Pênaltis, fé e a árvore



Acabei de voltar do cinema, vi “A Árvore da Vida”, de Terrence Malick, para mim ainda melhor do que “Melancolia”, de Lars Von Trier, que já havia considerado brilhante.

É um filme que trata de relações familiares e fraternais, aborda a finitude. o macro e também o microcosmo, o universo, a fé, Deus, a falta Dele…

Imagens lindíssimas, trilha sonora de primeira, muita música clássica, piano… Sensacional. Sensacional pra mim, porque na saída uma mulher reclamava não ter entendido nada e definiu o filme como horrível.

Sei que temos que respeitar opiniões alheias, mas muitas vezes não respeito, não. Achei a mulher uma idiota e pensei: Quem é o imbecil que namora essa besta?

Besta à parte, nunca tinha visto um filme que retrata de maneira tão inteligente a questão da fé.

Lembrei de um garoto numa igreja em Turim que rezava, rezava e rezava, rezava tão fervorosamente que pensei: Se existe um Deus, que Ele ajude esse garoto. Que atenda a seu pedido, seja ele qual for, porque para o rapaz era a coisa mais importante do mundo.

Dias depois eu voltava ao Brasil e no avião vi um rabino fazendo suas orações e um rapaz colombiano, sentado a meu lado que rezou um bocado pedindo para aquele avião não cair. Mas se tivesse que cair, cairia. Com ou sem oração.

No dia seguinte caiu o avião da Air France, que ia do Rio a Paris. Com certeza houve gente naquele voo que rezou. E rezou fervorosamente.

Como rezaram portugueses e argentinos na disputa por pênaltis nas quartas-de-final do Mundial sub-20.

A Argentina vencia por 3 a 1, precisava só converter mais um pênalti de dois ou torcer para Portugal errar mais uma das duas cobranças finais. Deu tudo errado. Os argentinos erraram duas vezes seguidas e os portugueses fizeram os seus. Empate, novas cobranças e vitória de Portugal.

Pena que a TV cortou a transmissão e pudemos ver pouco da alegria portuguesa e da dor argentina, que me comoveu. É que o mais emocionante aconteceu depois dos pênaltis. A comemoração dos portugueses foi tão intensa que parecia que eles tinham conquistado… nem sei o quê. E a tristeza dos argentinos era tão grande que chegava a cortar o coração.

Vejo essa dor tão intensa como exemplo. Exemplo de quem se importa. Exemplo de quem merece aplausos, apesar da derrota. Porque num torneio sub-20, um jogador parece sentir muito mais uma vitória ou uma derrota. A emoção está toda lá.

E por mais que portugueses e argentinos tenham rezado e feito sinal da cruz, um dos dois lados iria perder. Não porque Deus prefira A ou B. Mas porque se realmente Deus existe, o que duvido, Ele tem coisas mais importantes com o que se preocupar.

Só que em vez de tapar as feridas, parece que ele manda moscas para torná-las ainda maiores, como diz um trecho de “A Árvore da Vida”. Belo filme, belo jogo. Recomendo o filme para quem não viu, porque o jogo já foi.



  • Ferdinando

    O filme não vi pra dizer se gostei como você ou se achei horrível (hehehe). Os pênaltis foram inexplicáveis como os quatro que o Brasil perdeu. A Argentina tinha a decisão nas mãos e conseguiu perder. Torci para Portugal porém eu entendo o ponto em que você quer chegar. Os argentinos desmoronaram de dor. O Brasil não estava nem aí depois do que aconteceu na Copa América. É isso, não? O Sportv errou de não mostrar a festa de uns e a dor dos outros, queria ver mais a reação como você. Fica aquele gosto chato e amargo. Bom Dia dos Pais para todos vocês, quem é pai e quem é filho, Ferdinando Arruda Botelho (São Paulo-São Paulo)

    • janca

      É isso, os argentinos desmoronaram de dor, portanto eles sentiram muito a derrota, o que é louvável. Sobre a transmissão, a gente tem que entender que as emissoras têm a programação delas e o jogo se esticou demais, foi para a prorrogação, depois para os pênaltis, que não acabavam, enfim, também queria ver mais a reação no campo dos jogadores dos dois lados, mas pelas poucas cenas que vimos podemos imaginar.
      E para as pessoas que tanto atacavam a Globo ontem a emissora acho que foi a única a apresentar uma denúncia séria _a partir de investigações da PF, pelo que pude entender_ sobre venda de um amistoso do Brasil contra Portugal, aqueles 6 a 2 no Distrito Federal de José Roberto Arruda. Sim, ele mesmo. Abs. e com domingo pra você também, João

  • Dani

    João, bom dia, os dois filmes que você citou são extremamente bons. Se tivesse que optar por um, ficaria com Melancolia, mas como você recomendo os dois. A Árvore da Vida, que poderia se chamar A Árvore da Morte, pois vida e morte andam de braços dados o tempo todo, uma não faz sentido sem a outra, reparou?, tem as cenas mágicas que seriam a representação da Criação. Talvez essas cenas a mulher que achou o filme um horror não tenha entendido. Não se trata de um filme linear muito menos cronológico. É um filme de arte. Ela deve ter visto o Brad Pitt e pensado que era um filme como boa parte dos que ele já fez, um filme mais para o lado comercial e provavelmente por isso entrou sem saber do que se tratava, não entendeu e não gostou. Um maravilhoso domingo pra você e parabéns de novo por mais um post tão bonito, sincero e profundo. Dani

    • janca

      Opinião é opinião _rs. Eu fico com “A Árvore da Vida”, embora tenha adorado os dois. É mesmo um filme de arte. E a trilha sonora? Bach é mesmo sensacional, Brahms, citam Toscanini, a música é nova dez, as imagens, tudo. A dor, a morte, as perdas, Deus, cadê você? Adorei mesmo. E de fato você tem toda razão pois não se trata de um filme linear. Quanto ao Brad Pitt, achei uma atuação espetacular também. Pra você ver que realmente gostei do filme. Abs. e um bom domingo pra você também, João

  • Nilú

    “Às vezes quero crer, mas não consigo,
    é tudo uma total insensatez
    Aí pergunto a Deus: “Escute, amigo,
    se foi pra desfazer por que é que fez?”

    O filme ainda não fui ver, logo não posso opinar, mas esse trecho da música Cotidiano2, transcreve bem, em simples palavras, meu questinamento sobre deus.
    Uma pergunta para vcs que já viram o filme, o dia de hoje é um dia bom para vê-lo?
    Bom domingo para os bons pais.
    Nilú

    • janca

      Oi Nilu, muito bonito esse trecho, confesso que não conhecia e adorei e é bem o espírito do filme. Bem o espírito do filme mesmo. E bom domingo para os bons pais… gostei. João

  • Cassiano Ferraz

    Aqueles que não tem fé devem ver a cena do sermão do padre. Ele fala tudo sobre fé e vocês passarão a ter fé e a acreditar em Deus. Ele existe. O filme é bom mesmo. Junta fé e ciência ao falar da criação. Legal sua postagem, Cassiano Ferraz

    • janca

      Oi Cassiano, se Ele existe ou não não sei, estou muuuito mais para o não do que para o sim, só que concordo com você sobre a cena que você cita. É muito bonita e forte. Nem sei se é padre, pastor protestante, enfim, as falas são densas, coisas ruins acontecem para pessoas boas, sim. É forte e impactante o que ele vai dizendo e a tese que vai construindo. Abs. João

  • Adriano

    Que Deus abençoe vocês todos e um feliz Dia dos Pais a todo mundo. O Dia dos Pais como o das Mães e o Natal são as datas mais importantes ao lado da Páscoa do nosso calendário. Celebrai-vos com seus entes queridos. Adriano Lopes Júnior, pastor

  • janca

    Ops, você deve estar brincando _rs. Dia dos Pais ou das Mães é uma data comercial, talvez boa para os lojistas e donos de restaurantes. O Dia dos Pais deste ano nos Estados Unidos foi 19 de junho, um domingo. Aqui, 14 de agosto. E quem disse que Jesus nasceu em 25 de dezembro? Convenção, convenção… Mesmo assim, bom domingo, pois hoje é domingo, a todos. Ou bom resto de domingo porque uma boa parte dele já foi. João

  • Lauro Cunha

    Portugal mereceu vencer, o goleiro argentino adiantou em todos os pênaltis e o juiz não mandava voltar. Foi um assalto.

  • janca

    E quem alertou pra isso, Lauro, foi o jovem e competente comentarista do Sportv Raphael Rezende. De fato o goleiro argentino vinha se adiantando nas cobranças e o juiz nada fazia. Abs.

MaisRecentes

Decepção são-paulina



Continue Lendo

Alessandro na frigideira



Continue Lendo

Del Nero na Rússia



Continue Lendo