Ponto de vista



Sensação estranha ver documentário que realizei com três grandes amigos na telona. Cada espectador com uma visão. Uma cena, tantas percepções…

Continuo com minhas impressões. Imagens belíssimas, trilha sonora, idem, conteúdo controverso, boa parte do qual não reflete o que penso. Mas a viagem pessoal durante a produção de “Sobre Futebol e Barreiras” foi incrível. O exercício de tentar olhar o outro lado. De caminhar do micro para o macro e vice-versa.

Fico com uma imagem que representa o que penso, eu que defendo Israel _bem diferente de defender os políticos locais_ e adoro o Estado judeu. A do soldado israelense que joga bola com um garoto palestino. Cena que os árabes não queriam ver gravada e foi feita às escondidas. Pois há soldados e soldados, como há palestinos e palestinos, judeus e judeus, cristãos e cristãos, agnósticos e agnósticos, ateus e ateus.

Fico ainda com a frase de Yasser, palestino que mora em Israel. Quando diz que 80% do que chama de “resistência à ocupação” é pacífica deixa claro que 20% não é.

Se 20% é marcada pela violência é porque a “resistência” palestina está no caminho errado.

Se os judeus têm de ceder e olhar com mais ternura para os palestinos, a recíproca é verdadeira, o que não tem acontecido. A via é de mão dupla, sempre de mão dupla.

Ótimo domingo a todos, João



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo