Palavra de ministro



Segundo Agnelo Queiroz, ex-ministro de Esporte e atual mandatário do DF, palavra de governador deveria ser considerada prova. Então pergunto: E palavra de ministro, como a de Carlos Lupi, do Trabalho, que fez malabarismo ontem para se manter no posto, mesmo com a oposição de parte de seu próprio partido, o PDT?

Palavra de ministro e governador pelo jeito vale, mas a do cidadão comum, não. Que o diga brasileiro que roubou quatra latas de atum, atrasou-se para seu julgamento e pegou mais de ano de prisão.

É um país de dois pesos e duas medidas, onde uns podem mais do que os outros. Como em vários lugares do mundo.

Por isso, apesar de seguir quase sempre a mesma fórmula, gostei do mais recente livro de John Grisham, “The Litigators”, salvo engano ainda sem tradução para o português, que novamente trata do mundo do direito _ou da falta dele_ nos Estados Unidos. Faz interessante crítica sobre a indústria farmacêutica e sobre o quanto o país _mas poderia ter se referido à Europa também_ suga o continente africano e seus moradores.

Outro livro interessante sobre a tragédia africana e a dívida que todos temos com seus habitantes é “O Que é o Quê”, muito bem escrito pelo norte-americano Dave Eggers e baseada na vida de Valentino Achak Deng, um dos meninos perdidos do Sudão. Comovente. Fica aqui a dica para quem gosta de ler, interessa-se pela África e pelas mazelas humanas. De tão desumana é uma das obras mais humanas e de amor à vida e revolta contra as injustiças que já li. Uma excelente sexta a todos, João



  • Lily Martins

    Bom dia João. Certa feita você citou por aqui e o livro que mais reflete o que vivemos hoje é do Orwell, Revolução dos Bichos. Coisa de louco. Bj. Lily

    • janca

      Isso mesmo, Lily. A história dos porcos… História da humanidade. Ótimo dia pra você também, João

  • Victor

    Tem muito preconceito contra o Grisham mas também gosto dos livros que ele escreve. Até por ser advogado. O mundo jurídico é um outro mundo, Janca. Abraços

    • janca

      Ops, acho que o mundo jurídico é… nosso mundo mesmo. E só pra acrescentar: Odeio burocracia. E odeio juridiquês também. Mas em geral gosto de Grisham, especialmente quando ele trata do “mundo das leis”. Abs.

  • Victor

    Não sabia deste comentário do Agnelo, ou passou desapercebido nas minhas leituras matinais… Quer dizer que agora palavra de governador vale como prova…

  • janca

    Ou ele gostaria que valesse, sei lá… Abs.

  • janca

    Faltou dizer no post que a dívida com o continente africano, claro, é especialmente dos europeus (isso até disse), mas não frisei o suficiente que é nossa também. E com os descendentes de africanos, boa parte da nossa população. Sou contra cotas para minorias, pelo menos em tese, mas que o tráfico negreiro foi um dos maiores crimes da humanidade, sem dúvida. Sem dúvida, coisa para não ser esquecida até para não ser repetida. Pena que seja… repetida. Tanto que escravidão temos até hoje. Eta mundo… Abs. a todos e mais uma vez uma boa sexta, apesar dos pesares, sexta ensolarada em Sampa… Janca

  • Johannes

    Bom dia João Carlos,
    Palavra de governador ás vezes é prova, prova de como um mau gestor pode ser nocivo aos cidadãos de seus estados…e de como o ser humano é capaz de falar bobagem em causa própria…

    • janca

      Toda razão, Johannes. Se dependêssemos dos discursos e das palavras de nossos políticos… O pior é que em parte dependemos, como não? Esse é o grande problema. Um belo dia pra você, João Carlos

MaisRecentes

A volta de Andrés



Continue Lendo

Nobre vs Galiotte



Continue Lendo

Máquina tricolor



Continue Lendo