Mano, Dunga e Falcão



Nunca fui favorável à chegada de Mano ao cargo de técnico da seleção. Continuo achando que havia alternativas melhores, como o próprio Muricy, que não aceitou o posto por ter compromisso com o Flu. Mas não pode repensar se receber um novo convite em breve?

Já há quem compare Mano a Falcão, que caiu após a Copa América de 1991, tendo durado pouco como técnico do Brasil. Começou com péssimos resultados, assim como o próprio Mano, vide os fiascos deste último contra França, Argentina, Holanda, Romênia _uma atuação melancólica na despedida de Ronaldo_, Venezuela e agora Paraguai.

Mas ainda é cedo. Se o Brasil empatou seus dois jogos até aqui, Uruguai e Argentina também empataram e acho que os três tendem a crescer a partir da próxima rodada. O que me preocupa é que o Brasil não tem um time após quase um ano de trabalho de Mano. Tem jogadores, mas não um time. E não vejo perspectivas de termos um time a curto prazo.

Falcão pelo menos deixou um legado para seus sucessores. Convocou Dener, então na Portuguesa, chamou Taffarel, o zagueiro Aldair, o meia-lateral Mazinho, o atacante Romário, sem falar no fato de ter apostado em Raí, Cafu, Mauro Silva e Márcio Santos, jogadores que fariam parte do time campeão nos Estados Unidos em 1994. Falcão foi injustiçado como técnico da seleção. Mas perdeu uma Copa América, em 1991, e não resistiu…

Já o trabalho de Dunga não considero um total fracasso como muitos dizem hoje em dia. Ele foi muito bem até a Copa. E no Mundial fracassou naquele segundo tempo contra a Holanda… Foi brigar com a imprensa e se deu mal. Sua maior falha foi esta. Mano já esboçou perder a paciência em alguns momentos, mas tem se controlado mais do que Dunga. Só que educação não basta para se segurar no posto. Se bastasse, Falcão, considerado a elegância em pessoa, teria durado um pouquinho mais na seleção.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo