Novo velho calendário



Durante a semana a CBF anunciou o “novo” calendário para o futebol brasileiro.

Acho válida a ideia de termos uma Copa do Brasil começando em 3 de abril e terminando em 27 de novembro, com a participação dos clubes brasileiros classificados para a Libertadores, algo que não acontecia até este ano.

Também sou a favor da Copa do Nordeste, que vai de 20 de janeiro a 17 de março e ocupará 12 datas no calendário nacional.

Mas sigo contra o atual formato dos estaduais, torneios que acontecem de 20 de janeiro a 19 de maio e não têm mais significado nenhum nos principais estados da nação. Nem como pré-temporada servem, caso do Paulista e do Estadual do Rio de 2012.

A principal questão é o que fazer com eles, pois a cada ano que passa atraem menos público. Para alguns estados, como Pernambuco, podem interessar, mas para outros, como São Paulo, Rio, Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia, para ficar em apenas cinco exemplos, existem para contentar as federações locais. Não vejo outro sentido. Ou de repente não consigo ver e haja quem consiga…



  • alessandro

    BOM DIA JANCA,NAO VEJO MAIS SENTIDO NA EXISTENCIA DOS ESTADUAIS,EU FARIA UMA GRANDE TRANSFORMAÇAO NO CALENDARIO QUE POR MIM FICARIA DA SEGUINTE FORMA:RETIRARIA OS CLUBES DE SERIE A E B DOS REGIONAIS,AS SERIES A E B TERIAM 24 CLUBES E ESSES CLUBES NAO DISPUTARIAM MAIS OS REGIONAIS.OS DEMAIS DISPUTARIAM OS REGIONAIS NA PRIMEIRA METADE DO ANO E OS MELHORES COLOCADOS DISPUTARIAM A SERIE C NO SEGUNDO SEMESTRE.SERIAM REBAIXADOS 5 EQUIPES DE UMA SERIE PARA OUTRA O QUE AUMENTARIA A ROTATIVIDADE.A COPA DO BRASIL SERIA DISPUTADA AO LONGO DO ANO E TB SERIA DISPUTADA PELOS CLUBES DA SERIE A MAIS A SERIE B E OS CAMPEOES ESTADUAIS.ACREDITO QUE SERIA ATRAENTE PARA OS PEQUENOS CLUBES QUE TERIAM A CHANCE DE IR PARA A COPA DO BRASIL E PARA A SERIE C DISPUTAR UMA VAGA PARA A SERIE B.TERIAMOS UMA REDUÇAO DE 19 DATAS PARA OS GRANDES PELO FIM DOS ESTADUAIS E UM AUMENTO DE 8 DATAS PELO BRASILEIRO MAIOR,PORTANTO FICARIA UM SALDO DE 11 DATAS A MENOS QUE PODERIAM SER DIVIDIDOS ENTRE A PRE TEMPORADA E OS JOGOS DA SELEÇAO.

    OBS:DEFENDO 24 CLUBES NA SERIE A PELO TAMANHO DO BRASIL E PELO EQUILIBRIO QUE TEMOS NO NOSSO CAMPEONATO NACIONAL,MUITAS VEZES PARA DEFENDER 20 CLUBES NA SERIE A CITAM CAMPEONATOS DA ESPANHA,ITALIA OU INGLATERRA,SO QUE ESSES PAISES ALEM DE MINUSCULOS TEM NO MAXIMO 2 OU 3 TIMES QUE DISPUTAM TITULO ENQUANTO AQUI SAO NO MINIMO 10.

    • janca

      Nem sei se os estaduais deveriam ser extintos, não, mas acho que uma ampla discussão a esse respeito seria válida. Talvez pudessem até ser mais longos, classificando os melhores para as Séries C e D do Brasileiro, por exemplo. Especialmente a D. Mas os grandes entrariam só numa etapa mais adiantada. Não vejo muito sentido o Paulista, o Carioca, o Gaúcho, o Mineiro e o Paranaense, apenas para ficar em cinco exemplos, como são disputados hoje. Não há interesse nenhum. Já o Pernambucano tem conseguido, salvo engano, uma média de público melhor. E o Brasileiro, tanto na Série A quanto na B, deve ficar com os atuais 20 clubes, mais do que isso acho exagero, Alessandro. Abs.

  • Marcos Roberto

    Sou a favor de adequar o nosso calendário ao europeu, e fim dos estaduais para quem disputa serie A e B, pois toda vez que tem uma competição de grande porte no mundo, ela sempre acontece em junho/julho, sempre atrapalhando os time aqui do Brasil.

    • janca

      Eu era contra, mas hoje já não sou mais. Acho uma possibilidade a ser considerada. E o fim dos estaduais para quem disputa Séries A e B é outra ideia válida para ser debatida. Abs.

  • Marcos Vinícius

    Janca,acho que os falidos estaduais só servem para a rivalidade regional,aquela conversa de bar,onde os amigos se reúnem e o time que foi campeão estadual pode dizer que “é o melhor do estado”,mas na verdade nem ele mesmo acredita nisso,pois sabe que os clubes não dão a menor importância para a competição.Os times envolvidos na Libertadores,por exemplo,jogam a maioria dos jogos dos estaduais com times reservas. Ou alguém acha que o Vasco escalaria o time titular para jogar com o Bonsucesso na semana que iria até o Uruguai encarar o Nacional?

    O fato é: não faz mais sentido em continuarmos com os Estaduais.Muito bem. Então qual seria a solução? Uma maior pré temporada,com alguns jogos caça niqueis,como fazem os times europeus,ou uma nova competição,que englobaria mais times e teria um apelo maior? E,se rolasse essa competição,qual seria o formato dela,e que regiões abrangeriam? E qual seria o prêmio para o campeão da mesma?

    Uma sugestão seria a volta do Rio-São Paulo e da Sul-Minas.Mas como fazer estas competições atrativas para os clubes,que são a parte mais interessada?

    Penso o seguinte: Deveríamos adequar o nosso calendário ao europeu,mas com o fim da temporada no fim do ano,e não em junho/julho,como é por lá.Os jogos da Copa do Brasil e da Libertadores se encaixariam no meio do calendário,como ocorre,por exemplo,na Copa do Rei,na Espanha,e na UEFA Champions.

    E você,meu caro Janca,qual a sua sugestão para preencher o calendário caso os Estaduais saíssem dele?

    • janca

      De repente adequar nosso calendário ao europeu, com mais espaço para o Brasileiro e a Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana. Sou a favor da Copa Nordeste, mas contra Sul-Minas e Rio-São Paulo que pouco interesse despertam. E sem os estaduais _ou sem os times grandes nos estaduais_ teríamos mais datas para jogos da seleção, que hoje não são respeitadas, a seleção tira os jogadores dos principais times que jogam desfalcados no Brasileirão, por exemplo, sem falar em melhor pré-temporada e período para amistosos internacionais realizados dentro e fora do país. Abs.

  • Dorival

    Por que não se faz um torneio que participe os melhores clubes de Rio, SP, PR, MG e RGS as distancias não são grandes e nestes estados os times são fortes. 15 ou 16 clubes seria uma preparação infinitamente melhor que os estaduais, ja que estes clubes são os que vão disputar o brasileirão. Os estaduais seriam disputados pelo restante dos clubes em seus estados.

    • janca

      Porque não sei se chamaria a atenção do público. Fica parecendo um mini Brasileiro, não? E o Campeonato Brasileiro já temos logo em seguida. Poderia banalizar os clássicos, pelo menos eu acho. E banalizando eles ficam menos interessantes.

  • Concordo Janca, os estaduais não servem para nada. Sou até bem mais radical sobre como deveria ser o calendário do futebol, acho que deveria se ter apenas uma competição nacional (no formato atual, pontos corridos, 20 times turno e returno, por cada divisão), uma competição continental (Libertadores, disputada apenas pelos campeões nacionais) e Mundial (também no formato atual, disputada só pelos campeões continentais) e o resto seria preenchido com uma pré-temporada maior, amistosos, excursões e para as seleções sem confronto de datas com clubes para amistosos, preparação e competições. Mas pode ser um pouco de loucura da minha parte rsrs.

    • janca

      Sei não, acho que tem de ser debatida essa ideia. A Sul-Americana eu até manteria, mas os estaduais talvez só para os times menores se classificarem para outras competições, como Série D do Brasileiro, por exemplo, algo do gênero. Ou mais enxutos, de janeiro a março, nunca de janeiro a maio, ocupando quase todo um semestre. Abs.

  • Vaz

    Bom dia Janca!

    Não consegui entender ou tenho receio de ter entendido uma coisa neste calendário. Teremos um Campeonato brasileiro rolando junto com uma Copa do Brasil, esta Copa do Brasil contará com os clubes em determinada fase que não conseguiram dar sequência na Libertadores sendo assim qual a lógica de dois campeonatos nacionais disputados em paralelo? Teremos times investindo tudo na Copa do Brasil pois estão mal no brasileiro, outros fazendo o caminho inverso. Times disputando 3 campeonatos ao mesmo tempo (caso de Sul-Americano, brasileiro e Copa do Brasil) sem contar convocados para a seleção e aí como fica a tal maratona de jogos tão críticadas pelos clubes (por exemplo o Santos com o Neymar)? Poderão dependendo dos cruzamentos, termos um mesmo encontro de times por 5 vezes seguidas (supondo que joguem Santos e Inter na Copa do Brasil em uma quarta, o mesmo encontro no brasileiro em um fim de semana, no meio da semana jogam os mesmos times pela Copa do Brasil, na outra quarta pela Sul-Americana e aí tome o jogo de volta, não é racional). A tal Copa do Brasil para mim já é duro de engolir no momento que garante um atalho para a Libertadores o que leva times da segundona a disputa-la enquanto o 4º colocado do brasileirão é obrigado a jogar uma pré-Libertadores. Não faz sentido algum.
    Janca, desconfio que isto é o embrião para a volta do famigerado brasileirão com 100 times extremamente conveniente para o Marin e seu grupo e a detestável disputa por quadrangulares finais em substituição aos pontos corridos (está cheio de saudosistas que adoram um campeonato que na maior parte do tempo não vale nada).
    Se pensarmos bem o brasileiro vai acabar em boa parte do tempo esvaziado (como já ocorre hoje no primeiro semestre por causa da Copa do Brasil e Libertadores) já que times estarão mais preocupados com Libertadores, Copa do Brasil e Sul-Ameriacana nesta ordem já que facilitam o acesso a Liberatadores no ano seguinte.
    As coisas começam a fazer sentido se lembrar-mos que dentro de 2 anos teremos eleições na CBF e diante da fraqueza do grupo do Sr Ricardo Teixeira que ainda mandam na CBF, ameaça de grupos com as Federações do Sul e Federação Mineira quererem assumir a CBF como já foi várias vezes aventado, só resta ao Marin e sua turma inchar o brasileirão com dezenas de times sem expressão de todo país fazendo média com as demais federações do país e garantindo a re-eleição.

    • janca

      Mas a Copa do Brasil é com jogos eliminatórios, no estilo mata-mata, então você não pode priorizar o torneio e deixar o Brasileirão de lado, numa dessas até é rebaixado do Nacional. Mas os times que disputam Libertadores entram sim mais adiante na Copa do Brsail, a partir das oitavas de final, se eu não estiver equivocado. Não acho que seja o embrião daquele velho formato de Brasileiro com cem clubes, seria só o que faltava. Pena que seja difícil mexer nos estaduais por conta das federações estaduais, que têm interesse em mantê-los e ajudam a eleger o presidente da CBF. Interesse político não falta neste meio. Abs.

  • Davi Alves

    depois os técnicos e clubes não podem reclamar,tem de ter pulso e rejeitar um calendário inchado.deveriamos ter menos jogos e um calendário para a América do Sul toda.
    Minha sugestão é um calendário de fevereiro á novembro.
    Os principais estaduais de Fevereiro á Março com apenas 12 clubes,jogando em turno único. para o descenso os 4 últimos disputam um quadrangular também de turno único onde o ultimo joga todas fora o penúltimo uma em casa e as outra fora e assim por diante,os oito classificados se enfrentam em jogo unico o 1°x8°,2°x7°,3°x6° e 4°x5° as semi também e jogo único e as finais sim em dois jogos e com mando dos clubes e não da federação. O campeonato brasileiro com 18 clubes, começando 15 dias depois do fim dos estaduais e com um inicio digno desde a primeira rodada, esse campeonato iria do meio de Abril até novembro, classificando os 4 primeiros para á Libertadores, 3 para á sul americana(5°,6° e 7°) e com os dois ultimos caindo direto e o antipenultimo jogando um mata mata com o terceiro da segundona e essa com 16 clubes.
    A copa do Brasil seria disputada de Abril ao inicio de Novembro com todas as equipes das 4 divisões nacionais,vitória do visitante sempre classificando direto até o inicio das oitavas independente do placar e a copa do Brasil classifica um time para á Sul Americana e não mais para á libertadores. Os campeonatos continentais deveriam ser simultaneos de maio à outubro os terceiros colocados dos grupos da Libertadores entram na sul-americana e essa classificando o campeão para a próxima libertadores e o vice para a sulamericana do ano seguinte, caso o campeão da sulamericana não seja brasileiro o 5° colocado do campeonato brasileiro se classifica para a libertadores e o 8° para a sul americana.
    Fala ai Janca, o que achas?

    • janca

      Eu manteria o Brasileiro no atual formato, com 20 clubes, porque acho interessante. Mas acho válida a discussão sobre o calendário de fevereiro a novembro ou início de dezembro. Em relação aos estaduais creio que dois a três meses no máximo pra eles seriam suficientes, de janeiro a maio é que bão dá. Mas também sou contra a classificação direta dos visitantes que vencessem até as oitavas de final da Copa do Brasil. Prefiro como é hoje. Venceu por dois gols de diferença fora, ok, classifica-se. Por um gol apenas podemos ter o segundo jogo. Mas tudo isso é passível de discussão, por que nãow São ideias. E interessantes para melhorar nosso calendário. Abs. e bom sábado pra você, Janca

      • Davi Alves

        o que não dá também é ver os clubes e os técnicos reclamando né.
        minhas sugetões acima é também para que nas datas Fifa os campeonatos parem.
        valeu pelo retorno e espero que os clubes se unam para um calendário melhor para todos, principalmente para os atletas, creio que com minhas sugestões o nivel técnico aumentaria muito e as contusões diminuirão significativamente já que os atletas terão menos jogos e um mês de pré temporada.
        bom final de semana, Davi

        • janca

          Nas “datas Fifa” não tem sentido nenhum os campeonatos continuarem. Por isso enxugar ou modificar o sistema de disputa dos desinteressantes estaduais só iria colaborar com nosso futebol e nossos clubes, que são os maiores prejudicados. Abs. e bom domingo pra você, Janca

  • Lucas Mansur

    Boa tarde Janca,

    O que me deixa mais apreensivo para esse novo calendário, é a data da Final da Copa do Brasil bater com as rodadas finais do Brasileiro.

    Imagine bem, provavelmente os 4 times das semi-finais da Copa do Brasil 2013 serão da série A. E tem boas chances de não estarem lutando mais por nada ou preferindo priorizar o campeonato eliminatório.

    Resumindo, não achas que isso poderia afetar as últimas rodadas do brasileirão negativamente?! Afinal, esses times muito provavelmente estarão se lixando para o brasileiro. Fazendo com que volte aos jogos sem graça ou de “entrega” na reta final…

    • janca

      Putz, confesso que não tinha pensado nesse ponto. De fato pode afetar ou impactar, digamos assim, as últimas rodadas do Brasileirão, inclusive se o time estiver disputando com chances as duas competições. É um ponto preocupante mesmo e que merece atenção. Mas do jeito que as coisas estão hoje a Copa do Brasil, assim como a Libertadores, impacta o primeiro turno _vide Corinthians, Palmeiras e Santos, que pouparam jogadores no primeiro turno e não andam aquela coisa na tabela de classificação. Aliás andam mal no Brasileirão… E como o campeonato é por pontos corridos, já viu. Enfim, um ponto a considerar mesmo, Lucas. Abs. Janca

  • JOAO PAULO BARROS

    na real, é bom vc ser um dos poucos q ainda se preocupam com os falídos estaduais e que falam nao só durante aqueles jogos de meio de campeonato, entre CORINTHIANS X LINENSE, SAO PAULO X MIRASSOL, etc… o q deveriam ser torneios, sao campeonatos longos e sem sentido.
    pq nao adequar logo ao calendário europeu? se até na argentina é assim? os unicos países q nao aderem, sao os países da ex uniao soviética, mas por questoes climáticas.
    sabe, o q eu vou falar pod ser uma bobagem, mas o calendário e os estaduais nao acabaram ou diminuiram pq o RONALDO(R9), nao quiz. pq?
    ele no alge aki TIMAO, reclamou várias vezes dos reporteres no gramado e aquele auê todo. e o q acontece hoje? tá diferente. ou nao?
    e quando lhe foi questionado em relaçao ao calendário nacional, ele disse q preferi assim como está, por causa do fim do ano e do carnaval. talvez se ele fosse contra e vestisse a camisa do calendário europeu as coisas tivessem se modificasdo um pouco.

    • janca

      Oi João Paulo, concordo com você sobre a total falta de interesse do público pelos estaduais, principalmente no Sul e Sudeste do país, mas também em outros estados brasileiros. Mesmo no interior o pessoal acaba não indo ao estádio para ver os grandes em campo. Grandes que às vezes não usam seus principais jogadores, sendo que, pelo sistema de disputa do Paulistão, por exemplo, Mirassol ou Lins recebe a visita de apenas dois grandes por temporada _os jogos não são disputados no sistema ida e volta (mesmo assim são 19 pra cada time, classificando-se oito pra etapa final). Acho que poderíamos discutir a adequação do calendário ao europeu, sim. Nem sabia que o Ronaldo era contra, eu também era, mas estou começando a mudar de ideia. É um direito nosso. Só não muda de ideia quem já morreu…

  • chibungo

    Deixa os estaduais dos principais estados com no máximo 8 times na 1ª divisão (não tem nenhum desses estados que tenha mais de 4 times com condições de ganhar um estadual), em turno e returno, em pontos corridos com final direta em 1 jogo sem vantagens entre o ganhador do 1º e o ganhador do 2º turno. Ganhou o 1º e o 2º turnos é campeão direto. Dá no máximo 2 meses, prá o que é tá bom demais.

    Aqui no Rio acontece um fenômeno que mistura política de times patrocinados por prefeituras e perpetuação de dirigentes na FERJ. É a cara do brasil, atraso total no futebol.

    Além de rir desses estaduais aqui no brasil, agora estão rindo também da nossa seleção lá fora.

    • janca

      E não é só no Rio. Mas como você disse “é a cara do Brasil, atraso total no futebol”. Esses estaduais são uma piada mesmo e nossa seleção e nosso futebol em geral há tempos não estava tão desvalorizado lá fora mesmo. E aqui dentro também. A quem interessa um Brasil e África do Sul ou um Brasil e China dias 7 e 10 próximos? Piada, piada… Abs.

  • ROBSON MELO

    concordo o meu tricolor foi campeão este ano tive 2 minutos de satisfação e mais nada

    • janca

      Como o Santos em São Paulo. Acho que teve um minuto e meio de satisfação e só. O foco era a Libertadores. Que graça teve Santos x Guarani na final? E pior: a federação, para contentar o São Paulo, marcou os dois jogos para o Morumbi, tirando ainda mais a graça da decisão. Abs.

  • Gomes

    Acho que deveríamos adequar nosso calendário ao Europeu de começo. Infelizmente ainda temos menor poder aquisitivo e nossos times continuarão perdendo jogadores no meio do Brasileirão. Mas esse é o menor dos problemas. Poderia ser feito um campeonato estadual com um número “grande” de times como é hoje, mas apenas com os pequenos, e classificando os 4 ou 6 melhores para jogar contra os grandes (tendo no máximo 10 datas). Outro ponto seria diminuir pra 18 times o Brasileirão. Ganharíamos 4 datas livres com isso. E tornaríamos a série B mais atrativa pois, mais times grandes cairiam provavelmente. Ter a Copa do Brasil o ano todo e com todos é uma boa. Acaba também com esse negócio do time ganhá-la e ficar o resto do Brasileiro só aguardando o fim do ano (salve exceções). Porém, dessa forma virou uma bagunça a classificação para a Sulamericana. Teremos por exemplo times da série B disputando. Nada contra esses times, mas, esse campeonato dá uma vaga pra Libertadores, é um Campeonato Internacional, poderia ser tratado com mais seriedade. Dessa forma como estão fazendo diminuem o nível dele e vão esculhambando uma Copa que não é a Libertadores mais pode ser bem interessante (como a Europa League). Dá pra fazer um calendário legal pra TV, que dure quase o ano todo e pensar em diminuir o número de jogos. Jogando tanto assim os times tem pouco tempo pra treinar e se acertar, jogadores não aguentam o ritmo e se lesionam com maior frequência, com isso perdemos qualidade de futebol. Mas, parece que os dirigentes não se importam com isso. Só pensam na grade de TV mesmo.

    • janca

      Também acho que está mais do que na hora de mudarmos o calendário do futebol brasileiro. Mas o campeonato nacional eu prefiro que seja disputado no atual formato, com 20 clubes na Série A, 20 na B. Em relação aos Estaduais os grandes não participam ou entram apenas numa fase final. Não podem perder quatro meses com isso, pois nem como aperitivo ou pré-temporada eles servem no atual formato.

  • Alexandre

    O meu “calendário ideal” é semelhante a alguns apresentados aqui, mas continuaria a iniciar-se no começo do ano e a finalizar em Dezembro (a questão das transferências é uma falácia, pois há duas janelas por ano).
    Os clubes das Séries A e B do Brasileiro (agora disputadas durante o ano todo) não participariam mais dos Estaduais. A Série A continuaria com 20 clubes, sendo 4 rebaixados. A Série B também teria 20 clubes, mas com apenas 3 rebaixados.
    A Libertadores e a Sulamericana (e a Recopa e o Mundial) não mudariam, exceto pelo fato de que seriam ambas disputadas durante toda a temporada, como ocorre com os torneios continentais europeus.
    A Série D do Brasileiro seria extinta, e a Série C seria disputada durante o segundo semestre pelos 27 Campeões Estaduais, sendo que os Estaduais seriam disputados no primeiro semestre.
    Por fim, a Copa do Brasil seria disputada ao longo do ano e contaria com os 20 clubes da Série A do ano anterior, os 17 clubes da Série B não rebaixados no ano anterior e os 27 clubes participantes da Série C no ano anterior, totalizando 64 clubes (12 rodadas), tendo, portanto, ao menos um participante de cada Estado.
    Haveria também uma Supercopa do Brasil, disputada no meio do ano pelos Campeões da Série A e da Copa do Brasil do ano anterior.
    Assim, um clube de elite participaria de no máximo 70 partidas em um ano (38+12+14+2+2+2).

    • janca

      Até que sua ideia é interessante _a respeito dos Estaduais e da extinção da Série D, por exemplo. Acho que é algo para ser debatido, sim. Abs.

  • Flavio Rodrigues

    uma dúvida, como os times classificados para a sul-americana, jogarão 3 torneios no 2º semestre

    • janca

      Haja malabarismo…

    • janca

      De fato não deixa de ser um problema, Flavio. CBF tem que resolver.

  • Flavio Rodrigues

    ?

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo