BMGzão e o Corinthians



A direção do banco BMG voltou a dizer que não tem interesse em adquirir o nome do estádio do Corinthians por acreditar que não pegaria. Dificilmente o torcedor passaria a chamá-lo de “BMGzão”, quando o apelido Itaquerão ou Fielzão já está disseminado entre o público.

A direção corintiana, que espera definir nas próximas semanas a venda dos “naming rights” por valor superior a 200 milhões de reais, lamenta e pede para a imprensa não continuar chamando o estádio pelo apelido popular. Prefere um nome neutro, como Arena Corinthians. Assim que for repassado a alguma multinacional, banco ou o que for, que a mídia passe a se referir ao local pelo nome que o novo parceiro quiser.

O grupo LANCE!, que no início chamava a arena de Itaquerão ou Fielzão, atendeu e passou a chamar o estádio de Arena Corinthians, já que se referia ao do Atlético-PR como Kyocera Arena, para ficar apenas em um exemplo, embora o nome nunca tenha caído no gosto popular.

Já tratei uma vez do assunto, quando o L! ainda se referia ao estádio corintiano pelo apelido, e pessoalmente discordo da decisão do grupo, que é uma decisão editorial. Respeito, acato, vou seguir a norma, claro, mas se perguntarem a minha opinião ela segue a mesma. Não acho que caiba à imprensa chamar o estádio por um nome neutro para ajudar a vendê-lo a terceiros. Acho que ela deveria tratá-lo pelo nome que os torcedores, em geral, chamam o estádio, que é pelo apelido ou um dos dois apelidos que caíram no gosto popular.

Chamamos o estádio do São Paulo de Morumbi, o do Rio de Maracanã, embora os nomes oficiais sejam outros. Não foram vendidos para bancos ou multinacionais? Não, mas esse não é um problema nosso. É do administrador do estádio.

Quanto mais demorar para vender os “naming rights” maior a chance de o apelido Itaquerão ou Fielzão colar e não sair mais. E maior a chance de a pedida do Corinthians diminuir. Mas esse é um problema do clube, não da imprensa. Pelo menos vejo assim, embora a direção do L! veja de maneira diferente e não vou contrariá-la neste sentido. Mas que minha visão é outra, é. Uma boa quarta-feira (de Cinzas) a todos, João



  • brasileiro

    Poderia ser Bndes Arena

    • janca

      Mas não é só a União, via BNDES, que está dando uma mão ao Corinthians. A Prefeitura e o governo do Estado de SP também estão. Abs.

      • denis

        Chora janca… ate 2014 na arena corinthians

      • Jonny thai

        como se nenhum outro clube nunca teve uma mão da prefeitura e do governo né? chorão.

        • janca

          Vários clubes tiveram e ainda têm, o que não quer dizer que ache isso certo. Aliás sou contra dinheiro público, como já disse inúmeras vezes, para estádios privados, sejam eles de que times forem. Abs.

          • Flávio

            Isso mesmo, esse não é o papel da imprensa, o papel e diminuir, denigrir a imagem de alguns clubes, sabe-se lá por que, e cobrar profissionalismo, mas sem dinheiro fica dificil ter este profissionalismo. Mas continue assim, você vai longe.

          • janca

            Não, o papel da imprensa não é diminuir nem denegrir a imagem de ninguém, mas não vejo nenhum problema em respeitar o que já está na boca do povo, contanto que não seja pejorativo, os próprios corintianos chamam seu futuro estádio de Itaquera, não vejo ninguém falando Arena Corinthians. É muito formal. E duvido que o corintiano gostaria de vê-la sendo chamada de Arena BMG, Arena Bradesco, Arena Banif. Abs.

          • Kanka

            Vc é contra o subsidio para multinacionais tb? O subsidio ocorre no Brasil pq os impostos sao tao elevados que inviabiliza investimentos.

          • janca

            Depende do subsídio.

  • Fernando

    É justo com o Corinthians. Quanto mais os clubes lucram mais a imprensa ganha. Um tem que ajudar o outro.

    • janca

      Não vejo necessariamente assim, que um tem que ajudar o outro. E também acho que o conceito de ajuda pode ser uma coisa relativa. O que é visto como ajuda para um pode não ser visto para outro. Não acho que a mídia seja isenta e acho que pode ser engajada, o que não necessariamente significa ser pró-clube A ou pró-clube B. No caso do estádio do Corinthians, ao contrário do que quer a diretoria do clube, acho que o mais adequado seria chamá-lo pelo apelido. Mas entendo quem não veja assim, o que não significa que concorde com. Abs.

      • emerson

        Concordo que não tem que ajudar. Mas é o povo que decidiu itaquerão primeiro, ou foi a impreensa que começou a veicular esse nome?

        • janca

          Confesso que não sei. É a tal história, quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha? Mas que pegou e não é pejorativo pegou. E mais do que Arena Corinthians.

  • Rogerio K.

    Essa mentalidade de apelidos para estádios é cultural, mas o mundo evolui e os paradigmas existem para ser quebrados. Será que alguém chama o Allianz Arena de Bayerzão ou Munchenzão?

    • janca

      Não, pois não é conhecido assim. Mas tem muita gente que chama o estádio do Corinthians de Fielzão ou Itaquerão. Arena Corinthians é muito formal. E sobre paradigmas estão de fato aí para serem quebrados. Ou não necessariamente. Pense nisso. Abs.

    • janca

      E como você mesmo diz, aí estamos de acordo, trata-se de uma mentalidade cultural. Que, repito, pode ser quebrada ou não. Abs.

      • Rafa

        Allianz Arena sempre nos foi apresentado com esse nome, quem dirá que na Alemanha ou entre os torcedores do Bayern ele não tenha um apelido ou outro nome.
        Emirates Stadium a mesma coisa, nos foi apresentado com esse nome, a imprensa usa esse noem, mas os torcedores do Arsenal podem chamar de outro jeito.
        Amsterdã Arena, a mesma coisa,
        Estadio Olimpico de Pequim, alguém conhece por esse nome, ou preferem “Ninho de Pássaro” como foi veiculado pela imprensa.
        Kyocera Arena começou com esse nome, e sempre foi chamado assim pela imprensa, até acabar o contrato e virar Arena da Baixada.

        • janca

          Acho que Kyocera Arena não começou com esse nome, mas tenho minhas dúvidas. Agora sobre o estádio de Pequim é um ótimo exemplo o que você deu em relação ao Ninho de Pássaro. Valeu, abs. Janca

          • Flávio

            Resumindo……Você vai chamar de Itaquerão ou Fielzão, de birra, pq é cultural e vc feaz beicinho!!!!!!!!!!! Tá bom…….

          • janca

            De jeito nenhum. Se você fosse ler meu texto veria que o L! chama de Arena Corinthians e como colunista do jornal respeito a decisão da direção. E acato. Embora dela discorde, o que é um direito meu. Nem todos têm de pensar da mesma forma nem fazer beicinho como você. Podem expressar suas opiniões mesmo que sejam divergentes e com respeito.

  • Zedaspromessas

    Devia chamar MUTRETÃO

    • Jonny thai

      ou CHORA BEBEZÃO

      • Sandro

        ou Lullão

  • ricciotti

    Poderia chamar-se Corrupçãozão.

    • QUE TALA BUTECAO ? essa turma DE CACHACEIRO E COR-RUPTOS.

  • Eduardo

    Chamar de Feielzão, eu até entendo. Mas Itaquerão é pejorativo e grande parte da Imprensa, mesmo sabendo disso, continua usando esse apelido.

    • janca

      Não sei se é pejorativo, acho que não, embora eu tratasse o estádio por Fielzão. Até aí Morumbi e Maracanã são apelidos pejorativos? Acho que não também. Abs.

      • DONIZETE

        Morumbi e Maracanã, não são pejorativos, pois trata-se de nomes dos bairros onde os estádios estão localizados, se os chamarmos de “maracananzão ou morumbizão”, seria pejorativo, sim, na minha opinião.
        Janca, parabéns pelas suas colunas, você não fica fazendo rodeios e escreve de forma muito direta.
        Abs

        • janca

          Mas então Itaquera, como muitos corintianos se referem ao estádio. Ou Fielzão, que acho bacana. Abs. e valeu pelos elogios, Janca

  • Carlos

    Pode ser Gaviões Arena uma vez que a torcida é maior que o time !!!

  • Henriqe

    Itaquerão não foi nome dado pelos torcedores, foi dado pela imprensa. Seu argumento cai por terra.

    • janca

      Isso é você que está dizendo. Não sei se o ovo nasceu antes da galinha. O que vejo é uma série de corintianos se referindo ao estádio como Itaquerão, não como Arena Corinthians, que é muito formal. Apesar do pedido da diretoria do clube… Abs.

      • rubens

        Concordo com o Henrique, a imprensa deu o nome Itaquerão, torcida não escreve colunas nem matérias de jornais!

        • janca

          E a torcida chama de Arena Corinthians? O que eu mais escuto é Itaquera. Não Arena Corinthians. Seus amigos chamam o estádio assim?

          • César

            Sim, a torcida da qual faço parte já abraçou a causa desde o início e se refere à construção apenas como “Estádio do Corinthians”. Acho que você está é desinformado (de proósito, quem sabe!) e está dando xilique, querendo vender que a torcida chama de “Itaquerão”. Não chama e não chamará, para o seu desespero…pelo que parece.

          • janca

            É Arena Corinthians. Se você chamar de estádio, segundo a diretoria, dá a impressão de que lá só haverá futebol. A ideia depois da Copa não é essa. Você abraçou a causa errada. Não é estádio, é arena.

  • Renato

    Fui surpreendido pela sua visão crítica e imparcial, parabéns!
    tem muito tempo que a mídia esportiva brasileira não sabe o seu papel, ou o significado de profissionalismo… mas, tudo pela audiência não é mesmo ?

    • janca

      Oi Renato, valeu pelos elogios. Sobre o “tudo pela audiência” acho que existe mesmo e não acredito ser errado a mídia, que também é negócio, querer mais audiência e, no caso das emissoras de TV, “Ibope”. A forma de chegar a ela é que pode ser questionável. Abração, Janca

  • timão

    Por isso que você não é da direção do LANCE. A sua postura é de quem tem QI de torcedor fanático de uniformizada, mas aposto que chama de ALIAZ ARENA o estádio alemão. Quer dizer se apelidarem o lance de jornalzinho, você passará a chamá-lo de jornalzinho? A imprensa, especialmente escrita e rádio deveriam ajudar mais os clubes, afinal lucram com eles e nada pagam por transmissões, coberturas ou entrevistas

    • janca

      Tampouco tenho a pretensão ou o desejo de ser da direção do L!, Timão. Ao contrário do que você diz não sou torcedor fanático de uniformizada e nunca fui e não chama o estádio alemão de ALIAZ ARENA, como você, pois ALIAZ ARENA não existe. Imagino que você estivesse querendo se referir ao ALLIANZ ARENA, não? Se apelidarem o L! de jornalzinho não iria chamá-lo assim pois é pejorativo. Itaquerão e Fielzão, que eu saiba, não são. E só faltava o Corinthians ou qualquer outro clube cobrar por cobertura de seus jogos, notícia de treino ou entrevista com jogadores. Teria menos notícia na mídia e sairia perdendo com a menor exposição. Abs.

      • joaquim neto

        caro janca, quando a pessoa sente que seus argumentos estão ameaçados a primeira reação é cometer a falâcia de “envenenar o poço”, que nada mais é do que desqualificar o seu opônente, foi o que vc fez com o Timão no caso Aliaz ou Allians Arena, por isso acho que nem vc mesmo tem certeza de sua opinião e quanto ao nome do estádio, imagine se vc abrir uma empresa e entrar em negociação com o lance para chama -lá de gráfica lance em troca de recursos que viabilizaram o seu negócio, mas ai vem a imprensa e começa a chama-lá de gráfica janca em todas as oportunidades com o argumento de se tratar de opinião pública, tenho certeza que isso irá atrapalhar seu empreendimento!!!!

        • janca

          Leia o texto de quem assinou como Timão e veja o que ele escreveu. A gente debate com respeito. Com falta de respeito fica difícil.

  • Vantuir Rocha

    Deveria chamar “tuibão” pois sou o cara mais conhecido da cohab 2.Nada mais justo

  • Gledson

    Isentão pra mim é perfeito. A diretoria das Frangas contrataram uma baita de uma agência pra vice de marketing e continuam caindo nesse sistema primário de nomenclatura e nesse desespero de mandar na mídia? Algumas coisas me chamam bastante atenção da diretoria das Frangas, uma delas é que o estádio é em Itaquera, o ex-presidente bate no peito dizendo que é sem instrução e de origem humilde como o ex-presidente do Brasil e que o presidente do São Paulo é preconceituoso (que eu sinceramente concordo), mas quando o assunto é manter por enquanto o nome que pegou e valoriza o bairro, tem vergonha do nome e xinga e grita com todos quando a própria torcida nomeia o estádio que elas vão usufruir, vai entender? Outra coisa, trouxa será a empresa que pagará 400 milhões para nomear um estádio que nunca será chamado pelo nome, pois sabemos que quem manda no nome é a Globo e a Globo só aceitará o nome caso o patrocinador seja o mesmo dela. Veremos então um monte de RBR de estádios, o patrocinador ficará bem contente em jogar dinheiro fora. Deixe o povo nomear o estádio, se insistem em dizer que é o time do povo, nessas horas que tem de provar que são mesmo.

    • janca

      Tocou num outro ponto importante. Será que as emissoras de TV, especialmente a Globo, tratarão o estádio do Corinthians pelo nome do patrocinador, caso seja diferente ou concorrente com um dos anunciantes daas transmissões de futebol da emissora? Não sei, sinceramente não sei. Mas no caso do Corinthians não chamar o estádio pelo nome do bairro não vejo preconceito. Vejo que a diretoria quer faturar com “naming rights”, o que é legítimo. Já sobre o presidente do São Paulo acho que foi ridículo ao tentar diminuir o presidente do Corinthians (agora ex) dizendo que não tem o Mobral ou qualquer coisa do gênero. Mas tem feito péssima gestão, embora acertado na contratação do Renê Simões para as categorias de base. Abs.

  • Irisnaldo Nunes

    Bom dia.

    Cara, fique muito admirado com sua postura, parabéns pela forma independente de pensar e argumentar quando necessário, mesmo com o grupo pelo qual trabalha tendo um outra opinião.

    Concordo plenamente que é um problema dos clubes a gestão do seu estádio, se for para agir dessa maneira caberia à imprensa algum tipo de incentivo também já que está ajudando de certa forma…

    Nunca iremos chamar o Morumbi, Maracanã, Mineirão, Arena da Baixada ou outros estádios por nome de empresa alguma, salvo alguns estádios que poderão nascer com esses nomes, o que é bem difícil.

    Agora, se por exemplo a RED BULL apresentasse um projeto de um estádio com o nome já definido tipo “ARENA RED BULL” e logo em seguida a obra fosse iniciada o nome ia pegar com os torcedores sem forçar a barra que é o que está acontecendo.

    Até.

    • janca

      Penso como você com o ótimo exemplo da Red Bull. Se o estádio do Corinthians já nascesse com o nome de BMG ou o que fosse seria uma coisa. Não nasceu e a cada dia que passa a tendência é os apelidos pegarem. O L! até chamava a Arena da Baixada de Kyocera, mas sou da opinião de que o nome não pegou. Abs. e valeu pelos elogios, Janca

      • Alexandre

        Esse comentário do Irisnaldo é mesmo perfeito.
        Se o estádio do Corinthians já tivesse nascido com um patrocinador, e sua construção tivesse sido viabilizada por ele, seria absolutamente natural chamá-lo pelo nome que o tal patrocinador quisesse.
        Mas o que os torcedores fanáticos fazem questão de não enxergar, é que o estádio do Corinthians nasceu como uma opção paulista para a Copa, somente viabilizada graças a isenção fiscal do município de São Paulo e empréstimo subsidiado do BNDES semelhante ao oferecido aos estádios públicos da Copa, até agora não há patrocinador privado algum.
        Então, fica um tanto artificial a imprensa ficar meses (ou anos) chamando um estádio por um “nome provisório” até que o nome oficial patrocinado seja finalmente revelado.

        • janca

          Também penso assim, Alexandre, mas pelo visto muita gente não. Abs.

  • claudio

    TALVEZ A INTENÇÃO DO JANCA, É QUE O A ARENA FIELZÃO CHAMA-SE “IURD” OU MACEDÃO…
    POIS SEU PERFIU É TÃO SENSUAL QUE ME FAZ LEMBRAR DELE…DO MACEDINHO.

    • DONIZETE

      Cara, como você pode escrever tantas besteiras em tão curto espaço?

  • GAMBA

    Eu prefiro “GAMBAZÃO”….

  • Ney

    KKKKKKKKKK….. nada como um dia após o outro…. há mais ou menos 1 ano o presidente da gambazada para, mais uma vez, enrolar o pobres “curintianus”, disse que o JUVENAL estava sendo preconceituoso com Itaquera…. Agora, no momento em que a gambazada poderia demonstrar que também não é preconceituosa, detona o nome ITAQUERÃO em troca de $$$$$$$$$$$……. VAI SER ITAQUERÃO SEMPRE…. e a empresa que conferir o nome a essa pouco vergonha, que vem trazendo enormes prejuízos para o bolso do CONTRIBUINTE, farei questão de boicotar… se for um banco em que eu seja cliente, FAREI QUESTÃO DE IR PARA OUTRO CONCORRENTE

    • Sandro

      Leitura perfeita do caso… Ney para colunista do Lance!!!!!

  • César

    Mas a torcida Corinthiana não se refere ao estadio como itaquerão, fielzão….., esse nome é exaustivamente repetido pela imprensa.

    • janca

      Refere-se como, então? Arena Corinthians? Abs.

      • Edinho

        Nada mais coerente o Lance tratar como Arena Corinthians uma vez que vem chamando o Paulistão de Paulistão Chevrolet. Ou será que a Chevrolet tb é patriocinadora do Lance?

        • janca

          Paulistão Chevrolet? O que é isso? Confesso que desconheço e jamais chamei o Paulistão de Paulistão Chevrolet. Parece piada. Abs.

          • Alex

            Janca, por favor, leia mais matérias do jornal que você trabalha. Em todas as matérias referentes ao Campeonato Paulista o Lance! está utilizando o nome Campeonato Paulista Chevrolet! Assim como Copa Santander Libertadores! Aff, não acompanha o proprio jornal que trabalha.

          • janca

            Calma, Alex, sou colunista e blogueiro, não trabalho no dia a dia do jornal, leio diariamente o L! mas confesso que passou batido o Paulista Chevrolet. E também nunca me referi à Libertadores como Santander Libertadores. Acho que há limites. Abs.

  • Andre R.

    Isso de naming rights só pegaria (pois não vai pegar) se quem o comprasse, desde o inicio abordaria o assunto da seguinte forma: O Bradesco vai construir a Arena Bradesco junto com o Corinthians que ficará com o estádio após 30 anos.
    Pronto, a partir daí o nome do estádio não importa onde fosse construído, seria conhecido como Arena Bradesco.
    Mas como esse monte de dinheiro público colocado no estádio, o nome poderia ser “Arena Pública” funcionamento das 11:00 às 15:00 com 2 horas de almoço.

    • janca

      Você tem razão em relação à sua primeira colocação e sobre o exemplo dado usando o Bradesco. Mas como isso não aconteceu agora fica mais difícil o nome que derem pegar pois enquanto isso o pessoal tem se referido ao estádio como Itaquerão ou Fielzão ou simplesmente Itaquera. Vejo pouquíssima gente _na verdade só na imprensa, para ser sincero_ tratando-o de Arena Corinthians. Abs.

  • Reinaldo

    O problema dos apelidos Itaquerão e Fielzão são pejorativos. Seria um apelido comum se a imprensa chamasse o estádio de “Estádio de Itaquera”, assim como são chamados o Estádio do Morumbi, Estádio do Canindé, Estádio do Parque Antárticta, Estádio do Parque São Jorge etc. Percebe-se na imprensa que o aumentativo é uma forma de desqualificar o estádio.
    Outra coisa. Janca, gostaria de saber algo que até agora ninguém da imprensa – talvez por maldade – não tem discutido. Esse valor de isenção dos tributos (600 milhões) são decorrentes do que seriam cobrados durante a obra do estádio? Se for isso, meu Deus, é impossível se fazer um estádio no Brasil, uma vez que se paga mais tributo do que o valor do estádio em si.
    Grande abç

  • Anderson

    Eu conheço ele como TRAVECÃO, pois ouvi dizer que o RONALDO FOFOMENO iria ajudar.

  • Luiz Fernando

    Janca,
    Boa Tarde!
    Primeiramente, gostaria de colocar alguns pontos para ficar claro:
    1. Não sou corintiano, muito pelo contrário, torço para o São Paulo;
    2. Trabalho com captação de patrocínio em eventos culturais há mais de 10 anos.
    Por isso, pela experiencia e isenção, quero expor minha opinião.
    O naiming rights só irá “pegar” se a imprensa (que forma opinião) começar a utiliza-lo, porém alguns órgãos de imprensa só irão utiliza-lo se receber $$ para isso, veja o que acontece na F1, a RBR só passou a ser chamada Red Bull Racing a partir do momento que houve um acordo com esta emissora de TV.
    Se você se recordar, após a final da copa joão havelange, o angulo de TV para transmissão dos jogos foi alterado, tudo por que o Vasco decidiu entrar com SBT como patrocínio.
    Não digo que está certo ou errado, mas é um fato. Acho isso injusto com o Corinthians ou qualquer outra instituição que utilize o mesmo expediente para aumentar sua receita.
    Para o patrocinador o “naiming rights” só terá valor se de fato for exposto.
    Pelo lado da imprensa entendo que publicidade “gratuita” não existe.
    Por isso este tema deve ser abordado muito mais profundamente do que vem sendo tratado.
    Abraços e parabéns pelo Blog.

    • janca

      Oi Luiz Fernando, boa tarde pra você também. Entendo que os “naming rights” só pegam se a imprensa e a torcida começaram a chamar o estádio pelo nome do patrocinador que adquirir o direito de usá-lo no estádio. Mas enquanto esse nome não existe não acho legal chamá-lo de Arena Corinthians, evitando apelidos (que não pejorativos) apenas para ajudar o clube, fosse ele qual fosse. Confesso que desconhecia seu primeiro exemplo, mas em relação ao segundo o caso é diferente. Uma disputa entre duas emissoras e uma provocação da então diretoria vascaína à que a Globo reagiu daquela maneira e não sei se foi a maneira errada, não. Abs. e valeu pelos elogios, Janca

      • rubens

        “Mas enquanto esse nome não existe não acho legal chamá-lo de Arena Corinthians, evitando apelidos (que não pejorativos) apenas para ajudar o clube” e assim caminha a inveja e a mediocridade.

        • janca

          Caminham, não caminha. Inveja e mediocridade são duas coisas, não uma só, embora possam estar associadas.

  • João

    Vocês realmente acham que porque o nome não vai “pegar” as empresas estão desistindo de pagar pelo naming??????

    Qual a emrpesa SÉRIA quer atrelar seu nome a um estádio feito com dinheiro público que deveria ir para escolas, hospitais e melhorias de uma região extremamente pobre?

    A uma construção que conta com a conivência da fiscalização pública, cuja chance de haver desvios monstruosos é praticamente de 100%?

    Ninguém quer se aliar ao time da vergonha!!!!!!!!!!!

    • janca

      Isso não é verdade, João, com o retorno que o Corinthians dá ou pode dar muitas empresas gostariam de se associar ao clube. Ainda mais com a força cada vez maior que tem conquistado nos últimos anos. Abs.

    • DONIZETE

      João, acho que os anti-corinthianos de um mode geral, se esquecem que o Morumbi foi construído com dinheiro público, além do terreno concedido pelo então Governador Laudo Natel ao São Paulo, em uma área nobre da cidade, onde o metro quadrado é muito valorizado e que outros estádios pelo Brasil afora, estão sendo construídos da mesma forma, em Estados que não têm representatividade nenhuma no futebol brasileiro e nem times de expressão que, sequer disputam o campeonato brasileiro
      Pergunto à você e aos que são contra o uso de dinheiro público (o que, na realidade, não é verdade, mas não quero entrar no mérito da questão). Você acha que, se esse dinheiro que você diz que está sendo desviado para construção do estádio do Corinthians, iria para construção de escolas, creches, hospitais, saneamento básico, etc..? Claro que não, meu amigo, esse dinheiro, seria desviado de alguma forma para os bolsos dos corruptos ou para outras obras, em bairros nobres, que não trariam nenhum benefício à Zona Leste, tão carente de investimentos.
      Esse estádio, irá levar progresso, emprego, valorização ao bairro, não tenha dúvida disso. Se você fizer uma pequisa no bairro, poderá certificar-se disso. Torcedores de outros times que moram na Zona Leste, querem muito esse estádio e todos os benefícios que advirão dele. Tenha certeza.

      • janca

        Donizete, um erro não justifica o outro. O governo acaba de cortar (a União) mais de 5 bilhões de reais em verbas da saúde. Se não usasse um centavo de dinheiro para estádios _e não me refiro especificamente ao do Corinthians_, acho que teria cortado do mesmo jeito. Mas não é por isso que vou defender investimentos e gastos em estádios particulares. Sou contra. Como sempre fui contra que investisse em reforma do Morumbi. Sobre Laudo Natel reportagens mostraram que houve recursos e benefícios públicos, sim, na construção do Morumbi. Não acho isso bacana como não acho bacana a construção do estádio do Corinthians do jeito que está sendo feita. E sou contra o governo do Rio bancar a milésima reforma do Maracanã e depois terceirizar a administração do estádio. Abs.

        • Alexandre

          Janca,
          É assustador que exista tanta gente no Brasil com este tipo de mentalidade medíocre, cínica e oportunista.
          Quer dizer que o fato de ter havido recursos públicos empregados no Morumbi, contruído há uns 40 anos, justifica haver ainda mais recursos públicos no Itaquerão? E isto justificará a construção de outro estádio particular com ainda mais recursos públicos daqui a 40 anos? E outro daqui a 80 anos? E assim “ad eternum” só porque todo mundo quer a sua parte no butim?

          • janca

            É, parece que um erro justifica o outro, quando não deveria ser assim, né? Abs.

  • Antonio

    Na boa Janca isso pra mim está soando como “xilique” da sua parte, você mesmo prefere ser chamado de Janca ou pelo seu nome. E se cai no “gosto popular” como você enfatiza um apeliddo como orelhão? E todos passassem a te chamar de orelhão, acho que você não ia curtir ou ficar indiferente.
    Sobre a ajuda da União e do governo de SP acho justo nesses obras de hoje em dia e deixo uma pergunta para reflexão.
    Quanto de imposto esses órgãos já não arrecadaram direta e indiretamente através do nome Corinthians?

    • janca

      Tanto faz ser chamado de João, João Carlos, Janca. A questão não é essa. Apelido como “orelhão” é pejorativo, Fielzão ou Itaquerão não. Sobre sua pergunta acho que não tem nada a ver, pois imposto é obrigação. E clube de futebol já tem muita ajuda dos governos, ajuda em excesso. E são conhecidos como maus pagadores. Abs.

  • Felipe Lima

    Na minha opinião, usando o exemplo do banco, o nome “Fielzão” poderia até ajudar. Explico: o banco poderia criar um plano de fidelidade ou coisa parecida e nomeá-lo de ‘Cliente-Fiel’, ou algo próximo.
    Sabendo usar, qualquer que seja o nome ou apelido do (futuro) estádio paulistano pode gerar algum lucro.
    Até porque, como disse o Gledson, o nome de patrocinadores será anunciado nas transmissões da Globo a partir do dia 30 deste mês (hehehe!)

    • janca

      Oi Felipe. Ótima sugestão a sua, confesso que não tinha pensado nisso. De fato o apelido Fielzão pode ajudar, depende do ângulo que você trata a questão e da forma como for explorá-lo (o apelido, digo). Abs.

  • Theo

    Coloca Privadão e tá bom demais.
    Privadão Publico, ou LUlão ou Fome zero.

  • Aleksander

    Poderia ser Gambazão Stadium, pra ficar com grife pra Copa.

  • marcelo de almeida

    Comparar “apelidos” do futuro estádio do Corinthians, com apelidos do Maracanã, Morumbi, etc, é no mínimo uma falta de critério, para não dizer outras coisas; afinal, Maracanã, MOrumbi, são nome (apelidos) já arraigados na sociedade brasileira, e existem já há muitos anos, e inclusive são anteriores ao nascimento de grande parte das torcidas, isto é, quando o individuo começou a se interessar por futebol, tais estádios já eram conhecidos pelos apelidos, tanto que alguns torcedores sequer sabem os nomes verdadeiros destes estádios; agora com relação ao estádio do Corinthians, isso não acontece, pois o estádio sequer está concluído; e outra coisa, o que está acontecendo é que os torcedores de outras equipes, visando desmerecer e atrapalhar a negociação do Corinthinas, ficam botando alcunhas no estádio, e se é para ser conhecido por apelidos, que seja conhecido por apelido idealizado pela própria torcida corinthiana. É interessante, a imprensa esportiva, sempre alardea que os clubes devem profissionalizar-se, todavia nesta questão, parece que a imprensa é contra a profissionalização.

    • janca

      Mas Maracanã não deveria ser, então, Mario Filho? O Morumbi, Cícero Pompeu de Toledo? Tudo bem, você vai dizer que era outra época, que um ou outro não rende dinheiro ao clube, que não se trata de nome de empresa etc. etc. etc., eu respondo que a questão não é essa. Se os apelidos já estão arraigados na sociedade, apelidar também. Inclusive o estádio do Corinthians que está demorando para receber um nome. Se tivesse recebido desde o início, não viveria de apelidos, como Fielzão, Itaquera ou Itaquerão. Acho que até o mais usado é Itaquera. O erro talvez tenha sido de estratégia da direção corintiana que deveria ter vendido o nome antes de ter iniciado a construção. Quanto mais demorar para fazê-lo mais complicado tende a ficar.

      • marcelo de almeida

        Vou te responder apenas o seguinte…na época em que tais estádios foram construídos, não existia o marketing que existe hoje, onde qualquer coisa, pode ser transformada em dinheiro, pois se assim fosse naquela época, os estádios de futebol não teriam nomes de políticos e sim nomes de patrocinadores. Além disso, tais estádios não são conhecidos pelos seus verdadeiros nomes, como vc diz, por questão cultural, porém a cultura evolui com o passar do tempo, ou ainda, por um acaso vemos jogadores de futebol com toucas ou redes no cabelo; quanto ao fato de se ter um parceiro com antecedência, realmente, concordo que pode ter sido um erro de estratégia, porém, isso não pode desmerecer e prejudicar um processo,

        • janca

          Mas como os tempos são outros o governo do Estado do Rio ou quem ficar com a concessão do estádio do Maraca pode querer associá-lo a um patrocinador e vender o nome do mesmo. O São Paulo também pode querer fazer o mesmo com o Morumbi. Então vamos parar de chamar o estádio do São Paulo de Morumbi para ajudar o clube? De jeito nenhum. Mesmo o Palmeiras terá problemas com “naming rights”, pois seu estádio já é conhecido e ficou popularizado entre torcida e imprensa como Arena Palestra.

          • marcelo de almeida

            Caso o novo administrador do Maracanã, queira utilizar outro nome invés de Maracanã (apelido) no estádio, estará simplesmente matando uma marca, um local que é conhecido e que faz parte da história brasileira….acho que isso não acontecerá; o Morumbi segue no mesmo caminho; com relação à Arena Palestra,,,,eu acho que o estádio do Palmeiras, sempre foi o Parque Antartica…e não Arena Palestra como a imprensa divulga….ou aí, nesse caso, não valem “os apelidos arranjados pela sociedade”??????

          • janca

            Parque Antarctica era o anterior, agora virou Arena Palestra pois é um novo estádio, mas dificilmente o Palmeiras conseguirá fortunas negociando o nome, pois começou a reconstrução com Arena Palestra, pegou como Itaquera para o Corinthians, o que não é problema meu nem seu. E se o São Paulo quiser negociar o Morumbi ok, mas vamos chamá-lo de Arena BMG, Arena Santander, o que for? Duvido. Morumbi ficou Morumbi e pronto. A não ser que o São Paulo refaça o estádio ou que um bando ou multinacional refaça o mesmo para ele, tratando-se de um outro estádio.

  • marcelo de almeida

    Outra coisa…está sendo muito batido neste blog o exemplo da Kyocera Arena – Arena da Baixada – Estádio do Atlético Paranaense….o único problema que é esquecido, é que o Estádio do Atlético já existia, naquele mesmo local, e já era conhecido há VÁRIAS DÉCADAS, pela alcunha Baixada…..o que também é completamente diferente do estádio do Corinthians…

    • janca

      Só que o estádio do Corinthians começou a ser construído e tem sido comentado há tempos antes de ter sido efetuada a venda do nome. Então os apelidos, que não são pejorativos, pegaram. Muitos se referem a ele como Itaquera. Não é pejorativo. Abs.

      • marcelo de almeida

        Não falei em momento algum que é pejorativo…..em nenhum dos posts….não acho pejorativo, pois é uma alusão à região, todavia, agindo assim a imprensa contribui para dificultar uma futura negociação….

        • janca

          Sim, Marcelo, mas a imprensa tem que refletir o que diz a sociedade. O torcedor costuma dizer Arena Corinthians? Acho que não… Abs.

          • marcelo de almeida

            Todas as torcidas do Brasil, culturalmente falando, referem-se ao estádio do Palmeiras, como Arena Palestra????? Acho que não, culturalmente é Parque Antartica (que é um nome legal, do qual não sei a origem); O torcedor do Corinthians e demais torcedores de outros times, chamam o Morumbi de Panetone; isso é cultural também, porém a imprensa não chama (de forma acertada) o estádio do SPFC assim; mas de qualquer forma, valeu pelo debate, vc busca responder a todos, inclusive, com quem não concorda integralmente com seu ponto de vista. Um abraço

          • janca

            Panetone é pejorativo, Marcelo. E o estádio do Palmeiras é chamado de Arena Palestra e foi durante muitos anos de Parque Antarctica _o antigo, antes da reforma que está sendo feita e transforma o estádio de fato em uma arena. Abs.

          • marcelo de almeida

            Com relação ao “Panetone”, também entendo PEJORATIVO, porém é o nome pelo qual todas as torcidas adversárias o conhecem; quanto ao argumento de que o Parque Antartica é o nome do antigo estádio do Palmeiras, o que justificaria o fato da imprensa de estar chamando o estádio alvi-verde de “Arena Palmeiras”, me diz então, porque essa mesma imprensa não fez o mesmo com o estádio do Atlético Paranaense, o qual foi integralmente demolido e reconstruído???? Peraí, eu já sei a resposta, é pq a torcida o conhece por “Arena da Baixada”……é isso!!!! Porém, qual torcedor do Palmeiras, conhece seu estádio por “Arena Palestra”….?????poucos….a maioria ainda o conhece por Parque Antartica; tudo isso que escrevi, é só para dizer que a imprensa tem seus pontos de vista, e tem o costume de tentar impor o seu sobre o dos outros, porém com o advento da internet, isso não é mais possível…

          • janca

            Mas o Atlético-PR, quando a imprensa (o L! era uma exceção) não chamava o estádio de Kyocera Arena, ficava descontente. Mas fazer o quê? O estádio popularmente era conhecido como Arena da Baixada e o é até hoje… O que não quer dizer que seja mais fácil vender o nome para alguma empresa. Esse meu ponto de vista.

          • marcelo de almeida

            “Mas o Atlético-PR, quando a imprensa (o L! era uma exceção) não chamava o estádio de Kyocera Arena, ficava descontente. Mas fazer o quê? O estádio popularmente era conhecido como Arena da Baixada e o é até hoje… O que não quer dizer que seja mais fácil vender o nome para alguma empresa. Esse meu ponto de vista”…Aí está seu equivoco!!!!!!!!!!! “O estádio popularmente conhecido como Arena da BAixada e o é até hoje….” Oras bolas….! O estádio do Palmeiras, também ainda é conhecido popularmente por “Parque Antartica”, porém a imprensa asssim não o trata, nomeando-o como “Arena Palestra”, fazendo exatamente o contrário do que faz com relação ao Corinthians….

          • janca

            Mas tanto faz Palestra Itália ou Arena Palestra, quero ver o clube ter facilidade pra vender o nome para um banco, multinacional, o que for. Pegou um ou outro, não sei se pega mais o nome de um possível patrocinador, como não pegou no casd do Atlético-PR, que continuou sendo Arena da Baixada. Abs.

          • marcelo de almeida

            aí, eu concordo com vc…realmente não vai ser muito fácil….vamos esperar para ver…abs…

          • janca

            Abraços, Marcelo, boa noite pra você.

  • Sidnei

    Será que o corinthians não quer que “seu” estádio se chame ITAQUERÃO pq não quer associar sua imagem à periferia já que já é pejorativamente marginalizado?? Não seria essa atitude preconcietuosa, ainda mais eles que tanto “combatem” o preconceito?? Acho que com tudo isso perdem uma boa oportunidade de assumir sua popularidade e deixar essa história de “naming rigth” pra lá, afinal, se são o clube da “massa” a empresa que quiser patrocinar levaria isso em consideração…no final das contas o Corinthians dá a entender que quer se “elitizar” jogando fora suas raízes….Lamentável.

    • janca

      Não se trata de preconceito por parte do Corinthians, é que para vender os “naming rights” facilita se não tiver apelido o novo estádio. Abs.

      • Sidnei

        Bom de qualquer forma o estádio deve ter um nome e o nome atual é ITAQUERÃO. E é ITAQUERÃO que temn que ser e fim de conversa, quando o estádio tiver um patrocinador, então que legitimamemnte reivindiquem que ele seja chamado pelo nome do patrocinador, por ora, é ITAQUERÃO. abraço, Janca, parabéns pelo blog.

        • janca

          Valeu, Sidnei, abs. pra você também, Janca

  • Luis Figueredo

    Fala Janca!

    Concordo com sua análise. A imprensa deve chamar o estádio de algum nome. E o nome atual é Itaquerão. A diretoria do Corinthians devia parar de pedir favores com relação ao estádio. Metade do dinheiro já é público. Basta não? Daqui a pouco eles pedem para a imprensa fazer propaganda de graça para o estádio. A responsabilidade de vender o nome é da diretoria do time. É fazer propaganda para o nome pegar. Com a torcida, com a imprensa.

    Por sinal, primeiramente, a diretoria dizia que consegueria 400 milhões. Agora já estão em 200. Muito mais realista, não? Nem na Europa, onde existe costume de venda de clubes e de naming rights, os times conseguem 400 milhões. Faltou competência para a diretoria em acertar a venda rápida e por valores realistas. Assim, a imprensa já estaria chamando o estádio por este nome.
    Por outro lado, foi gritando para a imprensa que conseguiriam os 400 milhões que a diretoria conseguiu tanto dinheiro público para a obra.

    abs,

    Luis.

    • janca

      Na verdade oficialmente a diretoria ainda fala em 350 milhões de reais. Mas segundo alguns economistas a tendência é que o valor seja menor. Vamos aguardar, Luis. Grande abraço, Janca

    • janca

      E também acho algo em torno de 200 e tantos milhões de reais mais realista. Mas aguardemos… Abs.

  • Rodrigo

    Eu acho que tudo que se trata de Corinthians tem uma proporção enorme tanto por nós torcedores quanto pelos socios “SECADORES”.
    Então acho justo o Futuro estadio do corinthians ser chamado por “Arena Corinthians” pois so ficou conhecida por outros nomes devido a Midia.

  • Janca,

    Sou torcedor do Grêmio Porto Alegrense.
    Como todo o Brasil deve saber, o Grêmio está construindo em parceria com a empreiteira OAS, a mais moderna ARENA multiuso do Brasil e quiçá da América Latina.
    Desde o inicio a direção do Grêmio tratou a nova casa como ARENA GRÊMIO. Todos os veículos de comunicação passaram a chamá-la de ARENA GRÊMIO. Todos os torcedores a chamam de ARENA GRÊMIO. Dizem por aqui no Sul, que ao negociar o novo contrato de televisionamento do brasileirão com a Globo, foi exigência do presidente Paulo Odone, que só assinaria com a Globo, se a mesma em transmissões de jogos na ARENA GRÊMIO, falasse o nome que a mesma viesse a receber.
    Parece que a Globo aceitou.

    Veja que o Grêmio tomou o cuidado de chamar, por enquanto ARENA GRÊMIO, para não se criar um apelido popular para o estádio, poderia se chamar por exemplo, Arena Humaitá, uma vez que está sendo construida no bairro Humaitá, mas não chegou a ser cogitado, posi nasceu já como ARENA GRÊMIO, e quando vier o naming rigth, ai mudará de nome.
    Pelo menos nesse caso do Grêmio, seguiu-se uma lógica previsivel. ARENA GRÊMIO.
    Abs

    • janca

      Interessante o que você coloca. E legítimo. Mas também é possível que, se vender o nome do estádio, como Arena Grêmio já pegou, futura negociação fique complicada ou desvalorizada para o lado do Grêmio. Enfim, se o Corinthians quisesse o mesmo deveria ter tratado disso lá atrás. Se tivesse pegado na imprensa e na torcida Arena Humaitá, no caso do Grêmio, aí já era… Abs.

  • Thiago

    O pior é que os babacas da imprensa aqui chamam o estádio do Bayer de Alianz Arena sem receber nem um centavo da Alianz. Só porque é o Corinthians eles ficam nessa chatice.

    • janca

      É que o Allianz Arena é conhecido assim, ao contrário do novo estádio do Corinthians que ainda não tem nome e ficou conhecido por apelidos que não são pejorativos. Abs.

  • Fabio

    A partir do momento que o estádio for batizado, somente os antis continuarão com outros nomes para provocar. Tenha a certeza disso. Abraço!

    • janca

      Mas Fabio eu acho que os próprios corintianos preferirão chamá-lo de Itaquera ou Fielzão a chamá-lo de BMGzão. Você não? Abs.

  • renato sa

    ÓTIMO!!!!
    A sorte é que não pegou apelidos como Carandiruzão…..
    Além da enorme dinheirama que terão de pagar pra colocar o nome no estádio, pode ter certeza que terão de gastar o dobro pra mudar a cultura popular….
    Bem, torço para que…. torço para que nenhuma empresa compre e os responsáveis pela irresponsabilidade chorem pelo dinheiro gasto sem lastro….
    abraços!

  • Fernando Teixeira

    O nome mais adequado e que a imprensa vem escondendo é ” A Gaiola Das Loucas”

    Tudo a ver, Frangas, Galinheirão, Gaiola das loucas, interessante isso ai. Até Lulão, que o “pai” deu para as Frangas.

    • Fernando Teixeira

      (“pai’ dos pobres)

  • Ricardo Araujo

    Janca, sinceramente eu como profissional da área gostaria muito de opinar, e o faço regularmente em meu blog. Mas lendo tudo que foi escrito, confesso sentir um certo desânimo. A grande maioria das pessoas percebem o esporte, futebol em particular, apenas pelo lado das picuinhas e rixas entre clubes, torcidas, e etc. Não existe uma compreensão do que seja esporte “profissionalizado”, nem por parte da torcida, nem por parte de grande parte dos formadores de opinião. As pessoas se perdem em discussões vazias, e não procuram discutir a substância, mas apenas o superficial. Poucos tem noção do tamanho e da importância da indústria esportiva, como geradora de riqueza e de desenvolvimento. A industria do entretenimento (da qual o esporte faz parte), é a principal do planeta, em termos de PIB e de empregos. Um exemplo. Uma montadora de automóveis multinacional irá se instalar brevemente num município próximo à capital de SP. Estão todos eufóricos. Irá receber tanto ou mais incentivos fiscais que o “futuro estádio do Corinthians” (carência de muitos anos para pagto de impostos, financiamento do BNDES, infra estrutura básica fornecida pelo município, etc), irá gerar menos empregos, irá gerar provavelmente menos desenvolvimento regional à médio e longo prazos, mas é um projeto “percebido pela sociedade” como algo excelente (não que seja ruim, mas inferior como projeto “global”), ao contrário do futuro estádio, que é demonizado por todos, mesmo possuindo um potencial de agregar desenvolvimento e de revitalização urbana infinitamente superior. E digo isso de forma confortável, por não ser torcedor do Corinthians (nem paulistano eu sou…), e por ter acompanhado e participado de alguns projetos semelhantes pelo mundo, extremamente bem sucedidos, e cuja modelagem foi bem semelhante ao que está sendo feito agora em Itaquera. Os mesmos incentivos, e o mesmo modelo de financiamento. Mas existe uma grande diferença. Em nenhum desses lugares havia uma grande rivalidade local. Quanto mais rivalidade mais dificuldades. Principalmente porque o assunto descamba para a paixão, a mesma paixão que ao mesmo tempo que alimenta o futebol, tb o faz retroceder de tempos em tempos. Torcedores palmeirenses e são-paulinos preferem que aquela área continue ás traças apenas porque o que será construído terá o DNA do rival (e seria igual por parte dos corinthianos se o DNA fosse outro). Poucos percebem que os maiores projetos revitalizadores de areas urbanas do mundo contemporâneo não são realizados em torno de fábricas, mas em torno de arenas esportivas.
    Enfim, teria muita coisa para escrever sobre vários “argumentos” levantados pelos leitores e por vc, sobre namings, como isso funciona, mas, de novo, me sinto desanimado. Infelizmente, acho que é um assunto que continuará ainda por um bom tempo reservado aos bancos de universidades e MBA`s. Uma pena. Grande abraço.

    • joe LHP

      Bom texto cara, concordo plenamente, acho louvável que os clubes estejam começando a profissionalizar e a imprensa tem um papel importante nisso pois clubes como Corinthians, Palmeiras, São Paulo e outros dependem de patrocinios para suas arenas pois se isso der errado vão mergulhar na crise e é uma pena que alguns jornalistas insistem em jogar contra , acham lindo o Emirates arena, o Alianz arena mas quando é no Brasil torcem o nariz, uma LASTIMA.

      • janca

        Não é questão de torcer o nariz. Como já disseram alguns se o estádio nascesse como Arena BMG seria uma coisa, mas não nasceu assim.

    • janca

      É uma pena mesmo, Ricardo, o problema é que essas discussões infelizmente acabam sendo levadas para o clubismo e as rixas entre as equipes. Aí fica complicado e o foco desaparece. Abração e valeu pelo desabafo, Janca

  • joe LHP

    Vocês jornalistas são esquisitos cobram profissionalismo dos dirigentes dos clubes, reclamam do amadorismo, dos clubes atolados em dividas, que não conseguem manter os grandes jogadores ai quando os clubes tentam algo profissional para aumentarem a receita ai vcs vão e jogam contra, quem perde com isso é o futebol, os clubes perdem receita e com isso não conseguem manter e nem trazer jogadores de nivel, vcs matam a vaca leiteira assim como o outro jornalista ai que incentiva as pessoas a não irem ao estadio por causa da violencia, quem tem que deixar de ir são oos vandalos que são minoria e nem estão preocupado com o futebol, vcs deveriam tomar vergonha na cara e cobrir outras coisas como politica e economia e deixar o futebol para quem gosta, o futebol não precisa de gente como vcs.

    • janca

      Não é jogar contra. É respeitar apelidos nada pejorativos que se tornam comuns entre os próprios corintianos.

      • rubens

        Já que vc quer respeitar alguma coisa, até os apelidos não pejorativos vc quer respeitar, porque não respeita a estratégia de captação do clube, que pede para a imprensa não apelidar o estádio? Joe LHP, é isso ai, esses jornalistas que ficam babando ovo da organização dos europeus, mas acham um absurdo um clube querer faturar em cima do nome do estádio. Como vão ficar os apelidos, né Janca???

  • joe LHP

    e outra essa noticia do BMG é fake plantada pelo blog do Perrone ligado a oposição no Corinthians, me admira esquentar essa noticia ai.

    • janca

      O blog do Perrone não é de plantar notícias, ao contrário do que você diz. E a notícia veio do próprio banco. Abs.

  • Lucão

    Invejão arena…chora Janca….chorem pequenos…domina tudo Timão!

  • Anderson

    Muito corajoso de sua parte DIZER O QUE PENSA mesmo tendo a quem lhe emprega e quem lhe paga fazendo e dizendo para fazerem o contrario

    Se fosse assim em todo lugar…

    Itaquerao pegou e nao adianta CHORAR

    Itaquerao, Bilhaozao, Doacao, PAPELAO… nao adianta corintianada

    O NOME NUNCA VAI MUDAR

    Itaquerao Forever, a maior doacao da història do Brasil.

    Imprensa, parem de ter interesse ou proteger esse clube cuja torcida mais protegida e idolatrada do Brasil DEU MAIS UM VEXAME ONTEM COLOCANDO FOGO EM CARRO ALEGÒRICO (nao sou eu que to dizendo, SAO AS IMAGENS).

    No dia que esse clube for realmente grande FORA DO BRASIL, saber o que è um titulo internacional, ter o gostinho de se proclamar o maior da Amèrica e quem sabe do mundo por uma unica vez COM ARGUMENTOS (TITULO) e nao forca da midia, numero de torcida…

    Ai podem chamar o estadio de Lulao, Teixerao, Kassabao, Ronaldao…

    Por enquanto ITAQUERAO è o que è kkkkkkkkkkkkkkkk

    • janca

      O que não quer dizer que eu vá desrespeitar a decisão do L!, como disse eu a acato e respeito, mas de fato penso de maneira diferente. Abs.

      • Ricardo Araujo

        O comentário do amigo Anderson é a síntese do desânimo. Uma tristeza.

        • janca

          O comentário de muita gente é, Ricardo. Põe tristeza nisso… Visão clubístida da maioria, vistão estreita, fica difícil… Abs.

  • Alexandre Galan

    Pau mandado… Obedece e pronto!

  • Humberto

    Porque não apelidamos também os novos estádios que estão sendo construídos ??
    Aí vai uma sugestão pra você Janca.

    Estádio do ”Parmera”…… Chiqueirão !!!

    Mandem as suas !!

    • janca

      Porque aí é pejorativo. E o do Palmeiras tem sido chamado de Arena Palestra, o que também dificulta futura negociação. Porque o nome “Arena Palestra” pegou… E não cabe a nós mudar isso para ajudar o Palmeiras. Abs.

      • Willian

        Discordo de você. A torcida do Corinthians, não chama o estádio de Arena Corinthians nem tão pouco de Itaquerão ou Fielzão, ela se refere ao estádio como Estadio do Corintihians ou Estadio do Timão.
        Esses outros apelidos, foram dados por torcedores de outros times, como no caso de Itaquerão, que é sim feito de forma pejorativa apesar de não sê-lo de fato e Fielzão foi dado pela imprensa.Então se você quer manter um apelido que esteja na boca do povo interessado de fato com a conclusão do estádio e que está diretamente ligado ao clube, chame-o de Estádio do Corinthians ou então estará unicamente defendendo uma causa de quem deseja sim, dar conotação pejorativa ao nome do estadio.
        Tenho certeza que você aceita seu apelido como JANCA por ele ser diferenciado e agir de forma agregatória aos seus objetivos como reporter ou colunista ou blogueiro pois, e você sabe que se fosse Jão ou Jacú, não lhe trariam um bom impacto profissional, ou seja, você vendeu o seu Naming para os veiculos pelos quais trabalhou, se em algum moment alguém lhe pedisse pr deixar de ser o Janca para ser o Jão ou o Jacú, tenho certeza que não aceitaria.

        • janca

          Mas a diretoria quer ver todo mundo se referindo a ele como Arena Corinthians. Agora eu não vejo em Fielzão algo pejorativo. Você, pelo jeito, vê. Ou em Itaquera ou Itaquerão. Abs.

        • janca

          E não é de mim que você discorda. É da diretoria corintiana que chama o local de Arena Corinthians.

      • José

        “Arena Palestra” foi a denonimação neutra cunhada pela direção do Palmeiras, e adotada pela imprensa.
        .
        “Arena Corinthians” foi a denominação neutra cunhada pela direção do Corinthians, e que é ignorada, idiossincraticamente, por grande parte da imprensa (com a notória exceção do Lance).
        .
        A imprensa, acertadamente, não criou alcunhas para o novo estádio do Palmeiras, como “Palestrão”, “Pompéião” ou “Turiassuzão”.
        .
        A imprensa, idiossincraticamente, criou – sim – uma alcunha de conotação preconceituosa e discriminatória para o novo estádio do Corinthians: “Itaquerão” ((isso, quando não parte para manifestação explicita de desagrado e antipatia, e ataca de “Lulão”, “Crackerão”, etc….)
        .
        “Itaquerão” foi cunhado na época em que surgiu, com força, a alternativa corinthiana à estapafúrdia, e já moribunda, candidatura do Morumbi à estádio paulista da Copa-2014. Passou-se a questionar a “lonjura”, “falta de estrutura” e mesmo “pobreza” e “feiúra” de Itaquera, em contraponto às “virtudes” do Morumbi (na maior parte, falácias): localização, “estádio ótimo” (“praticamente pronto” e “sacrossanto”…) hospitais no entorno, etc.
        .
        A atitude preconceituosa e discriminatória com o local de construção da arena corinthiana, bem como com o próprio clube, reafirma um constante histórica, fartamente referida nas obras historiográficas referentes ao “Time do Povo”, inclusive nas mais recentes, lançadas por ocasião da celebração do 1° Centenário.

        • janca

          Mas a própria torcida do Corinthians não chama a arena de Arena Corinthians. Chama de estádio, como apontaram aqui. Ou Itaquera, como a do São Paulo se refere a seu estádio como Morumbi. Não vejo problema nenhum em chamar de Itaquera, um bairro que merece todo respeito. Mas muitos corintianos não veem assim, principalmente os que moram em região nobre. Pena.

          • José

            Muitos palmeirenses ainda se referem áo estádio de seu clube como “Parque Antárctica”. A maioria fala em “nosso novo estádio” ou, simplesmente, “Palestra” (“quando o Palestra ficar pronto…”).
            .
            Preconceito com Itaquera tem quem era, e continua sendo, contra a construção do novo estádio do Corinthians. Aí, aflora o preconceito social e urbano, contra a “ZL”, a “terra de índio”, o “fim de mundo” (vale lembrar aquela ridícula entrevista do Juvenal Juvêncio, desesperado com a iminência da definição do estádio do Corinthians como palco de abertura da Copa: falou em “fim de mundo”, “vocês conseguem imaginar os chefes de estado de todo mundo pegando a Radial Leste?”, “e se a Angela Merckel se sente mal e precisa de um hospital”… a reportaiada, em volta, delirou).
            .
            Preconceito e discriminação anticorinthianos que são uma constante histórica, repito. O Corinthians era, há 100 anos chamado de “time de carroceiros”, “de pobres”, “de pretos”. Hoje, é chamado de “clube de maloqueiro”, “de bandido”. A verdade é que o Corinthians surgiu, nas palavras de seu primeiro presidente, “para ser o Time do Povo”. Sofreu rejeição, por causa disso, em uma época na qual o futebol era esporte das elites. O tempo passa, o mundo muda, mas certas coisas permanecem. A discriminação contra o Corinthians nunca cessou (assim como os preconceitos sociais). Foi, ainda, acrescida da inveja anticorinthiana, gerada pelo crescimento irrsistível do Timão – o clube mais importante do futebol brasileiro.

          • janca

            E tem preconceito também quem se recusa a se referir ao estádio como Itaquera. Como se houvesse algum problema em ser na Zona Leste, quando não há.

        • marcelo de almeida

          Falou tudo José….é isso mesmo!

          • janca

            Tudo. E como não há mais nada a ser falado, parabéns, você encerrou o debate. Abs.

  • Calixto

    Podia ser Arena Lulão, ou Arena Kassabão, pois se não fosse o dedo deles, o estádio ainda seria uma mera maquete.

  • Paulo

    Prefiro Pinicão kkkkkk

  • paulo

    se quiser continuar escrevendo num blog pro lance .. chama de arena corinthians e para de gerar discussão … simples assim!!

  • Alexandre

    O nome poderia ser Arena PT ou Stadiun Lula ou ainda Corrupção Arena, seria mais adequado, ou até mesmo Ricardão ou Teixeirão (em memoria do funesto Ditador da CBF)

  • affonso

    Oi sr. João Carlos costumo chamar de trouxas os anti-corinthianos, que vivem falando mal do Timão nas redes sociais. Se vc me permite no seu blog gostaria de continuar me referindo assim a esse pessoal. Pois veja bem, o governo brasileiro se compromete a fazer a Copa, a cidade de São Paulo, como uma das sedes, vai arrecadar milhões em ISS, o governo do estado vai arrecadar outro tanto em ICMS, e o Sport Club Corinthians Paulista deveria sozinho levantar um estádio digno de receber tal evento, incluindo a abertura. É isso que os trouxas cegos de inveja, ou apenas pelo fato de serem trouxas, acham que é o correto. Agora me diga, são ou não são uns trouxas? Eles acreditam que seria mais justo o governo do estado investir 3 bilhões no metrô no morumbi, e mais não sei quanto no estacionamento do piscinão do SPFC, do que gastar 500 milhões no estádio do Timão. A questão que fica no ar é o real motivo pra essa gente pensar que gastar mais de 3 bilhões é melhor que gastar 500 milhões?

    • José

      affonso,
      .
      É pior ainda. O novo estádio do Corinthians, que será palco de abertura da Copa do Mundo, de custo aproximado de R$ 800 milhões, vai ser financiado através de incentivos fiscais para o desenvolvimento da Zona Leste (previstos em lei anterior à decisão de se viabilizar o novo estádio do Corinthians para solucionar a falta de um estádio em condições de receber a a abertura da Copa) e de empréstimo do BNDES – o qual será pago, em grande parte, com os recursos provenientes da venda dos naming rights.
      .
      R$ 3 bilhões de reais sairão, efetiva e diretamente, dos cofres públicos para a construção do Monotrilho do Morumbi. Trata-se de uma obra projetada em função da reprovada abertura da Copa de 2014 no estádio do SPFC. Até o presente momento, por mais incrível que possa parecer, a obra não foi descartada. Caso seja realmente construído, o Monotrilho do Morumbi constituir-se-á na obra mais cara realizada em função da Copa do Mundo de 2014. Uma obra para resolver o crônico problema de acessibilidade de um estáio que estará às moscas, durante a Copa…

  • NATHAN

    EU ACHO MUITO ERRADO ISSO QUE A DIREÇÃO DO CORINTHIANS TA FAZENDO, QUEM TEM QUE BOTAR O NOME É A TORCIDA, A TORCIDA DO CORINTHIANS JA DEVE AJUDAR O CLUBE DANDO UNS 200 MILHÕES POR ANO COM CAMISAS, BILHETERIA E PROGAMAS DE TORCEDOR. E A DIREÇÃO AINDA QUER A TODO CUSTO QUE ELES ESQUEÇAM O NOME DADO POR ELES SO PRA GANHAR MAIS UNS TROCADOS PERTO DO QUE A TORCIDA JA DA PARA O CLUBE.

    • janca

      Eu concordo com você, Nathan. Abs.

  • Ricardo

    o Banco não quis pegar o naming, então inventou essa desculpa só isso.

    • janca

      Mas se não quis pegar o nome é porque algum motivo teve. Abs.

  • Marketing não se resume a promoção, às conhecidas propagandas. Marketing é estratégia. É atender necessidades. Satisfazer desejos. Entender o cliente. Respeitar culturas. Assim, a rede de “fast food” Mc’Donalds vende cerveja na Alemanha, não disponibiliza carne bovina na Índia.

    Anda em pauta no Brasil a questão dos chamados “naming rights” dos estádios de futebol. Alguns já existentes, outros em fase de construção. O termo “naming rights”, só para recapitular, denomina o direito concedido a uma determinada empresa de associar seu nome àquela, a expressão da moda, “arena” em questão. Por isso, a casa do inglês Arsenal é o “Emirates”, a do alemão Bayern é a “Allianz”.

    No país, o emprego dessa ferramenta de arrecadação é bem recente. Entre os poucos exemplos de seu uso, tínhamos a Arena Petrobrás, no Rio, uma parceria temporária entre o Flamengo e o Botafogo, temos a Kyocera Arena, a popular Arena da Baixada, lar do Atlético Paranaense.

    E aí reside o grande problema: incutir no futebol daqui em geral o hábito de tratar suas praças futebolísticas pelo, digamos, nome científico, não pelo fantasia. Ontem, inclusive, no diário Lance!, foi publicada uma nota em que o Corinthians agradecia ao veículo por não se referir ao seu futuro estádio como “Fielzão” ou “Itaquerão”, os apelidos por ele recebidos bem antes até do apronto de seus alicerces.

    No entanto, se em relação aos órgãos de imprensa tal tarefa talvez ganhe contornos mais simples – basta um pedido formal, penso – é junto ao torcedor que, na gíria, o bicho pega. Pois, da mesma forma que o alemão ama cerveja ou o indiano não come carne bovina, o brasileiro se acostumou ao “Machadão”, ao “Prudentão”, nas telas da TV, ao “Sucupirão”, da novela “O Bem Amado”. Dificuldade de mudança de costume claramente percebida pelas empresas, ainda hesitantes em pagar os altos valores pretendidos pelos clubes.

    Como contra-argumento ao exposto, você pode alegar que aqueles que acompanham o futebol internacional nas bandas de cá acostumaram-se a tratar os palcos da bola de lá pelo nome dos respectivos “sócios”. Sim, é verdade. Concordo. Porém, perceba, são diferentes as formas pelas quais enxergamos o futebol inglês, a própria Inglaterra, com toda sua pompa e circunstância, e o futebol brasileiro, o próprio Brasil, mais alegre e descontraído.

    “Marketing não se resume a promoção, às conhecidas propagandas. Marketing é estratégia. É atender necessidades. Satisfazer desejos. Entender o cliente. Respeitar culturas”. Assim, a Bundesliga, a Liga Alemã, permite que, nas partidas das competições por ela gerenciadas, as agremiações comercializem ingressos para setores onde o público fica de pé, tradição no país. Sinal de que, para um empreendimento se tornar lucrativo, não é a cultura de um lugar que deve se adequar ao marketing. Sim, o inverso.

    Em resumo, passou da hora dos envolvidos com o futebol pentacampeão aprenderem a faturar alto com as características do torcedor/consumidor daqui. Como fazer? Ah, aí precisa pensar, não apenas copiar o que vem de fora. Ou então, amigo, senta e espera. Antigos paradigmas não mudam com meros e-mails. Muito menos de uma hora para outra.

    Abraço !

    • janca

      Muito obrigado pela valiosa contribuição com suas importantes observações. Valeu mesmo. Grande abraço, Janca

  • José

    É evidente que afigura-se um enorme prejuízo para o Corinthians. Uma enorme dor-de-cabeça, para contornar a ausência de recursos substanciosos, fundamentais no financeamento do novo estádio corinthiano.
    .
    Mais do que o problema em si, causa espécie e faz pensar a sua causa: a insistência da imprensa (praticamente, uma campanha) em, insistentemente, chamar o novo estádio corinthiano de “Itaquerão”.
    .
    A alcunha adotada por grande parte da imprensa tem conotação preconceituosa e discriminatória com o local de construção da arena corinthiana, bem com o próprio clube (o que reafirma um constante histórica).
    .
    “Itaquerão” foi cunhado na época em que surgiu, com força, a alternativa corinthiana à estapafúrdia, e já moribunda, candidatura do Morumbi à estádio paulista da Copa-2014. Passou-se a questionar a “lonjura”, “falta de estrutura” e mesmo “pobreza” e “feiúra” de Itaquera, em contraponto às “virtudes” do Morumbi (na maior parte, falácias): localização, “estádio ótimo” (“praticamente pronto” e “sacrossanto”…) hospitais no entorno, etc.
    .
    A imprensa, em sua quase totalidade, optou por ignorar o apelido surgido espontaneamente entre os torcedores corinthianos, eufóricos e orgulhosos pelo novo estádio: “FIELZÃO” – apelido perfeito, praticamente ideal para um estádio corinthiano, fazendo referência ao bem maior do Corinthians, causa principal de sua grandeza, que é a sua torcida, a Fiel.
    .
    A imprensa não quis saber de “Fielzão”, insistiu em “Itaquerão” (isso, quando não partiu para a manifestação explicita de desagrado e antipatia, e atacou de “Lulão”, “Crackerão”, etc… absurdo, pois, de uma imprensa livre, espera-se que seja, também, responsável e ética).
    .
    Mesmo quando o Corinthians fez o apelo, explícito, para que a sua nova arena fosse referida de modo neutro e objetivo (chamando-a de “arena do Corinthians” ou “arena corinthiana”), pouquíssimos jornalistas e órgãos de imprensa atenderam (o Lance é, talvez a mais notória exceção).
    .
    A possibilidade de causar um mal ao Corinthians é, agora, real, a se considerar a matéria do UOL com o diretor do BMG. A classe jornalística deve levar as mãos à consciência, e passar a agir pelo bem do estádio do Corinthians, pelo bem do Corinthians, do futebol ,da sociedade… Ou, ao menos, a agir de modo a não prejudicar, por pura idissincrasia, o estádio do Corinthians, o Corinthians, o futebol, a sociedade.

    • janca

      Eu sempre chamei de Fielzão, acho um apelido bacana, mas o que mais pegou é Itaquera, pelo menos a meu ver. Arena Corinthians é muito formal. Abs.

  • Sidnélson

    Talvez devêssemos chamá-lo de CORRUPÇÃO ARENA, OU LULÃO, OU PETISTÃO.
    Pois é isso que ele representa para o Brasil. Um marco na história da corrupção. O próprio Presidente da República indicando empreiteiras e providenciando empréstimos obscuros. Mas no governo PT tivemos diversos marcos da corrupção, e eles continuam a acontecer a cada dia. Lamentável é ver o povo continuar votando neste partido e vendo nosso dinheiro ser jogado no ralo e cair nas mãos de corruptos safados. Aliás, corrupção e corinthians tem tudo a ver, um clube que vendeu sua alma à máfia russa, depois vendeu-se à CBF, e por ai vai. Ou será que eu tô errado?

  • PAULO

    GOSTEI DA SUA OPNIÃO, VC ACATOU A DECISÃO DA SUA DIRETORIA, MAS EXPÔS SUA OPINIÃO. AH como SÃO PAULINO FANÁTICO QUE SOU, NUNCA VOU CHAMAR O “FIELZÃO” OU “ITAQUERÃO” POR UM NOME DE PATROCINADOR QUE OS GAMBÁS TALVEZ CONSIGAM, AJUDAR O CORINTHIANS?NUNCA!

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo