A parcialidade da mídia



Reproduzo abaixo coluna que publiquei ontem no LANCE! sobre a atuação da imprensa e a visão que muitos têm dela, que várias vezes não bate com a minha. Aproveito para dizer que sábado, dia 11, volto a publicar novos posts e até lá sigo respondendo comentários e interagindo com os internautas neste espaço.

“Não é de hoje que encontro leitores, ouvintes e espectadores que questionam a isenção no jornalismo e contestam a imparcialidade da imprensa quando se trata de futebol, política, economia ou outros tópicos mais.

Volta e meia me deparo com internautas reclamando que os jornalistas e os veículos de comunicação não são imparciais ao contrário da imagem que alguns querem passar. Que tomam partido por mais que insistam que não, posicionam-se, dão mais destaque para os times A, B e C do que para as equipes D, E e F. Costumo dizer que muitas vezes eles têm razão, outras não, mas que eu mesmo não acredito na imparcialidade apregoada aqui e acolá, seja no campo do esporte, que gera muita paixão sem falar nos interesses financeiros, seja fora dele, no campo da política partidária, por exemplo, ou mesmo no setor cultural.

A  isenção absoluta não existe e nunca existirá, como já dizia o psiquiatra e terapeuta norueguês Tom Andersen, conhecido no Brasil pela obra “Processos Reflexivos”, que trata, entre outros, da teoria sistêmica e das relações humanas. Como lembra o pensador, cada indivíduo tem uma percepção da situação à que “pertence” e pessoas diferentes terão percepções distintas de determinada realidade, transformando uma situação exterior em múltiplas realidades.

Um conceito interessante que Andersen fez questão de reforçar é que temos na gente “diversas pessoas” e nos tornamos uma em determinada circunstância, outra num contexto diferente, embora tenhamos características básicas que nos tornam “aquela pessoa”. A “realidade” depende não só do contexto mas também do observador, que influi no sistema observado e se torna parte dele. Modificando-o, portanto.

Isenção absoluta, então, não existe. Ao fazermos um tratado de física ou matemática estamos colocando um pouco da gente lá, inclusive na escolha do assunto estudado. No campo do direito o espaço para a interpretação é colossal e no jornalismo não seria diferente como não é.

Na hora de definir o espaço que cada clube vai ocupar no jornal, que notícias devem ter prioridade, que linha de raciocínio seguir, qual a parte mais ou menos importante de uma entrevista, o que deve ser descartado, o que deve ser destacado os editores e repórteres estão tomando decisões. E em cada decisão há um quê de subjetividade.

Sem falar nos donos de veículos de comunicação que têm suas linhas editoriais para serem seguidas. Ao estabelecer as diretrizes, por mais que alguns batam na tecla da imparcialidade absoluta, insisto que isso não existe. A definição de uma linha já pressupõe um quê de subjetividade.

Se Corinthians e Flamengo têm destaque maior do que outras equipes, um dos principais pontos de reclamação dos que preferem agremiações rivais, talvez seja porque atraiam mais interesse, despertem muita discussão, torcida contra ou a favor, gerem enorme audiência e movimentem grandes recursos. Inclusive porque, por mais que muitos digam que o foco da mídia é no “social”, ela também é negócio.”



  • Gledson

    Concordo, só que em se tratando em negócio, Corinthians e Flamengo pra maioria dos veículos é só negócio e aí fica dificil. Parabéns pelo post.

    • janca

      Valeu Gledson, abração, Janca

      • tonio cunha

        Certamente Flamengo e Corithians vendem muito, mas lembre-se que um campeonato somente entre os dois seria monotuno. O problema é que os demais times nao sao profissionais o suficientes para se opor aos contratos que beneficiam os dois. Enquanto os times forem administrados por amadores e nao ter donos, como na Europa, vamos continuar a ver os meios de comunicaçao beneficiar os dois, e daqui a ppuco vamos ter os campeonatos sendo vencidos somente pelos dois times, ai de nada vai adiantar os meios de comunicaçao serem parciais e a galinha dos ovos de ouro vai para o saco.

        • janca

          Tem razão, um campeonato só entre os dois seria o tédio total. E o futebol como negócio poderia ir para o espaço. Abs.

        • Fabio

          Pera ai um pouquinho, flamengo e curintia são profissionais, o resto não?

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

          Acho que você não leu o post e deve assistir jogos que passam em outra dimensão temporal.

          Vou te explicar: o flamengo tem exposição porque a globo que manda no futebol há 40 anos é do Rio e seus donos flamenguistas, por isso, a exposição maior do flamengona midia fez comque muitos torcedores optassem por esse time. Ganharam poucos títulos apesar disso, se comparado com outros times sem exposição excessiva e tendenciosa.

          O curintia mostrou um pouco de profissionalismo apenas no ano passado, é um time amador que tem grande torcida por causa da identificação do povo, ignorante na maioria, com ele. Apesar de ter a ajuda da midia e arbitragem, não ganhou grande coisa até hoje néh? Não sem ajuda.

          Resumindo: futebol se ganha no campo.

      • FABIO

        Na boa, pra mim é tudo conversa fiada… até os árbitros são tendenciosos para flamengo e corinthians, a CBF é, porque vocês não seriam??? só para avisar aos flamenguistas que enquanto estiverem brigados com a CBF/GLOBO não vão ganhar mais nada, pode ressucitar jogadores que não vai dar.. infelizmente e com ajuda da CBF/GLOBO só vai dar os maloqueiros…
        puro papo furado…

        • Tarcísio

          Engraçado, quem foi o campeão do brasileiro de 2010, copa do Brasil de 2011 e 2010, Paulistão de 2010 e 2011 e libertadores de 2011?? Há esqueci fomos nós maloqueiros ajudados pela CBF e pela Globo.
          A diferença é Corinthians e Flamengo tem a maior torcida do Brasil ou seja são responsáveis por 65 milhões de brasileiros e se for contar mais os rivais que deixam de publicar em posts relacionados aos seus clubes só para trazer a discórdia e falar abobrinha sobre Corinthians e Flamengo este numero deve dobrar ou mais ainda.
          Então antes de querer tirar sarro de um Corintiano ou um Flamenguista, passe primeiro no post de seu clube e dê audiência a ele quem sabe o espaço dado pela mídia sobre ele não cressa.
          Um abraço! #VAICORINTHIANS

          • Fabio

            O post é sobre o futebol e a midia, não apenas do small e flamengo, que ego enorme…

  • Mauro

    Parabéns pelo post também, só fica uma crítica pra quando você fala de Corinthians e Flamengo. O Corinthians vive dizendo que tem 30 milhões de torcedores, não diz que tem mais de 100 milhões que torcem contra e não querem ver o time na TV, internet e jornais. Pro Flamengo vale o mesmo. Fora essa crítica, gostei do texto, Janca.

    • janca

      Mas aí é que está, Mauro, se mais de 100 milhões torcem contra, como você diz, muitos querem acompanhar o Corinthians e o Flamengo também pra ver se eles perdem e tirar um sarro de seus torcedores. São os times que mais movimentam os torcedores, contra ou a favor. Abs.

      • Fabio

        Aí que você se engana, no seu post está a resposta.

        Todos torcem contra todos no futebol, normal; a maioria não gosta do curintia e flamengo pelo fato da midia tratá-los de forma diferenciada e tendenciosa (globo/cbf), e isso acarreta em certa ajuda a mais a esses clubes. Simplesmente não é justo, os direitos deveriam ser iguais, assim como os “erros” de arbitragem.

        Você não acha que os rivais assistem jogos deles mesmo néh??? Pelo amor de Deus….

        • janca

          Claro que os rivais assistem aos jogos deles mesmos, como você colocou, mas que tem mais gente vendo jogo do Corinthians, por exemplo, para secá-lo, tem. E que a torcida corintiana e rubro-negra é maior do que a dos outros também acontece. E não necessariamente devemos tratar igualmente os desiguais.

          • Carlos

            Rivais assistem pois não tem outra opção de jogo na TV aberta. Se só passa Corinthians e Flamengo na televisão, que gosta de futebol vai assistir a quê ?

          • Alexandre

            Com a mudança da forma de distribuição dos direitos de TV do campeonato brasileiro, já existem campanhas na internet defendendo que os torcedores de times rivais não assistam a jogos destes dois times.
            E o motivo é totalmente racional. Se há grandes disparidades na distribuição dos recursos por causa da audiência, não faz sentido aumentar ainda mais a audiência dos rivais.

    • O JANCA JÁ RESPONDEU A PERGUNTA DO MAURO, CORINTHIANS E FLAMENGO MOVIMENTAM O PAÍS EM TERMOS DE AUDIENCIA E RETORNO FINANCEIRO.LOGO A MIDIA SEMPRE VAI DAR PREFERENCIA PARA TRANSMISÃO DOS JOGOS DOS DOIS ISSO É FATO.QUANTO AO 100 MILHÕES DE TORCEDORES COM CERTEZA ELES PREFEREM ASSISTIR AOS JOGOS DO TIMÃO E FLAMENGO DO QUE ASSISTIR AOS JOGOS DOS PRÓPRIOS TIMES.POR ISSO QUE CORINTHIANS E FLAMENGO AUMENTAM AINDA MAIS SUA FORÇA QUANDO SE TRATA DE RETORNO EM TODAS AS MIDIAS.

  • Paulo Cesar Ferreira

    Olá João, concordo inteiramente com você. Veja o caso do flamengo, tem a maior torcida, entretantpo, a globo, parece que ignora os demais times.
    Como sugestão: Com a contratação do Vagner Love, parece que o Adriano deixará op Corintians em junho, aí é só tentar o emprestimo do Carlos Alberto, junto ao Vasco, que juntandoi ao Felipe (goleiro), fica faltando apenas o Fernandinho Beira Mar e o Elias Maluco, que comandados pelo Pedro Bial, formariam um verdadeiro time de bandidos. Um abraço Paulo César Ferreira- Brasilia DF

    • janca

      Lembro da final da Libertadores entre LDU e Fluminense? O primeiro jogo, em Quito, não foi exibido para SP. Mostraram um jogo do Corinthians que quase nada valia em Ribeirão. A Globo errou? Não, porque a audiência foi ótima. O Corinthians, queiramos ou não, dá “ibope”. Abs.

      • Alberto Pereira

        E o evento jornalistico, não vale?Então coloca uma mulher pelada na frente da câmera, que tambem vai dar “ibope”!

      • Carlos

        Janca é o segundo Post seu que leio e gostei do assunto. Mas será que é este ibope todo mesmo ? será que não é falta de opção ? A Globo enfia “goela” abaixo o que quer e quem não tem recursos para ter uma assinatura de TV é obrigado a aceitar. Será que é opção dos telespectadores ou falta dela ?

        • Alexandre

          A estratégia da Globo é simples. Ao invés de valorizar vários times para que todos eles tenham recursos e possam montar equipes fortes, é muito mais barato apostar as fichas nos dois q

          • Alexandre

            …nos dois que já garantem um bom retorno de audiência.
            Promover o campeonato como um todo seria muito mais inteligente do ponto de vista de estratégia de longo prazo, mas é sem dúvida mais barato e rentável no curto prazo se aproveitar da popularidade dos times de massa.

  • Marcos Fish

    O alto indice de rejeição desses dois clubes não é levado em conta? Só são populares pois, os brasileiros, são obrigados à assistí-los pela Globo que só passa jogos deles.

    • janca

      Mas quem rejeita esses times gosta de ver seus jogos justamente para torcer contra. Eles dão mais audiência do que os rivais. E como as empresas querem audiência, o que é legítimo, acabam tendo mais espaço. Abs.

      • Fernando Bastos

        Não é verdade. Os inteligentes não assistem os jogos das mulambadas paulista e carioca. Sds

        • Alexandre

          Pois é você fez o comentário e você mesmo provou a máxima. Tanto que está aqui dando audiência e comentando…

          • Fabio

            O nome do post me chamou a atenção por ser ” A imparcialidade da midia”, não vi o nome dos timecos la.

            you fail!!!

          • janca

            Nem o nome do post você conseguiu ler. Pena…

        • Rafael

          Viu como gera discussão e “ibope”, com um comentário muito infeliz você está dando “ibope” ao Corinthians e Flamengo e sim, muitos torcedores de outros times só querem saber do fracasso dessas duas equipes, as vezes pouco lhes importa o rendimento do próprio time.

          e pessoas inteligentes sim assistem aos jogos, tenho curso de graduação completo e estou fazendo um mestrado, e sou corinthiano com muito orgulho.

    • O JANCA TÁ MATANDO A PAU, NÃO PRECISA NEM RESPONDER.

  • Oliveira

    Quero parabenizá-lo pelo texo e na oporunidade sugir que embora não tenha tanto destaque na mídia, os pequenos clubes, poderiam ser lembrados. Um exemplo é o nosso Querido Uberaba Sport Clube que tem mais de 50.000m torcedores e só é lembrado quando joga com Cruzeiro ou Atletico. Não seria interessante colocar esses pequenos clubes também em evidência?

    • janca

      Oi Oliveira. Acho que seria interessante, sim. Gosto muito dos chamados pequenos clubes, lá há grandes histórias. Mas sabe que tenho dificuldade para ter acesso a elas? Porque você tem que ir in loco, muitas vezes acaba não sendo possível, mas pretendo fazer isso com mais força a partir de março. Até viagem programada pra isso eu tenho. Aliás uma história bacana foi mostrada pelo programa de esporte da Record, a respeito do Túlio, que está perto do milésimo gol. Joga pelo CSE, de Alagoas. Não é que o presidente do clube é narrador de futebol? Narra (e comenta) jogos do seu time. Achei incrível. Abração e valeu pela sugestão, Janca

  • Igor

    Esse ódio por corinthians e flamengo é uma coisa que a própria mídia criou, por tanto dar atenção a esses dois clubes crias da mídia, no mais todos jornais são imparciais!

    • janca

      Discordo quando você diz que “no mais todos jornais são imparciais”. Mas em relação à primeira parte do seu texto talvez você tenha razão. Abs.

      • Rafael

        Acho que o mais certo nesse caso seria ter um “ódio” pela mídia, os clubes não tem culpa que a mídia os escolheu como “preferidos” se não torce para nenhum deles, não assista aos seus jogos, mas como o Janca disse, muitos assistem somente para “secar”

  • addamms

    kra, concordo com vc. inclusive há muito tempo venho batendo nessa tecla: ‘não existe imparcialidade da mídia’. O prob q eu detecto, que alguns jornalistas ñ admitem que são parciais, não têm ética na críticas e fazem o jogo do toma-lá-dá-cá. E essa ética teria que ser um dos pilares dessa profissão, mas para obter a notícia, o jornalista, muitas vezes, se torna parte dela. Ou um jornalista que suborna um servidor para obter uma informação privilegiada, ñ é tão criminoso qt aquele a quem investiga? Ou vale tudo para se obter o resultado? Em relação ao futebol é até pior: veja o renato m. prado. Ele usa outros jornalistas de blogs, rádios, jornais, para atacar seus desafetos. Ex.: luxemburgo, fred e roberto carlos.

    • janca

      Também acho que alguns jornalistas não admitem que são parciais _ou a maioria talvez_, mas que somos parciais, queiramos ou não, somos. Abração, Janca

  • Nasser Abdallah TJSantos

    Sinceramente acho uma grande bobagem esse negocio de privilegiar o curintias,

    infelismente temos uma forte midia gamba em são paulo com a desculpa q o time da marginal gera audiencia,

    porem se analisarmos o numeros, vamos chegar a conclusão q o curintias da 2 ou 3 pontos a mais q são paulo, palmeiras e santos, então não a argumento pata termos quase metade dos jogos na tv aberta do curintias, sendo q a diferença de ibope é pouca.

    Fora q se os santistas são paulinos e palmerense não gostam do corintians, a reciproca é verdadeira,

    basta por um jogo do santos na tv q curintianos e são paulinos vão torcer contra, principalmente com o neymar e ganso em campo, o mesmo pode se dizer de spfc e a palmeiras.

    Resumindo é um grande tiro na agua apostar apenas em um clube

    • janca

      Eu discordo. Acho que a rejeição (e portanto a torcida contra) ao Corinthians é maior do que a rejeição ao Santos, por exemplo. Muitos palmeirenses, corintianos e são-paulinos torceram para o Santos contra o Barça, duvido que os rivais torceriam para o Corinthians se fosse ele a enfrentar os espanhóis. Abs.

      • Lucas

        Vc está coberto de razão, Janca. É evidente que a rejeição ao Corinthians é maior. Clube grande incomoda… o maior faturamento entre os clubes brasileiros pelo terceiro ano consecutivo incomoda… o choque de gestão que a atual diretoria empregou no clube incomoda… mesmo os rivais só falam de Corinthians, Corinthians, Corinthians… os times menores incomodam menos. Abração, Lucas.

        • janca

          É, Lucas, também acho que é maior, sim. O time desperta muita paixão. Amor e ódio. Abração, Janca

          • Alexandre

            E por que você acha que a rejeição é maior, Janca?

      • JANCA VC TEM TODA A RAZÃO, MAS OS ANTIS NÃO ADMITEM QUE LIGAM A TELEVISÃO EM DIA DE JOGO DO TIMÃO SIMPLESMENTE PARA SECAR.

        • janca

          Que muitos ligam com certeza ligam, Marco. Abs.

  • david

    parabéns pelo texto. sou jornalista e minha monografia foi a respeito da tal isenção (rs). é impóssivel realmente existir um jornalista 100% isento. gostei da sua indicação, Tom Andersen, e com certeza pesquisarei sobre ele. Edgar Morin também fala a respeito, já li muito sobre. o que mais incomoda no jornalismo atual é a prepotência de alguns de se acharem acima do bem e do mal, e de se considerarem arautos da opinião isenta. e isso, é propaganda enganosa.

    • janca

      Também acho, David. E também li bastante sobre o Edgar Morin, que recentemente esteve no Brasil. Li um livro chamado “Meu Caminho”, livro de entrevistas com o Morin bem interessante. Parabéns pela monografia, que deve ficar bem bacana. Depois me dê um retorno quando ela estiver pronta. Grande abraço, João

  • Kim

    Concordo com o Nasser e acho que da mesma maneira que os torcedores dos rivais do Curinthians assistem aos jogos é porque não só na Globo como na Band também que são as emissoras abertas de televisão e que transmitem o futebol nacional, polarizam as transmissões nesses times com a desculpa de que são os times de maior torcida e que consequentemente trarão maior audiencia, o que não pode ser considerado verdadeiro, uma vez que nem todo corinthiano e flamenguista tem acesso ao jogo, e do mesmo jeito que o sao paulino o santista e o palmeirens assistem aos jogos do corinthians, os curintianos tambem assistiriam aos outros rivais para “seca-los” aumentando mais a audiencia da torcida rival, até porque como a torcida ja lota o estadio é um grupo a menos de torcedores a assistir pela televisão e dar audiencia pra essas midias tendenciosas e muitas vezes mentirosa e que esconde a maioria do que seria importante mesmo que os torcedores saibam, como a politica da CBF e outros assuntos que devastariam o futebol brasileiro. Porém infelizmente é essa midia que é formada pelo mesmos torcedores, os flamerdistas e os CUrintianos! e é por isso que o brasil ta esse lixo!

    • janca

      Até pode ser a história do ovo ou da galinha, de quem nasceu primeiro, mas por que a Globo mostraria prioritariamente Corinthians e Flamengo se não dessem audiência? Seria um tiro no próprio pé… Abs.

      • Alexandre

        Me desculpe, Janca, mas este seu argumento é pueril.
        Vamos imaginar que houvesse uma Liga organizada no Brasil. Como seria o contrato de transmissão de TV?
        A rede contratada para transmitir os jogos seria obrigada por contrato a transmitir um número mínimo de jogos de TODOS os times. E por quê? Porque o que está sendo vendida é a transmissão do campeonato, e não dos times. O que tem que ser valorizado é o campeonato como um todo, e não os times individualmente. No final todos ganham, e não só uns poucos escolhidos.
        Ah, mas aí a Globo não ia aceitar. Problema dela. Há algumas emissoras de TV, mas só UM Campeonato Brasileiro. É a lei de mercado. A oferta é menor que a procura.
        A grade da Globo sempre foi baseada no tripé novela, jornalismo e futebol. A audiência das novelas não para de cair, com o advento da internet, o jornalismo televisivo é cada vez menos importante. Só sobrou o futebol para salvar a audiência, pena que os cartolas não percebam isso.
        A Premier League, por exemplo, é vendida como um produto único, e isto acaba beneficiando todos os times ingleses, vários deles entre os mais ricos do mundo. Já na Espanha, Real e Barcelona são mais importantes que o campeonato e que todos os outros 18 times juntos.
        É esse modelo falido que a Globo persegue por puro imediatismo.
        Isto sim é um tiro no pé!

        • janca

          Do jeito que você escreve parece que só temos na TV aberta jogos do Corinthians. E do Flamengo. Não é verdade. Abs.

          • Alexandre

            Quer um exemplo, Janca?
            Na primeira fase da Libertadores, a Globo divulgou que vai passar todos os seis jogos do Corinthians, enquanto o campeão Santos terá somente um jogo transmitido.

          • janca

            Mas porque o Corinthians dá mais audiência. Se não desse acha que a Globo iria transmitir os seis jogos do Corinthians, como você está dizendo? Aliás nem sabia disso _da transmissão dos seis jogos_, mas em torno do primeiro já está um auê danado. Abs.

    • DESCULPA QUE SÃO OS TIMES COM MAIOR TORCIDA E CONSEQUENTEMENTE MAIOR AUDIENCIA?ESSA EU PREFIRO NEM RESPONDER ,OLHA O JANCA AI TE DANDO A RESPOSTA.

  • PAULINHO BARRETO

    C

  • Caio Bridi

    Um exemplo de parcialidade vem do jornalista Juca Kfouri. Tanto futebolística quanto política. Ele não esconde de ninguém que é corinthiano, sempre defende o Corinthians. Neste ínicio de paulistão, por exemplo, é notório que vem ocorrendo erros de arbitragem favoráveis ao Timão, mas ele insiste em dizer que o Corinthians foi prejudicado em alguns jogos. Em relação ao torneio de 2005, ele nada comenta. No campo da política, ele não esconde de ninguém seu amor pelo PT. Num dia desses, enquanto participava do programa ‘Linha de Passe’ falou que achava um absurdo o PSDB apoiar o Orestes Quércia, já que este partiu surgiu justamente para combater o Quércia. Mas pq será que ele não comenta nada sobre o PT estar ao lado de figurões como Collor e Sarney? Além disso tudo, Juca vive falando de ética, ética e ética. Como se fosse o pai da honestidade. Mas pq será que ele nada comenta sobre o dinheiro público que será investido no Estádio do querido time dele? Dinheiro este que poderia ser usado para construir escolas, hospitais e beneficiar os brasileiros mais carentes? Olha janca, sinceramente, as vezes penso que é melhor ser surdo do que ter que ouvir um jornalista do nível de Juca Kfouri.

    • Lucas

      Ai que burro…. dá zero pra ele…

    • janca

      Caio, discordo completamente de você. Até você pode dizer: discorda porque é amigo do Juca Kfouri? Sim, sou amigo dele e gosto muito do Juca. Mas queria fazer a defesa dele porque acho que o papel que ele faz na imprensa esportiva é importantíssimo. Ele não esconde de ninguém que é corintiano, mas não é por isso que critica o Timão, critica a diretoria, critica dinheiro público em estádios privados, critica Corinthians quando tem que criticar, critica São Paulo quando tem que criticar… É imparcial? Não acho que ninguém seja imparcial, conforme coloquei no próprio texto. Eu não sou. Estou colocando aqui minhas opiniões. Sobre política, não acho que o Juca morra de amores pelo PT, não. E você não acha um absurdo o PSDB ter apoiado o Quércia? É que há tantos absurdos. Hoje na base aliada do PT estão Collor, Sarney, Maluf… A política brasileira é um absurdo, mas isso são outros 500… Abração, Janca

      • Flavio Rodrigues

        Desculpa, mas, o Juca é do time do quanto pior, melhor! e aí tanto faz se é Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Brasil… esse sim é imparcial, pra todo mundo, quanto pior, melhor!!! A importância desses caras na imprensa já ficou pra trás… mas respeito sua opinião!

        • janca

          Oi Flavio, também respeito a sua. É que acho que tem que ter gente “chata” pegando no pé dos dirigentes, dos políticos, falando de outras coisas que não apenas da bola rolando. E acho que se muita coisa pela qual o Juca luta acontecesse teríamos um futebol e um país melhor, não pior. Veja o caso da CBF, por exemplo. Que administra a seleção como se fosse propriedade dela, não nossa. Abração pra você, Janca

          • Alexandre

            Janca,
            O JK é um dos melhores jornalista esportivos do Brasil, mas para mim ele pega muito leve no caso do Itaquerão.
            Quem acompanha seu blog (o dele) sabe que quando é contra algo, é obsessivo a ponto de ficar dias a fio escrevendo sobre o mesmo assunto e tocando na mesma tecla.
            Já sobre este estádio, se ele escreveu de forma negativa umas duas vezes foi muito.
            Talvez ele não seja tão contrario assim à forma com que o Corinthians conseguiu viabilizar o seu sonho.
            Direito dele, mas deveria ser menos ambíguo.

          • janca

            Não vejo assim, Alexandre. O que o Juca já pegou no pé desta administração do Corinthians e nas anteriores também não está escrito. É um ótimo jornalista. E não pega mais leve com o Corinthians, não. Abs.

    • kalunga

      Caio ( u ) do cavalo
      5ã0 paulino.

    • Nilú

      Sr. Caio Bridi, me desculpe, quando li este post pela manhã, o primeiro exemplo que me veio de imparcialidade foi justamente do jornalista Juca Kfouri, pensei, putz quem sabe este seja o único exemplo que eu possa citar, fora a do dono deste post, João Carlos Assumpção, que tb é imparcial, só que imparcialidade, não tira de ninguém o diretio de mudar de idéia, e só não pode faze-lo quem já morreu, ok? Se vc lê, segue e comprendende o que o Juca escreve e fala na tv, já deve te-lo visto mil vezes criticando seu time , a diretoria, e também certos políticos, aos quais em outras épocas , declarou publicamente seu voto.
      Meu amigo, quem pensa , se informa e tem um pouco de inteligência no mundo de hoje, pode mudar de idéia sim.
      Quer saber, vc ta por fora e deu um fora com esse seu exemplo furado, escolha outro, porque é muito difícil mesmo ser imparcial, mas justo que vc sitou, é um dos poucos que consegue ser e olhar para quem quiser de cabeça erguida!!! Se liga, colocar sua opinião é um direito seu, mas tente , pelo menos tente, coloca-la com exemplos que possam respauda-las! É isso!

  • Rafael

    Depois de ler alguns comentários, deu para perceber o porquê Corinthians e Flamengo têm tanto espaço na mídia, o nomes desses clubes são citados em 70% dos comentários acima, por esse motivo, que eles são citados em todos os tipos de mídia, para com isso, o futebol é só negócio.
    Negócios têm que gerar lucros se não ele não sobrevive, hoje em dia não há espaço para bairrismo ou preferência, aja visto que se for tratado dessa maneira em pouco tempo irá falir. Duvido que todos aqui não deram pelo menos uma olhada nas paginas do Corinthians e do Flamengo no Site do Lance essa semana, são essas atitudes que fazem desses clubes cada vez maiores, e essa diferença tendi a aumentar com o tempo, porque ainda vivemos de paixão pelo esporte, e não gostamos que nosso clube esteja ficando menor que nosso rival, isso incomoda, isso já se tornou um circulo vicioso.

    Abraço.

    • janca

      Também acho, Rafael, e de fato acaba virando um círculo vicioso. Que Corinthians e Flamengo dão “ibope”, pelo bem ou pelo mal, pela torcida contra ou a favor, dão. O que vai ter de gente “secando” o time na Libertadores… O que é um direito, aliás. Abs.

      • Alexandre

        Para quem não tem TV a cabo, fica muito difícil secar Internacional, Fluminense, Santos e Vasco, já que a TV aberta não vai passar quase nenhum jogo destes times…

  • Ale

    Só que voces esquecem que essa parcialidade muitas vezes, é prejudicial ao clube.
    Vejam o caso do Flamengo, uma flatulência, uma chegada tarde do jogador, uma cara feia do R10, enfim, qualquer coisa é motivo para noticia, inclusive, as especulações são muito maiores e mais fantasiosas. Explicar depois que tal noticia não teve fundamento é bem dificil. A mídia tem essa parcialidade não é por simpatia ao time, é pra vender mais e isso na maioria das vezes, prejujdica mais do que ajuda. O Vasco teve seus salários atrasados desde o ano passado quando foi campeão, ele deve à todos os jogadores e à todos os funcionários do clube, mas a dívida da Traffic ao R10, da imagem do Deivid, das luvas do Alex Silva e do Renato são noticias que vendem mais, por isso a mídia ficou por dois meses contando capítulo por capítulo, diariamente, não tinham outro assunto, já tava chato. O resultado? O Vasco vai pagar suas dívidas e o caso fica esquecido, no Flamengo, o clube vai continuar a carregar o estigma de mau pagador. A rejeição ao clube é tanta, que o próprio presidente do Gremio tripudiou sobre o “possível” interesse do Fla ao Douglas, (insinuando que deveriam pagar as dívidas) esquecendo ele, que o próprio Gremio deve ao Flamengo já faz muito tempo. A crise chega muito mais ligeiro ao Fla. É um preço muito alto que carrega o clube de maior torcida. Tem que ser um Flamengo do jeito que é, jeito carioca de ser, senão, não aguentariam.

    • Rafael

      Concordo com você, e digo o mesmo a respeito do Corinthians, ano passado mostraram que as categorias de base do time estavam uma miséria, sem CT, sem onibus e em campos de várzea, na mesma época o sub 17 foi campeão mundial, numa final contra o Barcelona (time da moda e que supostamente tem a melhor base do mundo) e em 2012 vimos o time juniores ser campeão da Copinha, com uma campanha invicta e tomando pouquissímos gols.
      Em SP, assim como no Rio, qualquer noticia, por qualquer motivo vira capa dos jornais.

      • Caio Bridi

        Mas vale lembrar que o Corinthians nunca revela ninguem que preste.
        Vencem essas copinhas ai e nunca revelam ninguem.
        Quem sao as ultimas boas revelacoes do Curingao???? LULINHA E DENTINHO! LOL
        Dá é pena da base do Curintia

        • Rafael

          Tem que ver o trabalho e o enfoque da diretoria, se é ganhar a Copinha ou revelar jogador.

  • Adilson

    Belo post, parabéns. A imprensa é parcial e será assim por um bom tempo, mas existem diferenças de um estado para outro, em São Paulo por exemplo, é óbvio que o Corinthians tem mais torcida em São Paulo, mas grande parte da imprensa paulista é Corintiana e não escondem isso dando mais destaque do que devia, ignorando grandes clubes como São Paulo, Santos e Palmeiras, o Lance e a Band fazem isso de maneira escancarada com matérias tendenciosas. Já no Rio Grande do Sul isso é tratado de maneira bem diferente, Internacional e Grêmio tem o mesmo tratamento na imprensa Gaúcha, pois se fizesse o contrário seria totalmente excluído pelo lado adversário.
    A imprensa paulista é tão tendenciosa que alguns jornalistas chegam a “MENTIR” em suas matérias, já vi matérias dizendo que o Corinthias tem 30 milhões de torcedores e o Palmeiras 16 milhões no país, no corinthians 23 milhões somente no estado de São Paulo, lembro ao senhores jornalistas que essa conta não fecha, a matemática é clara, se o estado de São Paulo tem cerca de 40 milhões de habitantes e desses cerca de 30% são corintianos, então temos números muito menores do que a imprensa divulga, sem contar que desses 40 milhões de habitantes boa parte não torce para nenhum clube, então vemos o quão tendenciosa é a imprensa de são paulo. Não tenho nada contra essas duas grandes torcidas, mas nunca em nenhum levantamento se chegou ao menos próximo desses números. A imprensa pode até ser tendenciosa mas nos tentar enfiar mentiras goela a baixo aí já é demais, isso é falta de respeito com a história de outros clubes e seus torcedores.

    • janca

      Sua análise sobre o Sul é interessante. Lá, de fato, a imprensa tem que tomar todo cuidado para não parecer gremista ou colorada tal a divisão entre as duas torcidas. Boa essa sua observação. Ficou faltando na minha análise, corrigida aqui por você. Abs.

  • Fogão sadio

    Janca, felizmente (ou infelizmente) vc está certo. O futebol hj em dia é um negócio e a imprensa, querendo ou não, faz parte dele. E o lado financeiro, já q vivemos em um mundo capitalista, falará sempre mais alto. O q eu não entendo e não admito por exemplo é q, tipo, se uma telha cai do telhado, se tem um vazamento de água ou um cano estoura no corinthians e no flamengo, esses fatos ganham uma repercussão enorma, são “capas de jornais”. Tudo é dimensionado a eles, tudo q acontece neles é demais. E isso meio q enche o saco sabe, tem jornalista (?) q msm não tendo nd p/ falar, “acha” alguma coisa dos 2 clubes citados soh p/ fazer média. Eu não sou contra de passar jgs de fla e corinthians, mas os demais clubes tbém existem e são tão ou mais importantes q eles. A impressão q dá é q, soh pq tem mais adeptos os 2 são tratados diferente..e isso é ruim pro futebol…

    • janca

      Entendo seu desabafo e você colocou um ponto importante. Se no futuro houver uma polarização (ou um afunilamento) sobrando Corinthians, Flamengo e o resto isso será péssimo para o nosso futebol. Mas duvido que isso aconteça. Os outros times são muito fortes também. Aqui não é Espanha. Felizmente. Agora sobre o futebol ter virado negócio e a imprensa ser parte dele estamos juntos nessa. Acho que é uma realidade. Pelo menos vejo assim. Abs. Fogão, Janca

      • Marco

        Janca, realmente, aqui “ainda” não é Espanha… Mas não sei como será no futuro… Essa polarização da imprensa apenas nesses 2 clubes (Corinthians e Flamengo) já é muito grande e só tende a aumentar… consequentemente, nada impede que, num futuro próximo, tenhamos um campeonato nacional parecido com o Espanhol, restrito apenas a 2 equipes…
        Não que isso seja necessariamente prejudicial ao nosso futebol (vide a própria seleção espanhola, campeã européia, do mundo e, atualmente, o melhor futebol do planeta) mas, sem dúvida alguma, será extremamente prejudicial ao nosso campeonato, esse sim, apesar de não ser o de mais alto nível técnico do mundo, ainda é, com certeza, um dos mais disputados do planeta.
        Abraço e parabéns pelo belo post.

        • janca

          Oi Marco, obrigado pelo comentário. De fato, apesar de a Espanha estar com tudo neste momento (quando se trata de futebol e alguns outros esportes), não acho que esse modelo polarizado entre dois clubes seja bom. Nem atraente. Mas acho que aqui encontraremos outras saídas. Não sou contra cotas maiores para Flamengo e Corinthians, cotas de TV, digo, mas acho que bem administrados os demais clubes podem fazer frente aos dois. E não acredito que Flamengo e Corinthians vão dominar o mercado brasileiro como Real e Barça fazem na Espanha. Seria muito ruim para o negócio futebol, inclusive. Abração, Janca

          • Alexandre

            Isso que eu não entendo no seu argumento, Janca.
            Você parte do pressuposto que os demais clubes podem ser bem administrados, mas ignora que o Corinthians e o Flamengo também podem, mas com muito mais recursos disponíveis.
            E a questão não é só ganhar mais dinheiro da TV. Ganha mais dinheiro E tem muito mais partidas televisionadas. Com isso podem ter um patrocínio de camisa também muito maior que os demais.
            Está claro que é um círculo vicioso sem fim.

          • janca

            Não sei se é sem fim, não. O Santos nos últimos tempos, por conta de bons resultados, passou a ter muito mais jogos exibidos na TV, apenas para ficar em um exemplo. Abs.

      • CONCORDO COM VC JANCA ,NÃO VÊ O EXEMPLO DO SÃO PAULO ,GANHOU MUITOS TITULOS INTERNACIONAIS E ATRAVÉS DISSO VIU A SUA TORCIDA CRESCER MUITO.

        • janca

          É verdade, Marco, e agora o Santos também está muito mais presente na mídia do que nos anos 80, por exemplo. Resultados são importantíssimos. Abs.

          • Alexandre

            Mas é essa a diferença: está na mídia porque tem bons resultados.
            Isto deveria valer para todos.

  • Ale

    E para concluir meu raciocínio, devo dizer que, ao contrário do que se supõe, as notícias negativas tbem tendem a influenciar positivamente no crescimento do clube, pois ao torcedor, basta que seu time seja noticia, uma ruim hoje, uma boa amanhã (tipo vagner love) para derrubar a ruim, enfim, assim nada muda em relação ao número de torcedores, a paixão continua, pois a Nação sabe que o Flamengo é muito visado e a tendência por parte dos torcedores, é na maioria das vezes, colocar o clube como vítima da inveja. A tendencia é que as rivalidades entre os times de menor e os de maior torcida aumentem.

    • janca

      Interessante o que você fala sobre as notícias negativas pois é fato, elas podem gerar uma reação positiva. Abs.

  • Roberto

    Discordo.

    Não falar que grande parte da mídia é parcial é bobagem. Falar que depende da ótica de quem vê, é compreensível, até porque o parcial, não se vê assim, muito menos aquele que é conivente com tal prática.

    Não discuto espaço. Corinthians e Flamengo devem ter mais espaço, se assim o veículo de comunicação desejar, pois movimentam mais torcedores.

    Concordo plenamente.

    Só não entendo que notícias semelhantes sejam passadas ao público de maneira diferente.

    Circulou nas mídias sociais, há umas 3 semanas, duas matérias deste Lance!. Uma na qual o jogador Elton do Corinthians recebia a alcunha de “decisivo” por fazer um gol aos 43 do segundo tempo. Enquanto isso, no mesmo dia, o Palmeiras venceu o Bragantino por 2 a 1 “no aperto” com um gol de Maikon Leite aos 38 do segundo tempo.

    Se quiser, envio as imagens.

    Por que a mídia não protesta quanto às abusivas benesses concedidas ao Estádio do Corinthians? Estranho, não?

    Como você bem disse, a isenção absoluta nunca existirá.

    Acho que as pessoas buscam apenas bom senso.

    • janca

      Pô, Roberto, quantas vezes não critiquei o estádio do Corinthians nos moldes em que está sendo feito? Com recursos e benefícios públicos, acho um absurdo. Sobre a questão do gol decisivo ou do gol no aperto concordo, é que depende muito de quem está escrevendo, da visão de cada um. Há jogos que acho ótimos e de repente a maioria acha péssimos. Na Copa adorei o primeiro jogo do Uruguai, que foi 0 a 0. Mas achei belíssimo, embora boa parte da crítica não tenha aprovado. Abração, Janca

      • rubens

        Engraçado, o estádio do Inter (particular) e TODOS os demais estádios da Copa estão sendo construídos, de uma forma ou de outra, com recursos públicos, porque será que só o Estádio do Corinthians causa essa comoção toda?

        • janca

          Porque o Corinthians gera mais polêmica mesmo. E tem um estádio construído do zero com benefícios e recursos públicos. Mas sou contra dinheiro (ou benefício) público para arena privada seja ela do Corinthians, Inter ou Atlético-PR. Como sou contra a grana que estão investindo no Maracanã para depois passarem a gestão do estádio para a iniciativa privada. É minha posição pessoal, sei que nem todos pensam assim. Abs.

  • joao gallego

    eu acho que esse janca é corinthiano, porque quando criticam o corinthians ele rebate dizendo que tem mais torcida, que tem mais ibope. assume que é corinthiano logo e pare de postar materias que benefeciam esse clube.

    • janca

      Não é questão de ser corintiano ou não, João. De verdade. Se fosse estaria escrevendo isso também. Ou não… _rs. Abs.

  • Rica

    Bom dia! Parabéns pelo post e pela matéria!
    Acredito que haja sim parcialidade em tudo. E aceito, pois todos têm direito de gostar ou desgostar, torcer ou não distorcer para A ou B. Apenas critico pessoas que fazem parte dos meios de comunicação e, ao invés de apenas passar a informação, comunicar, criticar tal assunto, narrar algum esporte, misturem os sentimentos pessoais manchando a reportagem ou o assunto que está sendo transmitido para todo país e todas as pessoas que torcem ou não torcem para o mesmo time.
    Exemplos como Renato Mauricio Prado ou Chico Lang: falam muitas baboseiras, associam qualquer assunto que seja aos seus times.

    • janca

      Valeu Ricardo, grande abraço, Janca. PS. Só um adendo, como opinião é opinião sabe que gosto muito do Renato Maurício Prado? Ele é sarcástico, talvez por isso não seja bem compreendido. E tem senso de humor.

  • Luís Bergamim

    Fala aí Janca! Excelente post, mas a maioria das reclamações dos internautas não de imparcialidade e sim de como se fala sobre os clubes. Exemplo: quando o Barcos fez o primeiro treino, o Lance publicou: “Barcos perde gol incrível no treino, mas faz outro”. Se fosse o Adriano a manchete seria: ” Com mostras de recuparação Adriano faz gol em treino e já se póe a disposição”… enten deu o enfoque? Aí está o partidarismo da mídia esportiva nacional. Nunca um adversário do Corinthianms ganhou um jogo, sempre foi o Corinthians que perdeu… aí está o ponto… abç

    • janca

      Eu entendo, Luís, mas não sei se é assim. Até acho o LANCE! mais passional que outros, é um diário esportivo, talvez seja a linha da casa. Mas a má fase do Adriano está estampadas nas páginas do diário. Grande abraço, Janca

    • ISSO JÁ VIROU MANIA DE PERSEGUIÇÃO.

  • “Embora não seja jornalista, de informação entendo um pouco. Não da veiculada ao público via jornais, revistas, televisão e internet. Mas, da aeronáutica, aquela disponibilizada para os pilotos nos aeroportos de todo o mundo.

    Não sei se já falei aqui, sou técnico em informações aeronáuticas. Profissional cuja principal função é disponibilizar aos aeronavegantes, feito o próprio nome sugere, toda e qualquer informação que eles necessitem para realizar seus voos de maneira segura, regular e eficiente – já perdi a conta de quantas vezes ouvi e falei essa frase.

    Sendo assim, para que desempenhemos nossas atividades de maneira satisfatória, é essencial que sempre forneçamos às tripulações informações atualizadas, no menor tempo possível, visto o intenso dinanismo com que flui a aviação moderna. Rapidez, claro, que não pode prejudicar em hipótese nenhuma a confiabilidade do que é transmitido, sob pena, em última instância, de se contribuir até mesmo para a ocorrência de um acidente aéreo.

    Repara, então, que, no meu ofício, a ânsia da velocidade não está nunca acima da confiabilidade. Palavra-chave intimamente ligada a outro substantivo vital em qualquer área de atuação: a credibilidade.

    Mas, voltando às informações de depois do expediente, as esportivas, ontem, no final da tarde, início da noite, se não falha a memória, foram divulgadas as primeiras notícias sobre a demissão de Luxemburgo do Flamengo, gerando um bafafá tremendo, posto que o Rubro-Negro iria a campo poucas horas depois em importante partida pela Libertadores.

    Dever de casa cumprido por Ronaldinho Gaúcho e seus companheiros, o vento pareceu virar nos lados da Gávea. Não por conclusão minha, mas pelas manchetes dos sites esportivos, elaboradas com base em declarações da presidenta do clube, Patrícia Amorim. Aparente alteração de rumo geradora de intensa revolta nos torcedores, que não hesitaram em acusar a mídia de pretender abalar o ambiente no hexacampeão brasileiro.

    Ira de intensidade devidamente ampliada pelas redes sociais da moda, que também serviram para a “vingança” da demonizada imprensa, quando do anúncio, hoje, da efetivação da queda do treinador.

    Feito expliquei, ou tentei explicar no começo do texto, se você não entendeu fica à vontade para perguntar, um dos mais graves erros que posso cometer no meu trabalho é disponibilizar informações aeronáuticas desatualizadas a um piloto. Porque fazendo isso – quanto mais vezes, pior -, no mínimo, contribuo para jogar minha credibilidade, o tal outro substantivo vital a qualquer área de atuação, no lixo.

    Não é preciso viajar muito no passado para buscar os casos, a imprensa esportiva brasileira vem se especializando em “cravar” – acho que esse é o jargão do meio -,nem ao menos ponderar, notícias furadas, talvez na pressa de trazê-las em primeira mão.

    Teve Neymar que foi pro Real, mas ficou. Luxa que foi demitido, não foi, foi de novo. Sem contar Tévez e Seedorf no Corinthians, Nilmar no São Paulo e outras inúmeras “barrigas” dos feras dos teclados. Bolas foras que fatalmente contribuem para a má vontade do leitor/telespectador para com o setor.

    E olha que me abstenho de entrar na questão da imparcialidade. Pois, falo apenas por mim agora, não nutro a mínima ilusão, melhor diria, a pretensão, de achar que um jornalista – quiçá todos – será cem por cento neutro em uma análise ou na maneira de, por exemplo, se veicular uma manchete, embora pense merecer receber a informação o menos deturpada possível para que estabeleça meu próprio conceito a respeito.

    Além disso, chama atenção o comportamento de certos profissionais nas redes sociais em relação a críticas recebidas por parte de seus “seguidores”. É importante não generalizar, mas uma quantidade considerável responde a elas com altas doses de arrogância e irritação. O que não caberia nem em casos extremos, já que são esses mesmos profissionais que crucificam os jogadores quando protagonizam gestos de destempero em relação ao torcedor. E, aos nossos olhos, vocês, jornalistas, do mesmo jeito que os boleiros, são pessoas públicas.

    Aliás, é necessário enfatizar essa aproximação que a internet trouxe na relação jornalista/público, a qual ambas as partes parecem não estar preparadas para aproveitar. Hoje, devido à fartura de meios de obtenção de informações, brinca-se de jornalista fácil, fácil. Assim, cabe aos senhores mostrarem que jornalismo é coisa séria. Nas questões simples, como o uso da Língua Portuguesa, que bastantes diplomados maltratam. Nas mais complexas, como na paciência para aturar esse bando de babacas a que a web deu voz.

    Vale ressaltar que esse texto não é uma crítica. Por que escrevo um blog há um bom tempo ,talvez passe a intenção ou a pretensão de me considerar jornalista. Não, não me considero. O máximo que tenho de comunicação em minha formação acadêmica são matérias de marketing e propaganda na graduação e na pós. E conhecimento técnico é para ser respeitado.

    Esse texto é apenas um feedback. Justamente para que vocês não permitam que outros amadores feito eu, que só escrevem em blogs, ou Twitters, ou Facebooks, e não respeitam o conhecimento técnico que vocês adquiriram na faculdade se considerem jornalistas. E, o mais triste, jornalistas melhores que vocês.

    Sejam diferentes.”

    Janca, boa tarde.

    Esse texto escrevi em meu blog dia desses. Por estar dentro do tema proposto por você, o reproduzi aqui. Parabéns pelo trabalho!

    Abraço!

    • janca

      Pô, parabéns pelo seu texto. Vou reler depois, prometo, aliás nem vou postar nada amanhã e depois, apenas responder comentários, porque gosto de dar um retorno a quem escreve, comenta e não quero entrar em assuntos novos antes de sábado devido a outros compromissos profissionais que vão me demandar muito tempo nas próximas 48 horas. Voltando a seu texto, queria fazer um adendo, uma crítica, aliás. Com todo respeito, claro. Quando você diz “jornalistas melhores do que vocês” isso não é nenhuma besteira. Porque o jornalismo é um exercício diário. Não se aprende em faculdade. Por isso sou radicalmente contra o diploma, sempre fui, por mais que seja criticado por isso. Gostei muito do seu texto, vou relê-lo com calma no sábado, quando tiver mais tempo. Parabéns. De verdade. Abração, João Carlos

      • Roberto Junior

        Grande Janca, se exclua do vocês, por favor.

        Eu deveria ter explicado isso no comentário, mas, como já tava grande demais, omiti.

        De fato, qualquer generalização é perigosa.

        Abraço!

  • PAULINHO BARRETO

    Cara parabéns pela matéria, há tempos eu achava que esse tema merecia uma abordagem, e até acho que esse assunto ainda pode ser discutido em outras colunas futuramente. Sobre a parcialidade da imprensa, um caso gritante é a relação Corinthians-GLOBO, vc já percebeu quanto espaço a Globo dedica pra falar do Corinthians? E do Ronaldo Balofo? E essa relação tende e ficar mais enraizada ainda mais depois que o Andrés Sanches entrou oficialmente para CBF(Casa Bandida do Futebol, como um dia escreveu o Juca Kfouri), que hoje em dia está mais Corinthiana do que nunca.Outro caso de parcialidade gritante é da Band, mais precisamente no programa Jogo Aberto, tem dia que os caras só ficam falando do Corinthians o tempo inteiro, parece até a TV timão, é irritante o Neto encher a boca pra falar “o Curintiá” ou “o meu curintiá”, a cada 3 frases que ele diz.Ah respeito dessas viagens que vc fará pra conhecer times pequenos, vê se dá uma passada aqui em Campos-RJ, pra fazer uma matéria sobre o Goytacaz FC, que é a quinta maior torcida do Estado do Rio de Janeiro, ao contrário do que é propagado pela imprensa que aponta o América como tal, o Goyta tem um torcedor ilustre o Tonico Pereira, o “Mendonça” da “Grande Família”, que sugeriu de brincadeira em uma reportagem para o Globo Esporte que dessem o nome da arquibancada o nome de “Arquibancada Popular Tonico Pereira” e não é que os caras fizeram! O Goytacaz está na série b do carioca há mais ou menos 20 anos, caiu pra C em 2011 e voltou agora em 2012, e sempre com a melhor média de público, média essa que é dependendo do jogo é no mínimo 5, 6 vezes maior que a do Americano, o seu maior rival que joga a série A, como aconteceu neste último sábado na estréia na série b com vitória por 2a 0 sobre a Cabofriense.AH Goytacaz também revelou o Amarildo, “O Possesso” da Copa de 62.

    • janca

      Oi Paulinho, também acho que essa questão gera muitos desdobramentos que devem mesmo ser abordados. Grande abraço, Janca

  • EVERSON

    CURTO E OBJETIVO:
    CONCORDO COM VC, QUANDO DIZ QUE JORNALISMO TAMBEM É NEGOCIO, E NEGOCIO VAI BEM QUANDO VENDE BEM, E O QUE VENDE BEM É INEGAVELMENTE CORINTHIANS E FLAMENGO.
    POREM, NÃO PRECISA A IMPRENSSA, DEFAMAR, PLANTAR NOTICIA MALICIOSA E TENDENCIOSA A PROVOCAR A IRA DE TORCIDA CONTRA QUALQUER CLUBE OU ELENCO, COMO FOI FEITO AO PALMEIRAS E CRUZEIRO PARA CITAR ALGUNS.
    FOI COVARDIA O QUE FOI FEITO!!!!!!!!!

  • Ale

    Eu não acredito, o NETO falando na TV, “ARFACE, ARFACE, ARFACE, MEIA DUZIA DE PIZZA E DOZE COCA COLA, enquanto isso, como fundo de audio,uma tosse horrenda, deve ser do Dr.
    Televisão brasileira, um lixo.

  • Homem-Isca

    João,

    A questão principal não é a audiência gerada quando um jogo do Corinthians ou Flamengo é transmitido. A televisão não ganha dinheiro por cada telespectador, mas sim pelas propagandas. É bem ber verdade que os anunciantes preferem “propagandar” em partidas televisionadas por esses clubes. O que é um erro.

    Quando um jogo tem 15 pontos de audiência não significa que, comparado com um que teve 20 pontos, terá menos visibilidade. Veja bem. Menos pessoas realmente estão vendo o jogo, contudo, o público-alvo de um jogo do Corinthians pode ser um, e o do Palmeiras outro. Não é isto qualquer tipo de preconceito, mas sim, um fato. O corinthiano tem, por exemplo, a imagem do maloqueiro, sofredor, graças a Deus. De sua torcida fanática. O Palmeiras, pelos times fantásticos que teve, as academias.

    Pode parecer besteira, todavia os anunciantes deveriam analisar melhor essas questões, bem como a REDE GLOBO detentora dos direitos de transmissão.

    Um abraço,
    Homem-Isca.

    • janca

      É, mas não sei se os anunciantes pensam assim. E os anunciantes investem pensando em retorno financeiro. Quando querem um público-alvo específico usam outra estratégia. Mas foi bom você tocar neste assunto dos anunciantes. Abs.

  • futebol é só negocio e fim de papo.

  • Alexandre

    Janca,
    Acho que são duas coisas diferentes que não podem ser confundidas.
    Uma é a parcialidade intrínseca analisada pelo psiquiatra, que todos temos e não é intencional, outra é a parcialidade calculada, mas não divulgada (pior, desmentida) praticada pelos veículos de mídia.
    Se o futebol é também um negócio, é legítimo que o veículo queira privilegiar os “produtos” mais rentáveis, mas tem que deixar isto claro para o consumidor (telespectador).
    Isto no caso das próprias transmissões. Porém, quando se trata de jornais impressos ou de programas televisivos de cunho jornalístico esta parcialidade intencional é simplesmente antiética, pois não se está mais falando em entretenimento ou negócio, mas em informação jornalística.
    Tem que ser divulgado o que tem relevância jornalística, não o que é mais rentável.
    Aí, um exemplo lamentável de falta de ética, é o caso da Globo quando divulga efusivamente em seus programas jornalísticos os eventos de que detém os direitos e esconde aqueles de que não detém.
    A Liga dos Campeões e o UFC, por exemplo, até outro dia não existiam para a Globo, já hoje são exaltados com louvor.

    • janca

      Tem razão, Alexandre, o próprio MMA eu abordei aqui, tecendo minhas críticas _que são minhas e podem ser contestadas_, mas claro que o UFC virou um grande negócio e a Globo está por trás porque tem dinheiro, patrocinadores, parceiros fortes… E não se trata só da Globo. Outros veiculos estão cobrindo o UFC, o L! inclusive, porque há interesse e audiência. E a mídia, mesmo que digam que não, é negócio, então tem que ser vista com um pé atrás. Pode ser grave o que digo, mas realmente acho isso. E entendo a distinção que você faz, Alexandre. Abs.

  • Rodrigo

    Janca

    Isso que vc comentou, da subjetividade, é entendível. O que acho complicado, por exemplo, é como no Brasileiro de 2005, que falam que foi na mão grande (sou corinthiano, e fico meio em dúvida). Em 2005, por exemplo, todo mundo sabe que o Edilson foi comprado, mas pq ninguém fala quem o comprou? E outra: será que daria, para um bom bandido, ganhar dinheiro comprando apenas um árbitro? A questão é de má-fé mesmo. Pq nenhum jornalista desses grandes veículos vão até o fim pra mostrar até onde vai o esquema de cambistas? Tenho quase certeza que ele vai parar na sala do presidente.

    E pra completar, quantas vezes radialistas e comentaristas não ficam criando climas, como quando um jogador vai ser negociado, começa a falar mal do cara pra começar a ganhar antipatia; ou então fala que o cara jogou bem, quando qualquer idiota percebe que o atleta tá de corpo mole? Existe subjetividade, mas canalhice tb, e bastante.

    Desculpa o tom do comentário, mas é que gosto desse assunto, então me animo hehe. Parabéns por tocar em assuntos intocáveis

    abraço!

    • janca

      Ah! Que tem canalhice tem _rs. Como em todos os setores, Rodrigo. E de fato esse assunto pode gerar uma série de outros, especialmente pra quem duvida de quase tudo, como eu. Grande abraço, Janca

    • Diego Alberto Santana

      Rodrigo, 2005 foi extramamente estranho… o jogos que o Corinthians perdeu para Santos e São Paulo era para o Edilson roubar para o Corinthians… se a mutreta não funcionou por que voltar esses jogos… depois teve aquele jogo com o Internacional que foi um vexame.

  • Fernando Zanetti

    Janca, belo post.. porém tenho uma dúvida sobre este processo todo.

    Imaginemos que siga-se essa linha de parcialidade explícita a fim de gerar recursos e audiência. Sendo assim o cenário não seria de bipolarização do futebol nacional tal qual houve na política, com PT e PSDB comandando as ações na maior parte do Brasil e também no Executivo Nacional?

    E acontecendo essa Bipolarização a longo prazo não seria prejudicial para a própria mídia, já que qual torcedor gastaria seu tempo de ver seu time caso não fosse um desses participantes da elite restrita e portanto nem o ódio nem o amor teriam mais tanta relevância e poder de mobilização assim?

    Espero que eu não tenha pensado longe demais.

    • janca

      Interessante seu comentário. Outros internautas até já apontaram o perigo de uma polarização e um afunilamento como no Espanhol, onde temos Real e Barça e só. O resto virou o resto. Na verdade não sei se se trata de parcialidade explítica, acho que ela é mais implícita do que explícita, pois muitos se escondem atrás de uma imparcialidade que a meu ver não existe. Mas no caso de jornais, TVs, enfim, da mídia em geral há uma preocupação com audiência, sim. E que há o risco de uma bipolarização, que seria nociva para o futebol, há. Embora eu acredite que os outros times, como temos grandes times no Brasil além dos dois já citados, podem, bem administrados, evitar isso. O próprio São Paulo ganhou muitos torcedores com aquele timão do Telê Santana, o Santos, que parecia meio acabado, renasceu com Robinho e cia., agora com Neymar tem ganho cada vez mais adeptos. Enfim, risco há, mas espero que fique só no risco. Abs.

  • Luiz Fernando

    Olá Janca!!

    Concordo com tudo na sua coluna…Cabe a nós espectadores dar “ibope” ou não para o programa. Eu particularmente não assisto os programas de futebol de domingo a noite na TV aberta por não concordar com o posicionamento do programa, mas por outro lado respeito quem dele se diverte.
    O que não pode é o comentarista achar que sabe tudo e o espectador nada….Uma vez ouvindo uma rádio de manhã no trajeto ao trabalho, um comentarista (que não era de esporte) disse que quem pensava de um jeito diferente ao dele era burro (foi este o termo que utilizou – pode até ter se expressado mau, mas….), pois bem, eu pensava diferente ao dele.
    A partir deste momento não ouvi mais esta emissora, além de falar mau para meus amigos.
    Abraços.

    • janca

      Oi Luiz Fernando. Sem querer defender os comentaristas _principalmente este, que não sei nem quem era_ a posição deles também é complicada. Eu me coloco muito na posição de juiz de futebol. Quantas vezes comentei jogos _e não quero mais comentar, acho que o público agradece (rs)_ e tinha dificuldades pra dizer se era impedimento, se não era, se foi pênalti, se não foi. Enfim, a gente tem que se colocar no lugar do outro. Não que não haja juiz picareta, comentarista, idem _e arrogante, dono da verdade_, aí você está certo. Mas há de tudo em todas as profissões, né? Abração, Janca

  • joe LHP

    Acho que a midia tinha é que tomar coragem e mostrar de lado esta especialmente na politica qualquer um vê que a Veja, a Folha e o Estadão são pró PSDB máfia dos bacaninha e que a Carta Capital é pró PT que é a máfia do Barba e fora outras midias controladas por coroneis, senhores feudais, senhores de engenho, traficantes, milicianos e religiosos mas aqui em terras tupiniquim todo mundo dá uma de imparcial e pensa que todo mundo é trouxa.

    • janca

      O “Estadão” na campanha presidencial se declarou pró-Serra. A “Carta Capital” é pró-PT. Não acho que isso seja errado. A “Folha” _e trabalhei dez anos lá_ não considero pró-PSDB, não, mas entendo que muitos vejam assim. Enfim, vá a cidades pequenas, rádio de deputado tal, TV de político X, os coronéis ainda mandam. Ou os novos coronéis, sei lá. Abs.

      • Alexandre

        Perfeito o Estadão, pois fez o que os jornais americanos, por exemplo, sempre fizeram. Se posicionou de forma explícita, e não velada.
        Já a Folha, ao menos a editoria da Folha, eu creio que tem uma preferência clara, mas que ela não admite de forma alguma, porque vai contra a sua auto-imagem (errônea) de imparcialidade absoluta que, como sabemos, não existe.

        • janca

          Que a “Folha” usa a tal da imparcialidade absoluta em sua campanha de marketing e para vender sua imagem também acho que usa. E como você acho que ela _a imparcialidade absoluta_ não existe. O que não quer dizer que uns sejam mais parciais do que outro, isso é bom lembrarmos também. Abs.

  • Luis Figueredo

    Olá Janca,

    Ótimo tópico para o blog. De maneira geral, concordo com seus argumentos. É óbvio que não existe imparcialidade absoluta. Ninguem exige que um jornalista seja completamente imparcial.
    Contudo, esperamos que um jornalista cumpra seu papel de maneira ética e clara. Neste ponto, eu enxergo dois grandes problemas:
    ———————————————————————–
    1º Problema:

    Poucos jornalistas, sejam jornalistas esportivos, políticos etc, procuram a separação entre fato e crença. E é ae que mora o grande perigo da parcialidade. Todos somos parciais, temos nossas opiniões e crenças. Contudo, fatos são fatos. Fatos são menos imparciais.
    “O deputado xxx foi condenado por xxx”. Isto é um fato.
    “A Câmara dos Deputados é um antro de corrupção”. Isto já não é um fato, isso é opinião pessoal. A informação relevante que isto é uma opinião e não um fato deveria estar claramente especificada na matéria, porém geralmente não está.

    Jornalistas misturam fatos com opiniões, e opiniões são extremamente parciais. É dever do jornalista deixar claro a separação entre o que é fato e o que é opinião.

    ———————————————————————–
    2º Problema:

    Ética. Quando interesses pessoais influem sobre as matérias.
    Ex. (política): O Boni diz no seu livro que mandou adulterar o resumo do debate do Lula x Collor para favorecer o Collor porque achava que o Lula tinha ido muito melhor. Isto é um crime. E usar o poder da mídia (que por sinal não possui regulação) para interesses próprios. Enganando seus telespectadores adulterando os fatos de maneira proposital.
    Ex. (futebol): A Globo passar 14 jogos do Corinthians na TV aberta em 2011, enquanto passou 8 do Palmeiras, 7 do Santos e 6 do São Paulo (isto mesmo, apenas 6 jogos). Isto porque o São Paulo era o único time que não havia ainda assinado com a Globo os novos direitos de transmissão. Se não me engano, o mesmo ocorreu com o Atlético-MG.

    ———————————————————————–
    A parcialidade com relação ao Corinthians (time que tem mais espaço na mídia do que o próprio Flamento) não se deve ao fato do Corinthians ter a 2ª maior torcida, ou ser tão odiado. Se deve simplesmente as relações deturpadas que a Globo possui com a CBF. E as relações desta última com o Corinthians.

    Bem, esta é minha opinião.
    Abs,

    Luis.

    • Douglas Dutra

      Falou tudo Luis…falta transparência tbm à imprensa

    • janca

      Oi Luis, interessantes seus comentários, como interessantes os comentários de boa parte dos internautas sobre este post, levantando questões sobre as quais eu nem tinha pensado. As relações deturpadas, como você coloca, existem, mas as pessoas tendem a se concentrar na Globo, em termos de críticas, e às vezes se esquecem das outras emissoras, dos outros veículos de comunicação… Como colunista fico numa posição mais tranquila porque posso expressar minhas opiniões, que levam minha marca e minhas crenças, não nego. Como repórter a situação é diferente porque existe uma crença de que ele tem de ser imparcial e muitas vezes é aí que digo que a imparcilidade não existe. Posso ver o jogo de um jeito, você de outro. Na hora de dar nota aos jogadores nunca soube dar uma nota “precisa”, porque ela não existe. Há um quê de chutômetro ou subjetividade, há, como em qualquer tipo de avaliação. Mas valeu pelas suas opiniões, o espaço está aberto ao debate, é pra isso mesmo. Abs.

      • Alexandre

        Janca,
        As maiores críticas são à Globo porque ela detém praticamente o monopólio das transmissões de futebol no Brasil (a Libertadores 2012 é exceção).
        Mas, de fato, os mesmos problemas são encontrados nas demais emissoras.

  • Douglas Dutra

    Olá Janca…
    A mídia dá mais destaque para Flamengo e Corinthians. Dá mais destaque Porque Flamengo e Corinthians dão mais ibope. Dão mais ibope Porque Flamengo e Corinthians têm mais torcida. Têm mais torcida Porque a mídia da mais destaque para Flamengo e Corinthians…Chegamos ao ponto importante, é um efeito bola de neve. Se a mídia quiser, outros clubes podem dar tanto ibope quanto esses times, é um processo q leva alguns anos…
    Eu sou flamenguista, odeio o Corinthians, mas não posso negar que as vezes assisto os jogos do Curintia só para torcer contra.
    Então se o torcedor quiser mudar essa realidade de destaque na mídia, tem q parar de assistir a esses times…com o tempo talvez o panorama mude

    • janca

      Porque fica a história de quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha. Um “círculo vicioso” como falaram aí. Abs.

    • DOUGLAS EU SOU CORINTHIANO , NÃO SIMPATIZO MUITO COM O FLAMENGO ,NEM POR ISSO PERCO O MEU TEMPO ASSISTINDO JOGOS DO FLAMENGO.

    • Diego Alberto Santana

      Concordo com você Douglas e digo mais, as vezes o Corinthians consegue audiencia por que algumas pessoas assistem a todos os jogos que passam na TV e não apenas do time do coração.

  • Van

    ENGRAÇADO É QUE TODO MUNDO SÓ CRITICA A GLOBO, PARECE QUE DÁ STATUS DE INTELECTUALIDADE CRITICAR A GLOBO. SÓ QUE A GLOBO NÃO TEM PROGRAMA DIÁRIO DE DEBATES QUE SÓ FALE DE UM ESTADO OU DE UM CLUBE, COMO A BAND, COM O SEU JOGO ABERTO E A RECORD COM O SEU ANTIGO DEBATEBOLA. NÃO TEM NA EMISSORA CARIOCA COMENTARISTAS QUE FICAM O TEMPO DEFENDENDO SEU CLUBE COMO FAZEM NETO, DR. OSMAR, ULISSES COSTA,ETC. VEJAMOS: JÚNIOR TORCE PELO FLA, MAS NÃO DEMONSTRA ISSO NOS COMENTÁRIOS; CASAGRANDE É CORINTHIANO, A MESMA COISA; O FALCÃO É COLORADO, MAS NÃO TINHA O HÁBITO DE SÓ FALAR DO INTER,… SOU CONTRA O MONOPÓLIO, MAS PREFIRO O FUTEBOL NA GLOBO DO QUE NAS MÃOS DESSAS EMISSORAS PAULISTRAS E BAIRRISTAS.

    • janca

      Mas aí é que está. A questão não pode ficar restrita à Globo, embora ela chame mais a atenção por ser a emissora mais forte. Veículos de comunicação escritos, inclusive, estão em discussão. Abs.

  • Van

    ENGRAÇADO É QUE TODO MUNDO SÓ CRITICA A GLOBO, PARECE QUE DÁ STATUS DE INTELECTUALIDADE CRITICAR A GLOBO. SÓ QUE A GLOBO NÃO TEM PROGRAMA DIÁRIO DE DEBATES QUE SÓ FALE DE UM ESTADO OU DE UM CLUBE, COMO A BAND, COM O SEU JOGO ABERTO E A RECORD COM O SEU ANTIGO DEBATEBOLA. NÃO TEM NA EMISSORA CARIOCA COMENTARISTAS QUE FICAM O TEMPO DEFENDENDO SEU CLUBE COMO FAZEM NETO, DR. OSMAR, ULISSES COSTA,ETC. VEJAMOS: JÚNIOR TORCE PELO FLA, MAS NÃO DEMONSTRA ISSO NOS COMENTÁRIOS; CASAGRANDE É CORINTHIANO, A MESMA COISA; O FALCÃO É COLORADO, MAS NÃO TINHA O HÁBITO DE SÓ FALAR DO INTER,… SOU CONTRA O MONOPÓLIO, MAS PREFIRO O FUTEBOL NA GLOBO DO QUE NAS MÃOS DESSAS EMISSORAS PAULISTAS E BAIRRISTAS.

    • Ale

      Concordo com voce, tbem acho que a Globo não é esse bicho todo não. As torcidas rivais colocam a Globo como a própria FLAPRESS, (ATÉ JÁ INVENTARAM ISSO), na época da contratação de R10, dizia-se que quem contratou foi a GLOBO, agora na volta do Vagner Love, saiu a mesma noticia vinda de blogueiros. Tudo isso por conta do Sr. Roberto Marinho ter sido rubro negro. Se fosse tudo verdade, o Flamengo não teria problemas financeiros, não acha? Até concordo que a Globo divulgue mais o Flamengo do que à qualquer outro time, (isso é nítido até em novelas), mas seus jornalistas tem mais ética do que os da Band e Record. Pelo menos, não são tão ridículos, nem o Galvão Bueno e o José Roberto Right (rsrsrs). A outra cruz que o Flamengo carrega, é a de que todos os juízes roubam para ele, por estarem combinados com a Globo e com o (rubro negro) Teixeira. É muita viajem… Na crise do Vasco, os torcedores cruzmaltinos até achavam que a Flapress inventou a tal crise, para minimizar à do time da Gávea. Isso já virou uma cultura!

    • Diego Alberto Santana

      Eu só acho que os times grandes merecem o mesmo espaço, pois parece que existem os grandes e os extratosféricos… e Janca, é fato, qualquer jogo de futebol na TV aberta tem uma audiencia grande pois o brasileiro adora futebol…. eu concordo com o Van, os programas de debate da band parece mais uma propaganda corinthiana, do jeito que aparece o Corinthians é uma maravilha, mas não é bem assim. O tão enaltecido Andres Sanches é um capacho do Ricardo Teixeira e isso poucos falam. O Itaquerão virou estádio da copa através de conchavos envolvendo CBF e Andrés Sanches mas preferem denegrir o São Paulo. O estádio do Corinthians é um vexame com aquela isenção de impostos, mas adoram criticar o São Paulo por causa do Morumbi, sendo que o São Paulo pagou a dívida com o poder público e Corinthians não irá faze-lo.

  • Caio Bridi

    Janca, eu sempre defendi que as emissoras transmitam mais jogos do Flamengo e do Corinthians do que os outros. Não sou corintiano e nem flamenguista, entretanto, caso eu fosse dono de alguma emissora e tivesse os direitos de transmissão dos campeonatos, obviamente optaria por um desses 2 clubes, por questões lógicas. O que irrita a mim e a muitos outros telespectadores é o fato de muitos programas televisivos serem dedicados quase que em sua totalidade ao Corinthians. O Flamengo apesar de ter a maior torcida do Brasil, tem menos mídia que o Corinthians. Nem acho que a exposição do Flamengo seja tão superior à dos outros grandes clubes do Brasil. Talvez pelo Corinthians ser um clube de São Paulo, estado mais rico e populoso do Brasil. O que é fato é que estamos saturados de Corinthians. O que a TV Bandeirantes faz é inadmissível. Passar um programa inteiro falando do mesmo time, com comentários de um sujeito mal-educado e mau-caráter chamado Neto. O mais incrível é quando ele tenta dar lição de moral em alguns jogadores, com o Adriano. Quem ele acha que é pra fazer isso? Será que ele não tem espelho em casa? Ou esqueceu do seu passado?
    Abraço Janca, e desculpe-me por estar postando muitas vezes aqui hehehe, mas é que é realmente legal de sua parte responder a maioria dos comentários!!!
    Até mais!

    • janca

      Oi Caio, fique à vontade pra postar quando quiser. E sempre que quiser. Dentro do possível eu tento responder todos os comentários, às vezes não dá, o que é uma pena. Agora você tocou num ponto importantíssimo. É gozado mas várias coisas passaram sem eu perceber, pra você ver como todos nós erramos feio. Sabe o porquê de o Corinthians ter até mais exposição do que o Flamengo? Justamente pelo ponto em que você tocou. É um clube de SP, o maior mercado do país, Caio, e explica muito. Até porque nós mesmos já colocamos que futebol é negócio. A questão é que se virar só negócio vai pro brejo. O futebol e o negócio _rs. Abração, Janca

  • Diego Alberto Santana

    Janca, eu acho que algumas mudanças seriam interessantes, primeiro os jornalistas esportivos poderiam assumir os times que torcem e acabar com o “jornalismo futebol clube”. Depois tem que parar com essa de proteger Corinthians e Flamengo, que são clubes que aprontam das suas e não tem tanto destaque… por exemplo, todo mundo exalta o Andrés Sanches, mas se esquece que ele é um pau mandado do Ricardo Teixeira e o Flamengo a tempos tem uma saúde financeira precária.

    • janca

      Mas Diego com todo respeito vou discordar de você. Você acha que todo mundo exalta o Andrés Sanchez? Eu não acho. Ainda mais com a ligação explícita com o Ricardo Teixeira. A situação do Flamengo e a desordem na Gávea são notícias todos os dias. E não acho que o jornalista tenha que dizer pra qual time torce. Ele tem o direito de dizer, o dever, não. E alguns torcem muito, outros torcem menos, tudo é muito relativo. Há quem não torce mais. Ou torce pelo bom futebol. Apenas isso. Enfim, valeu pelas suas opiniões, divergindo a gente se entende _rs. Abs.

    • Diego Alberto Santana

      Janca, talvez dizer todo mundo seja exagero, mas a maioria enaltece o Andres mesmo com essa nefasta aliança com o Ricardo Teixeira, a maioria tapa o sol com a peneira…. eles só falam do que o Andres fez de bom para o Corinthians e não criticam o lado nefasto… exemplo de pessoas assim são os Corinthianos Neto e Ronaldo Giovanelli, o Ronaldo ainda acha benéfica tal relação… é claro que ele vai achar pois depois dessa aliança o Corinthians ficou ainda mais evidente na mídia. Graças ao Andrés a licitação do C13 que a meu ver não tinha nada de errado caiu por terra e poucos comentaram sobre isto…. no caso do Itaquerão alguns preferem ironizar o São Paulo a criticar a isenção fiscal e que esse estádio só passou a ser sede da copa por causa dos conchavos da CBF com o Andres.

  • Ale

    Sobre meu comentário acima, com referencia ao suposto interesse do Fla pelo Douglas, quando mencionei a grosseria do Presidente do Gremio tendo em vista que o clube tbem deve ao Fla, o Douglas acabou de divulgar que o Gremio ficou devendo meses pra ele… Isso nunca veio à tona, pque é Gremio, não é Flamengo. O Santos tbem tem problemas financeiros seríssimos, mas tbem não vem à tona. O ´próprio Corinthians, com todas as (“injeções”) que conhecemos que não vem ao caso mencionar, tem dificuldades de contratação por falta de dinheiro e o próprio Christian , que quase assinou com o Clube, acionou o mesmo na justiça por falta de pagamento de direito de arena. Quando é no Flamengo, a repercussão é muito maior. É gritante. As noticias são tendenciosas…

    • janca

      Os problemas do Santos aparecem, sim. O próprio presidente diz que de juros bancários paga 1,5 milhão de reais por mês. Abs.

  • Rafael Wuthrich

    Janca, tenho um outro tipo de imparcialidade de fachada que gostaria de comentar com você. Há tempos vejo, nos canais que transmitem e nos blogs que comentam os campeonatos europeus, que os campeonatos de lá são uma maravilha e que o nosso está a anos luz dos de lá. Eu acho uma tremenda papagaiada. Primeiro porque nossos times, por piores que sejam, não deixam nada a dever a um Palermo, um Sunderland, um Tottenham, um Valencia ou mesmo um Bordeaux. Se de fato nossos melhores times são piores que os melhores times de lá, também é verdade que nosso campeonato é melhor que 90% dos campeonatos europeus, talvez exceto o da Alemanha. Aí vem a questão: a espinafrada e crítica desenfreada dos campeonatos nacionais e a exaltação dos campeonatos europeus se dá por (i) “complexo de vira-latas” agravado pela pouca boa vontade com o nosso futebol e a questão da péssima administração dele, ou (ii) porque os campeonatos europeus são produtos dessas emissoras que precisam “exaltar” os campeonatos para poder ganhar audiência dos brasileiros que acompanham somente o futebol nacional, ou então isso ocorre porque (iii) eles se baseiam apenas nos grandes times e esquecem que os campeonatos nacionais europeus não são feitos apenas dos times que disputam o mata-mata da Champions League (lembrando que a fase de grupos é cheia de babas)?

    • janca

      Eu também acho. Há vários campeonatos da Europa que são chatos pacas. E muitos disputados por dois ou no máximo três tipos, o resto formado apenas por coadjuvantes. Abrs.

      • Rafael Wuthrich

        Pois é, Janca. E fica mais claro quando eles começam a babação de ovo do Barcelona. Curioso notar que, para o Barcelona ser o modelo de time que é, isso acarretou a praticamente “matar” 80% dos outros times e asfixiar a finança dos outros 20%. Apenas o Real se safa devido ser o outro “beneficiado”. A mídia nos vende muita coisa ruim, e se temos o senso ultra crítico para falar mal do nosso quintal, temos também que saber diferenciar o que é bom daquilo que é ruim. O Barcelona é bom. O Real é bom. O futebol espanhol, uma bela porcaria, uma série B do Brasil. E isso vale para quase todos os campeonatos europeus. Ressalte-se que em 90% dos casos, os melhores times são endinheirados e lotados de estrangeiros, muitos africanos e sulamericanos.

        • janca

          E o futebol espanhol, com clubes cada vez mais endividados, anda mal das pernas. A crise do euro está afetando uma série de economias europeias, inclusive a espanhola, e já, já vem o reflexo no futebol. Abs.

  • Ozório

    Quando vejo algumas matérias e capas de revistas penso no que está por trás. A Veja fez propaganda de remédio pra emagrecer, antidepressivo, de tudo quanto é produto. O lobby e o dinheiro da indústria farmacêutica não está por trás? E esses programas na TV com merchandising em tudo que é lugar? Os jornalistas são uns paus mandados dos donos dos meios de comunicação e se acham os tais. O que acha?

    • janca

      E muitas vezes há muito lobby, muito marketing e muito dinheiro por trás mesmo. O Prozac não foi vendido como a pílula ou a droga da felicidade? Hoje quase não falam mais nele. A indústria farmacêutica é f… Fogo, digo. E os veículos de comunicação também. Abs. e boa quinta pra você. PS. Ontem mesmo estava discutindo isso, falando da indústria farmacêutica, digo.

  • Grafir Jr

    O futebol e sua mídia são um meio onde o melhorzinho encoxa a mãe no tanque, vende-a, se necessário, e ainda por cima não entrega!!!

  • Fabio

    Quer o maior exemplo de parcialidade da midia?

    O São Paulo, depois que ganhou todos aqueles titulos entre 2005 e 2008, vem sendo super prejudicado pela arbitragem. Não falo só de penaltis, até porque teve um jornalista, daqui acho, que mostrou pelo Footstats que tivemos cerca de 5 vezes menos penaltis marcados a favor, se comparado a curintia e outros, mas acho um absurdo a facilidade como faltas são invertidas e cartões amarelos o São Paulo recebe, se comparado aos rivais.

    A globo dá nojo, o replay mostra uma coisa e os comentaristas falam outra, é patético.

    Não vi um jornalista sequer falando desse assalto que está acontecendo.

    Abraço mister imparcialidade.

    • janca

      Você tem que distinguir entre parcialidade e imparcialidade, ler de novo o nome do post e tentar entender o que foi escrito. Inclusive porque não está fácil entender o que você quer dizer.

  • furacão santista

    se as outras torcidas boicotarem os dois queridinhos acaba a discriminação ! ja penou só os dois jogasndo entre sí ? tédio total!

    • janca

      Mas isso não vai acontecer, Furacão Santista, e o futebol brasileiro precisa de muitos times fortes, além de Corinthians e Flamengo, como tem hoje. Só no Rio são quatro, em SP, idem, já que a Lusa, depois de uma ótima temporada em 2011, começou bem mal 2012, tem que se recuperar. O time deste ano não é tão bom quanto o do ano passado… Enfim, times fortes não faltam. No Sul, Grêmio e Inter, o futebol brasileiro não se restringe ao Corinthians e ao Flamengo, que, de fato, aí sim, têm as maiores torcidas. Abs. e ótima sexta pra você, Janca

      • Eu concordaria se você dissesse que é praticamente impossível de acontecer esse boicote, mas dizer que não vai acontecer e ponto, eu já acho demais. Eu mesmo, em se tratando de flamengo e corinthians, não quero nem saber. Fico secando aqui do meu canto. Sou minoria, sim. Não quer dizer que não possa passar a ser a maioria. Mas nem assim esse quadro de favorecimentos seria revertido, nem com esse boicote. O problema é muito maior que a questão de quem tem mais ou menos espaço na mídia. Vou escrever mais a respeito disso em um instante.

  • a

    Concordo com o seu post, mas minha restrição é em relação as sacanagens armadas pela CBF, Rede Globo, Arbitragem e as federações que essas duas agremiações são filiadas.
    Nos últimos anos o Flamengo vem ganhando campeonatos regionais mais por força das armações feitas nos bastidores no intuito de ultrapassar o Fluminense no numero de títulos.
    Na copinha paulista aconteceu a mesma coisa em relação ao Corinthians no numero de títulos com o Fluminense.
    De 2005 pra cá, grandes armações foram formadas para beneficiar o Flamengo e o Corinthians, tudo isso com o aval da imprensa esportiva
    Se a imprensa esportiva mantiver esse perfil em relação ao Flamengo e ao Corinthians, muito em breve o futebol deixara de ter credibilidade, ai sim eu quero ver de vão viver essa pessoas que dependem de um futebol sem armações.

    • janca

      Acho que pode haver favorecimento aos grandes, sim, nem que seja de maneira não intencional, inconsciente até. Não sei se um árbitro com um estádio lotado não deixa de ter em mente que se errar contra o time da casa, o time de maior torcida, o time mais representativo tem isenção absoluta ou se não é vítima do próprio inconsciente ou subconsciente. Realmente não sei. Mas o maior perigo no futebol é em relação às apostas e aos interesses financeiros escusos que podem levar até a uma manipulação de resultados, como estamos vendo no futebol europeu. Abs.

  • Não creio que isso seja tão simples assim. A imprensa em geral elege seus favoritos não porque eles representam a maioria, não porque eles são os maiores clubes, nem porque eles despertam maior ou menor interesse. E, mesmo se assim fosse, não seria um problema.

    O problema, realmente, é a parcialidade com a qual os assuntos são tratados. Até mesmo nas transmissões de jogos o assunto é colocado na perspectiva do time favorecido. Por exemplo, se é um flamengo e santo andré, o foco é colocado no flamengo… se o flamengo está ganhando, os comentários são algo como “o que é que o flamengo tem que fazer para manter a vantagem”, ou “o que é que o flamengo fez que melhorou tanto do último jogo pra cá”, etc. E, se é o flamengo perdendo, os comentarios passam a ser “como o flamengo pode virar o jogo”, ou “onde foi que o flamengo errou”, etc. É como se o outro time não tivesse mérito algum de estar ali, disputando o jogo, vencendo ou perdendo. O que importa é o que o flamengo está fazendo. E isso é em relação às transmissões de alcance nacional, não às transmissões regionais, pois nessas o bairrismo impera em qualquer estado da federação.

    Fora do campo, esse comportamento tendencioso se repete. Na negociação entre Corinthians e Cruzeiro em torno do jogador Montillo, o Cruzeiro foi várias vezes pautado como aquele que é o vilão, que está com má vontade, que está atrasando os planejamentos do Corinthians, etc. Várias manchetes – da Folha de São Paulo, do Estado de São Paulo, do Lance, da Placar, enfim, de quase todos os veículos de comunicação de SP ou do RJ – colocavam o Cruzeiro como tendo a obrigação de vender o atleta. Como assim? Por que as pessoas não falaram dos contratos, dos valores, daquilo que estava previsto? Porque elas tem que puxar a sardinha para o lado do Corinthians, porque as manchetes tem que destacar o fato de o Corinthians querer adquirir um jogador, etc.

    Resumindo, o problema não é a quantidade de espaço dedicada a este ou a aquele time. O problema é que a imprensa veste a camisa do corinthians, ou a camisa do flamengo, ou ambas. É como se as redações não fossem guiadas por jornalistas, e sim por torcedores desses times, que precisam, de alguma forma, vencer a discussão e enaltecer seu clube do coração, por qualquer meio que seja.

    • janca

      Mas isso não acontece só com o Flamengo. Se for um jogo Palmeiras x Santo André você acha que o foco estaria colocado em quem? No time grande, de maior torcida. Se é jogo Grêmio x Corinthians e a Rádio Gaúcha estiver transmitindo, ela tem que focar qual time? O Grêmio, pois a audiência dela é do Sul. É gremista. Ou colorada torcendo contra o Grêmio. Abs.

      • Não, cara… Palmeiras e Santo André é um jogo Regional. Flamengo e Cruzeiro não é. Corinthians e Grêmio também não. Veja bem, estou falando de jogos de ASPECTO NACIONAL. Não estou falando da rádio gaúcha, da rádio mineira, estou falando dos veículos que chegam A TODO O PAÍS. Aliás, isso está bem escrito no meu comentário, na última linha do segundo parágrafo, destacada abaixo:

        “E isso é em relação às transmissões de alcance nacional, não às transmissões regionais, pois nessas o bairrismo impera em qualquer estado da federação.”

        Se o Flamengo perde um clássico, é porque ele jogou mal… em qualquer transmissão nacional, é virtualmente impossível que um comentarista afirme algo como “O Flamengo/Corinthians jogou bem, mas o [insira qualquer outro grande time do Brasil aqui] jogou melhor, e obteve a vitória”.

        Então, não é o lance da parcialidade imparcialidade que incomoda. É o fato de a imprensa nacional vestir a camisa de RJ-SP e, proeminentemente, de Flamengo e Corinthians mesmo. É os caras forçarem o Paulista (Campeonato Corintiano) e o Carioca (as Taças Guanababa e Riso) em todos os outros estados, dando até mesmo um maior destaque a eles que ao Baiano (Campeonato Acarajé), Mineiro (Rural), Gaúcho (Brisa) e Paranaense (Superempapado) nos seus respectivos estados. É como se fosse decidido pelas redações nacionais que é estritamente melhor, para todos os torcedores de todos os outros times, largar mão de acompanhar o que acontece no próprio estado, só para saber que fulano peidou no vestiário do Flamengo, entende?

  • jose

    o pior é a revista placar que não sabe que o internacional é o atual campeão da recopa e não colocou nada na retrospecitva 2011, além do mais tirou os 3 gols do damião que lhe daria a chuteira de ouro, quanta incopetencia.

  • Henrique

    Belo texto…Mas acho que, acima de tudo, deveríamos nos perguntar o por quê de Corinthians e Flamengo terem esse número assustador de torcedores não acha?
    Ou será que, lá no início da comunicação em massa brasileira, a rádio globo não teve nada a ver com isso? Ora, a própria diretoria flamenguista afirmou que cerca de 80% de seus torcedores são de fora do Rio…
    Impossibilidade de obtenção da imparcialidade não impede que esta seja colocada como uma norma a ser buscada, mesmo que jamais alcançada, não é mesmo? Mas não é isso que vemos no jornalismo esportivo nacional, ou deveria dizer (carioco-paulistano). Vide o exemplo do ex-jogador e repórter amador Müller, ao sugerir que o Clube Atlético Mineiro não seria um time grande…Um absurdo exemplo de provincialismo.
    O meu ponto é: A geopolítica do jornalismo esportivo nacional é tão restrita, mas tão restrita, que se torna insuportável mesmo num mundo no qual a imparcialidade é um conto de fadas…
    Mas é assim mesmo…Infelizmente somos ainda um grande quintão…
    a sexta economia mundial…
    um país de quase 200 milhões de habitantes…
    um território que facilmente passaria por um continente…
    tudo isso redutível à Via-Dutra.
    Coerência, a gente não vê por aqui!

    • janca

      Tem razão, Henrique, eu mesmo fico concentrado no eixo SP-Rio, o que é complicado, já que há tantas riquezas em outras regiões, tantas histórias, tantas discussões que acabamos tratando o Brasil como se fosse apenas o Sudeste ou o Sul, quando não é. Mas principalmente o Sudeste. Até para o próprio blog quero ver se mudo um pouco isso, mas confesso que não é fácil. Concordo com seu desabafo e concordo que a Rádio Globo contribuiu para a força dos times cariocas no Nordeste, por exemplo, onde estão cheios de torcedores. Mas neste caso não vejo como algo negativo, era a cobertura da época que privilegiava os grandes times do Rio. Hoje os de SP ganharam maior projeção também por conta da TV. E de outros veículos de comunicação. Com a globalização temo que percarmos muito dos regionalismos e das características de cada lugar, o que seria uma pena. Pasteurização não dá. Abs.

      • Alexandre

        A gente nem precisa voltar tanto no tempo. Em pleno 2012, a Globo está transmitindo apenas o campeonato carioca para nada menos do que 16 dos 27 (60%) Estados!
        Entende-se que não é viável financeiramente transmitir na TV todos os estaduais, mas se a Globo vai transmitir ao todo 12 estaduais, ela poderia muito bem fazer um “mix” dos melhores jogos destes para transmitir para aquelas praças “órfãs”, ao invés de simplesmente transmitir o carioca, não é mesmo?
        No entanto, ela prefere continuar com esta atitude proselitista…

        • janca

          Eu, como torcedor e telespectador, preferiria um mix dos Estaduais, gostaria de ter visto o Ba-Vi deste final de semana, por exemplo. Mas sou um torcedor, não represento a maioria. Abs.

          • Alexandre

            Mas aposto que a maioria pensa como nós.

  • Rodrigo

    Ótimo texto.

    Infelizmente o futebol envolve paixão e as pessoas quando falam de paixão tendem a ser muito mais parciais do que já são, e aí fica difícil aparecer alguém e fazer uma análise crítica e tentar ser um pouco mais imparcial.

    Sou são paulino e entendo perfeitamente o por que da evidência de Corinthians e Flamengo na mídia. Eu trabalho com marketing e entendo a lógica. Um jornal de massa, aberto a todo o público vai vender mais se trouxer notícias dos grandes times e principalmente das maiores torcidas. Nenhum jornal de grande circulação vai ter retorno se falar apenas da Portuguesa e Juventus. Isso não é demérito para esses clubes, é apenas uma constatação de que o número de torcedores é reduzido e o jornal para trabalhar nessas torcidas teria que ser extremamente segmentado e ter um plano de anunciantes específicos para dar retorno.

    Não sou fã da Rede Globo, mas ao mesmo tempo entendo que a emissora carioca não é uma ONG, é uma empresa privada. Sendo assim ela vai focar transmitir os jogos dos times que dê audiência, pois ela paga uma grana por esses direitos e vende as inserções para anunciantes. Quanto maior seu IBOPE mais valorizado se torna cada segundo. Inocente aquele que acha que a emissora tem que “dar oportunidade” para todos os clubes. A Rede Globo visa o lucro e faz o papel dela. Se amanhã o Fluminense e o Santos forem a maior torcida do Brasil, ela vai focar suas atenções para eles.

    Para finalizar, além da parcialidade que existe e sempre vai existir, vejo o quanto os torcedores se revoltam com a opinião de jornalistas. Acompanho um programa muito bom no SPORTV chamado Redação SporTV apresentado pelo André Rizek, que é um cara inteligente e tenta trazer razão nas discussões de futebol. Primeiro que ele não acusa ninguém sem ter provas, é contra um nacionalismo barato e acima de tudo diz que as pessoas se importam demais com a opinião dele e de outros jornalistas. Diz que isso é ruim pois se valoriza muito o que uma pessoa ou outra afirma. Sou muito a favor dessa vertente.

    Infelizmente são poucas pessoas que conseguem discutir o futebol sem clubismo. Não entro em teorias de conspiração da arbitragem ou CBF para ajudar esse ou aquele time, não acho q meu time seja prejudicado ou beneficiado por X ou Y, não acho q a torcida do meu time é melhor ou pior, eu torço, torcerei e sempre acompanharei os jogos do meu tricolor, ficarei muito feliz com os títulos, um pouco chateado nas derrotas mas sei que é apenas uma diversão.

    Futebol é muito importante na minha vida, mas é diversão. Nunca vou agredir verbalmente ou fisicamente alguém que discorde de mim e adoro discussões pautadas mais em análises do que simples “eu acho”.

MaisRecentes

Alerta a Raí



Continue Lendo

Os erros do Verdão



Continue Lendo

Vencer ou vencer



Continue Lendo