ai mesmo, sempre tende a ir para onde o vento sopra e para onde lhes convém, agora vamos de Felipão e Parreira que é em tése uma opção conservadora e com um certo apelo popular, vamos ver no que dá mas naturalmente creio que essa seleção só vai acontecer mesmo em 18 ou 22, se ganhar 14 vai ser lucro.

      • janca

        Não acho que precisemos ganhar em 2014, derrota faz parte da vida, mas temos que jogar bola.

    • janca

      Alguém achar o Marin herói só pode ser brincadeira, se bem que cada um tem direito à sua opinião. Mas a vida não é A ou B. Não é por não gostar do trabalho do Marin, que só está onde está porque era aliado do Teixeira, seu vice mais velho, que tenho que gostar do trabalho do Andrés _na seleção. Acho que ele não fez praticamente nada na CBF e também se aliou ao Teixeira, de quem seria escudo. Não é porque fez ações boas para o Corinthians _e acho que fez_ que devo gostar do Andrés como dirigente da seleção. Não gostei. E com Marin e Del Nero virou uma rainha da Inglaterra, foi fritado, tanto é que saiu. Talvez até pra voltar depois mais forte. Às vezes temos que recuar para avançar depois.

      • José Henrique

        E a seleção, em 2013 jogará apenas 3 (tres) repetindo 3 amistosos, e a copa das confederações.

        E já contratatam Felipão e sua troupe, por mais de 1 milhão mensais, sem contar o salário do Parreira, colocado no lugar do Sanchez, que falou abertamente que ganhava 70 mil mensais.

        Com Felipão ganhando essa fortuna, algum reporter terá os culhões de perguntar (e obter resposta) de quanto será o salário do Parreira?

        Com Sanchez, isso foi colocado como o fim do mundo.

        E hoje, com gastos em 13 meses de perto de 15 milhões para 3 joguinhos amistosos e o torneio, nada acontece. Nenhuma linha se lê, dos “fiscais” da moralidade.

      • José Henrique

        E você Janca, deveria ter observado ( eu lhe perdoo) que a palavra heroi no meu comentário está entre aspas, e você sabe o que significa isso. Ou não?

  • Janca, sempre fui Barcelonista – desde Rivaldo e anos de draga -e Curintia. Como blaugrana meu sonho era ver Guardiola na seleção. Como não tem mais jeito, será que haveria uma possibilidade de, depois Copa, ele ser convidado?

    Até porque, creio, em um ano e meio seria complicado tirar tudo do time e, após um provável fracasso em 2014, dificilmente um treinador derrotado permaneceria no cargo em caso de Copa. Por isso jamais aceitariam que ele assumisse agora visando 2018 (coisa que eu iria propor, caso fosse o Marin).

    Mas ele seria perfeito para resgatar o futebol brasileiro, esquecido depois do Telê…

    • janca

      Depois de 2014 sinto que muita coisa vai mudar, para o bem ou para o mal. Se bem que pior do que está fica complicado _rs. Sou fã do trabalho do Guardiola, lamento muito ele não ter sido chamado, mas acho que em 2018 (ou para a Copa de 2018) ele já estará em outro. O grande desafio seria agora. Chamá-lo para ajudar a resgatar nosso futebol bem na Copa que jogamos em casa, Dolfo.

    • Alexandre

      Um técnico de ponta, de classe mundial, não vai ficar esperando pela Seleção.
      A oportunidade era agora. Passou, não volta mais.

      • janca

        Também acho. Já era.

  • Roberto Junior

    Janca, o pior dessa conversa é o cidadão chamado Carlos Alberto Parreira, o maior enganador da história do futebol brasileiro.

    Ora, pois. O cara banca uma de moderninho, metido a organizador de seminários sobre a gestão do futebol e me vem com aquele argumento corporativista e imbecil sobre a eventual contratação do Guardiola.

    A tropa é o espelho dos seus comandantes. Pobre futebol brasileiro.

    Abs.

    • janca

      É um corporativismo tremendo. E lembro que o Parreira pode ter ganho _e ganhou, com muitos méritos_ a Copa de 1994, mas fez péssimo trabalho em 2006, como fez péssimo trabalho na África do Sul, que nem da primeira fase da Copa de 2010 passou, mesmo jogando em casa. Vi alguns trabalhos muito ruins do Parreira. O que mais gostei foi o no Corinthians, aí ele mandou bem. Mas de fato vem com um ar de “moderno” quando é outro ligado aos tempos da ditadura, de Teixeira e Havelange, dos quais sempre foi aliado. E defensor.

      • Alexandre

        Compartilho da tua opinião, Janca.
        Parreira trabalhou duro em 1994, enquanto foi negligente e preguiçoso em 2006.
        Aliás, é irônico escutar o Ronaldo dizer que o futebol brasileiro está em sua pior fase na história, quando foi com a colaboração decisiva dele mesmo, de Parreira e de outras estrelas do “joga bonito” que fracassamos clamorosamente em 2006.
        Foi o começo de uma decadênca que parece não ter fim.

        • janca

          É curioso, mas também acho que 2006 _e aquela seleção que vimos na Alemanha_ marcou justamente esse período de decadência e de desvalorização (que segue) da atual seleção. Uma decadência que parece não ter fim e que deve continuar com a CBF nas mãos de quem está.

  • Janca…estou muito preocupado…parece que SÓ NO BRASIL os melhores não são valorizados…que critérios foram usados pra Felipão e Parreira? o primeiro não faz um trabalho decente há anos…o segundo já se aposentou…suas concepções táticas são defensivas e não me surpreendo se ao invés de Ramires, Paulinho, Hernanes e Arouca, volantes de altíssima qualidade técnica, forem convocados Nilton, Edinho, Amaral…estão muito ultrapassados…e o argumento de marin pra justificar a não escolha de Guardiola é patético, típico de quem não entende NADA de futebol…

    • janca

      O argumento do Marin em relação ao Guardiola é patético mesmo. O que Marin está fazendo na CBF até agora não consigo entender…

  • Davi

    É um afronta a racionalidade, e uma exortação ao populismo barato, cogitar uma APOSTA como o Guardiola para tal função.

    Tivéssemos pela frente 4 anos para uma Copa do Mundo, tudo bem. Acho que seria válido ao menos tentar.

    Agora com tão pouco tempo, trazer alguém sem profundo conhecimento do nosso futebol (um elenco não se monta só com jogadores do exterior) e sem nenhuma passagem dirigindo seleções (Tempo de trabalho após uma convocação é ínfimo) é uma aberração, só justificada pela alienação e necessida de se aparecer.

    Mas vale lembrar que para isto (aparecer), não faltam melâncias e a Paulista para tal finalidade.

    • janca

      Uma afronta à racionalidade? Ser racional é apostar mais nos mesmos, sempre nos mesmos? Não sei…

      • Davi

        Ser racional, sem nenhuma dúvida, é investir em “mais do mesmo” que deu certo em tratando-se do comando de seleções, em especial durante Copas do Mundo.

        Decisão certa ou errada, o tempo dirá, mas fato hoje é que se tem como sustentá-la. O que não se tem de nenhuma forma, nem que evoquemos a uma enorme “boa vontade”, é sustentar a idéia de um Guardiola.

        Não existe respaldo, para este treinador, quando falamos em Seleções e Copas do Mundo.

        • Alexandre

          Deu certo em 94, deu certo em 2002, sob circunstâncias completamente diferentes das atuais. Doze anos é muito tempo no esporte. Vinte então, nem se fala.

        • Alexandre

          Complementando, se é para ter mais do mesmo, porque não chutam logo o balde e chamam o Zagallo?
          Ultrapassado por ultrapassado, pelo menos daríamos algumas risadas.

    • janca

      Pelo menos Felipão e Parreira, especialmente o primeiro, sabem lidar com estrelas. Mas o Guardiola também…

    • Ricardo Soares

      Como vc colocou: “um elenco não se monta só com jogadores do exterior” ??? Meu amigo grande parte dos escolhidos jogam lá. Como ele não conhece os jogadores? Beleza seu argumento

      • Davi

        “grande parte dos escolhidos” não é totalidade, e isto é bem óbvio diga-se.

        Portanto, não basta ter apenas o conhecimento parcial, ou “de grande parte”. É preciso conhecer por completo, para eventuais substituições mudanças táticas e etc….

        Não reconhecer isto, é ter um pensamento extremente pobre.

  • Rafael

    Infelizmente prevaleceu decisões políticas.

    E o mais espantoso (ou nem tanto assim) é que não estamos nem aí. Aceitamos tudo, afinal é isso que brasileiro faz.

    Vamos ser radicais então e fazer como no filme laranja mecânica, que façam todos convocados assistirem as partidas do barcelona. Tem que aprenderem, nem que seja por osmose.

    Se não admitem o treinador para passar isso para eles que ao menos o façam assistir até que aprendam.

  • Ton

    Penso que os palmeirenses é que não gostaram muito da ideia, afinal Felipão tem a parcela dele de culpa no rebaixamento do Verdão e como “prêmio” virou técnico da seleção!?

    A frase é antiga, mas parece que muita gente esquece….FUTEBOL É MOMENTO!!!!

    A fase de Felipão (e Parreira) já passou, será que eles acreditam que só o fato de reunir os últimos treinadores das últimas conquistas brasileiras em copas é suficiente para lograr êxito em 2014?????????????????

    É muita falta de reciclagem mesmo apostar em um cara que o último trabalho foi péssimo trabalho e está com a carreira em declínio. Lamentavél!

    • janca

      O Marin tomou a decisão pensando no que era melhor para ele, Marin. Se era o melhor para a seleção tenho minhas dúvidas. Continuo insistindo que uma aposta no Guardiola seria um choque, a meu ver, muito mais interessante neste futebol brasileiro que não se recicla fora das quatro linhas.

  • Francotimao

    Ola, Janca, poderia começar dizendo: “os fins justificam os meios”, ao menos é o q eu acho q a dupla dinamica Dick Vigarista/Tião Gavião pensaram qdo “repatriaram” a dupla Felipone/Parreira, como o objetivo principal eles ja haviam conseguido, ou seja, afastarem o Andres então…sobrou o caso do técnico pra eles deciderem, como são mais do msm literalmente, optaram pelo óbvio e ululante, pensando principalmente na conquista do scolari a frente da seleção, não pestanejaram e os trouxeram aos holofotes, acho q para o guardiola foi melhor o q houve, penso q ele poderia sair muito “chamuscado” se fosse conduzido ao cargo neste momento, imagine o pobre jogado lieralmente aos “leões” da CBF???…tenho dó do kara por antecipação…Abs!!!!!!

    • janca

      É que não acho que o principal motivo tenha sido afastar o Andrés. Não precisavam tirar o Mano pra derrubar o Andrés, desde o início Marin e Del Nero têm reclamado do trabalho do Mano _e boa parte do público brasileiro também, vide a reação quando o time jogou no país. As atuações contra seleções de primeiro nível (não vencemos nenhuma), o fiasco da Copa América e a passividade na final da Olimpíada foram decisivivas na derrubada do técnico. Acho que nem o Mano confiava em seu trabalho. Sobre o Guardiola não acho que ele sairia chamuscado da seleção, acho que ele se sairia muito bem, isso sim. E com ele no comando Marin e Del Nero não dariam pitacos em convocação, nada do gênero. Mas não quiseram um técnico estrangeiro, o que mostra a mentalidade do país e o corporativismo que ainda temos por aqui.

      • Francotimao

        Pode ser q vc tenha razão nas suas observações, mas eu não tenho essa msm certerza q vc tem, Abs!!!!

  • Alexandre

    O Marin poderia ter escolhido pensando no futuro, mas preferiu, como é de costume nos reacionários, escolher pensando no passado.
    Ganhando ou não a Copa, o que é dificílimo com qualquer técnico, já que não temos mais os melhores jogadores do mundo, a escolha por Guardiola nos poria em contato com táticas e práticas que estão na vanguarda do futebol moderno, e certamente colheríamos os frutos disso, senão em 2014, ao menos nos anos seguintes, e certamente em 2018.
    Já a escolha por Felipão, que não fez nada que mereça registro nos últimos anos (além de ajudar a rebaixar o Palmeiras), e pelo Parreira, que naufragou ridiculamente em 2006, foi por tentar repetir a história, esquecendo-se de que esta só se repete como farsa.

    • janca

      Eu concordo com o que você coloca em relação à aposta no Guardiola. Uma grande oportunidade que deixamos passar…

  • Josevaldo Pereira

    Janca, é verdade que o São Paulo conseguiu patrocínio para cobrir a Gaiola das loucas? (vulgo Panetone / Morumbiba)

  • Três jogos no Brasil em 2 anos?.. Que saudade da Seleção (antes) Brasileira…

    Saudações, Janca!

    João Sassi

    • janca

      Oi João. Acompanhei seu post sobre os pontos corridos… E faz tempo que a nossa seleção não é mais brasileira, joga na Suécia, na Polônia, em New Jersey, qualquer canto do mundo, mas por aqui… Triste. Saudações pra você também, Janca

  • Marcos

    Está feito, perdemos a grande oportunidade de contratar um técnico extra-classe como é o Guardiola, que revolucionou o Barcelona e poderia fazer o mesmo com a Seleção. Mas o que poderíamos esperar de alguém como o passado e com mentalidade retrógrada como é o Marin. E parece que os dirigentes de clubes no Brasil são igualmente resistentes aos estrangeiros pois ninguém deu uma oportunidade ao Jorge Sampaoli.

    • janca

      E os técnicos também. Ninguém queria um estrangeiro, com raríssimas exceções. Reserva de mercado?

      • Alexandre

        Expressão perfeita, Janca.
        Quando as importações eram proibidas, não sabíamos o quão obsoletos eram os produtos fabricados no Brasil.
        O mesmo ocorreria se um técnico de ponta viesse para cá. Exporia o nível fraco da maioria de nossos técnicos.

    • janca

      Sendo que ele, Guardiola, poderia nos ajudar aquele futebol com o que estávamos acostumados, né?

      • Marcos

        Se os dirigentes que têm o poder de contratar não o fazem, imagine se os técnicos, que poderiam perder mercado inicialmente, apoiariam.

  • Marcus

    Boa Tarde, Janca

    Concordo quando você diz que a Confederação é retrógrada. Espero por mudanças, mas sinceramente acho difícil (na direção dela).

    Agora, acho que Felipão foi uma boa escolha. Os ideais para o cargo seriam ele ou Abel Braga. Os outros são perda de tempo. Murici, Tite, Guardiola… Todos bons técnicos e sem perfil de seleção brasileira. Acho que Guardiola seria sim uma aposta… mas na minha opinião, errada. Ele não conhece o futebol brasileiro, levaria um tempo a se adaptar. Seria um tiro no pe´.

    Em relação ao Marin, ele é político, raposa antiga. Sabe bem as artimanhas, e a menos que tenha um problema de saúde não deve sair tão cedo, e continuará fazendo o que faz. Sua diferença para Teixeira é o fato de ouvir o povo e saber jogar com isso.

  • alessandro

    BOA NOITE JANCA,COM ESSES DIRIGENTES O FUTEBOL BRASILEIRO ESTA PERDIDO,E MUITO CONSERVADORISMO,NAO TEM UMA ATITUDE OUSADA,A CONTRATAÇAO DE GUARDIOLA SERIA UMA GRANDE OUSADIA,NAO SO PENSANDO NA COPA MAS MAIS ADIANTE,MAS EM TERMOS DE DIRIGENTES TEMOS A TRADIÇAO DE TERMOS GENTE COM MENTES CAQUETICAS,ATE HOJE SO VI UMA EXCEÇAO DE DIRIGENTE OUSADO,O EX PRESIDENTE DA FPF EDUARDO JOSE FARAH,QUE NA SUA EPOCA TORNOU COM INICIATIVAS OUSADAS O CAMPEONATO PAULISTA SUPER ATRAENTE,CHEGANDO ATE A SER OBSERVADO PELOS EUROPEUS.OS DEMAIS E DE DAR PENA,MAS PENA DO FUTEBOL BRASILEIRO!!!!!

  • Marcio

    Acho que é notável que o mandatário da CBF teve a intenção de agradar pessoas poderosas do pais, pessoas ministeriais e corporativas, sem falar que ele comete um despautério em ignorar a opinião publica, a muito tempo a seleção deixou de ser do povo e passou a ser de pessoas que veem a camisa da seleção como uma nota de 100 tem sempre o respaldo para escolher um técnico e o povo Brasileiro mais uma vez caiu no esquecimento.

  • Flurucava

    Presidente sem peito. Presidente não é o que manda? Trouxesse o Guardiola e pronto. Não dá para entender a escolha de Luís Felipe, que há um bom tempo não ganha nada (Copa do Brasil não conta e só, em quanto tempo?) Dois treinadores poderiam fazer alguma coisa diferente na seleção: Muricy Ramalho e Ney Franco. Muricy pela experiência que tem. O Ney pela facilidade na renovação, como fez com as seleções da base. O Luís Felipe afundou a equipe do Palmeiras, por não dividir a carga no Brasileiro e na Copa do Brasil. Ele desaprendeu como dirigir um clube brasileiro. Espero que o mesmo não tenha acontecido em relação à Seleção Brasileira. Mas, que foi um passo atrás, foi. STS.

    • janca

      Se ele tivesse peito teria arriscado e apostado num Guardiola da vida, mas ficou com receio da patrulha que receberia, inclusive de boa parte de técnicos e esportistas do Brasil. Uma pena.

  • Frank Pereira

    Bom dia galera!! Gnt vamo ter fé!!!! certeza que se chegamos na final ganhamos essa Copa do Mundo… É só lembrarem da Copa de 98….kkkkkkkk…..Quem ganhou?kkkkk…. Certeza que o Marin tem isso em mente.KKKK Bando de amadores!!kkkkkkk

MaisRecentes

Fuga de patrocínio



Continue Lendo

Verdão vai às compras



Continue Lendo

Contas corintianas



Continue Lendo