Flats para 2014/16



O mercado de flats, que teve séria crise no início da década passada, estagnou e sofreu forte desvalorização, volta a crescer em boa parte por conta da Copa de 2014 e dos Jogos de 2016.

Conhecidos também como apart-hotéis, eles devem ser responsáveis por ofertar de 25 mil a 30 mil novos quartos por ano para o setor hoteleiro do país até a Olimpíada do Rio. Em cifrões, um investimento de 5 bilhões de reais por ano até 2016.

 Ainda de acordo com estudo que está em mãos do Ministério do Turismo, o Brasil tem aproximadamente 8 mil hotéis, num total de 400 mil quartos para hospedagem, número que é considerado insuficiente para a Copa de 2014, inclusive porque não se restringe às 12 cidades-sede.

A ideia é que, além dos novos flats que já estão sendo construídos e atraem a atenção de investidores, repetindo boom dos anos 90, haja outras alternativas para hospedagem, como hotéis-contêineres, a um custo mais baixo, pousadas e até aluguéis de apartamentos ou casa por temporada, moda no Rio há muito tempo.

Segundo a Fifa, o setor hoteleiro, apontado como o maior problema na Copa de 2010, pode prejudicar o evento também em 2014. A avalição é contestada pelo governo que lembra da forte retomada na construção de flats ou apart-hotéis nas 12 cidades-sede, que podem suprir a falta de quartos nos hotéis.



  • Vitor

    Como corretor imobiliário tenho sentido essa tendência e o interesse de pequenos investidores de comprar uma ou mais unidades para ganhar dinheiro com aluguel. É um mercado que precisa de calma. No passado teve gente que comprou flat por 150 mil reais e pouco depois ela valia a metade. Quem soube esperar se saiu melhor do que quem vendeu a unidade e realizou o prejuízo. Copa e Olimpíadas vêm em bom momento, podem gerar muito mercado também para o setor de serviços. As pessoas olham para o lado ruim, da corrupção, mas esquecem de um lado bom, como esse dos flats.

    • janca

      Oi Vitor, há vários pontos positivos em termos a Copa e a Olimpíada por aqui, por isso sempre fui favorável a elas, o que não quer dizer, muito pelo contrário, que temos de fechar os olhos para tanta coisa errada que acontece por estas bandas por conta destes dois grandes eventos. Abs. e boa quinta pra você, Janca

  • Sergio

    Mais uma notícia boa sobre os eventos, mas os burros de carga só ficam repetindo a ladainha do “assalto aos cofres públicos”, tem que tirar o cabresto do olho e enxergar além.

    • janca

      Mas também não podemos nos esquecer do que acontece com os cofres públicos, pois se trata do nosso dinheiro, Sergio. Abs.

  • Rodrigo

    Uma boa seria famílias hospedarem quem vem de fora. Que tal 100 euros por dia, pra um casal, com direito a comida e tudo, por uma semana? Se baterem lá em casa, pode vir que eu durmo na sala! Ah, esqueci. Mas aqui é Brasil né, soaria como despreparo, teria que pagar uma taxa pro governo, teria licitação para organizar, com vencedor manjado etc.
    abraço!

    • janca

      Sabe que nem sei como funciona, Rodrigo? Mas no Rio faz-se muito aluguel por temporada, especialmente para o final do ano e o Carnaval. Abs. Janca

    • Bruno

      Rodrigo, veja o site airbnb.com . Ele faz exatamente isso que você falou, sem desorganização nenhuma. Mas como no Brasil tem muito espertinho, era bem capaz de cobrarem e passarem o endereço errado pros gringos…

  • Ricardo Araujo

    Olá Janca, uma das grandes preocupações de qq mega evento, não é apenas o de possuir capacidade total de hospedagem, mas, principalmente, se esses “quartos” possuem uma distribuição adequada ao tipo de público que irá demandá-los. Lembro que 85% do público que frequenta mega-eventos é de PF (pessoa física), e não de PJ (jurídica), que busca acomodações mais baratas. Na Africa, vários hotéis de 4 e 5 estrelas tiveram baixa ocupação, enquanto muita gente faturou alugando quartos de suas casas para os turistas. SP por exemplo, que é apontada como cidade mais bem preparada nessa área, me preocupa, pois possui uma qtde de hotéis baratos, de razoável qualidade e bem localizados, muito pequena. Sobram hotéis caros, que enchem porque SP recebe uma grande qtde de turistas PJ, o que não acontecerá na Copa.
    Acho essa tendencia de “hospedagens alternativas” muito interessante e usadas em vários lugares. Como esse investimento é privado, existe a preocupação do setor da precipitação em investir na construção de hotéis que não se viabilizarão no período pós-eventos, o que é natural.
    Acho que precisamos pensar em alternativas de hospedagem farta e barata, principalmente em termos de mega eventos, pois essa é a demanda principal do público que o frequenta. Abs.

    • janca

      Concordo plenamente com você, pois há muitos mochileiros que buscam alternativas baratas, não os hotéis mais sofisticados. O público é extremamente variável, Ricardo. Grande abraço, Janca

  • Oliveira

    e CORINGÃO VAI APRONTADNDO EM, VAI COMENDO O MINGUAU PELAS BORDAS, VAMOS BUSCAR ESSE TITULO PAUISTA TAMBÉM, GALERA. ABRAÇO

    • janca

      Tá cedo ainda, Oliveira, e essa fase não vale quase nada. O regulamento do Paulista é péssimo. O campeonato começa mesmo nas quartas-de-final, o que é uma injustiça com times, como o Corinthians, que estão fazendo boa campanha nessa fase. Abs.

  • Oliveira

    Luxemburgo está igual patureba, enverga mas não quebra ou melhor firme igual prego na melancia podre!

    Agora vai o tecnico! Amanhã vai o R10, porque já disse só jogo se me pagar……………………….

    • janca

      O anúncio da saída dele chegou a ser dado ontem pela imprensa, pelo menos vi na TV durante o jogo da Lusa, mas até o início da tarde de hoje ele estava resistindo… Agora parece que foi, né? O ano não começou fácil pros lados da Gávea, não…

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo