Força à Seleção



Reproduzo abaixo coluna que publiquei ontem no LANCE!. As colunas continuarão saindo no diário todas as terças, acompanhada da seção Três Toques, e a partir de novembro apenas em casos excepcionais as reproduzirei neste espaço. Lá vai, então:

“Tenho visto muita gente criticando a Seleção Brasileira, que estaria “roubando” jogadores dos clubes, desfalcando-os em momentos importantes do campeonato nacional e até atrapalhando suas campanhas em torneios internacionais.

Não acho que estejam errados, muito pelo contrário, mas podemos ter mais cuidado com a Seleção, ainda mais tendo em vista que seremos a sede da Copa de 2014, que encaro como um divisor de águas. Depois do Mundial muita coisa vai mudar, não sei se pra melhor ou pra pior, mas vai.

Não fosse a Seleção e a exposição que ela dá aos jogadores duvido que Neymar teria continuado no Santos. Talvez já estivesse na Europa, inclusive porque o próprio estafe do atleta diz que o principal motivo pra seguir na Vila foi o projeto 2014. E agora já discute a ideia de permanecer pelo menos até 2016 por conta do inédito ouro olímpico, que pela primeira vez na história disputaremos em casa. Muitos dos contratos publicitários que permitem ao atacante seguir por aqui talvez não tivessem sido assinados se ele fosse dispensado da Seleção pra não desfalcar o Santos.

Uma bela atuação do Brasil no Mundial (e temos talentos suficientes pra isso) pode reaproximar o torcedor da Seleção, valorizar nossos clubes e campeonatos e torná-los mais atraentes para o mercado internacional. Interessa não só à CBF, mas a todos os que trabalham direta ou indiretamente com o futebol brasileiro.

A grande questão, no entanto, é a CBF cuidar melhor da Seleção, algo que não vem fazendo de 2006 pra cá, e reformular o calendário do futebol nacional, deixando-o compatível com a agenda da equipe de Mano Menezes. Tenho insistido que um dos caminhos pra melhorar o calendário e torná-lo mais racional passa pela redução da participação dos grandes nos falidos Estaduais, torneios que despertam pouco interesse e não têm a mesma graça dos anos 60, 70 ou 80. Cabe à CBF discutir a questão com clubes e federações, lembrando que as últimas não querem perder seu filão e também votam pra eleger o presidente da entidade. Mas a CBF não pode viver como hoje, fazendo média aqui e acolá. Deveria, com apoio dos clubes, enfrentar as federações.

Como deveria rediscutir o contrato assinado por Ricardo Teixeira, antes de deixar o cargo, com uma empresa da Arábia Saudita que marca amistosos pro Brasil. Se na época dos jogos da Nike, que por contrato exigia que a Seleção tivesse determinado número de titulares nos amistosos marcados por ela, isso foi renegociado, por que agora não seria? Não faz sentido enfrentarmos Gabão, Iraque e outros times de naipe parecido quando poderíamos ter enfrentado uma França, por exemplo, e não o fizemos. Fora que temos jogado em estádios bem modestos, como na Suécia, estádios que nem cheios ficam.

Todas essas questões deveriam ser discutidas inclusive pelo governo, que pode não dar dinheiro à CBF, ao contrário do que faz com o COB, mas sabendo que ela administra um dos principais produtos nacionais. E, infelizmente, administra cada vez pior.”



  • André

    Vc. pegou um ponto diferente que ninguém aborda. Interessa uma seleção forte pra todo mundo que lida com futebol. Os clubes não vêem isso. Mas pense uma coisa que você esqueceu: o Mano diz que a seleção tem que estar acima de tudo e resolveu prejudicar o Corinthians. O Corinthians vai representar o Brasil no Mundial de Clubes. O que ele está fazendo é uma sacanagem com o Corinthians. Queremos uma seleção forte e queremos clubes fortes também.

    • janca

      Não acho nem disse que a seleção tem de estar acima de tudo, se o Mano acha está equivocado. Mas certamente ele não está de sacanagem com o Corinthians, ao contrário do que você diz. O Corinthians só viaja ao Japão em dezembro, estreia no dia 12 no Mundial, esses dois jogos do Brasil em novembro não atrapalham o treinamento do Timão. Se perder o Mundial certamente não será por conta dos amistosos da seleção, em 15 e 21 de novembro (o segundo a definição do Superclássico das Américas, que não aconteceu por conta do famoso e vexatório apagão de Resistência).

    • RODRIGO

      ANDRÉ ,E QUANDO O MANO CONVOCOU O NEYMAR PARA AQUELES AMISTOSOS NOS EUA,SENDO QUE O SANTOS TINHA SEMI-FINAL CONTRA O CORINTHIANS,CARA ESSE CLUBISMO TEM QUE ACABAR NO BRASIL,PIMENTA NOS OLHOS DOS OUTROS É REFRESCO

      • janca

        Tem que acabar mesmo, pois se cada um pensar apenas em si e não no todo, o futebol brasileiro seguirá caindo como está. E a própria seleção _leia-se CBF_ deve pensar nos clubes. Não deve ser menosprezada, mas de um calendário decente precisamos há tempos. Não tem sentido o Campeonato Paulista, por exemplo, ganhar uma semana a mais em 2013. O Paulistão que, com todo respeito, não tem acrescentado nada aos grandes de São Paulo, a não ser tirar quatro meses do calendário nacional.

  • santos

    flamengo joga como nunca, jogadores de parabens ,porque atualmente jogam contra os comentarios deste ilustre comentarista da rede glogo 50 faltas para que ronaldinho tentasse o gol mas infelismente para tristeza do ilustre comentarista da rede globo ele não fes , flamengo jogou como um leão onde o jogo foi todo conduzido tentando favorecer o atletico, dando des minutos de acrescimo sem nenhuma paralização que justificasse tanto tempo mas isso o comentarista da globo não viu defensores do altletico derrubando a todo instante vagner love mas o juiz não via nada. tentava achar penalte aonde não existia, rede globo não é mais a mesma emissora não tem mais comentaristas de qualidade somente este coitado meia boca tenta desqualificar arbitragens mesmo elas demonstrando favores ao outro time, emissora tenta governar o pais tenta conduzir os rumos do futebol brasileiro controlando policia primeiro escalão segundo escalão de governo manobrando ao seu beo prazer todos. os meios conduz com mão de ferro seus favores , este empate tem o sabor de vitoria pois flamengo hoje jogou contra comentarios tendenciosos e juiz

  • Ton

    O Calendário já é um problema. Mas o que não me agrada como torcedor é ver meu time desfalcado por convocações para jogos fora da “data fifa”. Esse superclássico não existe, pura politicagem! Se eu fosse dirigente do meu clube, bateria o pé, não é data fifa, não libero!

    • janca

      Acho que há margem de negociação entre as partes, não é o primeiro jogo fora de data Fifa e não sou a favor de posição radical de um lado nem de outro. A CBF tem que pensar nos clubes e também na seleção, pena que parece estar se esquecendo tanto de uns quanto da outra.

  • renato sá

    Sou contra a CBF…. enquanto for gerida como é, serei contra tudo o que for da CBF, nesse caso a Seleção brasileira (que não representa o Brasil, nem o futebol brasileiro e sim o futebol federado brasileiro), entra no rolo.

    Mas isso é assunto menor, Janca, você viu que na Câmara foi aprovado (vai pro senado agora) que os municípios poderão dar isenção fiscal a todos os serviços envolvidos na Copa. IPTU e ISS estão entre as maiores fontes de arrecadação dos municípios….
    A FIFA também clama por voluntários (que ganharão um lance Mc Donalds e um uniforme), tanto é que estão buscando gente na Argentina e Uruguai. Uma coisa é o voluntariado em países de 1° mundo, outro é no Brasil, onde a população vive miseravelmente, salário mínimo é a média.

    Próxima etapa será a aprovação dos “Tribunais da Copa”… igual na África, onde o cara era detido, julgado e condenado em questão de horas, sem defesa, sem respeitar a constituição, sem respeitar nada…. pior que na época da Ditadura…. pior que a inquisição, que ao menos tinha-se o tempo de defesa.

    E sempre vem a desculpas “Nós nos comprometemos com a FIFA quando aceitamos sediar a Copa”…. oras, nós quem? Não vi nenhum plebiscito!

    • Rogério

      João Carlos, o brasileiro tem que fazer pressão pra tirar força da CBF. Sou a favor da seleção e quem defende a seleção tem que ser contra a CBF. Tudo o que ela faz é errado. Tem um ditador malufista na presidência, patota de sempre, muitos oportunistas, RT com salário de consultor, filha do RT faz o que quer, contratos esdrúxulos, um bando ganhando às custas da seleção que tá uma merda. Não tem outra palavra. Uma merda. Alguém tem que fazer alguma coisa.

      • janca

        Oi Renato, oi Rogério. Desculpe o atraso pra responder seu comentário, Renato, mas em relação aos compromissos assumidos com a Fifa para recebermos a Copa há uma margem pra discussão, um cedendo aqui, outro acolá, e acho que o governo, dentro do possível tem tentando defender os interesses brasileiros e tem conseguido fazê-lo bem. O que anda mal é a preparação pra Copa, o legado pro país deve ser mínimo, estamos perdendo uma chance de ouro. E em relação à CBF, Rogério, concordo que são os de sempre comandando a entidade. O Marin era o vice mais velho do Ricardo Teixeira, que continua influindo na entidade. E o papel da CBF deveria ser rediscutido. Inclusive pelo governo, como coloquei no texto.

  • Rogério

    Você viu a história da TAM que o Juca publicou? Um escândalo.

    • janca

      Ainda bem que temos um Juca Kfouri…

  • Rogério

    Dilma não receber o Marin é uma boa, mas cê acha que ele tá ligando? O ditador tá ganhando uma fortuna. Vc. criticava tanto o RT, critique o Zé das Medalhas, o Brasil tem que tirar esse cara de lá.

    • janca

      E eu critico. Mas tirá-lo de lá não é tão fácil, não, sou contra intervenção na CBF, embora seja a favor de rediscutir o papel da entidade com governo e sociedade civil. Ela está fazendo mal à seleção e a tratando como produto privado, como se fosse propriedade de Marin e cia., quando não é. Ou não deveria ser. E concordo que a Dilma e o governo federal têm de ser mais firmes. No COL, por exemplo, há isenção de impostos, e Marin e Joana Havelange, a filha de Teixeira e neta de Havelange, os dois acusados de recebimento de propina pela Justiça suíça (Teixeira e Havelange), fazem o que quer e estão ganhando fortunas. Aí cabe ao governo se mexer. Aliás já deveria ter se mexido.

MaisRecentes

Saída de Lucas Lima



Continue Lendo

Dorival bombardeado



Continue Lendo

A grana de Nuzman



Continue Lendo