Desempregado, Carlos Germano não sente mágoa do Vasco