A novela e os aeroportos



Ontem vi uma cena numa das novelas da Globo simplesmente bizarra. Um casal embarcava no aeroporto e fazia o check-in na hora, sem fila, sem nada. Sim, o aeroporto era brasileiro. Provavelmente o Tom Jobim. Mas a realidade de quem viaja é outra, não a da novela global.

A ideia do governo é privatizar uma série de aeroportos para ver se eles melhoram. Duvido.

Os primeiros casos, já tendo como objetivo a Copa de 2014, são Cumbica, Viracopos, Brasília e Natal, que esperam a concessão para a privatização.

Só que a burocracia é tanta que é possível que as concessões levem até dois anos para sair, o que seria tarde. Estaríamos falando de 2013, ano anterior ao início do Mundial.

Sinal de que a coisa está feia quando se trata do sistema aeroviário brasileiro, muito pior do que a dos estádios, que tanta discussão têm gerado até por envolver paixões regionais e clubísticas, como já vimos neste espaço aqui.

Maior aeroporto do Brasil, o de Cumbica, em Guarulhos, é o exemplo mais claro da desorganização. Procurada por este blog, a Infraero não soube informar nem quando terminará as obras internas, ampliação da área onde as malas de mão são inspecionadas e do número de  guichês para agilizar o desembarque internacional.

O edital de licitação do terceiro terminal do aeroporto tampouco tem prazo para sair. Deve ficar para o ano que vem. Se sair.

Faltam ônibus para levar os passageiros às aeronaves, há poucos fingers para muitos aviões, o estacionamento não tem vagas suficientes para a demanda, assim como o de Congonhas e o Santos Dumont, que tanto serão usados não só durante a Copa, mas também durante os Jogos de 2016. Falta tudo, enfim. E o passageiro sofre e o tempo passa.



  • André Rezende

    Cumbica anda uma lástima pra quem chega e pra quem vai. Pergunto: o auge da crise aérea não foi em 2007? Por que nada foi feito de lá pra cá? Somos um bando de conformados. Aeroporto está pior que rodoviária. Lamentável mesmo.

    • janca

      É, como já te respondi o auge foi mesmo em 2007, mas veja a situação dos transportes _nas mãos do PR e da mesma turma desde o governo Lula_, ou a Dilma se mexe de verdade ou… Haja paciência. Abs.

  • André Rezende

    Deixo mais uma pergunta: vamos ficar no relaxa e goza da queridíssima Marta Suplicy? Hoje toda toda lá no Senado. Brasileiro tem memória curta mesmo. Ando indignado com tudo. O Brasil é um bolsão de miséria e nada tem sido feito pra melhorar. Nada, nada, nada. Fica meu desabafo, caro Janca.

    • janca

      Ok, também acho que o governo está devagar quase parando na questão dos aeroportos, há quatro anos sabemos que seremos a sede da Copa, há quatro anos a crise aérea chegou a seu ápice e nada parece ter sido feito até agora. Só improviso aqui e acolá. Quanto à senadora Marta Suplicy, também tenho restrições à atuação dela como política, mas entre ela e o Kassab ela é mais competente. Opinião minha. Abs. João

  • Fernanda Costa

    Meu testemunho: cheguei em Cumbica num domingo cedo de julho, duas horas e meia até pegar minha mala, por pouco não perco a conexão pra BH. É fila que não acaba mais.

  • Fernanda Costa

    Na chegada meu avião ficou um tempão na pista porque não tinha finger. Pegamos o ônibus até o desembarque. Não havia ônibus pra todo mundo. Os funcionários não sabiam informar nada. Depois o ônibus apareceu para pegar quem tinha restado. Situação triste mesmo. Não dá nem pra imaginar que pensamos em sediar uma Copa e as Olimpíadas, né? Coisa de louco. Fernanda Costa da Silva

    • janca

      Oi Fernanda, uma coisa curiosa que tem acontecido é que quando você vai a qualquer aeroporto brasileiro e vê uma situação dessas o pessoal começa logo a reclamar e a associar à Copa e à Olimpíada, dizendo que não temos condições de receber nem um nem outro. Mas acho importante ressaltar que a responsabilidade não é dos funcionários, sinto todos fazendo o melhor, seja na Polícia Federal, seja no raio-x, seja na hora do check-in. É que o espaço está cada vez mais reduzido, a estrutura é insuficiente e as reclamações sobram para os funcionários, que estão apenas tentando fazer da melhor forma seu trabalho. Abs. João

  • Gilson

    SITUAÇÃO 01 – Chegue ao aeroporto de Guarulhos(Cumbica) as 14hs para embarcar.
    SITUAÇÃO 02 – Chegue ao aeroporto de Guarulhos(Cumbica) as 19hs para embarcar.
    Temos horários ociosos e horários de pico, como em diversos serviços prestados. Estive em Salvador no carnaval, levei 03hs para atravessar da capital para Bom Despacho via Ferry Boat(balça). No retorno, pós carnaval, escostei no guiche para compra do bilhete e a moça pediu que eu andasse de presa pois a balça estava saindo.
    É claro que melhorias são necessárias, que existem pessoas que não deveriam estar a frente da empresa(INFRAERO), por outro lado, existem 13.000 funcionários, diretos e indiretos que são mostrado pela midia como incompetentes mas que, em um pais sem “leis”, transportam com segurança milhões de passageiros ano.

    • janca

      Oi Gilson, foi isso o que eu disse em resposta a um dos comentários. Os funcionários não são os responsáveis pela situação. Pelo contrário, transportam com segurança, como você bem colocou, milhões de passageiros por ano com muita competência. Em relação a horários de pico você deve entender melhor do que eu sobre a situação, mas em Cumbica li reportagens dizendo que não há horários melhores ou piores, que a demanda já ultrapassou em muito a oferta. Mesmo assim acho que há. É o que você disse: uma coisa é embarcar às 14hs, outra às 19hs… Enfim, melhorias são necessárias e imagino que inclusive melhorias para os funcionários trabalharem com mais tranquilidade. Porque na hora em que as pessoas se revoltam são eles que pagam o pato, o que não é justo. Grande abraço e valeu pelo comentário, João

MaisRecentes

Ainda dá?



Continue Lendo

Saída de Lucas Lima



Continue Lendo

Dorival bombardeado



Continue Lendo