A avaliação da Fifa



A Copa do Mundo no Brasil será tão complicada quanto a da África do Sul. A avaliação é da Fifa, que fez visita oficial ao país agora em janeiro e até 2014 irá acompanhar mais de perto os preparativos para o próximo Mundial.

Apesar de ter coberto os sul-africanos de elogios, especialmente por ter faturado muito com o evento de 2010, enquanto os anfitriões tiveram dificuldades para fechar as contas, a Fifa avalia que a Copa passada ficou abaixo das expectativas. E que os brasileiros seguem o mesmo caminho.

Para a Fifa, os dois maiores problemas na África do Sul foram hotelaria em primeiro lugar e segurança em segundo. No Brasil, as duas maiores preocupações são aeroportos e hotelaria.

A cúpula da Fifa avalia que a situação aeroviária no Brasil é caótica e que não tende a melhorar até 2014. Também aponta como preocupante a falta de acomodações para turistas com diferentes orçamentos para a viagem.

Por outro lado considera positivos os projetos e as preparações dos estádios para 2014 e não se inquieta com segurança nem com o transporte dentro das cidades até porque o governo já anunciou que nas datas de jogos haverá feriado nas sedes que os abrigarem. Quanto à segurança lembra que em grandes eventos o Brasil sabe fazê-la bem.

Outra preocupação da Fifa diz respeito ao desencontro entre governo e Comitê Organizador Local. Jérôme Valcke, secretário-geral da entidade que dirige o futebol mundial, teria ficado chocado com o despreparo tanto de Aldo Rebelo, ministro do Esporte, quanto de Ronaldo, representante do COL, nas reuniões que tiveram na semana passada. E também com a falta de sintonia entre os dois.



  • Fábio

    A Fifa tá certa. Que imaginaria eu dizer uma coisa dessas? Faltando dois anos e pouco pra Copa os aeroportos não terão mais solução. É o principal buraco. Hotelaria outro sério problema. Liga pra hotel em SP e Rio e vê se consegue vaga. Em outras cidades só fora de temporada. Não somos um país feito para o turismo porque o governo nunca levou isso a sério. Segurança acho que damos conta que nem em 92, aquele evento de ecologia no Rio, estádios também vão ficar prontos, menos o de Natal, que acompanho de perto e está quase parado. Natal vai cair fora como cidade-sede, pode apostar.

    • Fábio

      Esqueci de colocar uma coisa. Notem como a Copa no Brasil não serve pra quase nada. Trânsito a Fifa acha que não vai ser um drama porque vai ser feriado. Tudo é medida paliativa. Segurança vai funcionar durante a Copa. Mas e depois? Por isso sempre fui contra a Copa aqui. Passem em Natal e vejam a situação. É de entregar os pontos.

      • janca

        Quase tudo medida paliativa mesmo. E no caso dos estádios, que a Fifa agora elogia, com algumas exceções, claro, caso de Natal, grande risco de termos elefantes brancos ou passados para a iniciativa privada faturar, embora tudo feito com dinheiro público. Mas isso não é problema da Fifa, é nosso. Por isso devemos tratar a Copa como nossa, não da Fifa, negociando ponto a ponto com a entidade o que podemos ou não fazer. Mas isso deveria ter começado lá atrás e não foi. Planejamento zero, improviso dez. Anteontem, ontem, hoje… Abs.

  • Maurovski

    Bom dia, João. A surpresa é ele se surpreender com o despreparo de Ronaldo, que infelizmente aceitou ser escudo de Ricardo Teixeira e caiu de para-quedas na estória. Seu papel passa longe dos papéis desempenhados por Beckenbauer e Platini nas Copas que seus países abrigaram. Quanto ao Rebelo, surpresa só porque ele não acompanha a nossa política de perto. Em relação aos aeroportos é pra ficar preocupado mesmo, ainda temos dois anos e até lá quase nada vai mudar, exceto o fluxo de passageiros que vai aumentar. Obras que deveriam ter sido feitas há dez anos, ainda são projetos. Duvido muito que façam algo em dois anos apenas. Quanto aos hotéis, talvez a única coisa que não podem culpar o Brasil, visto se tratar de iniciativa totalmente privada.

    • janca

      Oi Maurovski, assino embaixo do que você escreveu. Um colega de profissão meu, que atua em outro segmento no momento, esteve em contato com o secretário-geral da Fifa e ficou estarrecido com as opiniões do dirigente. Mas acho que nesse ponto Valcke está certo. O grande gargalo parece mesmo ser a situação dos aeroportos, um caos que só tende a piorar. E o representante da Fifa ficou com a impressão de que abafou e não viu nem em Ronaldo nem em Aldo interlocutores. Infelizmente acho que nem o Ronaldo sabe o que está fazendo lá. Seu papel de fato nada tem a ver com os de Platini e Beckenbauer em 1998 e 2006, respectivamente. Tristes trópicos… Abs. e uma ótima segunda pra você, João

  • sandrofla

    Janca, tiraram um ministro que pouco sabia e colocaram o Aldo que nada entende de eventos esportivos e sua política para realização dos mesmos. Ronaldo entende de ganhar dinheiro com sua agência, foi um fenômeno com a bola nos pés e mais nada. Me desculpem mas precisa ter conhecimento, precisa ter estudo, e o que vemos é que Ronaldo não consegue dar uma entrevista, se travando na hora de falar com medo de errar.
    Que diferença para Platini e Beckenbauer!
    Por que não escolheram o Leonardo para presidir o comitê? Com a turma que lá está acho que ele não aceitaria.

    • janca

      Até acho que o Leonardo aceitaria, já trabalhou para o Berlusconi, no Milan, hoje está com xeque do Qatar no PSG… E em termos de preparo não há dúvida de que o Leonardo tem muito mais bagagem, cultura, estrutura e até jogo de cintura para lidar com a Fifa. Já Ronaldo… E o próprio Aldo não é do ramo, mas o ministério era do PCdoB e como a Dilma sucateou os ministérios para partidos políticos já viu, né? Abs.

  • ANDERSON

    Aeroportos se resolve como em todos os países na época destes eventos: Se nao sao férias, decreta-se férias. Ponto final! O problema dos aeroportos é q no Brasil sempre teve a visao que voar era para poucos, aquela visao tacanha e elitista e mesmo sabendo q há uma populacao inteira pra “consumir” tal serviço, na década de 90 (governos Itamar e FHC), NADA, NADA e NADA, se fez nos aeroportos! O que ainda consegue-se respirar atualmente, é pq no governo Lula começou-se a investir nos aeroportos. Vide o aeroporto novinho de Pernambuco… aeroportos sao obras caríssimas e de longo prazo. Nao tem como em 2 anos querer q saiam do zero. A turma aqui no Brasil tem é q mudar de cabeça e ter uma visao menos atrasada. A Europa tem hoteis de varios preços, estrutura aeroportuaria melhor, pq simplesmente fazem as coisas pra todos, aqui no Brasil, os brasileiros sao elitistas, e dá no que dá! Agora tenho certeza que qdo a Europa começou a sediar estes eventos tb enfrentaram estes gargalos. Nem por isso, ninguem daqui foi lá e disse q nao poderiam.

    A turma da Europa tá surtando pq antes era uma Copa fora e outra dentro de casa e Blatter, mal ou bem, tirou a copa de lá por mais de 16 anos!!! Ainda mais, tirou a COpa da toda rainha e magnífica Inglaterra, afundados todos numa crise desgraçada que os faz mais parecer com o Brasil. Morando nos EUA até ano passado, passamos a apelidar a terra de Tio Sam de Brasil do Norte… enquanto aqui as perspectivas e melhoras sao claras, mesmo que devagar, lá as perspectivas sao pessimas, empobrecimento geral, falta de educacao geral, colapso das famílias, aumento da violencia e tudo mais… mas isso nao é falado aqui, por motivos óbvios… a imprensa quer sempre vender a imagem que o Brasil está mal, q é um cachorro sem dono… Babam nas bonanzas européias, com aquela visao de subserviencia, mas mal sabem que lá eles tem os mesmos problemas, em grau menor, mas outros problemas que nao temos (em grau muito maior que a gente), mas eles buscam sempre enxergar o lado bom das coisas.

    Falta a imprensa brasileira e a elite um pouco mais de visao, afinal tudo de ruim e atraso no Brasil é resultado da ganancia e egoísmo da elite brasileira que concentrou, concentra e quer continuar concentrando toda a riqueza do país. E detalhe: os gringos sabem q os problemas do Brasil tem a raiz de sua causa no egoismo de poucos… inclusive a educacao, ou a falta dela, é interessante para a elite, que se beneficia controlando os recursos… mas o povo está se libertando e libertará deste pensamento tacanha, atrasado e de subdesenvolvido!!!

    • janca

      E a elite brasileira continua deitando e rolando. Banqueiros nunca faturaram tanto, no governo FHC, no governo Lula (era uma festa só), no governo Dilma, não importa neste momento, a questão, Anderson, é outra. Decretar feriado e pronto não resolve o caso dos aeroportos. Veja festas de final de ano, Carnaval, feriados em geral. Um caos. O Brasil sabe que será sede da Copa oficialmente desde 2007, quase cinco anos se passaram e nada. E o problema não é só a questão dos aeroportos. Investimento em transporte público, nada. Saúde, nada. Educação, nada. E isso não é de hoje. Não se trata de disputa PT e PSDB. A Copa está aí, era uma grande oportunidade para o país e do jeito que as coisas estão sendo conduzidas teremos um legado _e para a gente interessa o legado a um preço justo_ mínimo, como aconteceu no Pan do Rio. Abs.

      • Maurovski

        Já era, João. O cavalo passou selado. A fila andou. Nós, o povo, perdemos a grande oportunidade de termos essas melhorias em setores vitais, como você mencionou. Não dá mais tempo. Tudo porque o governo (leia-se Lula) ao invés de levar a sério, preferiu fazer festa e política com a Copa. Deixou nas mãos do Ricardo Teixeira e viu no que deu. E sobre o legado, acho que você quis dizer como NÃO aconteceu no Pan do Rio…rs.
        Quanto ao que postou o Anderson, digo que já votei no Lula, depois votei nulo. Nesta última, votei na Dilma. Não queria o Serra. Já fui apaixonado pela esquerda, assim como ele é agora. Depois percebi que não temos isso no Brasil, de esquerda e direita. Esse discurso dele eu ouvi muito em meio dos anos 80, na minha juventude. Hoje já estou quarentão e não me dou ao direito de ser iludido. O que falou das elites, tem alguma razão em certo ponto. Boa parte desta classe continua achando que o Brasil não mudou, que muitas pessoas não podem ter acesso ao que têm agora. Mas sobre o que falou da Europa e EUA, acho que se equivoca um pouco, ou muito. E erra ao não ver que todos os governos foram (ir)responsáveis por essas falhas graves nos aeroportos.

        • janca

          Oi Maurovski. Eu também já votei muito no PT e talvez ainda vote de novo. Não consegui votar na eleição pós-mensalão, não tinha estômago, mas hoje também não vejo diferença entre os discursos dos partidos políticos brasileiros, pelo menos dos mais fortes ou conhecidos. Tanto que Sarney, Collor e Maluf foram parar na base de apoio do governo, assim como ACM e o antigo PFL eram base de apoio do PSDB e de FHC. Em relação à Europa também acho que ele se equivoca pois é um continente elitista, sim. E colonialista, apesar do premiê britânico ter acusado a Argetina de colonialista. Parece brincadeira… De fato todos os governos foram responsáveis por este caos aéreo que temos e por todas as mazelas políticas, mas ainda acho que dá para mudar _um pouco que seja_ o rumo que a Copa no Brasil tomou nos últimos quatro anos e meio, quase isso. Está cada vez mais difícil, mas ainda dá tempo. Pena que o Pan, que deveria servir de exemplo para o que não deveria ser feito, está se repetindo na preparação do Mundial. E provavelmente a história se repetirá em 2016… Abração, Janca

  • Mingorance

    É triste ver noticias como essa, vi reportagens dizendo que em muitos aeroportos farão “puxadinhos”, esse será o legado que ficará para a população?

    • janca

      Tem toda razão. E os “puxadinhos”, pelo que tenho lido, já começaram. Ou seja, improviso pra cá, improviso pra lá. E agora sugerem decretar feriado _aliás sugeriram há alguns meses, antecipar as férias escolares, coisa e tal. Enfim, o legado vai ser mínimo e o custo altíssimo, amigo. Pelo menos caminhamos com tudo pra isso. Abração, Janca

  • renato sá

    Um absurdo….

    Absurdo agora a FIFA querer “culpar” a iniciativa privada. Se falta rede hoteleira nas cidades é bem provável que elas tenham sido mal escolhidas. Um exemplo é Cuiabá, a cidade, por mais que exaltem o Pantanal, não deveria em critério nenhum sediar a Copa. Não tem rede hoteleira e não tem perspectiva de um turismo muito além do que tem hoje. A cidade não tem clube de futebol, não tem aeroporto, sabemos bem o critério da FIFA…

    Quem iria investir milhões na construção de um hotel (e precisariam de mais de um), para apenas 3 jogos? Três jogos, quem?
    Só existe um louco investidor que gasta tanto num projeto de risco 100%, o governo.

    E quanto aos transportes, o único real legado que poderíamos ter dessa Copa, nada. Ao contrário, vão “proibir” os brasileiros de circularem em dias de Copa. Quem sabe a solução dos aeroportos não sejam iguais, “próximos ao dias de jogos, só quem tem ingresso pode voar…)”.

    • janca

      Risos. Só falta essa: só viaja quem tem bilhete prum jogo da Copa _rs. E de fato a questão hoteleira é assunto da iniciativa privada. Espero que o governo não decida investir em hotéis… Abs. Janca

  • Carlos

    Boa Tarde, No Brasil acostumou-se a ir levando ou empurrando com a barriga. Na hora do pega para capar o que fazer? SUPER-FATURAR as obras e quem ganha com isso o pais ??? será mesmo ou as empresas privadas ??? enquanto isso a nossa saúde, educação, transporte e etc … indo de “MAL A PIOR”. Mas como dizem enquanto existir CARNAVAL, FUTEBOL e BUNDA para que pensar em coisas banais ????? isso é perca de tempo.

    • janca

      Quanto mais as obras ficam para a última hora mais caras elas se tornam. E com o aumento do orçamento e dos gastos do governo um grupinho certamente sai ganhando. Já a população… Fica com samba e futebol. Abs.

  • Janca, resumindo, o legado da Copa será zero. Nada de melhoria em segurança, aeroportos, transporte público, etc. Abraço!

    • janca

      Oi Roberto, resumindo e exagerando um pouco é quase isso _rs. Aliás rindo para não chorar, né? Abração, Janca

  • Johannes

    Boa Tarde João Carlos,
    A Copa do Mundo provavelmente se resumirá em muitas decepções, mas poucas surpresas. Se o legado para a maior parte dos cidadãos não parece promissor, para algumas construtoras será muito bom , o fluxo de caixa delas vai dar uma boa melhorada, pois os cofres públicos estão aí para bancar a festança em 2014.

    • janca

      Oi Johannes, pelo jeito o caminho que decidiram seguir foi esse mesmo, presentes para as construtoras, festa de empreiteiros, mas para quem paga impostos só sacrifícios. Espero que esteja tudo bem com você e família, grande abraço, João Carlos

      • Johannes

        Tudo tranquilo João Carlos, a nova integrante da tripulação familiar fez 4 meses ontem, ainda no compartimento-mamãe, em Junho ela se junta a cabine de comando …Grande abraço.

        • janca

          Bom saber, Johannes. Fico contente por vocês. Grande abraço, João Carlos

  • gmf-rj

    Caro Janca, como sempre análise inteligente, parabéns pelo post. Sobre a avaliação da Fifa, faço uma indagação: será que a Fifa não sabia que o Brasil não teria capacidade para sediar uma Copa do Mundo? É claro que sabia, agora vem com essa história de que o Brasil está com situação caótica no que se referere a aeroportos e hotelaria. A pouco tempo atrás, li uma reportagem onde dizia que a Copa do Mundo e as Olimpíadas só migram para Países Corruptos. E o que estamos vendo atualmente? Corrupção…Corrupção…Corrupção. É uma vergonha o que estão gastando nas construções e reformas de Estádios. Agora dinheiro para Saúde, Educação, Moradia, Segurança etc…etc… ai não tem. O legado que essa Copa e Olimpíadas vão deixar para nós será uma crise generalizada, infelizmente. Vide exemplo de Portugal com a Euro, Grécia com as Olimpíadas e Afríca do Sul com a Copa, aqui não será diferente lamentávelmente. Um grande abraço e mais uma vez parabéns pelo brilhante post.

    • janca

      Obrigado pelos elogios, mas você sabe que eu acreditava que o Brasil poderia fazer uma Copa muito melhor, com orçamento mais baixo (até hoje o próprio governo não sabe dizer qual será o custo da Copa) e um legado maior e melhor para a população? Se tudo fosse conduzido de outra maneira… Mas perdemos quase cinco anos e agora faltam pouco mais de dois. Tudo ficando para a última hora como já foi dito ganham as empreiteiras, pois os preços tendem a subir cada vez mais. Uma pena e uma história já conhecida, vide o que aconteceu (ou não aconteceu, como já apontaram aqui) no Pan de 2007. Legado praticamente nulo e orçamento que subiu de 400 e tantos milhões de reais para cerca de 3,7 bi. Abs.

MaisRecentes

A dívida do Verdão



Continue Lendo

O clima para Rodrigo Caio



Continue Lendo

Timão x Odebrecht



Continue Lendo