Os engenheiros da FEI



No início de junho, voltei de Nova York para o Brasil e, só pra variar, cheguei horas antes do embarque para evitar atropelos de última hora. Consegui me distrair lendo e conversando com um grupo de estudantes de engenharia da FEI, conhecida faculdade de São Bernardo do Campo.

Os universitários tinham participado de um campeonato de baja com mais de uma centena de faculdades estrangeiras e obtido, se não estou enganado, o sexto lugar. Fiquei empolgadíssimo e lhes dei os parabéns, mas estavam todos meio desanimados, pois esperavam chegar em primeiro.

Em 2004, 2007 e 2008, fora equívoco, a FEI tinha sido campeã, ou seja, obtido o tricampeonato mundial. Sinal de que a equipe é boa. E em 2011 chegou a estar na liderança até quase o finalzinho quando uma pequena peça pôs tudo a perder. Ou melhor, tudo não, o primeiro lugar, pois ficar em sexto acho genial. É o Brasil sendo respeitado  no exterior por um trabalho sério e de qualidade.

O veículo baja (ou mini-baja) é um protótipo de estrutura tubular em aço com quatro ou mais rodas, que tem os sistemas de suspensão, transmissão, freios e chassi desenvolvidos pelos estudantes, que ainda aprendem a ir atrás de apoio e parcerias para viabilizar a construção do “carrinho”.

O transporte para os Estados Unidos é feito com o maior cuidado e o empenho dos estudantes é impressionante.

No aeroporto alguns estudavam freneticamente, pois no dia seguinte à chegada ao Brasil teriam provas da faculdade e tinham perdido cerca de três semanas de aulas. A maioria não. Preferia conversar sobre a experiência.

Eles contaram as aventuras para chegar aos locais das provas, as tempestades que pegaram e devastaram cidades nos EUA, quase derrubando uma das vans que dirigiam, falaram da competição e já estavam pensando no veículo que preparariam para a próxima.

A próxima acontece no final de julho, dias 30 e 31, em Minas Gerais. Competição nacional. E os estudantes já animados com o baja que iriam projetar.

Conversar com o grupo foi animador. Porque a maioria das pessoas no embarque ficava com seus joguinhos eletrônicos, i-pods, cada um no seu universo particular, como se os demais passageiros não existissem. Já os futuros engenheiros interagiam, não vivem só de tecnologia.

Percebendo que todo mundo que estava voltando ao Brasil tinha comprado isso e aquilo, especialmente produtos eletrônicos que estavam baratíssimos com o dólar desvalorizado, comentei: “Deveria ter comprado alguma coisa também…” Então um dos estudantes perguntou: “Mas você precisa?”. E eu: “Não.” E ele: “Então fez bem em não comprar.”

Ele tem razão. Por que ter um computador do qual iria usar menos do que 1% de sua capacidade? Eu, que abomino o consumismo exagerado, iria comprá-lo só por estar barato? Não, este não sou eu, fiz bem em não comprar nada de que não precisasse. E não precisava nem queria nenhum eletrônico.

Não vou poder acompanhar a edição Sudeste da competição entre as faculdades brasileiras de bajas e mini-bajas, seja lá o que for… Mas certamente torcerei pela FEI.

Quero que volte no ano que vem aos Estados Unidos e mais uma vez, vencendo, ficando em sexto, décimo, o que for, pois acidentes e incidentes acontecem, que represente bem o Brasil. Nas pistas e no setor de embarque dos aeroportos. Porque esses engenheiros prometem. Prometem pois não vivem só de números, tecnologia e afins. Prometem porque são gente. E ganharam meu respeito e minha torcida.



  • Caetano

    Homenagem muito bonita de se ver para um lado do Brasil que dá certo. Parabéns não só aos futuros engenheiros deste país mas também ao jornalista que teve a sensibilidade de escrever um texto tão sensível. Com o abraço do Caetano

  • Fernando Almeida

    A corrida de bajas e mini-bajas não só é uma coisa que desperta interesse e curiosidade de quem vê como gera emoção e o mais importante de tudo que é o engajamento dos universitários. Ótimo lembrança aos nossos jovens que representam o futuro deste pais.

  • Fernando Almeida

    Se puder continue dando espaço para nossos jovens universitários pois o país a eles pertence. Um abraço para você, jovem e competente blogueiro, Fernando

  • janca

    Caros Caetano e Fernando, muito obrigado pelos comentários. Também acho o projeto que a FEI e outras universidades desenvolvem fantástico porque é uma oportunidade para os estudantes aprenderem na prática, usarem conceitos teóricos e aplicá-los para desenvolver e montar um veículo. Senti a empolgação de todos eles quando conversamos e a FEI está de parabéns. E eles também. Abs. pra vocês, João Carlos

  • Sidney

    Janca,

    Sou pai de um dos futuros engenheiros da FEI que você encontrou lá em Nova York e, como tal, agradeço muito por esta reportagem. Participaram da competição de baja, no Kansas, outras duas equipes brasileiras: a Poli-USP e a Universidade Federal de Pernambuco.
    Além de agradecer, queria comunicar que a FEI corre o risco de não participar da competição regional porque, até o momento, o container com o carro e as ferramentas ainda não foi liberado pela alfandega brasileira.

    Abraço

    • janca

      Putz, sério? Espero que o carro e as ferramentas sejam liberadas logo para que a FEI possa participar da competição regional. Parabéns pelo seu filho e pela equipe dele, os brasileiros, Poli e Federal de Pernambuco inclusive, claro, são muito respeitados no exterior na competição de baja mas principalmente por conta da FEI. A viagem para Kansas foi uma baita experiência, eles me contaram sobre a chegada a um dos hotéis com quase toda a cidade destruída, da competição, um pessoal muito bacana e que mostra um lado muito legal do Brasil. Grande abraço e valeu pelo comentário, Janca

  • MGaiotto

    Parabéns pela reportagem, sou irmão de um desses incríveis garotos da FEI, e fico muito feliz em ver o otimismismo deles ser tão bem representada.

    • janca

      O pessoal da FEI é incrível mesmo, fiquei muito contente de encontrá-los no aeroporto e saber que temos uma equipe de ponta que tão bem representa o Brasil no exterior. Parabéns pra você e pro seu irmão também, claro. Abs. João Carlos

  • Vini Garritano

    Chuuuuupa maua !!!!!

  • Rubens

    Parabens a todos, tanto os que divulgam e comentam como aqueles que nos representam ou participam desses eventos. gostaria de ressaltar de que a dificuldade cai sobre todos, por exemplo algumas equipes não conseguem verba nem patrocínio para a construção e transporte dos seus projetos e equipe, rivalidades a parte deixo o meu alerta, é muito importante ter o apoio de todos, portanto vamos ajudar uns aos outros para termos boas competições promovendo um ótimo desenvolvimento dos engenheiros… Parabens e continuem assim.

    • janca

      Concordo com você, Rubens, imagino que a dificuldade seja enorme, inclusive na parte de apoio, patrocínio, enfim, o que é fundamental para nossos futuros engenheiros. Obrigado pelo comentário, João

  • Mario G.

    Bela homenagem aos alunos e à FEI como instituição…Me formei na FEI em Engenharia de Produção Mecânica em 98, confesso que ralei muito, mas não me arrependo…A FEI de abriu portas no início da minha carreira e continua abrindo..Dica para quem está disposto a cursar engenharia, escolha uma faculdade TOP (FEI, POLI, Mauá), isso faz diferença em qualquer processo seletivo…experiência prória…
    PS.: só p constar, chupa MAUA!!!

    • janca

      Legal o que você escreveu sobre a FEI e o reconhecimento _apesar das rivalidades entre as faculdades, claro_ a outras instituições como a Poli e a Mauá. Abs. e valeu pelo comentário, Janca

  • Gabriele

    É muito gratificante ver a FEI se destancando nas diversas àreas da Engenharia, principalmente se este é o nosso “pupilo” BAJA!

    Parabéns a você, Janca, que em meio a tantas distrações encontrou em nossos amigos o diferencial de “amar aquilo que fazemos”.

    Ps: Chupa MAUA !!!!!!!!!!!

    • janca

      Obrigado pelo comentário, Gabriele, e é mesmo muito bacana ver pessoas crescendo e fazendo aquilo que gostam de fazer. A FEI e o pessoal do projeto baja estão todos de parabéns. Abs. Janca

  • Graziela

    Olá, é muito legal ver uma matéria dessas sobre a FEI.
    Eu faço engenharia de produção na FEI e em todo lugar que eu digo que faço é um reconhecimento tremendo. A gente rala pra caramba lá, mas com certeza todo o esforço é recompensado. Parabéns a equipe do baja da FEI e parabéns também a você pelo brilhante post.

    • janca

      É, dá pra perceber o quanto vocês têm que ralar na faculdade, mas estão de parabéns pelo trabalho e pela equipe baja FEI, é um projeto incrível mesmo e que nem todo mundo sabe que existe. Em meio a tantas más notícias, é bom vermos que existe um oásis. Um não, vários. Abs. João

  • Leonardo

    PARABÉNS, FEI!

  • Murilo

    Sou um engenheiro q sozinho bate mil eu so da fei a mais famosa do Brasil !

  • Rafael

    chuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuupa MAUÁ!!!

  • Rafael Tomizawa

    Muito legal a reportagem! Fiz parte da equipe campeã mundial em 2007 e 2008 e entendo o desanimo do pessoal…
    Mas o mais gratificante é saber que a Engenheiria Brasileira é muito respeitada la fora!
    Grande abraço a todos e boa sorte para a FEI em seu próximo desafio no Baja

    Japa!

    • janca

      Fala Rafael, bacana saber que você fez parte da equipe campeã mundial em 2007 e 2008. Por isso entende o desânimo do pessoal. Mas acho que mais importante do que o sexto lugar, que achei fantástico (não dá pra vencer sempre), é o respeito que a FEI ganhou dos demais concorrentes. É uma equipe forte e de fato respeitadíssima no Brasil e no exterior e espero que siga assim. Abs. Janca

  • Sandra de Maria

    Olá
    Sou mãe de um dos alunos que você encontrou, estamos impressionados pela sua sensibilidade e segundo ele, foi realmente um bate papo informal e voce transcreveu tudo com datas inclusives corretíssimas e captou a mesma senção que tenho como mãe, só que agora vi, que não é só corujisse minha, realmente eles são demais.
    O que mais me deixa impressionada é a capacidade de organização, empenho, e foco que esta equipe tem, além de levar o nome do Brasil e ter a certeza que estão competindo de igual para igual com vários países sendo sempre reconhecidos pelo seu carro impecável.
    Um abraço

    • janca

      Oi Sandra
      Obrigado pelo comentário. Eu que fiquei impressionado com a equipe que representou mesmo muito bem o nome do Brasil no exterior. Você tem motivos para ficar orgulhosa de seu filho, o grupo todo, pelo que me contaram, comportou-se muito bem e elevou o nome do nosso país, que certamente não é só o país do futebol e do Carnaval como ainda pensam alguns. Abs. João Carlos

  • Guilherme

    Que ótimo ler uma reportagem sobre o nosso queridíssimo Baja!
    Sou aluno de Engenharia Mecânica da FEI e me orgulho da faculdade q faço.
    Ralamos mt, mas, como diz uma aluna entre os posts, nosso valor é reconhecido.
    Independente do resultado, tenho orgulho do nosso querido Baja e dos alunos
    Gde abraço

    • janca

      Isso que é bacana, Guilherme, de fato pude constatar que o valor de vocês é reconhecido mesmo, inclusive no exterior. Parabéns e abs. João Carlos

  • Rita Lellis

    Olá. Sou irmã do Sidney e seguidora dos meninos rs Achei mto bacana a sua iniciativa de publicar sobre eles. É mto importante divulgar esse tipo de evento entre as universidades de engenharia, até mesmo pra que sirva como um incentivo a mais pra esses meninos que suam a camisa com mta dignidade elevando o nome da FEI internacionalmente. E tbém te dizer q eles conseguiram sim participar do campeonato regional em Minas Gerais e ficaram em 1° lugar !!
    Parabéns às equipes Baja1 e Baja2 !!
    E mto mto obrigada pela divulgação. Abraço. Rita

    • janca

      Muito legal a notícia e fico feliz que eles tenham participado do campeonato regional em Minas e obtido o primeiro lugar. Parabéns ao seu irmão e às equipes Baja1 e Baja2, João Carlos

MaisRecentes

Alessandro na frigideira



Continue Lendo

Del Nero na Rússia



Continue Lendo

Prass na Seleção



Continue Lendo