Polêmica CBF x COB



A cúpula do COB tenta se reaproximar da CBF depois da última cisão entre as duas entidades em Londres-2012, mas até aqui não vem tendo muito sucesso, não.

O racha ocorreu por conta do credenciamento olímpico de José Maria Marin. O presidente da CBF ficou sem crachá e se irritou com Carlos Arthur Nuzman, dizendo a interlocutores que o comandante do COB pouco fez para lhe arrumar uma credencial com acesso a todos os eventos em Londres.

Na explicação do COB, o pedido de Marin foi feito fora do prazo, já que a CBF, ainda na gestão Ricardo Teixeira, quando foi feito o credenciamento, não demandara crachá com acesso a todos os eventos para seu presidente.

A cisão entre as duas entidades aumentou ainda mais depois das declarações do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), para quem a organização da Copa-2014, ao contrário da preparação para a Olimpíada-2016, não vai bem.

Na visão da CBF, os comentários de Paes, reeleito em primeiro turno para mais quatro anos de mandato, jogaram uma cortina de fumaça sobre o mau momento vivido pelo COB e os organizadores dos Jogos do Rio. A organização não deu maiores explicações sobre furto de informações de Londres-2016 que culminou na demissão de nove funcionários do comitê.

Além do furto de dados sigilosos, também estaria incomodando o COB as denúncias da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo, que acusa o comitê, entre outras coisas, de ter invadido sua sede no Rio.

Marin não gostou da declaração de Paes já que, além de presidente da CBF, ele comanda o Comitê Organizador Local para a Copa 2014, assim como Nuzman dirige o COB e o Comitê Organizador Local para os Jogos 2016.

Quem respondeu ao prefeito do Rio defendendo a organização para o Mundial foi o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

Para se reaproximar da CBF, de quem ficou distante na gestão Teixeira, Nuzman e seus aliados tentam se reunir com Marin e cia. para discutir a preparação do futebol feminino de 2012 a 2016. Marin, no entanto, alegando problemas na agenda, não deve marcar encontro nenhum, mesmo que informal, já que segue aborrecido com a cúpula do COB.

Isso que dá o acúmulo de cargos, com comitês organizadores para a Copa e os Jogos do Rio tendo como mandatários justamente os presidentes da CBF e do COB, respectivamente. Uma cisão entre dirigentes das duas entidades leva a discórdia para a organização dos dois principais eventos que o Brasil vai receber, quando não deveria. Mas como aqui a concentração de poderes virou moda…



  • ricardo

    Esse Marin eh um velho gaga ! Ficou com raiva porque nao conseguiu credencial com privilegios, mas as credenciais tem prazo para serem pedidas junto ao Comite de Londres, e a CBF, na epoca do Robardo Teixeira, desdenhou.

  • São todos farinha do mesmo saco.

    Nuzman ditador que se acha dono do COB, Marin foi bonequinho da ditadura, governador biônico e era muito próximo do Ricardo Teixeira

    Difícil saber quem é pior !

  • Mario

    muito ego e pouca vergonha na cara, em um pais serio esses 2 estariam longe de cargos publicos e excluidos da sociedade pelos seus atos ( Marin politico da ditadura e Nuzman por incompentencia e roubo de dados 2 x por falta de uma)

  • Mirella

    Na Europa e nos Estados Unidos presidentes de confederações ficam no poder muitos anos com uma diferença sobre o Brasil. São obrigados a mostrar resultado principalmente quando recebem dinheiro do governo. Tem cobrança da sociedade. No Brasil isso não acontece, prestação de contas é que nem as que fazia um Paulo Salim Maluf da vida na prefeitura e passava no Tribunal de Contas do Município. É que nem a de campanhas eleitorais onde candidatos apresentam o número que quiserem e as contas são aprovadas.

    • Mirella

      Elegemos 55 vereadores em SP. Sabemos quem são? Eles nos representam? Como fiscalizar o que fazem? O sistema burocrático é empecilho e impede transparência e cobrança da sociedade civil. Isso com eleições diretas. Tem ideia do que é um COB ou uma dona CBF com colégio eleitoral restrito e podendo fazer o que bem entenderem de suas contas? Como uma confederação tem o dirigente impedido (foi o caso da CBDG) se durante quase dez anos ele recebeu dinheiro da Lei Agnelo/Piva e o COB e o TCU nada fizeram? O COB só fez e a guerra entre eles começou depois que o presidente da CDBG começou a fazer denúncias contra o COB, que nunca respondeu. Alguém tem noção do que levou ao furto dos documentos de Londres? Alguém viu explicação decente do COB? Posso fazer mil perguntas que não terei respostas.

  • Mirella

    O Paes está certo em criticar a Copa, o ministro Aldo Rebello de novo ficou magoado. Com mais elegância o Paes disse o que aquele secretário da Fifa falou de dar um chute no traseiro, esqueci o nome do secretário, um que é poderoso na Fifa, primeiro abaixo do Blatter.

    • janca

      O Jérôme Valcke. Que pode até ter errado na forma, mas acertou no conteúdo.

  • Renato Augusto

    O Paes está certo, mas esqueceu de falar do escândalo que foi o Pan, da falta de hotéis no Rio, criticar a Copa é fácil.

    • janca

      O setor hoteleiro, com poucos quartos e preços absurdos especialmente no Rio e em SP, deve ser uma das preocupações pros Jogos. Principalmente porque, ao contrário do Mundial, são concentrados em uma cidade só. O Rio diz que está tudo dentro do planejado _em relação à questão hoteleira_, mas tenho minhas dúvidas. Quase certezas de que não está nada em ordem, muitíssimo pelo contrário.

MaisRecentes

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo

Mattos em xeque



Continue Lendo