Pelé/Coutinho vs. Mano



Se dentro de campo Pelé e Coutinho formaram uma das duplas mais afinadas do futebol brasileiro, quando pararam de jogar os dois tomaram caminhos bem diferentes. Seguem cada um na sua, mas voltam a falar a mesma língua quando o assunto é seleção brasileira. Os dois não têm gostado do trabalho de Mano Menezes e sempre que podem dão uma alfinetada no treinador.

Tanto para Pelé quanto para Coutinho o técnico não vem bem no comando da equipe e em quase dois anos não conseguiu dar um padrão de jogo à seleção. Ambos acham que as “experiências” feitas por Mano de 2010 pra cá não levaram a nada e não entendem como não convoca o santista Arouca.

O coro contra o treinador, porém, não se restringe a Pelé e Coutinho. Romário, que já bateu de frente várias vezes com o maior jogador da história do futebol mundial, tampouco vê o Brasil no caminho certo. E nesse caso, pelo jeito, dá razão a Pelé/Coutinho.

Mesmo aconselhado a largar o osso depois de humilhado publicamente por José Maria Marin, que deixou claro que com ele como presidente da CBF Ronaldinho Gaúcho não iria à Olimpíada e atletas desconhecidos do Leste Europeu não seriam convocados, colocando em dúvida os métodos do técnico para convocar, Mano preferiu abaixar a cabeça e não desistir.

A questão nem é a de entregar a lista de convocados 48 horas antes para Marin, pois já fazia isso com Ricardo Teixeira. A questão é que, ao contrário de Teixeira, Marin gosta de futebol e quer impor suas ideias e vontades para a seleção. Como seu amigo Juvenal faz no São Paulo. Alguns aceitam calado, caso de Mano, outros passam a rugir, caso de Leão. E aí a casa estremece e a crise fica bem evidente.



MaisRecentes

Os rivais do São Paulo



Continue Lendo

O discurso de Tite



Continue Lendo

A reeleição de Galiotte



Continue Lendo