Clubes pedem anistia



Dirigentes dos quatro principais times da capital paulista devem se reunir nas próximas semanas com assessores de Fernando Haddad, prefeito eleito pelo PT, para discutir suas dívidas com o município.

Corinthians, Palmeiras, Portuguesa e São Paulo insistem na anistia dos débitos de entidades esportivas que utilizam áreas públicas da cidade. Projeto em tal sentido já foi encaminhado à Câmara de Vereadores por Gilberto Kassab (PSD), mas acabou suspenso por liminar.

Os clubes argumentam que não faz sentido pagarem as dívidas, pois se consideram verdadeiras áreas de lazer, têm torcedores em todo o país e representam o Brasil no exterior, argumentos que, a meu ver, são extremamente frágeis e não justificam o pedido. Se contraíram as dívidas e até agora não conseguiram quitar, devido em boa parte às suas más administrações, não faz sentido receberem um prêmio da administração pública. E se eles são verdadeiras áreas de lazer, como dizem, vale lembrar que não são abertos ao público, mas aos sócios, que têm de pagar para usar suas instalações.

Além das dívidas com o município os grandes da capital vão mais longe. Esperam também que Haddad faça uma ponte com a presidente Dilma Rousseff, de quem aguardam uma medida provisória para anistiar suas dívidas em relação aos tributos federais. A ideia é usar Andrés Sanchez, diretor de seleções da CBF e ex-presidente corintiano, como intermediário nas conversas com o novo prefeito paulistano, que assume o posto em janeiro.

Vale lembrar que, durante a campanha em São Paulo, dirigentes de Corinthians, Palmeiras e São Paulo chegaram a manifestar apoio ao candidato do PT em evento no Sindicato dos Engenheiros. Manuel da Lupa, presidente da Lusa, não compareceu, mas fez questão de enviar uma carta explicando a ausência. Só a dívida da Lusa com o município estaria na casa dos 13 milhões de reais. Os quatro receberam terrenos públicos para usar, não pagaram aluguel nem deram contribuições sociais em troca, como era esperado. E agora querem que tudo seja “zerado”. Às custas de quem? Do contribuinte, que nestes, como em tantos outros casos, nem consultado é.



  • Flavio Rodrigues

    Também acho o argumento fraco, esses Clubes tem uma capacidade de geração de recursos imensa, maior que muitas grandes empresas, é só administrar com responsabilidade e um pouquinho de competência que dá pra pagar tudo e ainda sobra.

    • janca

      É o que penso. Eles querem um privilégio indevido, que seria um prêmio às suas gestões, gestões bem amadoras, diga-se por sinal. Lembrando que os clubes nunca prestaram contrapartidas sociais como deveriam _de 2006 pra cá_ nem pagaram o aluguel pela concessão de terrenos públicos até 2006, valor que chegava a 2,5% do valor venal das áreas em questão. E o pior é que eles continuam recebendo benefícios e recursos públicos mesmo sendo maus pagadores. Vide Corinthians, repleto de benefícios e recursos públicos pra construir o estádio de Itaquera, e São Paulo e Palmeiras, que ganharam mais 70 anos de concessão cada pra ficarem com seus centros de treinamento na Barra Funda. Acho que a concessão procede _só faltava a Prefeitura pegar de volta os CTs_, mas eles têm de dar contrapartida e pagar o que devem aos cofres paulistanos.

      • Flavio Rodrigues

        Pode parecer meio contraditório com a minha mesma opinião acima, mas eu ainda acho no fim das contas o estádio trará mais benefícios do que malefícios pra cidade, apesar de já ter sido convencido por vc que o empréstido do BNDS é um risco pelo fato de os clubes serem maus pagadores (espero e rezo pra que seja pago corretamente) e não deveria ser feito, ainda acho que os CIDs cumprem seu papel, já que foram criados antes, e para serem usados para atrair empresas e empreendimentos que tragam crescimento, aumentando captação de impostos, etc… se a VW ou qq outra fossem instalar uma fábrica em Itaquera, os CIDs poderiam ser utilizados, até onde eu sei… Apesar que claro, a incompetência da cidade e do estado que deixaram pra última hora, ajudou muito que a obra fosse aprovada nesses termos, abrindo exceções que normalmente não deveriam, inclusive aumentando o valor dos CIDs, que era bem menor… Só o tempo dirá, mas ainda não vejo como prejuízo pra cidade, pelo contrário… E não falo isso por paixão clubística não… ainda vejo essa obra como investimento pra cidade, mesmo sendo do clube, o entorno ganha, o próprio estádio pagará impostos já que que o abatimento dos CIDs cumprem um determinado valor e um determinado prazo, e o estádio perdurará, gosto ver a cidade crescer e as coisas acontecendo, as vezes o dinheiro público é muito bem escondido, bem guardado, e alguns bolsos e cuecas se enchem dele…

        • janca

          Temos opiniões um pouco diferentes sobre essa questão _e não que eu não possa mudar a minha. No caso do empréstimo do BNDES ele será pago, sim _imagino. Tanto que o banco pede da construtora uma série de exigências. Mas sigo, em tese, contra benefícios e recursos públicos para construção de arenas privadas, como sou contra o processo de concessão do Maracanã, feito com recursos públicos, mas vai dar lucro mesmo pra iniciativa privada. Sem falar que os clubes estão endividados, então que paguem suas dívidas _ou as equacionem antes. No caso do Palmeiras acho mais legítimo a forma como ele viabilizou a construção de sua nova arena. No caso do Corinthians foi uma tremenda costura política. Não que se o Morumbi fosse reformado pra Copa _custaria outra fortuna_ não haveria dinheiro ou benefício público. Mas não deveria ser assim. E um erro não justifica o outro. É o que penso até prova em contrário.

  • Felipe Lima

    É impressionante a cara de pau dos dirigentes!
    Se tiverem a dívida perdoada, contraem outras, fazem o mesmo apelo pros políticos, tem novamente a dívida perdoada, contraem outra e o ciclo se repete.
    Só lembrando que recentemente um dos clubes mais tradicionais do mundo (Glasgow Rangers) sofreu punições esportivas, decretando falência por uma dívida de £ 21 milhões. Em reais, dá aproximadamente, R$ 67 milhões. SESSENTA E SETE MILHÕES DE REAIS!!! O meu Flu por exemplo, pro INSS deve, por baixo, umas 4 vezes mais!!! E não acontece nada! Quer bônus maior que esse? Nunca ser cobrado!
    Espero que essa proposta nem seja discutida.

    • janca

      O pior é que imagino que vá ser discutida, sim, aliás já está sendo. Os clubes haviam convencido o Kassab de que têm de ser anistiados e agora tentam fazer o mesmo com Haddad. Aliás o Maluf, que apoiou o Haddad e sofre processo da Prefeitura de São Paulo por desvio de dinheiro dos cofres públicos, deve tentar acordo com o novo alcaide. Era só o que faltava. Espero que o governo não anistie nem os clubes muito menos o Maluf, seria um prêmio pelas más administrações. Acha que não fariam novas dívidas?

      • janca

        E no caso do Glasgow Rangers ele teve que decretar falência mesmo e voltar com outra razão social. Era um clube transformado em empresa que faliu. Até entendo que os clubes brasileiros são verdadeiros patrimônios que temos, mas isso não justifica benesses e administrações amadoras, que seguem os endivididando e rolando as dívidas pra gerações futuras, esperando que uma hora elas sejam perdoadas.

  • Dorival

    Janca, enquanto não houver times profissionais haverá esta roubalheira toda, o time inglês citado acima foi a falência por ser uma entidade privada e não clube que não paga imposto de renda e tem quase as mesmas regalias que as igrejas.
    O que precisa mudar são os times seres LTD ou AS enquanto isto não acontecer nada vai mudar, políticos vivem de votos e nas eleições com certeza vão cobrar dos dirigentes o voto deles e assim que funciona uma mão lava a outra e as duas lavam a cara.
    A igreja e os políticos nunca foram resposta pra nada passou da hora de mudarmos este paradigma o nosso sistema econômico que vive de escassez e não da abundancia também tem de mudar enquanto não evoluirmos para algo mais equilibrado e equitativo a balança vai sempre pender pra quem pode mais.

    • janca

      Muita gente pensa como você, mas eu não acho que os clubes precisem virar empresas, de capital aberto ou fechado. Defendo a responsabilização dos dirigentes por seus atos, a gestão profissionalizada, um fair play esportivo que impeça os clubes de disputarem campeonatos se a situação financeira estiver caótica (regras teriam que ser estabelecidas neste sentido). Fiz, recentemente, uma série no LANCE! sobre o modelo de gestão na Europa, que pode dar boas lições pro Brasil. Não que tenhamos que adotar o modelo deles _até porque varia de país pra país_, mas as coisas boas, por que não? Sem descaracterizar nosso futebol, claro.

  • Francotimão

    É de impressionar o tamanho da divida q os clubes indistintamente devem ao municipio, estado e federação, e desde q me entendo por gente, ouço falar destas dividas e desta msm forma, nunca ouvi ou vi alguma delas serem pagas, infelizmente Janca, sou absolutamente pessimista e sem qualquer chance (cético) em relação a possivel quitação dessas dividas…mas seguimos esperando a justiça triunfar, talvez seja ufanismo, mas é o q nos resta..abs!!!!!!!!!!

    • janca

      Eu também sou muito pessimista em relação a essas dívidas… E quando vejo um Maluf ao lado do Haddad comemorando parece que ele, Maluf, está tirando um sarro de todos nós. E os dirigentes esportivos também. Veja o caos administrativo que está o Vasco, o caos que vive o Flamengo… E veja o potencial de mercado que eles têm… Não precisariam, se bem administrados, ficar com o pires nas mãos. E estão. Como estão São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Portuguesa, implorando ajuda ao Haddad.

      • janca

        Agora tem um lado positivo nisso tudo. Pra ser sincero eu acho que o Haddad tem tudo pra fazer uma ótima prefeitura em SP, ao contrário do Kassab, que foi uma catástrofe. Mas queria vê-lo distante de Maluf e Chalita. E a Nádia Campeão, vice do Haddad, quando foi secretária municipal de esportes, na gestão Marta Suplicy, fez um bom trabalho. Espero que façam uma boa gestão. São Paulo merece, afinal tivemos cada prefeito nestes últimos anos. Desde que me entendo por gente quem se saiu melhor na Prefeitura foi Luiza Erundina. Vamos ver agora o Haddad.

  • Claudio

    Impressionante como tem troca de gentilesas por todos os cantos..Como a politica é suja..É um jogo de favores e interesses por todos os lados.. A politicagem abrange clubes,dirigentes e afins.
    Ta na cara que a credibilidade passa longe dos grandes clubes..A dona Patricia Amorim em entrevista ao UOL esta toda tensa pela sua derrocada nas urnas..Há indicios que ela conta com apoio do governo do Rio por um lugarzinho na camara..Essa é a relidade de quem mistura esporte com politica e o resultado é esse…Flamengo e Vasco estão sem presidentes e os torcedores é que sofrem…Lendo a coluna do UOL cheguei a conclusão que a mandatária rubronegra esta perdida e com um ar de derrotada,isso mostra a sua ausencia no debate de seus opositores.

    • janca

      Já caiu fora da Câmara do Rio, agora vamos ver o que acontece na eleição do Fla. Com os torcedores, pelo que sinto, está queimada, mas com os sócios parece que nem tanto. Portanto tem chances de vencer.

      • Claudio

        Esse é meu medo Janca..Ela sera reeleita sim.vlew.

  • Vaz

    Inimigos “mortais” Andrés e Juvenal (que piada, só tolos acreditam), Tirone desculpe mas não sabe o que pensar sem perguntar ao Mustafá e na Lusa fingem que não participam mas participam (contraditório não é, querem faturar também mas não põe a cara para bater). Resumindo, tudo não passa de teatro. Enquanto isso o torcedor manipulado acredita que são rivais. Essa de procurar o Andrés para batalhar o tal perdão e mais algumas mamatas é brincadeira. O cara não é odiado, não criticam a tal influência na CBF, governos e com políticos que supostamente beneficiam o Corinthians e agora vão chamar o sujeito para ser o representante da turma? O Juvenal que gosta de por o São Paulo como paladino da ética e da moral “tá” entusiasticamente defendendo a ideia e não acha nada demais o Andrés representar os interesses do tricolor?
    Dinheiro público vai correr aos montes e não tenho a menor dúvida sobre isso.Começarão ainda esta semana com a liberação da grana da Prefeitura para o Estádio do Corinthias, virá o BNDES que não terá garantias além das que já foram dadas, depois vem o perdão de impostos sem contar a permissão para reforma e ampliação de estádios em locais com restrições para este tipo de equipamento urbano (Palmeiras e São Paulo) tudo graciosamente liberado pela Prefeitura.
    Errado é dinheiro público para o adversário mas quando vem para o meu tudo bem.Acabou de ser sepultada a tal ética e moral que certos clubes apregoavam, é todo mundo farinha do mesmo saco.
    Um abraço

    • janca

      Um grande teatro mesmo. Juvenal Juvêncio foi o mais enfático na defesa do Haddad e na luta pela anistia das dívidas dos clubes _não só as dívidas municipais, mas as federais também. O Andrés é petista de carteirinha e tem o direito de ser. E agora que o Haddad venceu em São Paulo, com apoio do Andrés, o ex-presidente corintiano deve cobrar a conta. Junto de seus amigos Juvenal, Tirone e Da Lupa. Um circo.

  • Lucas Araújo

    Uma palavra pra definir isso tudo: TOSCO! Dívida é dívida e tem SIM que ser paga. Independendentemente do time ou do que quer que seja.

    Saudações do Tricolor Paulista.

    • janca

      Concordo.

  • Rodrigo

    Na boa? O São Paulo finalmente admitiu ser farinha do mesmo saco do Corinthians (e, se bobear, o Santos vai pegar a peteca e começar a se marketear como paladino da ética, já que não entrou na brincadeira, mas vai querer lucrar de alguma maneira). E Palmeiras e Lusa estão a fim é de aproveitar o embalo e entrar na mamata de uma maneira, vá lá, justificável.

    • janca

      O Santos nem poderia entrar na brincadeira, Rodrigo, porque nã é da capital paulista. Então entraram Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Portuguesa. E outros cinco clubes da capital, incluindo Juventus, também querem anistia e seriam contemplados se não houvesse uma liminar na Justiça contra o projeto do Kassab. Espero que o Haddad não entre nessa…

  • SAILE

    Está devendo tem que pagar, como acho que seria muito bom ver todo dinheiro público que foi investido no (Itaquerão ) por enquanto, ser devolvido ou o campo quando pronto ser um campo estadual Publico feito com dinheiro do povo e se chamar ADADÃO…porque se não quero um campinho aqui na minha cidade também parecido com esse Itaquerão pros meninos de rua bater uma bolinha.

    • janca

      Se bem que o estádio corintiano na verdade tem muito mais benefício público oriundo da Prefeitura de SP e do próprio governo federal do que grana no governo estadual, que deve entrar com cerca de 70 milhões de reais para construir as arquibancadas móveis para que ele atenda às exigências da Fifa e receba o jogo de abertura da Copa.

  • alessandro

    TORÇO SINCERAMENTE QUE O NOVO PREFEITO NAO CAIA NESSA DE ANISTIA.QUE OS CLUBES SE TEM DIVIDAS ALTAS OU PAGUEM POR ELAS OU OFEREÇAM AS CONTRAPARTIDAS SOCIAIS EXIGIDAS POR LEI.FAÇO UMA SUGESTAO AOS DIRIGENTES,CONVERSEM COM O NOVO PREFEITO E FAÇAM UM ACORDO PARCELANDO AS DIVIDAS COM TODA CERTEZA O HADDAD NAO VAI SE RECUSAR,FICA BOM PRA TODO MUNDO PROS CLUBES QUE PAGARAO SUAS DIVIDAS DE UMA MANEIRA MAIS CONFORTAVEL E PASSARAO UMA IMAGEM DE HONESTIDADE,PARA NOS CONTRIBUINTES QUE SEREMOS RESSARCIDOS E PARA A PREFEITURA QUE ALEM DE DAR EXEMPLO TERA RECURSOS PARA INVESTIR EM NOS CIDADAOS.HADDAD NAO COMECE MAL!!!!!!!!!!!

    • janca

      Renegociar as dívidas até entendo, pedir anistia dos débitos municipais e fazer lobby pela anistia dos débitos federais é que não.

  • Batista

    Acho que disso tudo esses dirigentes vão levar mesmo é uma “banana” do Candidato apoiado por eles! rsrsrsrsr. Eu daria muitas risadas rsrsrsrsrs!

    • janca

      E eu ficaria muito satisfeito. Renegociar é uma coisa, anistiar é outra. E os clubes dançam de acordo com a música. Se hoje é o Haddad, tentam se aproximar do petista. Quando era o Kassab, não paravam de afagar o “dono do PSD”, que aliás largou São Paulo pra fundar seu partido.

  • Ton

    Por isso que defendo a ideia que para administrar um clube de futebol (dirigir uma nação, um estado….) tem que ser profissionais formados com competência para ocupar tal cargo.

    Ideal seria se o CRA (Conselho Regional de Administração) fiscalizassem os clubes de futebol. Tem clube aí que é presidido por alguém que não sabe nem administrar o próprio tempo, imagine comandar um clube de futebol……

    • janca

      Não acho que precisem exiger diploma de administração pra dirigente de futebol, mas a fiscalização das contas dos clubes deveria ser feita, sim, inclusive porque alguns podem estar até insolventes. Sem falar numa lei que responsabilize os dirigentes por seus atos.

MaisRecentes

Goleiro são-paulino



Continue Lendo

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo