O passaporte de Havelange



Depois de ter se demitido do Comitê Olímpico Internacional e interrompido investigações sobre suposto recebimento de propina, João Havelange quer evitar que o departamento jurídico da entidade transfira material sobre o caso para a Fifa. O brasileiro ainda é presidente honorário da federação que comandou por 24 anos.

Segundo o departamento de comunicação do COI até agora a Fifa não fez pedido para saber detalhes do processo, que foi iniciado há pouco mais de seis meses.

Havelange é suspeito de ter recebido 1 milhão de dólares em propina da ISL, gigante de marketing esportivo que faliu e trabalhava para a Fifa nos tempos em que o brasileiro a dirigia.

Ao sair do COI, Havelange alegou problemas de saúde. Mesmo assim não pretende deixar de atuar como consultor do Comitê Organizador dos Jogos-2016, no Rio, nem de continuar viajando mundo afora. Tanto que não para de reclamar da decisão do governo Dilma, no início do ano, de retirar seu passaporte diplomático.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo