Cenário para novo Hitler



“A única diferença entre o homem e o menino é que os brinquedos do homem custam mais caro”. Carl Whitaker, terapeuta familiar, em “Dançando com a Família”.

Eu completaria dizendo que os brinquedos do homem custam mais caro e podem ser muuuuito mais nocivos.

Os jogos de Londres-2012 têm sido muitíssimo bem organizados, um exemplo e uma lição para nós, brasileiros. Mas a grande preocupação que eles têm é em relação a atentados. Um risco real, pois a xenofobia e o crescimento da extrema-direita na Europa são impressionantes, enquanto que aqui, por mais que o racismo exista e tenha que ser combatido, a sociedade é miscigenada, o que acho ótimo.

Parece que o cenário para um Hitler voltar está se armando na Europa. O mundo assiste passivamente ao que está ocorrendo no Velho Continente, a intolerância aumenta, agora os alvos são os estrangeiros e especialmente os muçulmanos, não os judeus. É muito grave o que está acontecendo.

Quem nos garante que um novo Anders Breivik, aquele norueguês que representa boa parte da sociedade europeia e matou mais de 70 pessoas, não apareça por aí? E pode atacar Londres durante os Jogos. O receio em relação à segurança na Olimpíada de 2012 é enorme. Teremos o maior esquema de segurança da história olímpica.

Mas novamente aqui o buraco é mais embaixo. Porque os Jogos acabam e a intolerância, a xenofobia, os movimentos de extrema-direita e contra os imigrantes irão crescer. Como já estão crescendo há mais de 15 anos e ninguém faz nada. Quantos Anders Breiviks não estão à solta por aí? Quando vamos nos mexer?

Na França, Le Pen definiu o norueguês como um “louco”, mas criticou o governo do país escandinavo que estaria aceitando a entrada de imigrantes e ainda reclamou do fato de seus policiais não andarem armados, o que acho bom. Um ex-ministro de Silvio Berlusconi, um tal de Mario Borghezio, considerou excelentes as ideias de Breivik.

Eu, que adoro a Escandinávia, só posso lamentar o crescimento da ultradireita na região, especialmente na Noruega, mas também na Dinamarca e na Suécia, países onde o Estado de bem-estar social sempre foi tido como modelo.

É melhor o mundo todo ficar de olhos abertos, bem abertos, porque o cenário para o surgimento de um novo Hitler está cada vez mais delineado. E não se trata de catastrofismo de minha parte, embora gostaria que fosse.



  • Dani

    É por aí mesmo, João. A intolerância na Europa que tende a aumentar com a crise econômica e os refugiados da Primavera Árabe pode criar líderes nefastos para a humanidade. Fica o alerta e outra vez mais congratulations, seus textos são muito bem estruturados e todos com conteúdo. Dani

  • janca

    Mais uma vez obrigado pelo comentário e pelos elogios e aproveito para mandar meus agradecimentos também ao Tarcísio, que tem contribuído com comentários valiosos para este blog, além de ter me avisado que inadvertidamente havia escrito Londres-2016, não Londres-2012. Já acertei os ponteiros. Obrigado mais uma vez, João

  • Tarcísio Rezende.

    Caro Janca, é um prazer participar do seu maravilhoso blog, os assuntos são muito pertinentes e seu modo de escrever, associado a toda sua cultura e sabedoria, fazem ele ficar delicioso, tornando-se uma das minhas leituras diárias “obrigatórias”.
    Concordo que a Europa é um campo mais do que fértil para doutrinas radicais e racistas, que devem ser combatidas diariamente pelas pessoas de bem, mas outros tipos de fascismos e ditaduras também devem ser combatidos, inclusive aqueles que usam do dinheiro para dominar, principalmente através da “ditadura silenciosa do patrocínio estatal”. Certamente você sabe do que estou falando, no mundo de hoje não se precisa torturar ou matar para escravizar, basta ameaçar de suspender um patrocínio forte e rico. Abração!

    • janca

      É isso aí Tarcísio, valeu pelos comentários, pelos elogios e por sua participação. Grande abraço, João

MaisRecentes

Decepção são-paulina



Continue Lendo

Alessandro na frigideira



Continue Lendo

Del Nero na Rússia



Continue Lendo