Nelson Rodrigues



“Subdesenvolvimento não se improvisa, é uma obra de séculos.”

A frase é de Nelson Rodrigues, jornalista, escritor e dramaturgo brasileiro cujo centenário de nascimento será comemorado ano que vem.

A declaração segue atualíssima no esporte e fora dele. Com as mazelas nos preparativos para o Brasil receber a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016 ou a falta deles, tudo na base do improviso. Da conta que não para de subir e que o próprio governo insiste em dizer que não sabe aonde fechará.

Que falta fazem o cronista e sua língua afiada nos dias de hoje… Ah! É dele também a frase de que “no futebol o pior cego é o que só vê a bola”. Bolas, bolas, bolas… Para pensar… Bom domingo a todos, João



  • PEDRO FLU

    Se o estádio que leva o nome do irmão dele mudar de nome não haverá grita? O que diria Nelson Rodrigues? O pior cego é mesmo o que só vê a bola.

    • Flávio

      Até porque, para não perder a piada, o Nelson Rodrigues era cego. Do Maracanã não conseguia ver a bola nem distinguir os times (hehe)

      • Flávio

        Queria ver muito uma mesa redonda com ele, devia ser outro nível.

        • janca

          E com o João Saldanha… Imagine só. O politicamente correto muitas vezes engessa a sociedade e a ajuda a ficar ainda mais estúpida. Abraço a vocês, Janca

  • PEDRO FLU

    Sem falar na dobradinha que fariam Nelson Rodrigues e Sócrates, Janca

    • janca

      É verdade. Que dupla. Grande abraço, Janca

  • Luiz

    Levanta a mão quem não tem LIBERTADORES kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Curintiá Pentacampeão

      Pergunta isso no ano que vem, seu idiota. Não vai ter um corintiano sem levantar a mão.

      • Curintiá Pentacampeão

        Levanta a mão quem vai ter o melhor estádio de São Paulo! Levanta a mão quem está na Libertadores do ano que vem! Levanta a mão quem teve Sócrates defendendo sua camisa! Abaixa a mão quem tem um estádio caindo aos pedaços! Abaixa a mão quem tem Juvenal como presidente! Abaixa a mão quem tem Leão como técnico! Abaixa a mão quem não consegue mais chegar na Libertadores! Chupa idiota!

  • É, Janca, o pior cego é o que só vê a bola, só enxerga cifrões ou só se importa com as vitórias. O pior cego é o que não enxerga o subdesenvolvimento ao qual Nelson se refere e que não se dá conta que a crise mundial não é resultante de carências senão de excessos, sendo a estupidez humana, o maior deles.

    Eu queria mesmo escutar a opinião do Nelson sobre a mudança de nome do Mané; seria como uma aula de brasilidade!

    Abraços maltrapilhos,

    João Sassi

    • Lily Martins

      Também queria ver isso, João Sassi. Nelson que adorava o futebol de Garrincha, o estilo Garrincha de ser, que falava o que queria e o que pensava, o que não estaria dizendo sobre a organização desta Copa, a globalização, a mudança do nome do estádio e talvez até do principal estádio do país, aquele que leva o nome do seu irmão Mário Filho? Tudo em nome dos naming rights. Por que falamos naming rights e usamos estrangeirismo até nisso? Ou bem nisso? Fico indignada como você. Salve Nelson. Bjs. Lily

      • Cláudia

        Antropólico, gostei do que você escreveu sobre a estupidez humana.

        • janca

          Grande Maltrapa. Você tem razão quando fala da estupidez humana. Como a Lily e a Cláudia, tô contigo. Bom final de domingo pra vocês, Janca

          • Se pensarmos que, no mundo, há mais gente com problemas de obesidade do que desnutridos, teremos uma boa medida da cretinice humana.

            Certo estão os poetas: “Não precisamos de um novo caminho, mas de um novo jeito de caminhar.” – Thiago de Mello

            Segunda é sempre segunda; vamos nessa!

            Abraço a todos,

            O Maltrapa

          • janca

            Até porque amanhã será terça… Grande abraço, Janca

  • Lucas

    Nelson era muito brasileiro, adorava nossa seleção, criticava o complexo de viralatas e estaria defendendo a Copa no Brasil. Mas uma Copa à brasileira. O que significava à brasileira para ele entretanto é bem diferente do que significa à brasileira para Ricardo Teixeira, Ronaldo e Andres Sánches. Saudades de Nelson

    • Cláudia

      Ele era um escritor e cronista internacional mesmo nunca tendo saído do Brasil. Para falar do mundo e das relações humanas você tem de viajar no seu mundo particular, que representa o universal. Era o que ele fazia. Foi incompreendido por muitos, tocava em pontos importantes da família, instituição para alguns sagrada.

      • janca

        E as viagens internas costumam ser as melhores… Abs. Janca

  • Lucas

    Vamos ver o que a CBF vai fazer por seu centenário? Imagino que o pessoal do teatro esteja se mexendo… O do futebol tenho minhas dúvidas, cês não?

    • Cláudia

      CBF duvido, mas o meu Flu tem que fazer e certamente vai fazer muita coisa. Era nosso torcedor mais ilustre.

      • janca

        A imprensa, a literatura, o Flu, a seleção brasileira, a dramaturgia, enfim, Nelson Rodrigues transitou por tantas áreas. A vida como ela é… Da CBF não esperemos muita coisa, não… Bom final de domingo a todos, Janca

    • Lucas, acho melhor não depositar suas fichas nesse propósito; homenagear a quem quer que seja, nunca foi a praia da cartolagem; vide o recente mico do Robolão, no Pacaembu chuvoso, contra a Romênia. Acredito que o homenagearão à larga – menos a CBF.

MaisRecentes

Uma zaga para o Fla



Continue Lendo

Vanderlei na Seleção



Continue Lendo

Vila x Pacaembu



Continue Lendo