A Fifa contrata



E não é que dona Fifa prepara uma campanha no Brasil? Quer mostrar que está dando oportunidades com a Copa de 2014 e vai anunciar um programa de contratação mais intenso com vistas ao evento.

Passou a anunciar em jornais e revistas o interesse na aquisição de profissionais de marketing, gerente para as Fan Fests que serão montadas durante o evento e especialistas em logística e “sinalização” que atuem em conjunto com as 12 cidades que receberão o torneio.

Todos devem ser fluentes em inglês e português e trabalhar no Rio de Janeiro. Alguns podem até ser aproveitados depois para a Olimpíada de 2016, já que o Comitê Olímpico Internacional já demonstrou interesse em contar com profissionais que trabalharem _com sucesso, claro_ na organização da Copa que acontece dois anos antes.

Interessados devem mandar e-mail para fifa.br@mercuriurval.com



  • Tiago

    Não quer uma boquinha como assessor de imprensa, Janca? Depois daquele pé na bunda que a Fifa nos deu eles tão querendo fazer uma média com o povo brasileiro. Abraços, Tiago

    • janca

      Não, Tiago, obrigado. Mas que para a Fifa interessa contratar especialistas locais em organização de eventos interessa. E como vai estar gerando emprego é uma forma de tentar melhorar sua imagem por estas bandas. Mas a imagem da Fifa anda mal não é só por aqui, não. Antes fosse, antes fosse, Tiago. Abs. e boa semana pra você, Janca

  • Thaís

    A Fifa vai ter que procurar trabalhadores qualificados do Brasil porque estrangeiros não podem vir trabalhar aqui durante dois anos, eles têm um prazo pro visto do trabalho. Vai ter muita oportunidade boa pra quem tem qualificação. Na parte de administração/logística/marketing.

    • Thaís

      A desvantagem dos estrangeiros é que muitos não dominam o português com fluência nem conhecem tão bem a cultura local.

      • janca

        Estrangeiros podem trabalhar aqui, sim. Basta terem renovado o visto de trabalho. Mas que conhecer a cultura local é uma grande vantagem nossa sem dúvida que é.

        • Matias

          Claro que podem trabalhar. Vocês não estão vendo tantos vindo pra cá pra trabalhar com finanças, em empresas, indústrias, uma invasão de espanhóis?

          • janca

            Sim, por isso mesmo não há nada de irregular em entrarem outros estrangeiros para trabalhar no evento, contanto que tenham o visto do governo brasileiro.

  • Thaís

    Na parte de sinalização o que a Fifa quer (cheguei a ver isso com eles) é criar um padrão com as prefeituras, os estádios e o comitê local. Isso foi feito em Londres. Imagine uma cidade como São Paulo o torcedor estrangeiro se perde numa boa.

    • janca

      Em Jerusalém as sinalizações são em três idiomas: hebraico, árabe e inglês. Durante a Copa elas terão que ser no mínimo em duas línguas: português e inglês. Havendo uma terceira sugiro que seja o espanhol.

  • Matias

    Só tenho medo que sejam contratações com cartas marcadas. A filha do Teixeira não está lá? Com certeza não foi por mérito próprio.

    • janca

      Com certeza não. Está lá por ser filha de quem é e neta de quem é também. Foi mantida, aliás, como diretora do Comitê Organizador Local da Copa por José Maria Marin. Mas aí se trata do comitê local, não da Fifa.

  • renato sa

    Ao menos não é a palhaçada de ser voluntário. Nesses eventos, todos ganham MUITO dinheiro, FIFA, Empresas, Jogadores…. e metem uns trouxas de voluntários, ganhando um sanduíche enquanto muitos ganham enormes quantias.

    Quanto a trabalhar para a FIFA, sabendo e já provado toda a corrupção que essa grana gera… cada um cada um!

    • janca

      Voluntários veremos muitos na Olimpíada, Renato, não deixa de ser um jeito de participar. Mas não deixa de ser um jeito de trabalhar de graça enquanto uns poucos faturam cada vez mais, tens razão. E no caso da Fifa trabalhar para essa administração é complicado, mas como você coloca cada um é cada um. Grande abraço, bom final de tarde, Janca

      • janca

        Oi Renato. Foi só você citar e a Fifa lançou o programa para voluntários com vistas à Copa de 2014 e à Copa das Confederações.

        • janca

          Muita gente trabalhando de graça e eles lucrando cada vez mais…

          • renato Sá

            Realmente Janca, entrei para falar no assunto.
            Da minha parte, acho que nenhum brasileiro deveria entrar nesse engodo. Todo mundo lucra com esse evento, dos mais altos dirigentes, das maiores empresas patrocinadoras e de comunicação até os árbitros, jogadores e jornalistas. Tudo é pago, e muito bem pago. É um evento puramente comercial, embora nossa paixão futebolística seja a gasolina desse motor.

            Já andei vendo que alguns sindicatos e algumas organizações não aceitarão essa idéia de “Trabalho voluntario” e entrarão na justiça para garantir as vagas para trabalhadores brasileiros, sejam jovens, adultos, com ou sem experiência, mas que recebam. Apoiarei.

            O Brasil já está bancando a festa toda, ainda ter que se passar de garçon trabalhando por cerveja (ou um Big Mac, que é o que a FIFA diz que vai dar)…. não!

          • janca

            Sabe que estou começando a pensar cada vez mais como você? Trabalhar de graça pra eles faturarem o que faturam? E do jeito que faturam? Podiam e deviam pagar. Pra todos os que trabalharem no evento, isso sim.

  • Roberto Junior

    Janca, eu faço MBA em Gestão Estratégica de Negócios.

    Outro dia, o professor de RH, que trabalha em uma multinacional, foi questionado por um colega sobre a possibilidade de lhe arranjar um estágio. Meio que em tom de brincadeira, ele respondeu perguntando se o rapaz falava inglês e a resposta foi negativa. O professor foi mais além: perguntou quantos alunos da sala falavam inglês. Apenas dois, de um total de 30.

    A partir disso, o docente nos passou um quadro um tanto quanto preocupante: não há, inclusive na área de gestão, profissionais qualificados para assumirem posições nos níveis estratégicos das empresas, que, assim, importam mão-de-obra.

    Resumindo, não adianta abrir vagas sem qualificar o pessoal.

    Abraço!

    • janca

      Sem dúvida, Roberto, e seu relato é impressionante. Como é impressionante saber que quase 40% de nossos universitários são analfabetos funcionais. Imaginava que interessados em estágios numa multinacional dominassem pelo menos três idiomas… Impressionante mesmo. E tenho visto que faltam mesmo muitos profissionais qualificados no mercado brasileiro. Abs. e boa terça pra você, João Carlos

      • janca

        Vejo muita gente aprendendo mandarim, mas de repente o que acho que seja muita gente no final deve ser a minoria da minoria, Roberto. Abs. e valeu pela contribuição ao blog, Janca

        • Alexandre

          No final das contas, o que impede que o Brasil se transforme um dia num país desenvolvido é o histórico desprezo, seja dos governantes, seja do povo, pela educação.
          Há algumas décadas a Coréia do Sul era um país muito mais pobre que o Brasil, hoje é muito mais rico. A China passa pelo mesmo processo.
          A despeito das diferenças políticas, o que em última medida impulsiona o crescimento vertiginosos deste países asiáticos é a prioridade total que eles dão à educação.

          • janca

            Concordo totalmente com você, Alexandre. Pra ver que discordamos em alguns pontos, mas em outros não _rs. Grande abraço, Janca

MaisRecentes

Galiotte cobrado



Continue Lendo

Palmeiras ferve



Continue Lendo

Cuca continua?



Continue Lendo