Apostas no futebol



Integrantes do Ministério do Esporte devem se reunir em fevereiro com um grupo de economistas, advogados, consultores de marketing esportivo, empresários e dirigentes de clubes para discutir a questão das apostas no futebol.

A ideia, que surgiu ontem, é realizar um painel para discutir os rumos da Timemania, considerada um fracasso até aqui.

Quando criada ela tinha como principal objetivo angariar recursos para os clubes e ajudá-los a pagar impostos e dívidas com a própria União.

Apesar de toda a propaganda em torno da loteria, ela tem sido considerada um fiasco, pois tem enormes dificuldades para arrecadar mais de 100 milhões de reais por ano, cifra muito inferior à expectativa inicial, que previa de 500 milhões a 750 milhões de reais por ano.

Segundo avaliação do governo, além da Timemania, Loteca e Lotogol têm se mostrado tremendos fracassos e um dos principais fatores seria o interesse do público pelos jogos on-line.

As apostas na internet, que estão nas mãos de estrangeiros sediados principalmente no Leste Europeu, preocupam e devem ter suas operações regulamentadas no Brasil ainda em 2012 até para frear a concorrência de fora.

No Velho Continente elas têm gerado inquietação nas autoridades da Uefa, encabeçadas por seu presidente Michel Platini, que as considera conectadas com esquemas de manipulação de resultados e lavagem de dinheiro.

As estimativas sobre os valores movimentados no mercado brasileiro por conta das apostas on-line variam muito, mas chegam à casa de 1 bilhão de reais por ano, quase 10 vezes mais do que a arrecadação da Timemania.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo