Ministro mente e Fifa vibra



O ministro do Esporte, Orlando Silva, afirmou à ministra da Casa Civil, Gleise Hoffmann, que a acusação de que participara de esquema para desviar recursos do programa Segundo Tempo só foi feita pela importância que ganhou sua pasta com a Copa de 2014 e os Jogos de 2016. Mentira. Desde o início de 2007 o programa é alvo de denúncias e desde 2005 o ministério é suspeito de ser usado para aparelhar o PCdoB, partido de Orlando Silva, e a UNE (União Nacional dos Estudantes).

O ministro, que estava em Guadalajara quando a “Veja” foi às bancas com as denúncias, só voltou ao Brasil quando soube que a Rede Globo iria exibir no “Fantástico” mais denúncias sobre o Segundo Tempo, que tem como objetivo inserir crianças e adolescentes na sociedade por intermédio do esporte.

As acusações pegaram a Fifa de surpresa, mas são vistas por membros da entidade como motivo de celebração. Apesar de o ministro ter bom trânsito entre os dirigentes da Fifa, a avaliação é de que as acusações tiram força do governo Dilma e podem favorecer a entidade que negocia pontos sobre a Lei Geral da Copa, como o veto à meia-entrada durante o Mundial.

A história, pelo jeito, está só começando. E Dilma, que foi pra África, terá que fazer como Janio Quadros, e pegar a vassourinha pois muita gente deve dançar.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo