CBF dividida em SP



E a cúpula da CBF segue dividida na eleição municipal de SP. Enquanto o presidente da entidade, José Maria Marin, que apoiou Celso Russomanno no primeiro turno, está com José Serra (PSDB), o diretor de seleções, Andrés Sanchez, segue firme com Fernando Haddad (PT).

O presidente corintiano deve participar de pelo menos uma das carreatas da campanha do petista, enquanto Marin, que indicaria o secretário de esportes se Russomanno ganhasse as eleições, não deve ter influência no governo caso Serra vença. Mas seu colega de partido, o presidente do PTB, Campos Machado, deve indicar pelo menos um secretário se o candidato do PSDB ganhar as eleições.

O programa de governo para a área esportiva de Serra foi organizado pelo jornalista Flávio Adauto. O de Haddad, por Nádia Campeão (PC do B), que foi secretária de esportes na gestão Marta Suplicy e lançou a pré-candidatura de São Paulo para sede dos Jogos Olímpicos há dez anos. Perdeu para o Rio e insinou, na época, que Carlos Arthur Nuzman estava por trás da candidatura carioca, embora o presidente do COB jurasse neutralidade.



MaisRecentes

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo