O provocador



Hoje, às 16hs, no Museu do Futebol, em São Paulo, será exibido o longa “Sobre Futebol e Barreiras”, de que sou codiretor.

Parte do CINEfoot, um festival de cinema dedicado ao futebol, o documentário que fiz com três amigos, o jornalista Arturo Hartmann e os cineastas José Menezes e Lucas Justiniano, foi filmado em Israel e territórios palestinos durante a Copa de 2010.

Trata do conflito no Oriente Médio, da disputa por terra, do dia a dia dos cidadãos, da vontade de viver e, como não?, do futebol, que talvez apenas deixe mais evidentes as diferenças e as semelhanças entre todos nós.

Gosto mais de uns personagens do que de outros, concordo mais com uns do que com outros, mas todos tiveram o direito de se expressar, direito que é fundamental, estejamos ou não de acordo com o que digam. Afinal divergência de opinião faz parte da vida. Mas para que haja divergência _e diálogo_ ela tem de ser emitida.

O personagem com que talvez mais me identifique, não sei, é o Gregory, um judeu sionista que torce pela Alemanha. Não, não me identifico por ele torcer pela Alemanha, já que eu não torço, mas por algumas ideias que ele coloca, algumas posições, mesmo que polêmicas, e principalmente por ele se dizer um “provocador”.

Num país ainda tão marcado pela Segunda Guerra Mundial, uma das maiores carnificinas da história (se não a maior), torcer pela Alemanha mesmo hoje pode parecer estranho. Ainda que a Alemanha tenha mudado. E bastante.

Mas Gregory se diz um provocador. E dá uma risada. Mas eu fico me perguntando o que seria da nossa sociedade em geral sem os provocadores? Aqueles que provocam de uma maneira pacífica, claro, fazendo os demais pensarem? Os que não se acomodam, que lutam por um sonho, que saem do script? O que seria de nós se fôssemos todos iguais?

Divergir faz parte. Seja em relação ao caso Ronaldinho, no Flamengo, seja sobre a organização da Copa, a gestão de Aldo Rebelo no Esporte, as declarações de Romário, o novo presidente da CBF, o antigo, os governos e a forma de governar em geral. Debater é preciso. E o espaço aqui é justamente pra isso. Pro debate. Ótimo sábado a todos, João



MaisRecentes

Elogios a Loss



Continue Lendo

Não vai ter Copa?



Continue Lendo

O escândalo de Platini



Continue Lendo