O exemplo do basquete



O basquete brasileiro, depois de anos de amargura e fora de uma Olimpíada após a outra no masculino, finalmente retorna aos Jogos em julho. E deveria servir de exemplo para outras modalidades, inclusive o futebol.

A CBF, assim como necessitava a Confederação Brasileira de Basquete, precisa de uma oxigenação. De novos ares, novas ideias. outros pensamentos.

Quase falido no país, o basquete conseguiu apoio da TV e pôde correr atrás de parceiros e patrocinadores, viabilizando a realização da NBB, o Novo Basquete Brasil, cuja primeira edição foi em 2008/2009.

A quarta, que termina no sábado da semana que vem, está incrível, com as semifinais pra lá de empolgantes.

Ontem, em mais uma partida memorável da liga, o Pinheiros venceu, na segunda prorrogação, o Brasília fora de casa. Leva o confronto para o quinto e decisivo jogo, que será amanhã, às 14hs, no próprio Pinheiros. Já o Flamengo deslanchou no quarto final e bateu o São José, de Murilo e Fúlvio, também levando a disputa para a quinta partida, mas agora fora de casa. Foram duas vitórias do Mengão na Tijuca, duas vitórias do São José em São José dos Campos.

Gostaria de ver a final disputada como as semi ou as quartas, ou seja, em até cinco jogos, levando aquele que ganha três vezes. Mas a Globo vai exibir a decisão ao vivo e neste momento isso é o mais importante para o basquete. Um jogo só, portanto, em local a ser definido.

O handebol, tão praticado nas escolas, deveria tentar copiar o modelo, que na verdade nem é do basquete, é do vôlei, juntar-se à TV, inclusive a aberta, formar bons times em vários cantos do Brasil, fidelizar a plateia que vai aos jogos, focar não só na seleção, mas também na base. E no público. Que aumenta com a TV, cujo interesse pelo esporte fica maior com vitórias em quadra e com um campeonato bem organizado.

E o futebol deveria se inspirar no basquete que soube se abrir para o novo, representado por Rubén Magnano, técnico campeão olímpico pela Argentina e que dirige a seleção brasileira.

Magnano, ao contrário de Mano Menezes, é um estudioso, adora o que faz, acompanha todos os jogos, muitos dos quais in loco, não é um sujeito deslumbrado, muitíssimo pelo contrário, não quer o poder pelo poder, o comando pelo comando. Tenta deixar um legado e isso ele tem conseguido criar.

Além da vaga olímpica, montou um time forte para competir de verdade em Londres, iniciou um período de diálogo com outros técnicos e jogadores, arejou o basquete nacional.

Enquanto isso na seleção de futebol quem manda, quem escala, quem só falta sentar no banco de reservas para orientar o time é José Maria Marin, que nem técnico é. E Mano Menezes, que não quer deixar cargo e salário pra trás, aceita tudo. Caladinho, caladinho, caladinho…

Volto a postar na próxima quinta, dia 31, mas até lá sigo, dentro do possível, respondendo comentários de vocês. Bom final de semana e um bom início de semana a todos, Janca



  • Fernando

    Jogo handebol e acho a situação do handebol mais difícil porque o Brasil tinha tradição no basquete e nunca teve no handebol. A crise do basquete foi dos anos 90 pra cá. O handebol muita gente joga na escola, seguir carreira que não é a coisa mais fácil do mundo porque os salários não se comparam com os de outros esportes como vôlei e basquete, Janca. Abraço

    • Fernando

      Se o Brasil ganhasse alguma coisa importante e que desse repercussão no handebol a situação pode mudar. Mas se você pensar pra que isso aconteça é preciso investimento, um título não acontece por acaso. O bom handebol está na Europa, a seleção teria que passar pelo menos quatro meses por ano por lá. Não sei se isso é viável.

      • Fernando

        Não sei se você sabe mas a confederação fica longe dos clubes. O trabalho é feito em alguns recantos, como Pinheiros e região do ABC.

        • janca

          Oi Fernando. Concordo que temos muito mais tradição no basquete, apesar da profunda crise no esporte de 1996 a 2008, do que no handebol. Que é mais complicado seguir carreira no handebol imagino, até pela falta de incentivo. Mas como você mesmo diz se o Brasil investir na modalidade, conseguir conquistas importantes, atrair o interesse do público, enfim, mexer na estrutura do handebol, pode ter retorno. Aqui, principalmente, um esporte é feito de conquistas. E isso falta para o handebol. Abs. Janca

          • janca

            Só pra completar. Intercâmbio é necessário, sim, mas não é preciso ficar quatro meses a seleção na Europa, por exemplo. Desenvolver uma liga forte, como está virando a NBB, é um passo imprescindível. Outro é o contato com escolas e clubes, como o Pinheiros, que investe pesado no handebol. Em relação à confederação, a questão não é a distância física, já que ela pode se aproximar de outra forma, trabalhar com núcleos, por exemplo. E tentar desenvolver o esporte em outras regiões, como Norte/Nordeste/Centro-Oeste. Aliás o basquete está tentando fazer isso no Ceará e acho mais do que válido. Põe válido nisso…

        • Fernando Duarte

          A Confederação Brasileira de Handebol é um feudo (feudo do “seu” Manoel), e está sediada há anos em…Aracaju…
          No feminino o trabalho é bom. O técnico dinamarquês em poucos anos colocou as meninas em um patamar bastante interessante. Já o masculino que parecia que ia decolar, não se renovou, e involuiu.

          • janca

            De fato a CBH, como a maioria das confederações, aliás, é um feudo. Não vejo problema em ficar em Aracaju, mas vejo enormes problemas em seguir nas mãos do mesmo. Rotatividade de poder é fundamental. E o feminino está mesmo melhor do que o masculino, que achei que fosse crescer depois do Pan de 2003, quando conseguiu o ouro e a vaga olímpica diante da Argentina, mas nada.

    • Thiago

      O Brasil nunca ganhou nada expressivo,mas tem a vantagem do Handebol ser altamente praticado nas escolas e por ser um jogo mto dinâmico e rapido,traz emoção e interesse das pessoas.
      O momento é mto bom,pois temos no Feminino uma seleção que joga de igual pra igual com as melhores do mundo,faltando apenas um apoio maior e uma dose de experiencia para nossas jogadoras.
      Com uma gestão profissional,apoio da TV e parcerias importantes, o Handebol tem tudo pra se juntar a Volei e Basquete e ser uma esporte que aparece bastante na midia.
      A grande vantagem do handebol é ele ser mto praticado nas escolas e de fácil pratica,podendo ser jogado como “peladas” utilizando quadras com marcação de futsal,sem grande necessidades. Diferente do Basquete e volei por exemplo que precisam de equipamentos especiais que nem sempre estão disponíveis nas quadras do país.

      • janca

        Por isso que acho, Thiago, que a confederação e as federações em geral deveriam trabalhar melhor a base, algo que não fazem direito. Muita gente pratica nas escolas e as entidades deveriam se aproximar dos colégios e também dos clubes, onde há muitas pessoas que praticam as modalidades. Há várias escolas particulares e clubes esportivos também que fazem excursões com a molecada, clínicas de handebol, especialmente na Escandinávia. Dinamarqueses, suecos e noruegueses são bons pacas na modalidade. Abs. e bom domingo pra você, Janca

  • timão ê ô

    o rubens magnano tem todas as qualidades do mundo, mas um defeito que derruba todas elas: é argentino. brasil dirigido por argentino never

    • janca

      Foi ele, Rubén Magnano, quem nos levou à Olimpíada de Londres. É um baita técnico, um baita técnico. E gostaria de ver um argentino dirigindo a seleção brasileira de futebol também. Ou um espanhol. Ou um português. Ou um holandês. Por que não?

      • Luciano

        E vale ressaltar que, mesmo sendo argentino, mostrou o seu profissionalismo nos jogos contra a própria Argentina em plena Argentina… Só de ver aquele estádio inteiro aplaudindo ele, de pé, já era um bom motivo para ele “amarelar” no jogo Brasil e Argentina, não acham?

        • janca

          Ele é muito profissional e muito dedicado ao seu trabalho. E achei muito bonito a forma como foi aplaudido. Foi ovacionado, o que mostra o respeito que tem. Mas como é profissional e sabe que o momento que vivia era outro, agora como técnico do Brasil, dificilmente iria “amarelar”. Abs.

    • Bruno

      Competência não possui nacionalidade. Muito melhor ter alguém assim e, ainda por cima, profissional, do que sangue-sugas brasileiros e amadores.

      • janca

        Concordo, Bruno. E desculpas por responder tão tarde alguns comentários, como o seu, que assino embaixo. Abs.

  • Felipe

    nem gosto do marin e nada, só que acho que temos de reconhecer que o cara mandou bem ao proibir o mano de chamar o ronaldinho e mandar ver nas olimpíadas. ele entende mais de futebol do que o rt e o mano tem que abaixar as orelhas e obedecer. chefe é chefe

    • Tiago

      Marin pra técnico da seleção. Convocou bem o cara. Já abrimos 2 a 0 na Dinamarca.

      • janca

        Risos. Até acho que ele convocou melhor do que o Mano vinha fazendo, mas se não confia no técnico, muda. O que sei é que é muito bom ver o Brasil vencendo, tento desvincular a seleção, embora não seja fácil, de RT, Marin, Mano Menezes… A Dinamarca melhorou um pouco agora, tem criado algumas chances, mas acho que temos um bom time. E time pra ganhar o ouro olímpico. Que quero muito. Como o Marin deve querer, pois entende que o futebol indo bem o povo esquece a desorganização que impera nos preparativos pra recebermos a Copa. E o pior é que talvez ele tenha razão…

  • Tiago

    Acompanhando a crise do Flamengo, Janca? Nosso time de basquete é muito bom, com Marcelinho e tudo, acho o melhor do Brasil. O sucesso dos esportes olímpicos do Fla não pode ajudar a reeleição da Patrícia? Quem vota como você já disse não é o torcedor do futebol, aí fudeu. Aguentar a Patrícia mais um período ninguém merece. Ronaldinho age como presidente do clube. O que o Assis fez foi criminoso e o clube falou amém, amém.

    • janca

      Acompanhando, claro. Ops, 3 a 0 Brasil. Shooow!!! Só duas considerações, Tiago:
      1) Não foi criminoso o que o Assis fez pois o vice de finanças autorizou…;
      2) Acho que a Patrícia tem chances de se reeleger apesar das mazelas do futebol. Até porque o Flamengo é tão dividido que não é impossível que a oposição lance três, quatro chapas.

  • Marcos

    É verdade que o trabalho em esportes como o handebol é mais difícil de realizar do que o basquete, pois já se inicia com público menor e portanto verbas menores. Mais isso não impede que mesmo com recursos inferiores haja organização, com foco em qualificar a formação de jogadores e treinadores. O rugby por exemplo vem se desenvolvendo mesmo com a fragilidade da nossa seleção. Não é necessário ter um grande seleção ou ídolos locais para que uma grande mudança possa se realizar.Os ídolos dos jovens são mundiais. O basquete, por exemplo, tem seu público no Brasil multiplicado pela NBA e os campeonatos europeus

    • Pedro Affonso

      Sem ídolos, sem uma seleção razoável, sem times e sem público nenhum esporte pode se desenvolver. Não conheço ninguém que joga rugby.

      • janca

        Oi Marcos, oi Pedro Affonso, também acho que o trabalho com o handebol é mais complicado de realizar do que com o basquete. Mas concordo com você, Marcos, sobre ser possível, mesmo com menos recursos, fazer um bom trabalho, se você tiver foco na organização, na formação de jogadores e técnicos, mas também de um público. Tem que usar a criatividade e encontrar seu nicho de trabalho e mercado, Marcos. Abs. pra vocês, Janca

  • Alexandre

    Foi muito claro e bem definido seu pensamento. Hoje a seleção de futebol do Brasil está uma vergonha, o técnico não se mexe, para melhorar, não é de seu interesse. A CBF se quisesse, organizariasse junto aos clubes e poderiam tornar-se fortes, e não essa vergonha falida atual.

    • janca

      É, Alexandre, o “produto” foi tão desvalorizado que não havia quase ninguém _torcedor, digo_ pra receber a seleção em Hamburgo.

  • Pedro Affonso

    Handebol é muito mais popular que o rugby, muito mais e tem time que excursiona pra fora.

    • janca

      O que não quer dizer que o rugbi não pode crescer, Pedro Affonso. Pois pode. E pelo que informou o Marcos é o que tem acontecido. Um crescimento lento, mas que pelo jeito existe.

  • Pedro Affonso

    Seleção de futebol foi mal no segundo tempo. O primeiro foi ilusão. Time tem que melhorar muito, não se empolgue com 45 minutos apenas, Janca

  • roderick rogas

    gente boa,

    na verdade o 5o jogo é no ginásio do s. josé…

    vamo Mengão!

    • janca

      Putz, se é em São José a situação complica. Achava que era no Rio de novo… Pena que vou perder tanto um jogo quanto o outro. Abs.

    • janca

      Valeu. Já corrigi a informação no post. Abs. e bom domingo pra você.

  • Lucas Nogueira

    Axo que um esporte que daria certo no brasil seria o futebol americano é um esporte muito legal sempre assisto a NFL, com os investimentos certo axo que seria um esporte bem popular aqui…

  • Elio Larese

    Acho que o Flamengo tem conseguido se manter bem no Basquete pela saída da Petrobras que fazia o monopólio do Patrocínio. A partir disso, todos os Esportes puderam escolher seu próprio Patrocínio, o que foi excelente para o CRF.

  • SAULO

    Janca, boa tarde.
    O assunto não é pertinente, mas estou muito curioso para saber sua opinião sobre os sorteios da COPA DO BRASIL. Eu acho muito estranho que para decisão “em casa” e “fora” sempre SAEM os mesmos clubes. Você não acha muita “sorte” para uns e muito “azar” para outros? Você sabe como são os bastidores do futebol brasileiro, não é?

    • janca

      Oi Saulo. Desculpe só conseguir responder agora sua pergunta, que foi feita ontem. É que até quarta vou respondendo todos os comentários, pelo menos os pertinentes, como o seu, assim que possível. E quinta volta a postar diariamente. Na verdade eu, em tese, sou contra o sorteio para definir os locais dos jogos. Acho que critérios técnicos, mesmo que em alguns casos subjetivos, devam ser usados _e não o sorteio. Assim podem reclamar, mascom base nos critérios. Que, repito, não deixam de ter uma dose de subejtividade. Sei sim, respondendo sua pergunta, um pouquinho como funcionam os bastidores do futebol. Mas, talvez até por ingenuidade, não sei, não acredita em armação em sorteios para definir que time faz o segundo jogo em casa, que time faz o primeiro. Realmente nisso, Saulo, não acredito. Até prova em contrário, claro. Grande abraço, ótima semana, Janca

  • João

    O basquete é uma das minhas modalidades esportivas preferidas, entretanto, ultimamente, não o acompanho de perto, o que pode acarretar em uma visão distorcida da realidade. Acredito que a modalidade apresentou algumas evoluções de uns anos para cá, mas , para falar a verdade. elas nao foram muitas, e a participação da CBB nessa melhora não foi muito consideravel, pelo que acompanho! A CBB, no trabalho de base, deixa muito a desejar, e como exemplo pode-se citar a ausencia da seleção brasileira sub-15 na disputa do mundial, já que não conseguiu sequer ficar entre os tres melhores da america do sul!!! Se os brasileiros querem uma CBF melhor, certamente o exemplo a ser citado não vai ser a CBB! A confederação de basquete do Brasil, nesta última gestão, teve sim alguns acertos, e uma delas foi a contratação do Magnano, o qual é um técnico excepcional! Outra melhora foi em relação a NBB, que é uma liga na qual os clubes administram mais diretamente a competição, coisa que a CBF está longe de fazer. Entretanto, apesar dos exemplos citados acima, a CBB está muito longe de ser exemplo! A mesmas picuinhas politicas que imperam na CBF, também existem na CBB! A modalidade melhorou um pouco, até por que para piorar seria dificil, tendo em vista que a modalidade estava sucateada, resultado de uma pessima administração do senhor Grego, antigo presidente da entidade! Enfim, a grama do vizinho nem sempre é mais verde, e certamente a da CBB não é mais verde que a da CBF, para falar a verdade, ela deve estar em uma situação pior!

    • janca

      Oi João. Provavelmente você entende muuuito mais de basquete do que eu, embora eu adore o basquete nacional mais do que a NBA. Pode parecer piada, mas não é. A NBA, apesar de reunir estrelas incríveis, acho muito pré-fabricada, algo de artificial, não sei explicar ao certo. Enfim, longe de mim defender a CBB. Lembro bem da gestão do Grego, João. Mas o exemplo que vem do basquete é em relação à criação da liga, isso é a base de tudo, e à contratação do Magnano, que oxigenou o ambiente. Há um início de trabalho na base, que deve ficar nas mãos do jovem e competente técnico do Paulistano. Houve aproximação com a TV. Há tentativa de atrair novos parceiros, de formar um novo público. Acho que há avanços. Mas sei qe há muita picuinha na CBB, guerra de egos, vaidades e interesses até hoje. Que deram um passo à frente, no entanto, deram. E claro que em termos de recursos não há comparação com a CBF. Nenhuma. Que a entidade tem dinheiro não discuto. E tenho que admitir que muito por conta da gestão Ricardo Teixeira, que nem por isso considero que foi boa. Muito pelo contrário, quem acompanha meu blog sabe disso. Se a CBF tem dinheiro, poderia ter muito mais. E usá-lo bem melhor. Grande abraço, boa segunda, Janca

  • Rico

    Esse Mano Menezes só está na seleção porque era técnico do Corinthians. Todo mundo sabe disso. Qualquer pelasaco que treina ou joga no Corinthians, já ganha grande destaque. Mídia Corintiana é rídicula. Já tentaram fazer o povo engolir que LULINHA era craque HAHAHAHAHHAHA. Agora querem que aceite que Mano Menezes é competente. Corinthians tudo que ganha é com ajuda da arbitragem, históricamente é assim. É o time da mídia e das federações. Nunca revela ninguem que preste. As categorias de base do Timão são uma vergonha. Os ídolos do Curingão são todos revelados por outros clubes pq eles não tem competência pra formar seus próprios. Por causa desse cancer pra sociedade chamado Corinthians, que se vende a qualquer um em troca de ‘favores’ hoje temos que aturar Mano Menezes na seleção, convocando seus homens de confiança Elias, Ralf, Paulinho, HAHAHAHAHHHAHAHA daqui uns dias tá até o Leandro Castan na seleção HAHAHAHAHHAHAHAAHHAAH timeco nojento. Espero que paguem ao BNDES os milhoes emprestados pra construir o gambázão, pois aquilo é dinheiro nosso. Viram que o KIA falando que vem surpresa pro Corinthians? HAHAHHA mais uma vez o Coringão envolvido com essa gente, dinheiro sujo, máfia. ÊÊÊÊ corinthians, sempre no submundo, timinho safado.

    • Tato

      Rico, no momento não vejo alguém melhor que o Paulinho na sua função tática. O cara marca bem, sabe sair jogando, chega ao ataque e, pasme, faz até gol! O Arouca é outro tipo de volante, que na minha opinião faria uma ótima dupla com Paulinho, se complementariam como feijão e arroz, queijo e goiabada, já pensou? Tente visualizar, mas imagine o Paulinho com outra camisa que não a do Corínthians. 😉
      Abraço.

  • cotoscki

    Amigos SAO VENCEU E ESTA NA FINAL DALHE SJOSEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE, TIME DE GUERREIROS VALEU S JOSEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE, VAMOS TODOS TORCER EM MOGI E NA TV PELO TITULO DO BRASIL SABADO EM MOGI VALEU S JOSEEEEEEEEEEEEE

  • Daniel S.

    Aliança com TV ajuda esporte mas não pode ser feita de qq. jeito. Final Brasília x São José tinha que ser em cinco jogos. Injusto um jogo só, Janca

    • Daniel S.

      Aliança boa do MMA com Globo/Sportv/Canal Combate. Muito sangue de sábado pra domingo, mas o Frank Mir não tava com nada. Gordinho que nem o Fenômeno. Sumô pra ele. A Globo não entrou ao vivo, Janca. O que achou disso. Eu vi num boteco com telão.

      • nilú

        Daniel, não vou responder pelo João, mas respondo como um ser humano que quer um mundo melhor, como acredito que a maioria também queria! Vamos lá, com tantas coisas horríveis acontecendo no mundo, tantas guerras, atentados, matanças, não necessitamos também ver o sangue do MMA, acho lamentável o que as emissoras fazem em troca de patrocínios, e acho mais lamentável ainda, quem da audiência para esse tipo de “divertimento”, aliás, quem se diverte, goza, vibra vendo um ser sofrer, seja ele quem for, deve repensar e muito na vida, ao que veio!!! Acho que a impotência interior, se externa pela agressvidade! Minha opinião sincera!! Ótima semana! Nilú

        • Rico

          Nossa Nilú, pare de defecar pelos teclados. Quem tá ali ‘sofrendo’ como vc mesmo diz, se sujeitou a isso, está preparado fisica e emocionalmente. Nao compare isso com uma guerra, isso eh muito sensacionalismo. Os lutadores vivem do MMA, é dali que sai o sustento deles. Se não quer que eles lutem, vai lá e paga os altos salários que eles recebem, banque todos eles que eles param.
          É cada idiotice que temos que ler, aposto que vc é daqueles evangélicos fanáticos.

          • nilú

            Nossa Rico, que palavreado pobre! Vc viu o que escreveu, não me refiro agora ao palavrão, mas ao fato que se eles tivessem opções melhores para ganhar a vida, não estariam no MMA!!! Que loucura isso!!! Acontece da gente interpretar de modo errado um texto, acho que foi o que aconteceu com vc!!! Releeia e tente entender se possível o que escrevi, e não perca a educação que me pareceu que vc tem, quando interveio antes no blog. Ok! Fique bem! Nilú

        • Tato

          Nilú, acredito que existem pessoas, sim, que consideram o MMA até como uma forma de “arte”. Eu particularmente não gosto, assim como não assisto NFL, NHL, Handebol ou basquete por exemplo. Mas respeito e concordo que todos os esportes devem ter seu espaço. Também não vejo ligação nenhuma do MMA com essas mazelas que você citou e acho até que é uma ótima oportunidade para muitos que não tiveram muitas opções na vida, existem casos de pessoas que saíram de situações de riscos e se deram bem no MMA. Mas respeito sua opinião, apenas não concordo.

          • nilú

            Tato, e eu respeito a sua, não comparei o MMA, as guerras, atentados etc, o que eu disse, é que não consigo compreender esse o gosto dos humanos, em ficar olhando essa brutalidade.
            Dos lutadores, tenho pena, pois foi o que restou pra eles no mundo, e a grande maioria, quem sabe, só possa ter e sobreviver dessa “profissão” mesmo!
            Enfim, num mundo onde já existe tanta agressidade, e não apenas física, quem precisa de mais? Não sei se me fiz compreender, pois muitas vezes me expresso confusamente_rs.
            É isso! Ah! Agradeço seu respeito, mas opinião não é uma coisa que se de para que os outros concordem, opinião é opinião, que aliás pode mudar_rs. Nesse caso, a minha não!!
            Otima terça! Nilú

          • Rico

            Eu gosto de ver MMA, quanto mais sangrentas as lutas, melhor. Se algum dos lutadores forem parar no hospital, excelente. Assim que é bom. Isto é inerente ao ser-humano. Gostamos de ver brigas e gente sofrendo. Já vem desde os tempos antigos, não lembram dos gladiadores de Roma? MMA é muito bom, aquilo sim que é divertimento.

      • janca

        Não vi, mas tenho recebido estudos e feito entrevistas e contatos com lutadores e médicos sobre o que eles fazem pra chegar à luta em boa forma, à pesagem com peso “correto”, há quem chegue a perder 15, 16 quilos pruma luta, 10 dos quais recuperam em menos de 24 horas.

    • janca

      Mas não foi feita de qualquer jeito, não. Pra TV aberta cinco jogos são inviáveis e nesse momento o crescimento do esporte tem que ser prioritário. TV aberta, ainda mais Globo, representa uma baita audiência. E um outro público também.

  • Elio Larese

    Acho que reduzir a Final para só um jogo não foi uma boa idéia, o próprio título “NB” acho que teve como meta (ou base) a NBA e Final com só um jogo não é Final de NBA.

    • janca

      Mas no caso do Brasil, por conta da TV aberta, teve que ser assim. No vôlei também é.

      • matias

        Eita, mas esse Janquinha tá preguiçoso, hein ? Faz 2 dias que não posta nada.

        • janca

          Pô, Matias, preguiçoso nada. Não larguei o blog um dia nesse último ano. E tenho respondido diariamente os comentários. Cumprido meus compromissos à risca. Amanhã volto a postar, como tinha escrito neste post de sábado. Abs. e uma ótima quarta pra você, Janca

  • Tato

    Acho que essa final única deve ter o dedo da Globo. No mínimo uma melhor de 3 seria “bão dimais da conta”.

MaisRecentes

Revolta corintiana



Continue Lendo

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo