Futebol para ricos



Um processo que aconteceu na Inglaterra no final dos anos 90, começo da década passada, está em curso no futebol brasileiro. A elitização do esporte e dos estádios, que especialmente depois da Copa de 2014 devem ser frequentados prioritariamente pelas classes A e B, talvez pelos emergentes da C.

As tribunas, os camarotes e os setores vips tendem a ocupar mais espaço e as arquibancadas populares serão reduzidas.

Isso aconteceu com o Manchester United, cuja torcida protestou, dizendo que os jogos do time, com carnês para toda a temporada vendidos antes do início do campeonato, passaram a ser frequentados pelos endinheirados das classes A e B. Pesquisas comprovaram o fato. As classes mais baixas deixaram de seguir o time e começaram a ocupar menos de 20% da capacidade da arena.

Quem conheceu o Maracanã não vai reconhecê-lo quando ficar pronto _previsão dezembro de 2012. Será um novo Maraca. Um Maraca com capacidade inferior a 80 mil lugares e com o espaço reduzido para o povão.

Não sei que uso se dará a elefantes brancos em outros Estados, exceto Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Minas e Rio de Janeiro, que têm condições de utilizar seus estádios com maior frequência, pagando bem por um assento. Mas nas outras sete sedes da Copa como serão mantidas as arenas? O que será feito delas? É uma discussão importantíssima.

Muitos falam em usá-las para outras atividades, mantê-las em funcionamento o ano todo, com bufês infantis, cinema 3d, centros de compra, restaurantes, espaço para shows… É uma ideia, mas uma ideia que funciona melhor em SP, RJ, RS, PR e MG, não sei se nos demais estados, onde a procura é menor.

O que sei é que o futebol começa a criar um novo público. Um público elitizado, disposto a pagar caro pelo ingresso, mas a ter todo o conforto possível. Uma nova era já começou e acredito que irá se consolidar depois da Copa. Não sei se para melhor ou pior, mas definitivamente será uma outra era. Novos tempos virão…



  • Tarcísio Rezende.

    Caro Janca, certamente para pior, o Carnaval já foi tomado do povo, os abadás, fantasias e ingressos carnavalescos são de difílcil acesso ao povão, e agora a outra paixão popular vai para o mesmo caminho, basta ver como custa caro uma camisa oficial de futebol, e os ingressos cada vez mais caros, os da seleção brasileira, por exemplo, precisariam ser parcelados em 12 vezes, e SEM JUROS !!
    Mais um motivo para boicotarmos o futebol oficial que vive sob o domínio da Sra. FIFA e Dona CBF, e voltarmos a curtir o futebol amador, de várzea ou de praia. Afinal de contas, nós mais velhos, que estamos na faixa dos 40 anos, nos lembramos saudosamente do velho e bom DESAFIO AO GALO, futebol sem essa frescurada de hoje em dia !
    Os elitistas que deveriam permanecer em suas quadras de tenis e campos de golf, invadiram nossas arquibancadas, acabaram com as populares (exemplo, Geral do Maracanã), e mostram a mesma cara e perfil dos que comandam o esporte considerado o mais popular do país. Popular??

    • janca

      É, Tarcísio, essa é uma boa discussão e uma boa comparação a sua com o que aconteceu com o Carnaval. De fato ir a um jogo de futebol e pagar 180 reais para comprar um ingresso e 90 reais para uma criança de oito anos não é todo mundo que pode. Teve gente que gastou mais de 300 reais para ver a despedida de Ronaldo na seleção, aquele 1 a 0 com a Romênia, um jogo horroroso, o que é questionável. Depois reclamam que os estádios ficam vazios… A despedida de Ronaldo acabou sendo, apenas para citar um exemplo, um evento mais para a TV do que para quem foi ao Pacaembu. Abs. João

  • Fabrício Coutinho

    Lendo seu texto não sei dizer se isso é bom ou ruim. Na Inglaterra ajudou a acabar com os hooligans. Não sei se você chegou a ver, Janca, mas alguns cinemas estão exibindo jogos em 3D, aqui no Brasil mesmo. Sabia disso? Não vale uma reportagem?

    • janca

      Que eu saiba na final da Liga dos Campeões, no último final de semana de maio, houve cinemas que mostraram a decisão em 3D. Acho que é uma tendência para o futuro, sim. Abs. e valeu pela sugestão de matéria, João

  • Infelismente acho que isto não tem volta. O futebol hoje é um esporte caro de se manter. É só ver os salarios que são pagos pelos grandes, e até clubes médios. Esta ideia do 3D acho interessante, mas nada como ver o jogo no estadio, a emoção é outra. Agora acho também que, isto é um reflexo do nosso progresso, e isto prova que o brasil esta crescendo e enrriquecendo, prova é o valor dos ingressos, camisas, e outros produtos vendidos pelos clubes em lojas proprias, ou franqueadas. É só entrar na loja do PODEROSO TIMÃO pra ver. Os preços são comparaveis a Grifes famosas. Acho que é isto, os clubes grandes estão se tornando um produto cada vez melhor, e mais lucrativo. E como todo negócio, o que interessa é o lucro. Espero que isto colabore com a qualidade do futebol, a começar pelos gramados. Estes sim precisam de um investimento urgentemente. Para um bom espetaculo, precisamos de um bom palco.

MaisRecentes

O futuro de Ceni



Continue Lendo

O preço justo



Continue Lendo

Pedido pelo Pacaembu



Continue Lendo