Blatter pede por Teixeira



Não é só Dilma Rousseff quem quer se reunir com dirigentes da Fifa. Joseph Blatter também considera importante um encontro entre o governo brasileiro e a entidade para aparar determinadas arestas.

Por intermédio de sua assessoria, o presidente da Fifa afirmou que “as duas partes têm todo o interesse de realizar uma grande Copa em 2014 e que sempre esteve aberto ao diálogo”. Mas declarou achar fundamental a participação de Ricardo Teixeira no processo. Para Blatter, “Teixeira tem profundo conhecimento da realidade brasileira e do futebol no país, tanto que comanda o Comitê Organizador Local, uma enorme experiência e ótimo trânsito na Fifa (é membro do Comitê Executivo da entidade, cuja próxima reunião será em 20 e 21 de outubro na Suíça)”.

O problema é que se tem bom trânsito na Fifa o mesmo não se pode dizer de Teixeira no atual governo, já que o presidente da CBF tem sido escanteado por Dilma.

Blatter não respondeu em nenhum momento se ele próprio se reuniria em Bruxelas com a presidente da República ou se mandaria representantes. Tampouco tratou dos problemas de Teixeira com o atual governo brasileiro, embora já tenha dito anteriormente que era mais fácil trabalhar com Lula do que com Dilma.

Não quis entrar em detalhes sobre a Lei Geral da Copa, em tramitação no Congresso, limitando-se a dizer que o Brasil assumiu compromissos com a Fifa e em nenhum momento houve ou há intenção da entidade de desrespeitar a Constituição brasileira.

Maiores explicações poderia dar apenas semana que vem, já que espera a efetivação de mudanças no comando do departamento de comunicação da entidade e o posicionamento do governo brasileiro para se manifestar melhor.

Alguns pontos da Lei Geral da Copa, de acordo com a presidência da República, não pode passar por cima das leis nacionais. Por isso a meia entrada para idosos, garantida por lei federal, deverá ser mantida para os jogos da Copa de 2014. Emissoras que não têm direito de transmitir os jogos também poderão exibir trechos de até três minutos das partidas, contrariando interesse da Fifa. E estabelecimentos que cobrarem ingressos para clientes acompanharem os jogos ou fizerem promoções comerciais ligadas à transmissão deverão ser multados, mas seus donos não deverão ser incriminados como pretendia inicialmente a Fifa.

O COL e a CBF não quiseram se manifestar a respeito. Ricardo Teixeira, que foi internado ontem em hospital do Rio, não havia divulgado sua agenda para o mês de outubro e vinha evitando comentar seu afastamento da presidente Dilma.

 



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo