A arte do improviso



Não me refiro ao imprevisto, mas ao improviso mesmo. Como já dizia o pianista e compositor norte-americano George Gershwin, “a vida se parece muito com o jazz”. “Pois ela também é melhor quando a gente improvisa.” E é mesmo.

Podemos e devemos levar o conceito ao esporte. Por mais “científico” que esteja virando, repleto de inovações tecnológicas de última geração, “ainda” é praticado pelo ser humano. Que é imperfeito e justamente por isso o torna interessante. Mais do que interessante, emocionante é a palavra certa.

É isso que sobrou ao basquete brasileiro que finalmente voltou à uma Olimpíada com os rapazes, depois de campanha épica na Argentina, e que falta à seleção burocrática de Mano Menezes. Precisamos desburocratizar também nosso futebol, improvisar um pouquinho que seja. Se não ele fica sem graça, como sem graça foi o amistoso contra Gana, que preferi nem comentar neste blog e ainda prefiro deixar de lado. Foi um tédio só…



  • Dani

    O ser humano gosta de pensar que tem controle sobre tudo, mas não tem. Como não tem nada melhor do que o improviso. Assim levamos a vida com mais… leveza. Bjs. Dani

  • Nilú

    Oi João, Dani
    O improviso serve para melhorar, consertar, remediar um acontecimento inesperado, logo, mesmo que o final não seja aquilo que se esperava, vale sempre a tentativa! E ajuda a tirar a vida da rotina, do tédio. Bom domingo para vcs.Nilú

    • Dani

      Você escreveu uma coisa legal. Como o acaso nos traz boas e más situações na vida, Nilú, o improviso serve para aproveitar as boas melhor e remediar as más notícias. Vale sempre a tentativa. Boa semana pra vocês e desculpe responder tão atrasada, Dani

  • Lily Martins

    Na música tem uma diferença enorme entre escutar um CD e estar numa apresentação ao vivo. No esporte é a mesma coisa. Ver pela TV e ver no estádio ou ginásio não têm o mesmo sabor. E com criatividade e improviso surge o inesperado. É o inesperado que dá gosto à vida, por isso a frase tão bonita e verdadeira do Gerschwin.

    • janca

      O espírito é esse mesmo que vocês três passaram, Dani, Nilù e Lily. O inesperado assusta _às vezes dá um sabor amargo à vida_, por isso é tão importante saber improvisar. Em relação ao esporte o improviso tem muita relação com a seleção de 1982, ela ficou na minha cabeça enquanto escrevia o texto. Não ganhou a Copa, mas ganhou… a torcida. É, o mundo é paradoxal mesmo. Com a de 1994 foi o contrário. Enfim, obrigado a todos pelos comentários e boa semana, Janca

  • Marcos A. Freire

    Tudo muito bem, tudo muito bom, mas se não fosse a organização do Ruben Magnano o Brasil nunca teria conseguido a vaga para as Olimpíadas no basquete masculino. Esporte não tem lugar para improviso, precisa de planejamento. Abs. do Marcos Freire, gestor de esportes

    • Leomir

      Me admira você dizer que é gestor em esportes e não ter percebido ainda que o basquete como outros esportes precisa de improviso, que é o toque de genialidade de cada jogador. Basquete não é ciência exata. Se fosse a Argentina teria trucidado Porto Rico ontem.

      • Marcos A. Freire

        Toque de genialidade é um coisa que não exclui boa preparação, organização e planejamento. Voce não entendeu o que eu escrevi, sinto muito.

  • BASQUETE S.A.

    O Ruben Magnano revolucionou o basquete brasileiro com organização e planajamento. Mas foi muito bom ao unir os jogadores, num trabalho de dois meses, e explorar o talento de cada um. Não precisam ser gênios, eles são muito bons mas os três principais desertaram, foram competitivos e tiveram uma garra que fazia muito tempo não se via na quadra. Essa foi a diferença em relação aos outros anos, o toque de improviso que vocês estão discutindo aqui. BASQUETE MASCULINO EM LONDRES-2012!!! A GLOBO VAI TER QUE ENGOLIR!!!

    • Vitor César

      Nenhum brasileiro que deu pra trás e esnobou a seleção preferindo a NBA tem que ir pra Londres. O Ruben vai ser justo com quem conquistou a vaga. Parabéns BRASIL!

      • Marcos A. Freire

        O caso do Anderson Varejao é diferente. Ele tava machucado por isso pode ir pras Olimpíadas porque não esnobou a seleção, Vitor.

        • André

          A decisão cabe à comissão técnica e só. Só eles sabem o que aconteceu caso a caso. Não podemos opinar de fora, no máximo palpitar. A decisão é do Ruben Magnano e ele saberá tomar a melhor possível para o grupo e o Brasil. André

          • janca

            Também acho, embora acredite que temos o direito de opinar, sim. Abs.

    • André

      Não sei se vocês viram, a Globo quando anunciou a vitória do Brasil contra os dominicanos apresentou como se a notícia fosse o Brasil estar na final, relegando pra segundo plano o fato de estar nas Olimpíadas que serão mostradas pela Record. Será assim a cobertura de Londres?

      • janca

        Eu confesso que não vi. Estava acompanhando pelo Sportv, que fez bom trabalho em Mar del Plata. Abs.

  • Marcelo

    O basquete teve garra e emoção. Seleção (de futiba) tá tão chata que passou a jogar na segunda em estádio de… segunda. Campanha fora Mano continua.

    • janca

      Mas agora joga quarta. É Copa Nicolás Leoz mesmo? A coisa tá feia… Abs.

MaisRecentes

Itaquera-2018



Continue Lendo

Brigas no Fla



Continue Lendo

Paulistas com medo



Continue Lendo