A medalha de Marin…



Ou pelo menos a da seleção da CBF, que ele e Mano Menezes comandam, foi a prata. Mas dirigente e técnico não têm direito a levá-la pra casa, não.

Uma pena a derrota de hoje para o futebol brasileiro, que poderia recuperar a autoestima se ficasse com o ouro, mas quem vinha criticando as atuações da seleção na Grã-Bretanha talvez estivesse com a razão.

Tenho que concordar, eu, que achava que ficaríamos com o ouro, que hoje jogamos muito mal. Mano errou na escalação, o ataque não funcionou, a bola não chegava à área e a defesa… Sem comentários. Os próprios jogadores quase brigaram entre si. E Oscar ainda foi perder aquele gol incrível no final… Mas admitamos. O México jogou melhor e mereceu o ouro.

É, muita coisa tem que mudar, mas com José Maria Marin, o sucessor e amigo de Ricardo Teixeira, fica difícil. E Mano… Está deixando nosso futebol acostumado às derrotas. Esquecemos o que é vencer? Pelo jeito…

Tinha dito que só voltaria a postar na terça, dia 14, mas não me contive. Dentro do possível entre amanhã e segunda respondo os comentários de vocês. Mais uma vez um bom final de Olimpíada a todos, João Carlos. E que o inédito ouro para o futebol brasileiro venha em 2016.  Sonhar é preciso.



MaisRecentes

Elogios a Loss



Continue Lendo

Não vai ter Copa?



Continue Lendo

O escândalo de Platini



Continue Lendo