Apostas no futebol



Integrantes do Ministério do Esporte devem se reunir em fevereiro com um grupo de economistas, advogados, consultores de marketing esportivo, empresários e dirigentes de clubes para discutir a questão das apostas no futebol.

A ideia, que surgiu ontem, é realizar um painel para discutir os rumos da Timemania, considerada um fracasso até aqui.

Quando criada ela tinha como principal objetivo angariar recursos para os clubes e ajudá-los a pagar impostos e dívidas com a própria União.

Apesar de toda a propaganda em torno da loteria, ela tem sido considerada um fiasco, pois tem enormes dificuldades para arrecadar mais de 100 milhões de reais por ano, cifra muito inferior à expectativa inicial, que previa de 500 milhões a 750 milhões de reais por ano.

Segundo avaliação do governo, além da Timemania, Loteca e Lotogol têm se mostrado tremendos fracassos e um dos principais fatores seria o interesse do público pelos jogos on-line.

As apostas na internet, que estão nas mãos de estrangeiros sediados principalmente no Leste Europeu, preocupam e devem ter suas operações regulamentadas no Brasil ainda em 2012 até para frear a concorrência de fora.

No Velho Continente elas têm gerado inquietação nas autoridades da Uefa, encabeçadas por seu presidente Michel Platini, que as considera conectadas com esquemas de manipulação de resultados e lavagem de dinheiro.

As estimativas sobre os valores movimentados no mercado brasileiro por conta das apostas on-line variam muito, mas chegam à casa de 1 bilhão de reais por ano, quase 10 vezes mais do que a arrecadação da Timemania.



  • Maurovski

    Bom dia, João. Em relação à Timemania, pra mim, alguns erros são claros. Você sabia que em termos de probabilidade, jogando-se um cartão simples, é o jogo mais difícil das loterias, depois da mega-sena (só que essa caiu no gosto popular e paga prêmios atraentes), com chances de 1/26.000.000? É tão difícil e com tão poucos jogos que ela acumula às vezes por 10 sorteios. Sei disso porque sempre jogo desde sua implantação (apostando no meu Ceará). Sempre achei que devíamos apostar nos escudos e não em números, seria algo diferente. Bom, isso é outra coisa. Quanto às apostas on-line serem legalizadas por aqui, acho que é um assunto muito sério que cabe um estudo profundo. Aposta no Brasil sempre foi um tabu. Talvez pela ideia, ou certeza, de coisa ilegal, mafiosa. Se já temos rumores de resultados “estranhos” no futebol sem isso, acredito que com a publicidade destas apostas, isso iria virar uma loucura sem controle. Não creio que o aumento na arrecadação de impostos, para pagar dívidas dos clubes, valha o sacrifício.

    • janca

      Oi Maurovski, confesso que estou muito longe de se um especialista no assunto, aliás não entendo praticamente nada. Soube apenas da iniciativa de integrantes do Ministério do Esporte em discutir a questão das apostas e da Timemania, o que acho saudável. E eles me passaram algumas cifras que achei interessantes, como a da baixa arrecadação da loteria (Timemania) que coloquei aqui no blog. Mas nunca joguei, jogava quando era moleque e havia a Loteria Esportiva. Gostava da zebra do “Fantástico”, mas acho que nunca cheguei a fazer os 13 pontos. Chegava perto… Interessantes suas observações, não sabia que a Timemania era a mais difícil das loterias, mas tenho uma hipótese a mais para explicar seu fracasso. Hoje não é como antigamente quando você tinha a Loteria Esportiva quase sem concorrência. Há muitas outras loteriais, muita concorrência, pouco espaço para ela. Sobre as apostas on-line também acho muito arriscadas e um meio muito complicado, do qual eu, particularmente, quero distância. Mas vale a discussão pois pelo que me consta é uma realidade. E a luta do Platini contra manipulação de resultados associada às casas de apostas mais do que válida. Veja o número de denúncias na Europa. Já que falamos de apostas confesso que mesmo sobre bingo _e cassino_ não tenho uma posição definida. Teria que conhecer melhor o assunto para avaliar. Abração e bom dia pra você também, João

  • celso

    Wagner Love, é melhor ter dinheiro no frio, do que ficar duro no calor. Aqui a canoa esta afundando e a unica a se salvar vai ser a nadadora.

  • sandrofla

    Se é inevitável um jogo de azar para o futebol que se sente e discuta a melhor solução. Devemos observar que já houveram denuncias e algumas comprovações que houveram manipulações nos principais campeonatos do planeta (italiano, espanhol entre outros). Nosso futebol está supervalorizado com salários astronômicos e contratações a nível europeu o que está atraindo as apostas on line e todos os problemas que isso vai gerar.

    • janca

      E se não estou equivocado há propaganda destes sites de apostas em veículos de comunicação, talvez até no L!, se não agora em outros momentos, em estádios de futebol, em camisas ou mangas de times… É algo que está aí e melhor controlar ou regulamentar de alguma forma do que não fazer nada. E apostas você tem até em jogos de Copa do Mundo. Abs. Janca

      • Sampaio

        Tem propaganda sim Janca porque os sites não são ilegais, mas como você já disse são geridos do exterior e é bom o governo estudar logo o assunto pra não perder o pé como já perderam na Europa. Deve ser por isso que o Platini tá gritando. Jogos e lavagem de dinheiro andam de braços dados.

        • janca

          Valeu pela informação, Sampaio, e os Anões do Orçamento (lembra deles?) que o digam, não? Se não estou enganado teve um que ganhou não sei quantas vezes na loteria… Mas sabe que em tese, apesar de não jogar, não sou contra bingo ou cassino? Acho que se bem regulamentados e vigiados podem se descolar da lavagem de dinheiro. E há denúncias ou suspeitas de lavagem de dinheiro inclusive no futebol. Enfim, sobre jogo ainda não tenho uma posição definida, preciso aprender melhor os mecanismos para me posicionar se contra ou a favor. Abs.

  • Ricardo Araujo

    Janca, no seu texto vc escreveu uma frase que embute uma das principais fraquezas do projeto “Timemania”. A comunicação. O projeto foi péssimamente “vendido” para a opinião pública, e é refletido na frase “quando criada ela tinha como principal objetivo angariar recursos para os clubes e ajudá-los a pagar impostos e dívidas com a própria União”. Errado Janca. O objetivo era, e ainda é, fazer a União recuperar um passivo utilizando-se das únicas propriedades de valor que os clubes possuem capazes de concretizar esse objetivo: a exploração gratuita de suas marcas. Cada clube sómente se beneficiará desses “recursos”, apenas e tão somente após a quitação de seus débitos fiscais. Mas como foi mal “comunicado”, criou na opinião pública em geral a “certeza” de que a loteria estaria sendo criada para “prover recursos para os clubes via contribuinte. A Timemania é um fracasso, pelo somatório do erro de comunicação, que causou uma profunda antipatia da população, com erros técnicos. Prêmios muito baixos (depois do IR a parcela da arrecadação para a premiação é de apenas 32,2%, baixíssima), período estimado de quitação das dívidas muito baixo face à baixa premiação (20 anos), e concorrência com outras loterias com o mesmo “tema” (loteca etc). A Timemania precisa de uma reformulação profunda para manter seus objetivos. A idéia é boa, pois os clubes não possuem patrimônio suficiente para pagar esses débitos e a exploração de suas marcas é o único “bem”, mesmo que intangível, capaz de em, quem sabe, 40 anos, fazer a União recuperar esses débitos. Mas é um problema que precisa ser discutido urgentemente, e eu espero sinceramente que aqueles que trabalham na área de gestão do esporte possamos participar dessas discussões, ao contrário do que foi feito na redação do “Estatuto do Torcedor”, que acabou sendo um documento muito aquém do que poderia ter sido. Forte abraço.

    • janca

      Oi Ricardo. Agradeço pelo “puxão de orelha” e pelas observações, que acrescentam muito para o debate do fracasso da Timemania até aqui. Mas fiquei apenas com uma dúvida. Quando coloquei que o objetivo era ajudar os clubes a pagar impostos e quitar dívidas com a União é uma forma de o governo _e uma forma justa_ recuperar um passivo que não vinha sendo pago, certo? E clubes que não têm dívidas atrasadas com a União podem ficar com os recursos, não é isso? Pergunto porque como disse não sou especialista nessa questão e concordo que a Timemania tem de ser revista, já que arrecada muito menos do que o esperado, e foi muito mal vendida ao público. Abração e obrigado desde já, Janca

      • Ricardo Araujo

        Sim Janca, a idéia é que na medida em que cada clube resgate o seu débito, a partir daquele momento ele passa a receber pelo uso da sua marca. Ou seja, o uso gratuito da marca pelo Governo se encerra com a quitação da dívida. Na prática, todos os clubes devem impostos federais. Uns devem muito mais que outros, e neste caso terão seu perfil de dívida brutalmente alongados, mas não existe outra solução. A alternativa do Governo seria “executar” essas dívidas confiscando ativos dos clubes para quitar os débitos mas a grande maioria não teria patrimônio nem para quitar a metade. Não acredito que as apostas on line sejam as responsáveis pelo fracasso da Timemania. Se esta for melhor “vendida”, e, principalmente, se o payout (parcela da arrecadação que é destinada ao pagamento do prêmio) for substancialmente elevado, a loteria pagará prêmios atraentes e aumentará muito o volume arrecadado. A loteca e lotogol são ainda piores na relação total arrecadado x distribuído.
        Aproveito tb para parabenizá-lo pela gentileza de responder a todos que comentam no blog. Eu tb faço isso no meu e sei bem como isso é importante. Abs.

        • janca

          Valeu Ricardo e muito obrigado pelas informações. Abração pra você, bom final de semana, Janca

  • Marcio Wilk

    Acho que o governo deve cobrar os clubes e pronto, e não arranjar meios para que continuem a não produzir nada, não arrecadar, não pagar e ainda claramente lavar dinheiro de “máfias”. O governo deve ditar as regras e cobrar, e se fechar os clubes, muito melhor, devem recemeçar como empresas , geridas por profissionais que possam ser responsabilizados.

    • janca

      Que a questão da responsabilidade de quem gere o clube deveria ser fundamental não tenho dúvidas. Mas acho que governo e clube podem chegar a um entendimento para o pagamento das dívidas e os clubes arrumarem outras fontes de receita e pararem de fazer loucuras, principalmente no tocante à folha de pagamento. Abs. Janca

  • renato

    Acho uma falta de vergonha do governo brasileiro perder tempo com clubes de futebol. Sou apaixonado por futebol, mas acredito que o Estado não deve se meter a resolver esses problemas. O Flamengo e o Fluminense devem milhões, mas continuam esnobando jogadores milionários, as custas de uma engenharia (falcatrua) financeira com parcerias. Como faz com qualquer empresa com tamanho rombo e dívidas trabalhistas, o Estado deveria alienar e vender os patrimônios desses clubes. Em todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos, as apostas sabidamente são fonte de lavagem de dinheiro. Futebol é outra fonte de lavagem de dinheiro, juntar esses dois é a perdição, como o que vem ocorrendo no futebol europeu….

    • janca

      Oi Renato, mas como explicou o Ricardo em comentários neste blog o intuito da Timemania é o governo recuperar pelo menos parte daquilo que os clubes devem pra ele. Em relação à engenharia financeira dos clubes, que gastam o que não podem em contratações e salários, aí estou de acordo com você. Abs.

  • Ricardo Araujo

    Pois é Janca, a opinião do colega Renato reflete aquilo que escrevi sobre “comunicação”. As pessoas não percebem que o Governo com a timemania não quer “ajudar” os clubes, mas sim, recuperar o que lhe é devido. Outra coisa importante, é que efetivamente não basta encontrar uma fórmula para quitar o rombo. É preciso garantir que outros rombos não serão gerados. Abs de novo.

    • renato sá

      Quando lançaram a Timemania, de certa forma ficou claro que seria para quitar dívidas, mas o problema é outro, o problema fica antes mesmo de criar a timemania…

      O problema é a completa falta de Isonomia do governo. Por exemplo, a Varig tinha problemas muito similares aos dos clubes de Futebol. Certo, a Varig era uma empresa e os clubes… ah os clubes são complexos, mas enfim, as dívidas trabalhistas somavam valores astronômicos. entretanto não se criou facilidades para a empresa aérea quitar suas dívidas (o que está certo). a empresa foi liquidada, grande parte da receita destinada ao pagamento de dívidas trabalhistas e com o governo e assim ficou…
      Outras inúmeras empresas a mesma coisa. Outras inúmeras micro empresas, idem.
      Os clubes são pessimamente administrados, quase todos não possuem estatutos democráticos, assim como poucos são transparentes (e quando tentam ser, geralmente apresentam balanços e DREs horríveis em sua elaboração).
      Por que então o governo não aliena uma porcentagem de todas as transações de jogadores feitas pelo clube e pelas parcerias (pois foi o modo de driblar a lei, o fisco, e os credores que os clubes inventaram)?
      Essas medidas, mais eficientes e eficazes o governo não toma… Fique um de nós devendo IR pra ver o que nos acontece… Futebol, apesar de paixão de todos, não é maior que ninguém….

      • janca

        Neste ponto também acho que o governo deveria ser mais rígido e tomar medidas, como você mesmo citou, como ficar com uma porcentagem da transação de jogadores, se for o caso penhorar estádios, quando na verdade faz o contrário, investe o seu, o meu, o nosso dinheiro em arenas privadas. Sobre IR tem toda razão. Mesmo que por equívoco deixe de pagar 1 real hoje pra ver quanto não vai ter de pagar amanhã com juros, multa, atualização monetária etc. etc. etc. Abs.

    • janca

      Tem toda razão, Ricardo. Abração, Janca

  • Carlos
  • Daniel

    Jogo devia ser proibido porque é sinônimo de vício, corrupção, lavagem de dinheiro, mafiosos. Sou contra bingo e cassino mesmo que uns digam que atraia dinheiro e turismo. Atrai dinheiro pra quem organiza e rouba, prejuízo pra quem joga. Vamos ficar de olhos abertos.

MaisRecentes

Protestos à vista



Continue Lendo

Ajustes no São Paulo



Continue Lendo

Mattos em xeque



Continue Lendo