Eleição sob suspeita



O Comitê de Ética da Fifa, que acaba de ser lançado por Joseph Blatter para investigar e julgar recebimento de propina por parte dos brasileiros João Havelange e Ricardo Teixeira, também deverá analisar a escolha da Alemanha como sede da Copa de 2006.

Se a eleição de Rússia, para 2018, e de Qatar, para 2022, já era alvo de suspeita, a da Alemanha voltou a ficar na berlinda após insinuações feitas pelo atual presidente da Fifa, o que revoltou os principais dirigentes esportivos alemães.

A Alemanha derrotara a África do Sul por apenas um voto, 12 a 11, porque o delegado da Oceania, Charles Dempsey, absteve-se de votar na rodada final. Ele votaria para os sul-africanos, empatando o placar e forçando o próprio Blatter a dar o voto de minerva, que seria para a África do Sul.

Até hoje não ficou clara a abstenção de Dempsey, que morreu em 2008, aos 87 anos de idade. Ele chegou a dizer que teria recebido “presentinhos” ou promessas de “presentinhos” dos dois lados e, para evitar possíveis insinuações depois, resolveu não aparecer e não votar em ninguém. Resultado: deu a vitória à Alemanha.

Logo depois Dempsey retirou-se do futebol, após comandar o futebol da Oceania durante 18 anos. Segundo Blatter, era chegada a hora de se afastar e dar oportunidade a novas gerações. O que valia para a Oceania, pelo jeito, não vale para o resto do mundo, nem para a Fifa. Na América do Sul, por exemplo, o presidente da Conmebol, o paraguaio Nicolás Leoz, tem mandato vitalício.

Dempsey dizia que a África do Sul, derrotada em 2006, ficaria com a Copa de 2010, o que de fato aconteceu. Em 2014 seria a vez do Brasil. E de fato foi. Já em 2018 teria recebido a promessa de que a Austrália levaria o Mundial, como representante da Oceania. Nada. 2018 foi para os russos e 2022 para o Qatar, duas eleições marcadas por denúncias de compras de voto e focos de investigações do novo Comitê de Ética da entidade. Que provavelmente será formado apenas para inglês ver. Ou suíço, porque para Blatter só interessa dar uma aparência de moralização na entidade e seguir tudo como está. No máximo atirando aos leões a dupla Teixeira/Havelange e salvando a pele dos demais. Inclusive e principalmente a própria.



  • Daniel

    Se 2006, 2010, 2018 e 2022 estão sob suspeita, só 2014 não está? Será que o Brasil foi o único que não comprou a Copa? Seria um feito impressionante no país da corrupção.

    • janca

      Não há nenhuma denúncia, que eu saiba, sobre a escolha de 2014, até porque a Copa seria na América do Sul e o Brasil foi candidato único, Daniel. Abs.

  • Janca, as suspeitas estão por todos os lados. Melhor começarmos a investigar pq vai haver Copa no pantanal e em Manaus. Dois lugares inóspitos para a pratica de futebol.

    Começo a achar que tds nos também somos suspeitos, ou nao?

    • janca

      Pra ser sincero eu não vejo problema nenhum e gostaria de ver jogos em Manaus, Natal, Fortaleza, na região do Pantanal, por que não? A questão é o que fazer depois com alguns destes estádios, que correm o risco de virarem elefantes brancos. O Brasil é um país continental e belíssimo, acho que a Copa não poderia ficar centrada na região Sul/Sudeste, não. Abs.

      • janca

        Agora sobre a forma como a Copa está sendo conduzida no Brasil, preços de obras, elevação de gastos e orçamentos etc. etc. etc., aí já é outra história…

      • Penso q as sedes teriam q ser escolhidas de forma clara e justa e nao c interferências obscuras.. No caso da Arena de Manaus, os bois irão fazer a festa. Essa mixaria toda q esta sendo gasta nao vai fazer falta mesmo.neh

        • janca

          Ah! Tudo o que está sendo gasto fará muuuita falta, como tudo que é perdido com corrupção faz muuuita falta. É nosso dinheiro que vai pro espaço.

  • Tiago

    Esse cara da Oceania morreu, não vai ter quem falar. Muito suspeita essa abstenção, alguém da África do Sul devia ter gritado na época e invalidado a votação.

    • janca

      Mas isso não invalida que a escolha da Alemanha, já na gestão Blatter, pra sede da Copa de 2006 entre em pauta. E seja alvo de investigações. Se o próprio presidente da Fifa tem dúvidas sobre a lisura do processo eleitoral…

  • sandrofla

    Agora a que preço os Srs. Teixeira e Havelange se calarão diante d etudo isso? Irão os nobres cidadãos servir de alvo e pouparão o Sr. Blatter?
    Quanto vale este silêncio?

    • janca

      É isso que não sei. Será que lucram algo com o silêncio? Será que o silêncio oculta outros fatos que não seriam interessantes para a dupla Havelange/Teixeira? Quanto vale o silêncio? E confesso que não sei como está a saúde de Havelange, que passou mais de dois meses internado no Rio, embora já tenha sido liberado, Teixeira fugiu para os Estados Unidos… Enfim… Tem muita coisa aí. A ponto de Havelange, aos 96 anos, estar estragando sua história. Seja com a notícia da propina, seja com a renúncia ao COI, que serviu para que o comitê não fosse atrás da denúncia, que poderia levar à sua expulsão, seja com o risco de perder o cargo de presidente honorário da Fifa… Que fase!

  • Carlos Fuentes

    Eu lembro da rosto “surpreso” do Beckenbauer quando Alemanha ganhou a sede. Uma vergonha. E lembro de Maradona comentando sobre o sorriso do alemão falsamente deslumbrado ao ver que seu pais seria sede da Copa, além que há mais de 20 anos fala que Havelange é um corrupto. Ao final, algo de razão tinha.

    • janca

      O Maradona de fato sempre criticou o Havelange, que considerava um mal para o futebol. E aquela vitória da Alemanha foi muito estranha. A África do Sul no final se calou e levou o Mundial de 2010. Tudo em casa, tudo em família.

  • Carlos Fuentes

    E Grondona, que sempre cai de pé? Nunca uma nada mais que uma acusação, como a grana que recebeu para votar pelo Qatar, mas rapidamente tudo o relacionado a ele c é esquecido. Foi o encarregado das finanças da FIFA sem falar uma palavra sequer de inglês.

    • janca

      E o caro não sai do comando do futebol argentino. Outro presidente eterno. Como Leoz, na Conmebol, Blatter, na Fifa, Nuzman, no COB…

  • adams

    Exatamente como eu disse aqui: qd temos uma estrutura, bem organizada (para o mal), a ditadura se eterniza a base de subornos e corrupções. A mudança tem q ser do topo para a base: da FiFa passando pelas confedereções até atingir as federações. Isso para moralizar, se é q se tem essa intenção… Mas, qt mais $ rola, mais corrupção se torna comum.

  • Adriano de Oliveira Barbosa

    Olá Janca, gostaria de saber uma coisa, se mais que os fatos até demonstrem que a Copa da Alemanha em 2006 pode ser comprada, mas os organizadores fizeram uma Copa maravilhosa em termos de organização, agora imaginemos que a Copa fosse mesmo pra Africa do Sul, teria sido da mesma forma que aconteceu em 2010?

    • janca

      Não sei, mas se houve compras de voto isso, por si só, é extremamente grave e deveria ser punido, claro.

MaisRecentes

O futuro de Cuca



Continue Lendo

Goleiro são-paulino



Continue Lendo

Protestos à vista



Continue Lendo