COB x CBF



O COB, a fim de ganhar mais dinheiro do governo, colocou como meta ficar entre os dez países mais bem classificados do mundo nos Jogos de 2016, com 30 medalhas no Rio.

Para Londres, o comitê, que dificilmente divulga suas metas, disse esperar de 13 a 18 pódios, sendo dois ouros graças ao futebol, um com a seleção masculina outro com a feminina.

Mas a própria CBF já disse que não garante o ouro nem com uma nem com a outra seleção e lembra que a medalha do masculino não é prioridade, ao contrário do que eu gostaria que acontecesse.

Para dirigentes ligados à CBF a estratégia do COB é, no mínimo, “sacana”. Porque se a meta não for atingida a CBF e Ricardo Teixeira podem ser responsabilizados caso o futebol não traga dois ouros. E o COB, ao contrário da confederação, vive de recursos públicos. Falar recebendo grana do governo é fácil. Mas pedir mais grana talvez seja cara-de-pau.



  • Peixe

    Dá pra apostar em dois pódios do futebol, em dois ouros não, o feminino sempre perde no final e o masculino tem poucos jogos pra se preparar.

    • janca

      Mas o feminino pode deixar de perder no final, Peixe, as coisas não são estáticas. No caso do masculino, porém, o pior é que os amistosos da seleção são focando a Copa de 2014, não os Jogos de Londres, o que considero um claro equívoco. Ou, no caso da CBF, uma estratégia. A de preservar a cabeça de Mano Menezes, que até agora não formou nem um esboço de equipe. Abs.

  • Peixe

    Dúvida: dinheiro da CBF não é do governo também? Nike + governo?

    • janca

      Não, Peixe, do governo não é, não. O COB é que vive mamando nas tetas do governo, neste ponto não podemos reclamar da CBF, não. Abs.

  • Vico

    O Brasil tem obrigação de ser campeão no masculino. No feminino não porque ninguém apoia a mulherada, não podemos cobrar delas como cobramos dos homens.

    • janca

      Obrigação (de vencer no masculino) também não tem, mas que poderia estar se preparando melhor, poderia. Abs.

      • Alê

        E poderia ajudar o futebol feminino. A CBF prometeu isso anos atrás e nada faz.

        • janca

          Poderia, contanto que desenvolvesse uma boa estratégia para atrair público, parceiros e patrocinadores. Ajudar por ajudar não sei se seria o caso. Abs.

          • Alê

            Se a CBF não ajudar o futebol feminino não vai pegar no Brasil como nos Estados Unidos e vamos ficar sempre lamentando as derrotas. Até o Santos que tinha montado um time forte desistiu, Janca

  • Guilherme

    O Santos desistiu porque viu que não dava lucro o futebol feminino. Por que que a gente tinha que sustentar um time de futebol feminino se não dava lucro?

    • janca

      Não acho errado o que o Santos fez, tem que pensar em sua saúde financeira. O que digo é que não adianta a CBF ajudar por ajudar o futebol feminino, ao contrário do que coloca o Alê. Tem que ter um projeto pra alavandar a modalidade, que aqui, ao contrário do que acontece nos Estados Unidos, ainda enfrenta forte barreira cultural, embora com o tempo, especialmente nos colégios, ele comece a diminuir.

      • Peter

        No Brasil futebol feminino vai pegar (se pegar) aos poucos, não pode ser uma coisa de cima pra baixo. Não dá pra exigir medalha de ninguém, dá pra exigir preparação principalmente do futebol masculino. Resto é resto.

        • janca

          Acho que já está pegando aos poucos, mas precisa de um projeto mais estruturado. Ou de um projeto, pois não vejo nenhum. Há o aspecto cultural, mas assim como o handebol precisa de parceiros, patrocinadores, plateia, público, enfim, e, repito, de um projeto que muitas vezes até é de cima pra baixo, sim. Não imposto, mas um projeto. Abs.

  • Felipe

    COB vai usar como pode Rio-2016 pra receber mais dinheiro. Fácil viver com dinheiro do governo.

    • janca

      Sempre quer mais dinheiro, Felipe. Abs.

  • Alexandre

    Nesta eu concordo com a CBF.
    Se o Brasil nunca teve o melhor time feminino do mundo (e nem tem agora), como é que eles podem colocar o ouro na meta?
    A verdade é que o COB consegue ser ainda mis incompetente que a CBF, pois a cada ano são batidos recordes de recursos públicos aplicados no esporte olímpico e não há nem sinal de evolução geral no quadro de medalhas desde que o Nuzman assumiu:
    1996 – 15 medalhas (3 ouros)
    2000 – 12 medalhas (0 ouro)
    2004 – 10 medalhas (5 ouros)
    2008 – 15 medalhas (3 ouros)
    2012 – 13 a 18 medalhas (meta)
    Está mais do que provado que aplicar milhões apenas nos atletas de ponta, já formados, ou pior, apenas para sustentar caras estruturas administrativas das federações, tem efeito quase nulo no desempenho esportivo do país.
    Resultado consistente só se consegue aplicando na base, pensando no longo prazo, mas isso nem se cogita fazer no Brasil, então eles ficam com brincando de estipular metas…

    • janca

      Nessa também estou com a CBF. Mas não em relação ao descaso com a seleção olímpica masculina, que o Mano Menezes mal preparou para a Olimpíada quando teve muuuito tempo pra isso. Abs.

      • Alexandre

        Janca,
        Pode parecer uma heresia o que vou te dizer, mas se tem um torneio deslocado e pouco interessante no calendário do Futebol é o torneio olímpico masculino.
        É restritivo (sub-23), mas tem furo (3 exceções).
        Ou seja, a FIFA não é ousada o suficiente para liberar a participação de todos os atletas nem firme o suficiente para transformá-lo num Mundial sub-23, o que faz com que a regra de restrição seja absolutamete esdrúxula.
        Além disso, participam do torneio só 4 times europeus e 2 sulamericanos. Ou seja, chega a ser mais difícil classificar no pré-olímpico do que ser medalhista olímpico. Que o diga a Argentina…
        No final das contas ele só vale alguma coisa para nós por dois motivos: o primeiro é por birra mesmo, já que fere o nosso orgulho ser o único campeonato que nunca conquistamos, e o segundo tem a ver com o tema do seu post: como somos muito fracos na maioria dos esportes olímpicos, vale como consolação e esperança para melhorar um pouquinho a nossa posição no quadro geral de medalhas.

        • janca

          Mas nem que seja por birra quero muito ganhar esse título que não temos. Se já tivéssemos conquistado seria outra história, mas não temos. Os uruguaios virão com tudo porque desde o bi olímpico, em 1924 e 1928, quando ainda não havia Copa do Mundo, não disputam a Olimpíada com o futebol masculino. E acho que o Brasil, que nunca conquistou o ouro na modalidade, deveria ir com tudo também. Abs.

MaisRecentes

Alerta a Raí



Continue Lendo

Os erros do Verdão



Continue Lendo

Vencer ou vencer



Continue Lendo