Ontem e hoje, lá e cá



Trechos de colunas de jornais escritos sobre Istambul e publicados no livro de Orhan Pamuk, Prêmio Nobel de Literatura, que leva o nome da maior cidade turca:

“Estamos cansados de ver toda a praça da cidade inundada cada vez que chove. A quem competir cuidar disso devia disso logo cuidar.” (1946)

“Nossa ansiedade em sermos os primeiros a descer de um barco ou de qualquer veículo é tanta que não conseguimos controlar os passageiros.” (1910)

“É só desistindo de nosso antigo modo de nos comportar nas ruas e nos logradouros públicos da cidade e só obedecendo às leis de trânsito que podemos esperar livrar-nos do caos do trânsito. Mas se alguém perguntar quantos habitantes da cidade sequer sabem quais são as leis de trânsito, bem, aí o assunto muda de figura.” (1949)

“Ontem nevou e alguém na cidade embarcou nos bondes pela frente ou deu qualquer sinal de respeito pelos mais velhos? É com pesar que assinalamos como a cidade esquece depressa as regras da vida educada em sociedade que tão poucos de nossos habitantes de qualquer maneira conhecem.” (1927)

“Especialmente nos anos modernos nossos edifícios “modernos” vêm consumindo como traças os lugares mais bonitos de Istambul.” (1922)

Alguma semelhança com a mentalidade vigente nas principais cidades brasileiras de hoje? Ontem e hoje, lá e cá, o ser humano é o ser humano. Para o melhor e o pior. Vida que segue e que pode ser melhorada. Ótima quarta a todos, João



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo