Capital estrangeiro na Copa



Enquanto o governo brasileiro e os empresários brasileiros batem cabeça sobre a Copa de 2014, cujos investimentos em infraestrutura andam com passos de tartaruga, os estrangeiros começam a se mexer e a voltar os olhos para o evento. Atrás de lucros e boas oportunidades.

Em Mato Grosso, onde dois dos principais problemas são a falta de investimento em mobilidade urbana e hotelaria, um grupo israelense especializado em tecnologia, hotelaria e energia discute com o governo projetos para o Mundial de 2014, que incluem investimento no setor de transporte e apart-hotéis.

Já dois grupos noruegueses enviaram consultores ao Brasil de olho no turismo no Nordeste. Planejam investimentos em Pernambuco, Alagoas, que não terá jogos da Copa mas é tido como um dos cartões-postais da região, e Rio Grande do Norte. Pensam em investir em resorts e pousadas como fizeram portugueses e espanhóis na década passada em cidades como Porto de Galinhas (PE).

Há até xeque do Qatar, sede do Mundial de 2022, com projeto de investir em turismo na Amazônia de olho na Copa da Brasil.

A entrada de capital estrangeiro e a parceria com grupos de fora podem ser interessantes, embora eles estejam se aproveitando da falta de planejamento dos brasileiros, que deixaram tudo para a última hora e começam a entrar em desespero quando o assunto é Mundial e seus “puxadinhos” no reino do improviso.



  • Procópio

    Moro em Cuiabá e posso dizer que deixaram tudo pra última hora. Maior problema é transporte. Vai melhorar se derem feriado pra todo mundo em dias de jogos. O estádio tá caminhando, o resto que não.

    • janca

      Não sou contra anteciparem férias escolares e decretarem feriado, mas acho que são soluções paliativas, que servem para a Copa, no curto prazo, sem deixar um legado. Fora os estádios que podem virar elefantes brancos. Abs.

      • Capitão

        Londres vai restringir o uso do aeroporto durante as Olimpíadas, normal decretarem feriado nas sedes da Copa. A dor de cabeça vão ser mesmo os estádios e o que fazer com eles depois. Quero ver em cidades como Natal e Manaus. São Paulo e Rio dão um jeito por causa dos show internacionais.

        • janca

          Insisto que não sou contra decretarem feriado, muito pelo contrário, mas acho que o legado que poderíamos ter com a Copa vai ficar muito menor do que o previsto. Muito menor. Sem falar nos estádios que são problemáticos mesmo em SP e no Rio. Veja o caso de SP. O do Corinthians está sendo construído com muitos benefícios públicos, o Pacaembu vai perder seu principal cliente, ficará às moscas? O Maraca está sendo reformado mais uma vez com dinheiro público, pois é do Estado, mas depois deve ser repassado à iniciativa privada. Não acho isso bacana. Ou seja, preocupação não é só com Natal e Manaus, não. Abs.

          • Matheus

            Antes o Maracanã administrado por Flamengo e Fluminense do que pela administração pública, Janca

          • renato sá

            FERIADO?
            E a incompetência do governo será bancada pela iniciativa privada? Quem vai pagar um dia a menos de produção? Ou, em caso de empresas que não podem fechar, quem vai bancar um dia de hora extra?
            O Custo deste feriado, o custo de um dia parado é enorme, algumas micro e pequenas empresas não podem com mais um feriado, um feriado não planejado e arbitrário. Um feriado pela incompetência do governo e para. única e exclusivamente, beneficiar um evento 100% privado (do ponto de vista do lucro que vai gerar).

            Essas coisas não estão discutindo, o fato de um feriado (e será mais de um em certas cidades), custa a economia brasileira. Quanto custa um dia de feriado nas principais capitais brasileiras? Se pegarmos só SP, RJ, BH e POA, os dias de feriado geram prejuízos muito maiores que os lucros previstos com o turismo.

          • janca

            Calma Renato, não pensei por este viés. Talvez tenha pensado olhando meu próprio umbigo, já que trabalho por conta própria, tenho empresa, mas nunca tive funcionário na vida e sendo feriado ou não vou trabalhar. Abs. Janca

          • Gilson D. Mendes

            Caro Janca, o Corinthians até que tentou assumir o Pacaembu, mas a bancada da bola que existe na Camara municipal não autorizou e bem como a vizinhança do estádio, pois ali existe um clube social, não é só futebol. Agora o municipio vai ter que arcar com os custos e com menos faturamento, a não ser que a equipe do Santos passe a jogar na capital.

          • janca

            Mas sabe que eu sempre fui contra o Corinthians assumir o Pacaembu? Até pelo clube social que existe ali, aberto à comunidade. Mas não só por isso. Pois é um patrimônio de São Paulo. Como sou contra os benefícios que recebeu, inclusive por conta da bancada da bola que você cita, para erguer o seu estádio em Itaquera. Com isso o município dá um tiro no próprio pé. Ajudar o Corinthians a erguer sua arena e perde seu principal cliente no Pacaembu. Por isso, inclusive, ainda flerta com o Santos para o clube do litoral jogar mais vezes no local quando o Fielzão ficar pronto. Abração, Janca

  • Matheus

    Entre Flamengo e Fluminense administrando o Maracanã e a empresa do Eike sou bem mais Fla/Flu.

    • janca

      Já discordo, Matheus. Não sou favorável nem a Fla/Flu administrando o Maraca, nem ao conglomerado do Eike. Se o estádio está sendo reformado _e pela terceira vez para ficar nos padrões Fifa_ com dinheiro público, na hora de gerenciá-lo vai pra administração privada? Só se for muita vantagem para o Estado, o que duvido. É a velha questão da privatização…

      • janca

        Ah! E curiosamente antes da Copa o papo era de que não haveria dinheiro público em estádios, principalmente nos particulares. Então tá, né? Abs.

  • Matheus

    Estrangeiros investindo no Brasil é bom sinal, não temos que afastar investimentos estrangeiros, Janca

    • janca

      Aí estamos de acordo, Matheus. Também sou favorável, mas só faço um adendo. Se tivesse havido planejamento as empresas nacionais teriam maior espaço, principalmente as pequenas e médias, se houvesse uma política pública com o intuito de assegurar um espaço pra elas. Abs. de novo, Janca

  • Fogão sadio

    falta de planejamento, orçamentos super-hiper-mega-ultra faturados, falta de capacidade e de seriedade. Brasil: um país de TOLOS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ê povinho mequetréfe esse nosso sô……………………………………

    • Voz da Consciência!

      Salve Fogão, disse tudo meu caro; é exatamente isso! Povo hipócrita, pequeno, idiota… tudo o que você imaginar de ruim e de tolo é o que cabe à maioria do povo brasileiro, acredito que se fôssemos um povo mais adulto e maduro teria no mínimo um plebiscito para aprovarmos ou não a Copa de 2014 aqui no Brasil, se bem que a maioria escolheria que sim mas ainda assim saberíamos a porcentagem da população que põe a mão na consciência e raciocina.
      No fundo tudo não passa de uma grande jogada para que o corintia pudesse ter enfim seu “estádio” depois de mais de 100 anos de existência, afinal o Lula molusco não poderia como presidente DAR um estádio ao clube que torce e então arranjou um jeito bem brasileiro de fazer isso sem dar muito na cara da população, ou vocês acreditam que o Morumbi ou o Maracanã não seriam suficientes para isso? Cavaram um jeito SUJO para apresentar irregularidades milionárias em cada um desses estádios para ter argumentos e construir o Itaquerão para o clube centenário da Zona Leste de São Paulo. Esse país é uma VERGONHA sem tamanho e uma das coisas de que me orgulho é justamente o fato de que eu NÃO sou corintiano e JAMAIS votei no Lula ou sequer qualquer candidato do PT em qualquer esfera política.

      • janca

        O mais incrível é que antes da Copa diziam que não haveria verba pública para arenas privadas. Diziam… Abs.

  • junior

    esse jornalista acha que o pib(produto interno bruto) do brasil e iqual
    o da argentina acorda João Carlos Assumpção.
    o brasil nao precinsa de dinheiro do estrageiro nenhum.

    • renato sá

      mas ninguém disse que precisa…. Justamente foi dito o contrário, pelo marasmo e não planejamento (ou falta de interesse mesmo) do governo e iniciativa privada brasileira é que este capital está entrando.

      e depois, PIB não é igual a riqueza interna… muito pelo contrário, em países como o nosso, recheado por multinacionais, o PIB é uma medida bem enganosa de riqueza, pois parte deste montante migra para as matrizes….

      • janca

        Oi Renato, aí discordo de você, não acho que investimentos estrangeiros sejam um mau negócio, não. Podem gerar empregos, por exemplo, e movimentar a economia brasileira. Com a crise do euro e com a situação da economia mundial até podem diminuir, mas ainda acho que (aí estamos de acordo) havendo planejamento a situação pode (ou poderia) ser outra. Inclusive beneficiando a indústria nacional, o setor de serviços, com foco também nas pequenas e médias empresas, o que não tem acontecido. Abs. Janca

        • renato sa

          janca, minha resposta foi mais em dizer que não é obrigatoriamente necessário investimento externo, e não que não devemos aceitar. Concordo com você de que investimento externo (desde que não especulativo e sim de médio longo prazo), é benéfico e serve como catalisador, impulsionando a economia (como entre 1955 e 1960). Só temos que aproveitar e não criar dependência, como bem fez e faz a Coréia do Sul.
          Abraços!

          • janca

            Entendi o que você quis dizer, Renato. Não sendo especulativo também acho ótimo. Abração, Janca

    • janca

      Precisa sim. Se não precisasse seria um país autosuficiente e não é. Abs.

  • mauricio

    Problema nenhum em dinheiro estrangeiro. Sem falar que é um evento internacional. O país mesmo a rigor só serve de sede. O que importa é esse evento esportivo ser bem sucedido. Que mania de achar que um evento esportivo, por de maior porte que seja deve ajudar “o povo”, senão trazer diversão, alegria, ao “povo”.

    • janca

      Discordo de você, Maurício, até porque o brasileiro mesmo vai ver os jogos por telão. Se vamos investir tanto para receber um evento _e vamos_ temos que ter um legado signficativo. Abs.

      • mauricio

        É, isso só porque tem dinheiro público envolvido.

  • Vitor

    Vocês têm que separar duas coisas. Investimento estrangeiro é bom quando não capital especulativo. No caso apontado não se trata de capital especulativo portanto é válido.

MaisRecentes

Galiotte cobrado



Continue Lendo

Palmeiras ferve



Continue Lendo

Cuca continua?



Continue Lendo