Ainda o Pacaembu



A mistura entre o público e o privado costuma ser bem complicada. Até por isso sou radicalmente contra recursos públicos, mesmo via benefícios, em arenas de clubes de futebol.

Pelo jeito políticos como Gilberto Kassab, que abriu as pernas para o Corinthians e agora quer ajudar São Paulo, Palmeiras e Lusa, não pensam assim. Pois estão de olho nas urnas e querem contentar torcedores de todos os times. Como se a cidade de SP não tivesse outras prioridades como investir em saúde, educação e transporte.

Após dar 420 milhões de reais em benefícios ao Timão, viabilizando a construção do Fielzão, Kassab ajudou a afastar do Pacaembu seu principal cliente e agora não sabe direito o que fazer do estádio.

Representantes da Prefeitura até tiveram uma boa ideia, atrair o Santos para jogos na capital, que não sei como e se de fato será viabilizada.

Se for, menos mal para o Pacaembu, o estádio mais charmoso da cidade. Se não for, o que será feito para gerenciar e tornar rentável o local? Lembrando que em dois anos todos os grandes clubes de SP terão arena própria…

O Pacaembu deixará de ser palco de futebol? Passará para a iniciativa privada? A que preço? Como elefante branco?

E se formos pensar que foi a própria Prefeitura que “trabalhou” para prejudicá-lo não é de matar? Ajudou o Corinthians e atrapalhou o futuro do Paulo Machado de Carvalho, que logo, logo irá se despedir do seu principal cliente.

Espero que, apesar de Kassab e cia., sobreviva, embora reconheça que tenha minhas dúvidas. E bote dúvidas nisso.



  • nilú

    Bom dia Joaõ
    Não entendi uma coisa, quem é o pricipal cliente do Pacaembu?
    Mas estou totalmente de acordo, que é o mais belo estádio, ou arena, chame como quiser, que temos aqui.
    Me lembro de ir muito lá, assitir a Mac-Med.
    Ótima sexta, mesmo com esse calor insuportável_rs. Nilú

    • Ricardo

      O que é Mac-Med? Não entendi o que você quis dizer com Mac-Med. É sobre o McDonalds dar o nome do Pacaembu ou tô viajando? Pacaembu: principal cliente era o Corinthians. Ainda é. Com o Corinthians em Itaquera, quem vai usar o Pacaembu? Ninguém. Kassab errou? Depende do ponto de vista. Conheço muito pouco São Paulo, mas imagino que o prefeito pensou em ajudar o Corinthians a ter seu estádio para que São Paulo pudesse sediar a abertura da Copa. A cidade vai lucrar muito com isso. Queria ver a Copa aqui em Santa Catarina. Não será possível. E vem chuva por aí. Ricardo

      • janca

        Oi Nilú, eu me referia ao Cornthians, sim, como o maior cliente do Pacaembu. Uma ótima sexta pra você também, João. Sobre suas perguntas, Ricardo, a respeito da ajuda da Prefeitura à construção do Fielzão, não imagino que Kassab tenha pensado na cidade, não. Aliás quem está investindo para que o estádio tenha condições de aumentar de tamanho, atendendo à exigência da Fifa, é o governo do Estado, de Geraldo Alckmin, outra lástima como político. Preferia ter melhores escolas e hospitais municipais a ver a Copa em SP, Ricardo. Grande abraço, Janca

  • Ricardo

    Vi seu post anterior e achei uma discussão interessante porque se uma empresa compra o nome de um estádio a imprensa deveria ser obrigada a chamá-lo pelo nome. Ou estou errado? Imagine se me chamasse de Paulo quando meu nome é Ricardo. Não iria gostar. O clube e a empresa dono do nome do estádio também não. Um abraço pra você, Ricardo

    • Fico

      Ninguém é obrigado a nada, meu filho. O tempo da ditadura acabou.

      • janca

        É diferente alguém te chamar de Paulo quando seu nome é Ricardo… Ninguém é obrigado a chamar o Maracanã de Mário Filho como não será obrigado a chamar o estádio do Corinthians de Arena Empresa X se o nome não pegar. E duvido que pegue. Costumo chamar de Fielzão, embora ache que já, já mudo para Itaquerão, que é o que mais escuto por aí. Abs.

  • André

    Ao ajudar o Corinthians a Prefeitura deu um tiro no próprio pé. Agora tem que ficar implorando para o Santos jogar no Pacaembu se não o estádio fica vazio. Esses são nossos políticos.

  • André

    Lembrando que a Marta citou em boa parte da campanha dela que o Kassab era filhote do Pitta. Era mesmo. Deixou São Paulo jogado às traças.

MaisRecentes

A dívida do Verdão



Continue Lendo

O clima para Rodrigo Caio



Continue Lendo

Timão x Odebrecht



Continue Lendo