Ponto para Teixeira



A briga entre o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, veio a calhar para Ricardo Teixeira.

Tira o foco das novas denúncias contra o presidente da CBF e do Comitê Organizador Local da Copa de 2014, transferindo-o para dois outros protagonistas do Mundial. Um dos quais, aliás, odeia Teixeira.

Ao dizer que o Brasil precisa de um “chute no traseiro”, muito irritado por conta da indefinição a respeito da Lei Geral da Copa, Valcke, inimigo declarado do presidente da CBF na Fifa, atacou o governo brasileiro _e não o COL, de Teixeira_ e comprou briga pública com Aldo Rebelo.

Agora Aldo não quer Valcke como interlocutor e o secretário-geral insiste que virá ao Brasil no próximo dia 12, definindo como “pueril” a reação do ministro.

Dilma Rousseff, que vinha escanteando Teixeira, terá que se posicionar sobre Valcke e a Fifa e poderá comprar briga boa. Boa para Teixeira, já que o COL deve ser procurado pelos dois lados, Fifa e governo brasileiro, a fim de se posicionar. E com isso Teixeira ganha um ponto, já que é o único com voz ativa no comitê. Ronaldo e Bebeto até agora não sabem o que estão fazendo lá e são dois fantoches, servindo de escudo para o dirigente brasileiro.

Para Teixeira a ruptura entre Valcke e Rebelo acontece no melhor momento possível. Resta saber como ele agirá nos bastidores, já que está furioso com o secretário-geral, que lhe tirou poder na Fifa, mas tem simpatia pelo ministro de Dilma, que se recusa a criticá-lo publicamente e não se manifestou contra ele nos momentos complicados que vive há algumas semanas.

Aldo, quem te viu, quem te vê… Aguardemos as cenas dos próximos capítulos… Bom domingo a todos, João



MaisRecentes

O emocional, de novo



Continue Lendo

A cabeça de Neymar



Continue Lendo

Crise no Peru



Continue Lendo