A fila dos ingressos



A venda de ingressos para jogos de futebol no Brasil continua um inferno. As semifinais do Paulista são um exemplo. Caos no Morumbi, caos no Brinco de Ouro da Princesa. Assunto pouco comentado, alguns torcedores ficaram mais de três horas nas filas para conseguir entrada. E alguns não tiveram sucesso.

Cambistas? Continuam em ação. Seja para o jogo em São Paulo, seja para o jogo em Campinas.

A venda de entradas, graças à internet e a programas como o sócio-torcedor, melhorou a vida de alguns, mas não de todos. Filas para comprá-las e filas para entrar no estádio em dia de jogo importante seguem sendo uma norma. E no país que em pouco mais de dois anos vai sediar a Copa.

Um pouco mais de organização e de respeito com o torcedor seria bom. E é obrigação. Até porque os ingressos não são baratos. Para as semifinais há entradas de 120 reais, por exemplo, um preço mais alto do que os das melhores peças de teatro que estão em cartaz em São Paulo e no Rio.

Poucas bilheterias abertas, poucas rampas de acesso aos estádios, poucos funcionários contratados para trabalhar nos eventos, o resultado é isso aí. Desrespeito total com o torcedor, que acaba ficando em casa e vendo os jogos pela TV.



  • Victor

    E pra entrar no Engenhão? Sabe o jogo do Flamengo contra o Vasco? Não tava nada cheio e com revista e tudo, revista mal feita, inclusive, eu e meu filho demoramos uns 40 minutos pra entrar. Empurra-empurra daqui e de lá, muita confusão, difícil parar carro, difícil ir pro futebol.

    • Victor

      Você fala em gastos, no preço do ingresso, mas tem que pagar lanche no estádio, pagar pra isso, pra aquilo, o carro pode ser roubado, o custo é bem alto. Não tem acesso pros estádios brasileiros bom nem lugar pra parar carro. Nem transporte público organizado. Fora medo de briga.

      • Victor

        Comentei e esqueci dos flanelinhas. Você fica nas mãos dos caras. Paga pra não ter o carro riscado. E quando paga muitas vezes o flanelinha some logo depois e só volta no final do jogo pra pegar a grana de mais alguns otários. Acha que eles tomam conta do carro?

        • janca

          Por essas e muitas outras também o futebol tem virado um esporte pra TV, com um novo público, inclusive. E pode passar por um processo _a meu ver já está começando a passar_ de elitização, como se dá na Europa, onde os estádios são cada vez mais ocupados por quem de fato tem dinheiro para gastar.

          • Ado Marcelo

            O dia que transformarem o ingresso num cartão de crédito/débito com venda online e por telefone dos jogos, acaba esse problema de fila.
            Mas em contrapartida, acaba a evasão de renda, os cambistas … e muita gente vai ter de trocar de leite B para leite C.

          • janca

            Aí entra o problema da clonagem _rs. Mas sabe que acho que é uma saída possível? E interessante para o problema? Pelo menos a aquisição dos ingressos pode ficar mais fácil… Mas você teria que limitar o número de entradas por cartão, pensar em situações assim, porque pode até diminuir a fila para comprar entradas, mas não sei se resolve a ação de cambistas. Talvez eles continuem agindo, Ado. Sempre dão um jeito. Mas que algo tem que ser feito e está aí uma ideia para melhorar a situação estamos de acordo. Abs. e bom domingo, Janca

  • Alê

    Aqui em Recife a situação é pior. Vocês não fazem idéia do tamanho das filas. Os jogos do Pernambucano têm ficado cheios, muito mais do que no Sul/Sudeste. Por isso defendo os Estaduais que vocês criticam aí do Sul. O que falta é organização nos estádios.

    • Alê

      Uma coisa que acontece é que os estádios são dos anos 70. Monstrengos que não foram reformados. Pra isso a Copa pode ajudar. Podemos ficar com estádios melhores.

      • janca

        Desde que sem superfaturamento nas obras sem dúvida pode ser um dos legados positivos da Copa. Sobre os Estaduais não acho que eles devam ser extintos, mas reformulados. Os times do interior e os do Norte/Nordeste, por exemplo, têm de ter atividade o ano todo, esse é um ponto importante a ser discutido. E os Estaduais talvez pudessem ser realizados no formato de Copa, estilo mata-mata, outros modelos podem ser encontrados, o atual, para a maioria dos Estados, não tem funcionado.

        • Tiago

          Imaginar obras sem sobrepreço no Brasil é difícil, Janca. A Copa tá aí como exemplo. Nem sei direito qual vai ser o custo Copa.

          • janca

            Nem você nem ninguém, pelo jeito. Porque o próprio governo tem projeções que variam muuuito sobre o custo da Copa para o país, Tiago.

      • Marcos

        Pois é Alê acontece que existem alguns reacionários ( S.P.F.C, ESPN e mais alguns ), que por motivos econômicos e de baixa autoestima ( o são paulo tentou fazer um ” puxadinho” no morumbi e parte da imprensa ficou a o seu lado nesse absurdo!) , ficam, defendendo o total desrespeito aos torcedores que são nossos estádios, sem banheiros, transporte público, estacionamentos, pontos cegos etc.

  • Evandro

    Parece-me que torcedor ir ao estádio e pagar ingresso não é lá tão vantajoso para o clube, que prefere mesmo as receitas da TV, e assim parecem ter abandonado esses torcedores. Vide como a capacidade de torcedores nos estádios foi caindo com o passar dos anos e nem se pode dizer que com isso seja para melhorar a qualidade de quem assiste aos jogos, com mais conforto ou mais segurança ao torcedor. Parece-me mesmo que os clubes preferem que os torcedores fiquem em casa, assista os jogos pela TV, para assim conseguirem mais audiência e depois patrocínios e cotas de TV maiores nas próximas negociações. Torcedores no estádio? Deve ser só pra dar um charme na transmissão. Se bem que, às vezes, até tenho a impressão que os gritos de torcidas na TV sejam pura sonoplastia!

    • Tiago

      Tenho a mesma impressão que você quando assisto aos jogos pela TV. Pura sonoplastia, falou e disse.

      • janca

        É a impressão que passa mesmo. E como os direitos de TV, muito mais do que a bilheteria, tornaram-se importantíssimos para os clubes, já viram…

        • Evandro

          As coisa só vão melhorar, Janca, a hora que o interesse dos clubes também mudar.

          • janca

            Pode ser, Evandro, mas o interesse do clube não pode ficar muito dissociado do interesse e do bem-estar do torcedor, que é a razão de ser do futebol.

  • Marcos

    Exemplar é o sistema do Corinthians, sem filas, com toda a venda antecipada pela internet. A prioridade é dos sócios torcedores com sistema de preferência pela assiduidade, depois, o que sobra é vendido para os tprcedores comuns também via Internet.

    • janca

      De fato que eu saiba o Fiel-Torcedor tem funcionado bem, mas também há confusão na hora de entrar no estádio. Mas que o programa de vendas, pelo que me consta, funciona relativamente bem, funciona.

  • joe LHP

    Cara já passei muito por isso, ficar 6 horas em uma fila ou virar o dia pra comprar ingresso ,isso quando não chegava a sua vez e os ingressos acabavam, agora esse sistema do Fiel Torcedor pela internet é muito bom comprei o meu ingresso contra o Emelec pela internet tranquilamente, sem fila sem stress e sem perder tempo e o melhor de tudo com desconto ao invés de pagar 50 paguei 32 reais pelo bilhete, os bambis tinha o sócio torcedor mas pelo visto não vingou , acho que os outros clubes deveriam investir nesse canal de vendas afinal internet já não é mais o futuro e sim o presente.

  • GMF-RJ

    Janca como sempre você aborda temas de muita importância para nós torcedores, parabéns. Sobre a venda de ingressos realmente é uma vergonha, o torcedor passa por humilhações, como otário, ou seja não existe respeito nenhum. Todos os jogos importante é esse inferno, você não acha ingressos em lugar nenhum nos locais relacionados pelo clube. Via internet nem pensar, o site fica fora do ar, em todo lugar que você vai a resposta é mesma: acabou os ingressos. Quando você chega na porta do Engenhão ingressos a vontade nas mãos dos Cambistas, vendendo livremente. É uma vergonha Janca, quando será que isso vai acabar? Existe funcionários do próprio clube que pega ingressos e vende pelo dobro do preço, um absurdo. Comigo já aconteceu isso, final do brasileiro de 2009, ingresso que custava R$30,00 era vendido por R$200,00 pelo funcionário. Ligue para o clube denunciei, o que aconteceu com esse funcinário não sei, com certeza nada, fato comum no Brasil, aqui infelizmente nada acontece. Sinceramente Janca não sei dizer o que pode ser feito para acabar com essa pouca vergonha, talvez vocês da Imprensa possa nos ajudar, falando diariamente sobre esse assunto, quem sabe as Autoridades competentes crie vergonha na cara e acabe de vez com essa bandalheira. Um grande abraço, nós torcedores contamos com seu apóio. Obrigado.

    • janca

      Oi GMF-RJ, obrigado pelas palavras e por seu testemunho aí, o testemunho de um torcedor que quer seu ingresse e não consegue comprá-lo, tem que aturar filas e cambista. E confesso que não sabia desse problema também na internet. Sobre cambistas já chegaram a denunciar, em alguns lugares e em determinadas épocas, esquemas com representantes ou funcionários de federações, para ficar em apenas um exemplo. Mas há também a ligação de clubes com uniformizadas, que acabam tendo vantagens. Pelo que li foi o caso da Ponte Preta hoje, para o jogo contra o Guarani. Sua cota de ingressos ficou com os sócios e os torcedores organizados. Os “comuns” terão que ver o clássico campineiro pela TV. Mas a ação de cambistas deveria ser combatida no Rio e em outros Estados, acontece em diversas partes do Brasil, como em São Paulo também. E acho que você colocou bem a questão quando fala das humilhações pelas quais passa o torcedor. Se é num cinema ou num teatro ou num espetáculo de música clássica, para ficar em três exemplos, temos com quem reclamar. Quando acontece num jogo de futebol a coisa é tão comum e frequente que parece que o descaso faz parte do jogo, quando não deveria ser assim. Diretos e obrigações, os clubes deveriam se lembrar disso, os dirigentes esportivos, digo, porque o torcedor merece respeito. Abração e um ótimo domingo pra você, bem chuvoso em São Paulo, diga-se de passagem, Janca

  • Fabrício

    Meu depoimento. São Januário ontem não tava cheio, o jogo era tarde, ingresso nas mãos de cambista. O Fluminense quer aumentar o preço dos ingressos de seus jogos, assim fica inviável continuar indo aos estádios.

  • Fabrício

    E Fla-Flu ainda querem assumir juntos o Maracanã. Apesar da desorganização vascaína e das suspeitas sobre o Dinamite, somos o único time do Rio com estádio próprio. O Engenhão foi maracutaia com o Botafogo e o Maracanã vai ser a mesma coisa com Flamengo e Fluminense. Pode escrever, Janca

    • janca

      Como você sou contra o que fizeram com o Engenhão e o que pensam em fazer com o Maraca. Mas que pode acabar com o grupo do Eike, pelo que me contam tem mais chances do que Flamewngo e Fluminense juntos para assumir a administração do novo estádio. Reerguido com dinheiro público para depois ser terceirizado, privtizado, o que for. Uma lástima. Abs.

  • Fred

    sou santista mas não gostei de marcarem os jogos pro morumbi. final tinha que ser no brinco, lá em campinas. é justo e a decisão teria mais interesse. pra final tava sobrando ingresso até ontem. pelo menos na vila tava

    • janca

      E até agora, dia da final, parece que só metade das entradas foi vendida. É pouco. Acho que se a federação tivesse marcado um jogo pra Vila (ou Pacaembu) e o outro para Campinas seria muuuito melhor. O Brinco de Ouro já foi palco de final de Paulista, em 1988, e do Brasileiro de 1986, final que aconteceu no início do ano seguinte.

MaisRecentes

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo

Mattos em xeque



Continue Lendo