CBF afaga Conmebol



Apesar das reclamações de Corinthians e Santos sobre jogos da Libertadores no Equador e na Bolívia, a CBF não quer importunar a Conmebol e resolveu lavar as mãos sobre os protestos dos clubes brasileiros, incomodados com a violência da torcida e o nível da arbitragem no torneio especialmente em jogos fora do Brasil.

Tanto José Maria Marin, presidente da CBF, quanto Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol e membro do Comitê Executivo da Fifa por indicação da própria Conmebol, defendem a entidade que “organiza” o futebol sul-americano.

Os dois têm tentado se aproximar cada vez mais de Nicolás Leoz, paraguaio que comanda a Conmebol desde 1986 e na semana que passou virou presidente vitalício da entidade.

Leoz, como o argentino Julio Grondona, representa a América do Sul na Fifa, ao lado também de Del Nero, que ocupou a vaga de Ricardo Teixeira, fiel escudeiro dos dois primeiros.

Em conversas reservadas Marin e Del Nero têm dito que as reclamações de Santos e Corinthians não passam de choradeira natural do esporte. E já enviaram as mais cordiais saudações a Nicolás Leoz por ter virado presidente vitalício da Conmebol. Tudo entre amigos, tudo entre amigos…



MaisRecentes

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo

Deuses da Bola



Continue Lendo

Galo pega fogo



Continue Lendo