Fé Bahá`í e o Irã



O regime iraniano não perdoa. Atletas que professam a fé Bahá´í não podem defender equipes olímpicas ou a seleção de futebol que representa o país.

Tida como o esperanto das religiões por alguns estudiosos, pois considera Buda, Cristo, Maomé, Abrahão e Krishna todos mensageiros divinos, os seguidores da Fé Bahá´í, surgida na Pérsia do século 19, até hoje são perseguidos na região _que atualmente é o Irã.

E o reflexo disso aparece até no esporte, já que para defender o país do presidente Mahmoud Ahmadinejad o cidadão não pode ser Bahá´í. Tampouco judeu. Apesar de o regime ser islâmico, o atleta não tem obrigatoriedade de seguir a religião oficial. Mas Bahá`í de jeito nenhum. Se for, que seja escondido. E bem escondido.

Missionários Bahá´í em diversos países do mundo têm reclamado da perseguição que sofrem no Irã, justamente onde surgiu a religião que professam, mas por enquanto não têm sido ouvidos.

Não sigo nenhuma religião. Mas tive uma bisavó, Rosa Segall (1893-1963), judia nascida na Ucrânia que se tornou missionária Bahá`í e ajudou a propagar a religião no Brasil.

Ela defendia a liberdade religiosa, inclusive a de não se ter religião nenhuma. Porque há muitos agnósticos e ateus que são ou foram grandes humanistas _eu conheci vários.

Não cheguei a conhecer minha bisavó, mas ela também era humanista. E pelo que me contam sabia aproveitar a vida. Do jeito dela, respeitando o outro. E é isso que eu admiro nas pessoas. Sejam elas esportistas ou não.



  • Soraya

    Oi Janca, agora cedo recebi e-mail me alertando pra seu post e seu blog, manhã feliz, grata surpresa. Sou seguidora da Fé Bahá`í, vi que você gosta de se referir à nossa religião assim que é como muita gente faz. Se quiser posso te “ensinar” mais umas coisicas sobre ela. O espírito que procuramos seguir é o que você passou no texto, o de que todas as religiões levam a Deus, portanto procuramos evitar julgamentos e compreender o espírito de todas as religiões. Todas as religiões levam a Deus. O fanatismo é um mal para nossos seguidores que pode levar o mundo a guerras como já levou tantas vezes. Todos os profetas e mensageiros das palavras divinas são respeitados porque para nós todas as crenças têm um objetivo comum. Não faz sentido uma brigar com a outra. Não somos muitos no Brasil mas procuramos fazer o melhor para os outros, como cristãos, muçulmanos, judeus e outros também fazem se seguirem direito suas religiões e não se tornarem fanáticos. Espero ter conseguido passar um pouquinho da nossa mensagem a você e a todos que seguem seu blog, esportistas ou não, e desejar muita paz e sabedoria, votos de Soraya, de Recife, Pernambuco.

    • janca

      Oi Soraya, obrigado pelo comentário e pela contribuição ao blog. Grande abs., Janca

    • Priscila

      Gostaria de saber mais sobre essa religiao

  • Soraya

    Posso completar com duas coisas que esqueci de dizer? Logo mais tenho que trabalhar como todo mundo (hehe). Temos um templo muito bonito em Haifa e no Brasil somos em pouco mais de 60 mil pessoas. Como dá pra continuar escrevendo um pouquinho no Brasil a comunidade começou a ser formada há 90 anos e você pode encontrar mais informações sobre ela e nossa literatura na internet. Escrevi mais de duas coisinhas mas agora tenho que ir. Paz a todos vocês e a toda a humanidade, Soraya

  • Moraes

    Isso é muito sério. Não é só no esporte que quem segue a religião Bahai é excluído. Tem um cristão na seleção iraniana, Bahai tá proibido de tudo. A perseguição que você vê agora no esporte é velha, vem desde o século retrasado. No regime do xá foi a mesma coisa. Com os aiotalás só fez piorar. Os bahais não impõem suas crenças pra ninguém e são mal-vistos apenas por motivos religiosos. Não podem se manifestar nem nada e até hoje mais de 20 mil foram mortos no Irã. Fica alerta pra comunidade internacional porque o mundo é um só e é de todos nós. Parabéns pelo post, Moraes

    • janca

      Obrigado pelo comentário, Moraes, um ótimo dia pra você, João

  • Johannes

    Bom Dia João Carlos,

    Confesso que nunca tinha ouvido falar nessa fé religiosa, mas creio que todas as religiões podem nos ensinar princípios aplicavéis em nossas vidas. Há muitas semelhanças, por exemplo, nos ensinamentos de Jesus Cristo e Sidarta Gautama, o Buda. Lamentável essa perseguição religiosa, pois acredito que uma religião que tenha nos seus pilares os mensageiros citados, dificilmente pregaria algo de nocivo a humanidade. Acredito que a liberdade religiosa seja o melhor caminho para qualquer nação, infelizmente o Irã que já teve uma das grandes civilizações da Ásia (Pérsia) têm atravessado momentos sombrios nesse particular…

  • França

    O problema não é religioso tanto que o Irã tolera atletas que não sejam seguidores do Islã. O problema é esta religião defender conceitos contra o Estado do Irã, como igualdade entre homens e mulheres. Lei é lei. Se a lei é diferente no Irã e na Arábia Saudita temos que aceitar, já que vocês falam tanto em tolerância. Janca e Johannes vocês se mostram intolerantes com suas opiniões.

    • Johannes

      Em relação a que cada país tenha suas leis acho que é válido que cada povo decida sobre seus códigos.
      Eu questiono França é se havendo um plesbiscito no Irã onde votassem homens e mulheres perguntando o que cada cidadão pensa a respeito da igualdade de direitos entre homens e mulheres , se a lei permaneceria a mesma. Enfim eu pergunto a você se as leis do Irã foram feitas por uma parcela da sociedade iraniana ou se representam o pensamento da totalidade de sua sociedade, incluindo aí cidadãos do sexo masculino e feminino, e de todas as religiões, ou se as leis do Irã representam a casta religiosa e política que comanda o governo desse país e seus seguidores. No meu entender Governo e Povo são coisas distintas. Lei e Justiça também. Se a Lei não reflete um pensamento plural e democrático ela é imposição e se afasta da Justiça. Espero que não seja o caso do Irã, porquê em muitos países no mundo as leis são feitas sem levar em conta a vontade do povo, especialmente das mulheres e dos cidadão de baixo poder aquisitivo.
      Mas respeito a sua opinião e a possibilidade de que eu seja eventualmente um individuo intolerante, ficaria feliz em saber que há total liberdade religiosa no Irã.

      • janca

        Oi Johannes, penso como você nessa questão de que Lei e Justiça são coisas distintas. Adorei esse ponto que você colocou, pois merece profunda reflexão de todos nós. Profunda reflexão mesmo. Abs. e valeu pelo comentário, João Carlos

    • janca

      Oi França, como muito bem colocou o Johannes Lei e Justiça são coisas distintas. Abs. e um ótimo dia pra você, Janca

  • Janca: Parabéns por ter abordado este assunto
    França: Na Alemanha nazista, matar judeus também era legal. Você também acha que devíamos aceitar isso com base nesse seu conceito de tolerância?
    Quando as leis de um país vão contra os mais elementares direitos humanos (como acontece no Irã, na Arábia Saudita, na Alemanha nazista…) então temos de protestar e pressionar esses regimes.

    • França

      Marco, você está fazendo um jogo de semântica e distorcendo minhas palavras. Pra você só existe o regime dos Estados Unidos? Do mundo ocidental? O Oriente pode se organizar como quiser. Lei é lei. Eu defendo o estado de DIREITO. Não consigo entender quem fala em tolerância ser intolerante com o Irã ou a Arábia Saudita. Com o discurso de vocês vocês ficam tão intolerantes quanto os aiatolás do Irã. Espero que tenho entendido agora e não distorça mais minhas palavras porque fazendo isso você fica tão intolerante quanto o Janca e Johannes e não vou discutir mais.

      • janca

        Oi França, com todo respeito e sem querer defender o Marco, mas já defendendo, como diria o Jô Soares, não vejo que ele esteja sendo intolerante _nem eu ou o Johannes_, apenas defendendo um ponto de vista, que é a defesa dos direitos humanos _um princípio básico para qualquer país, seja qual for a forma de governo. Pelo menos é o que penso. Abs.

    • janca

      Obrigado pelo comentário, Marco. Penso exatamente como você sobre leis que vão contra os mais elementares princípios de direitos humanos. Grande abraço, Janca

  • FLA-MENGÃOOO

    O q. ces tem contra a religião? O Mengo é a minha.

    • janca

      Absolutamente nada. Acho a liberdade religiosa fundamental, seja qual for a religião que você siga. A liberdade de torcer também. Desde que com respeito ao próximo. Grande abraço, Janca

  • Barcelusa 2011

    Hoje tem Série B. Fale de Série B, Janca, se não ninguém fala. Tem jogo da Lusa.

    • janca

      Calma, a rodada nem começou. Se bem que hoje é rodada cheia. Boa sorte pra Lusa, Janca

  • Flavio

    Caro Janca,

    Achei muito bom o tema do seu post.
    O Marco levanta um ponto importante que, na minha humilde opinião, deve ser considerado com atenção.

    Hoje em dia muitas pessoas tentam relativizar os direitos humanos fazendo considerações culturais, religiosas ou de soberania de um estado particular.

    Quem conhece a Declaração Universal dos Direitos Humanos, também assinada pelo Irã, sabe que os direitos as liberdades de ir e vir, de religião, de opinião política devem ser garantidas a todos os seres humanos.
    A antiga Pérsia, atual Irã, é um dos berços da civilização e tem o orgulho de ter criado a primeira carta de Direitos Humanos, conhecida como o cilindro de Ciro ha 2500 anos atrás.
    O que se levanta hoje não é uma disputa entre ocidente e oriente ou uma tentativa de impor uma cultura sobre a outra. O que os defensores dos direitos humanos querem é que a carta de aprovada na fundação da ONU seja respeitada em todos os lugares. Seja nos EUA, Arabia Saudita, China, aqui no Brasil ou no Irã.

    O problema no Irã é particularmente ruim pois hoje algumas das maiores violações de Direitos Humanos no mundo acontecem lá.
    Pra quem tiver dúvidas consultar os relatórios da Anistia Internacional, Human Rights Watch, Repórteres sem Fronteiras e o Report assinado por Ban Ki Moon Sec Geral da ONU.

    Parabéns de novo Janca, como disse Edmond Burke:

    “Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem não façam nada”

    • janca

      Oi Flavio, queria agradecer muito pelo seu comentário e por ter enriquecido o blog com suas considerações, que são extremamente importantes. Também não acho que se trata de uma disputa entre Ocidente e Oriente e que os direitos humanos têm de ser respeitados e ponto, sendo no Irã, no Brasil ou nos Estados Unidos. Suas ponderações são muito pertinentes, pelo menos eu acho. Grande abraço, Janca

MaisRecentes

Defesa do Palmeiras



Continue Lendo

Grupo rachado



Continue Lendo

Del Nero apoia Doria-18



Continue Lendo