A dança dos técnicos



O futebol brasileiro não anda apenas carente de grandes jogadores. Anda carente de bons técnicos.

O mercado está complicado. Na Europa, Kaká enfrenta dificuldades e muitas vezes tem de ficar no banco do Real, Pato não se firmou como craque, Ronaldinho Gaúcho teve que voltar ao Brasil, por aqui Neymar e Ganso andam questionados depois da Copa América, mas um dos problemas que temos poucos abordam. Trata-se da escassez de técnicos competentes.

São poucos os nomes de destaque, como Muricy Ramalho, que para mim deveria estar na seleção, Luiz Felipe Scolari, Vanderlei Luxemburgo, Tite… Não é por acaso que um técnico, como Renato Gaúcho, vai mal num time, no caso o Grêmio, deixa o cargo para logo em seguida assumir outro, o Atlético-PR. O São Paulo chegou ao cúmulo de manter Paulo César Carpegiani por não ver alternativas no mercado nacional. Depois de três derrotas contratou Adilson Batista até o final do ano, mesmo a diretoria o considerando um técnico de médio para fraco, depois de ter ido mal no Corinthians, Santos e Atlético-PR.

Dorival Júnior, que faz péssima campanha com o Atlético-MG, pode cair a qualquer momento e ir para outro time do Brasileirão que precise de novo treinador.

Mercado para os técnicos não faltam, pois são sempre os mesmos e vivem indo de lá para cá. Recebem salários muito altos para os padrões brasileiros, ganham boas multas quando são demitidos e assim a vida segue.

O que poderia ser feito? Os clubes brasileiros, que há tempos têm contratado com sucesso jogadores do exterior, especialmente da América do Sul, poderiam experimentar importar técnicos estrangeiros. Bons nomes dispostos a trabalhar no Brasil não faltam. É uma alternativa que considero válida, embora muitos sejam contrários. Se importamos jogadores com sucesso, não vejo o porquê de não trazermos treinadores de fora. Eles não vão tirar as raízes brasileiras, pelo contrário, podem ajudar a resgatá-las. Um olhar de fora é sempre bom…



  • Alexandre

    Concordo. Os técnicos brasileiros desta geração são fracos e supervalorizados.
    Há muitos bons técnicos sulamericanos que poderiam ser contratados pelos times brasileiros.

    • janca

      É, fracos e de fato supervalorizados. Você está certo, Alexandre. Abs. Janca

MaisRecentes

Itaipava no Timão



Continue Lendo

Decepção são-paulina



Continue Lendo

Alessandro na frigideira



Continue Lendo