Amigos, amigos



O presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), Márcio Fortes, tem se mostrado muito ligado a Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB e principal responsável pelo comitê local de organização dos Jogos de 2016, de quem é considerado bom amigo.

Isso tem deixado preocupado quem trabalha ao lado de Fortes, pois corre o risco de ser “engolido” por dirigentes esportivos no processo de gerenciamento de verbas e cobrança dos poderes políticos ligados ao evento. Ex-ministro das Cidades no governo Lula, ele tem que garantir o bom andamento das obras de infraestrutura, comunicações, transporte e segurança para os Jogos.

Henrique Meirelles, presidente do Conselho Superior da APO e ex-presidente do Banco Central, é tido como mais independente. Seria distante de Nuzman e mais próximo de Dilma do que Fortes, apesar de o último ter sido nomeado pela própria presidente e já aprovado em sabatina no Senado.



MaisRecentes

O escândalo de Platini



Continue Lendo

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo

Deuses da Bola



Continue Lendo