O quintal de Patrícia



A presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, tem sido muito criticada por parte da torcida do Flamengo pelo início do ano tumultuado do clube, mas tem o apoio dos sócios que acham que ela faz um bom trabalho na parte social da Gávea.

O que o torcedor quer é uma coisa, o que o sócio, a maioria dos quais também é torcedora, embora com a diferença de que seja sócia também, é outra.

O primeiro pensa no time de futebol, o segundo pensa não só time mas também no clube, piscinas, quadras, restaurantes, instalações em geral, qualidade do atendimento, na parte social, enfim. E é ele, o sócio, não o torcedor, quem escolhe o presidente. Ou, no caso do Flamengo, a presidente.

Essa é uma questão que tem levantado muita polêmica, seja a eleição aberta a todos os sócios, seja formada por um colégio eleitoral de conselheiros que, em tese, representam o sócio.

Especialmente em cidades que não têm praia, como São Paulo, e não são divididas apenas em dois grandes clubes, os sócios muitas vezes nem torcem para os clubes aos quais são associados. Caso do São Paulo, que hoje tem muito corintiano, palmeirense e santista que mora no Morumbi e se associou ao clube para usar a parte social. Caso do Corinthians e de moradores da zona leste que podem torcer para outros times mas frequentam o Parque São Jorge como sócios. Caso também do Palmeiras, cujo título também é considerado barato perto do título de clubes de elite, como Harmonia, Paulistano e Pinheiros, que não têm times de futebol profissional.

Uma das saídas para o “problema” ou o que eu chamaria de dicotomia de interesses é a divisão do clube em duas partes. Um presidente cuidaria da sede social e seria eleito apenas para isso, outro cuidaria do futebol, cujo departamento seria separado da sede e administrado como algo à parte. Algo à parte que efetivamente já é, embora, na hora da eleição e da destinação de verbas para um e para outro a história seja diferente e normalmente acabe em confusão.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo