A aposta de Romário



A menos de mil dias para o início da Copa, Romário continua insistindo que três ou quatro cidades não estarão com os estádios prontos para o evento, a mesma opinião que manifestou há mais de um mês em entrevista ao grupo “Estado”.

O ex-jogador, hoje deputado, acredita que no final o país acabará reduzindo o número de sedes das 12 atuais para oito ou nove.

Se me perguntarem quantas teremos em 2014 diria que 12, apesar de gente no próprio governo trabalhar com a hipótese de ficarmos com dez devido a atraso em obras.

O caso mais emblemático é o de Natal, que iniciou as suas com atraso de 17 meses.

Mais do que o atraso nas obras me preocupa o custo delas, que não para de aumentar. Como divulgado pelo próprio LANCE! na semana passada, o governo reconhece que a Copa não custará menos do que 30 bilhões de reais, quando chegou a trabalhar com cifras menores no início. Consultorias econômicas chegam a dizer que o preço final não ficará abaixo dos 100 bi. É provável, mesmo com o jeitinho brasileiro que o governo pretende dar, decretando feriado em dias de jogos, por exemplo, antecipando férias escolares, tudo para mexer o mínimo possível com obras ligadas à mobilidade urbana, essas sim atrasadíssimas, como as aeroportuarias. Em outras palavras, certamente não teremos a Copa que nos prometeram. E pagaremos uma conta bem mais salgada. E põe salgada nisso.



  • MANCHA VERDE 11

    Decretar feriado é uma forma de o governo mostrar sua própria incapacidade pra fazer as obras e melhorar o sistema de tranporte coletivo. Tô com nojo disso tudo. Assinado: palmeirense consciente e revoltado.

  • Elias

    O governo promete uma coisa e depois entrega outra. Já vimos essa história no Pan. E o povo brigando por questões menores, movido por paixões clubísticas, regionais etc e tal acaba sendo levado pela conversa política e achando que está tudo muito bem, tudo muito bom, se o Brasil for campeão então nem se fala. Pobre Brasil. Elias

  • Johannes

    Boa Tarde João Carlos,

    É aquela história do Nostradamus,…alguns setores da imprensa poderiam dizer… Nosavisamus !!!
    Enquanto isso nos hospitais públicos…..
    Grande Abraço João.

    • Victor

      A sociedade está avisando, Johannes, não só a imprensa. Enquanto isso nos hospitais públicos, nas escolas públicas… É uma triste realidade a nossa. O governo acha que resolve o problema dando feriado em dias de jogos, resolve coisa nenhuma. É desculpa para não ter melhorado o sistema público de transporte. Fico revoltado com essas coisas. Boa tarde, Victor

      • Johannes

        É verdade Victor há parte da sociedade que sempre teve consciência de como se desenrolariam as coisas referentes ao Mundial…pena esteja havendo pouca mobilização popular no sentido de protestar quanto a isso tudo aí …E têm Olimpíada também em 2016.

        • Felipe

          Vocês tão falando besteira. Fiquem reclamando de tudo, se não fosse a Copa as obras não seriam realizadas. Roubalheira sempre teve, pelo menos agora teremos obras que ficarão para sempre. Quem se importa com o preço? Melhor ter obras do que dinheiro com políticos. Ou vocês preferem que o dinheiro fique em Brasília? Eu não. Deixem de ser utópicos e caiam no mundo real. Vocês vivem aonde?

          • Johannes

            Vivo no Brasil Felipe, e embora obras de infra-estrutura sejam importantes não vou achar que é “normal” o sujeito meter a mão no dinheiro público, o nome disso é desonestidade, e embora isso exista em vários países do mundo, a intensidade com que ocorre no Brasil é lamentável. Eu pergunto a você em que país você quer viver ? numa República de Bananas ou num país que têm orgulho da maneira como as pessoas fazem as coisas. Se você chama de utopia é um direito seu. Ah e Tomara que você não precise de um hospital público pra nada, ou possa estudar em colégio particular, porque se um dia você precisar de hospital ou colégio público talvez você se importe com o preço dos estádios…..

    • janca

      Oi Johannes, oi Victor, bom final de tarde pra vocês, concordo inteiramente com os dois. E com todo respeito, Felipe, o preço das obras interessa sim, porque sai das contas dos contribuintes. Ou você faz uma reforma na sua casa e não se importa com a conta? Abs. aos três, João Carlos

      • Nilú

        É o seguinte, não temos como fazer o governo investir em educação e saúde, o que seria primordialmente importante, mas podemos e devemos nos manifestar contrar os gastos abusivos da Copa e das Olimpíadas!!!! É isso que eu acho. Boa Noite para vcs. E pensem bem no que pode ser feito, algo precisa ser feito. Nilú

        • janca

          De pleno acordo. Em relação a gastos abusivos da Copa e da Olimpíada também estou com você, temos o direito e o dever de nos manifestar, por que não? Uma boa noite e uma ótima sexta, João

  • renato

    Outra coisa, muito pouco comentada, são as leis que teremos de mudar ou criar para que se realize a Copa.

    A FIFA, já começou, mas ainda não entrou “com os dois pés” na questão de alterar a legislação brasileira!

    Tribunais sumários (como o que fizeram na África), onde não era preciso nem de advogado para julgar e sentenciar uma pessoa em menos de 1h. Os arredores dos estádios, qualquer empresa, por mais antiga que seja e por mais tempo que esteja instalada nos arredores do estádio, não poderá vender produtos que não autorizados pela FIFA, e por aí vamos…

    Sinceramente, não ficaria nem um pouco triste que em junho e julho de 2014, tudo, mas tudo desse errado! Que o caos se instalasse no Brasil e nos estádios… E olha que sou um fanático por futebol, mas antes da pelota rolar, a razão ainda prepondera…

    • Felipe

      Porque você não tem consciência nenhuma, Renato. As obras, superfaturadas ou não, vão ajudar o Brasil e o povo brasileiro. Vocês são uns reclamões que vivem no mundo da lua. Não aguento gente assim. Fui

      • janca

        É Renato, você tem toda razão, vamos ver como fica nossa legislação com a dona Fifa tentando mandar e desmandar… E Felipe, mais uma vez com todo respeito, você só pode estar brincando. Obras superfaturadas não!!! Abs. João

      • renato sá

        Acorda Felipe, não teremos obras de infraestrutura. Você não está acompanhando?
        Não teremos novos modais de transportes nas cidades. Não se construirá linhas de metrô em nenhuma das cidades sede. Os sistemas de ônibus não serão reprojetados, nada será feito. e não é opinião, o governo já está justificando os motivos de não fazer.

        Aeroportos, serão como na África, onde fizeram terminais provisórios, que assim que a Copa acabou foram retirados.

        Você não está vendo como as coisas estão se encaminhando em São Paulo, daqui de Florianópolis estou vendo a vergonha que estão fazendo.

        Estrutura, sim ficarão 3 ou 4 estádios, todos bancados por nós (BNDES e juros subsidiados = população bancando), para uso de uns poucos. Fora estádios em estados que nunca viram seus clubes nem na série B. Elefantes Brancos….

        • janca

          Oi Renato, infelizmente você tem razão. E o governo começa a pensar no plano B, feriado em data de jogos nas cidades-sede, antecipação de férias escolares, enfim, procura uma forma de melhorar o trânsito durante a Copa como justificativa para o pouco que será feito perto do muito prometido em mobilidade urbana, por exemplo. E o que deverá haver de “puxadinhos” em aeroportos não está escrito… Sem falar em dinheiro público para estádios, muitos dos quais poderão virar elefantes brancos mesmo. Grande abraço e valeu pelo comentário, Janca

MaisRecentes

Itaipava no Timão



Continue Lendo

Decepção são-paulina



Continue Lendo

Alessandro na frigideira



Continue Lendo