A luta por um quarteirão



Quem mais deve lucrar com a Copa? Os mesmos _ou as mesmas_ que podem faturar com o fim de uma das poucas áreas verdes do bairro paulistano que conhecemos como Itaim Bibi. Os tocadores _ou tocadoras_ de obras. Construtores e empreiteiras.

Gilberto Kassab, do PSD, segue com o objetivo de vender um quarteirão do Itaim que reúne escola, posto de saúde, biblioteca municipal, creche, posto da Apae para que sejam construídos prédios de luxo no local.

O prefeito alega que, com os 200 milhões de reais que o município receberia, construiria 200 novas creches pela cidade.

O projeto foi aprovado pelos vereadores, mas está parado pela Justiça, porque a área ainda pode ser tombada.

Não é por morar no bairro que sou contra a venda do quarteirão, até porque nem costumo frequentar o local, que usei muito quando criança. Mas tocar obra por tocar, encher os bolsos de empreiteiros, aumentar o crescimento desordenado da cidade, tirar uma das poucas áreas verdes que ainda temos, erguer um espigão atrás do outro, nada disso pode ser política de governo.

Como não pode ser política de governo tratar os projetos de infraestrutura da Copa ou da Olimpíada como se fossem imediatistas, fazendo um puxadinho aqui outro acolá, sem pensar no legado para os cidadãos, que são quem vão pagar a conta.



  • André

    Não moro em São Paulo e não tinha idéia do que você está contando. O crescimento desenfreado das cidades não é prerrogativa dos paulistanos. Estive no Rio recentemente e fiquei impressionado com o crescimento da Barra. Levei duas horas para ir da Zona Sul até o início da Barra. Moro em Salvador e aqui acontece as mesmas coisas. A cidade vai subindo, subindo e subindo, tem até fila em condomínios de luxo para os carros saírem em horários de pico. As praias estão mal cuidadas, cachorros fazendo cocô, alimentos e lixo pela areia, tudo o que você possa imaginar de pior. Para a Copa vai ser a mesma coisa, tudo no improviso. Por que tantas exigências da Fifa? Por que tantos estádios? Por que tantos elefantes brancos? Porque alguém ganha dinheiro com as obras. É o x da questão, Janca. Fico indignado com o possível fim desse quarteirão que representa o que há de pior no Brasil. Tirar uma área verde para construir espigões???????????????????????????????? Fica meu desabafo contra nossos políticos em seu blog.

    • janca

      Em 1994, André, as exigências da Fifa em relação aos estádios não eram tão grandes. Em parte ela está certa quando pede o fim dos pontos cegos, por exemplo, mas em outra comete exageros absurdos que servem para favorecer… quem? Não será as empreiteiras, por exemplo? A Fifa se preocupa com possíveis elefantes brancos? Com a realidade do país-sede? Pelo jeito não. Então cabe a nós, cidadãos, e a nosso governo negociar com a entidade para fazermos uma Copa realista de acordo com nossas necessidades. Dá pra fazer uma bela Copa assim, sem dizer amém pra tudo o que mandam os emissários de Zurique. Abs.

  • Lily Martins

    Oi João. Boa lembrança sobre esse quarteirão paulistano. Fazer política não é só lutar pelas causas que estão longe da gente, mas pelas que estão perto também. Bom feriado, Lily

    • janca

      É, podemos começar por nosso quintal, por que não? Bom feriado pra você também, João

  • Nilú

    É isso ai João!
    Fica difícil entender esse nosso prefeito que tentou embargar a obra do Shopping Iguatemi, porque perderia a vista do seu apartamento e agora quer permitir que se levantem esses prédios, mas isso não é incoerência não, é outra coisa_$$$$_, ou estou errada?
    Além do mais, quanto mais gente aqui, pior o transito, mas ele anda de helicóptero, pouca diferença faz.
    Eu me lembro também de uma outra área que já foi vendida e onde estão subindo um mega prédio comercial, se alguém quiser ver basta olhar no final da rua Joaquim Floriano, alí era uma clínica para doentes mentais, mas tinha muito muito verde e agora muito concreto.
    E assim vamos, mas devemos sempre falar, controlar e tentar mudar todas as coisas erradas que acontecem.
    E pensando na Copa e na Olimpíada, como são coisas que não dizem respeito só para um bairro, todos os brasileiros devem ficar ligados e no controle, não é. Bom feriado . Nilú

    • Fernando

      Não sei se vocês pensam como eu, temos de ficar de olho no que acontece em nosso bairro, na nossa cidade, no nosso estado e no nosso país. Nilu, gostei do que você colocou, não sabia essa do prefeito de vocês. Ele pode andar de helicóptero e nós, pobres mortais, que não podemos? Acorda Brasil!

      • janca

        Oi Nilú, oi Fernando, concordo com vocês, temos que ficar de olho mesmo no que acontece em nosso bairro, mas também em nosso país. E de fato nem todos podem andar de helicóptero… Boa quarta pra vocês dois, João

  • CINGAPURA

    Janca, tão grave quanto e possivelmente mais grave ainda é a situação dos moradores do Cingapura. Eles não tem o habite-se e a propriedade dos imóveis até hoje, 17 anos depois de terem se mudado pra lá. O Cingapura corre o risco de explodir assim como o Shopping, mas o Shopping tem mais poder econômico. São cidadões pobres que precisam de apoio da imprensa.

    • janca

      Também acho. Vi que eles não têm o certificado de propriedade do imóvel, não entendi o porquê de não terem até hoje se a obra é do governo (ou desgoverno) Maluf, anos 90… E ainda estou achando estranha a reabertura do Shopping Center Norte… Mas é só uma sensação, nada de concreto _rs. Abs. João

  • Paulo Goldstein

    Boa tarde, João Carlos. Vejo dois pontos primordiais: políticas públicas, que praticamente inexistem no Brasil, e financiamento de campanhas (defendo o público) + sistema de votação (quem se lembra do vereador ou dos deputados em que votou?). Tudo isso tem como efeito o que acontece no quarteirão que você citou, no projeto Cingapura ou na condução da Copa ou das Olimpíadas aqui do Rio. Abraço, Paulo

    • janca

      Concordo sobre a falta de políticas públicas, política de governo, para o Brasil. Tampouco vejo alternativas na opção. Sobre sistema de votação sou favorável a mudanças para nos aproximarmos dos candidatos em quem votamos, mas tenho dúvidas a respeito de qual o melhor (sistema, digo). E financiamento de campanhas é um escândalo desde os anos 80. Um escândalo que continua, um tome lá, dá cá danado, os políticos têm as campanhas financiadas por grandes corporações e depois ficam devendo favores a elas. O fim da picada, pra não dizer outra coisa. Abs. e valeu pelo comentário, Paulo, João
      PS. E concordo que o resultado acaba sendo visto no quarteirão que citei e em tantos outros deste país, no conjunto Cingapura e na condução da Copa e da Olimpíada, entre outros.

  • Dani

    Oi João, antes tarde do que nunca… Parabéns pela coluna no jornal, li duas, a que você falava sobre o futebol no divã, abordou o assunto com propriedade, e a sobre os projetos da Lusa para 2012. Gostei de ver. Continue assim, amigo. Bjs. Dani

    • janca

      Valeu, Dani. Espero que continue seguindo minha coluna no diário, é mais fácil do que acompanhar o blog, pois só sai uma vez por semana _rs. João

MaisRecentes

Grupo rachado



Continue Lendo

Del Nero apoia Doria-18



Continue Lendo

A dívida do Verdão



Continue Lendo