Palmeiras sofre pouco



Prass faz defesa em cabeçada contra de Mina (foto: Cesar Greco)

Você deve ter estranhado o título deste post justamente no dia seguinte em que o Palmeiras sofreu até os 50 minutos do segundo tempo para vencer o Jorge Wilstermann (BOL), em casa, pela Libertadores. Mas não me refiro à capacidade ofensiva da equipe e, sim, à segurança do sistema defensivo. No Allianz Parque, especialmente. O Palmeiras é um time pouco ameaçado desde a reta final do Brasileirão e tal característica fica mais evidente dentro da arena, quando a proposta dos adversários na maioria das vezes é jogar por “uma bola”. Mas tem sido difícil que essa tal bola apareça…

O Palmeiras sofreu apenas dois gols em casa em 2017, em seis partidas. Ambos em penalidades, uma delas já no fim de um jogo amistoso de pré-temporada, contra a Ponte Preta. O outro gol foi da Ferroviária, após primeira cobrança que Prass adiantou-se para fazer a defesa, anulada pela arbitragem. No fim de 2016, com Cuca, num sistema de marcação diferente ao adotado por Eduardo Baptista neste ano, o Verdão arrancou para o título sem ser vazado em casa contra Inter, Botafogo e Chapecoense. Antes, venceu o Sport por 2 a 1, em 23 de outubro, dia em que a defesa trabalhou mal, mas foi vencida apenas uma vez, justamente a última em que o Palmeiras tomou um gol com “bola rolando” em seus domínios.

Nos últimos dez jogos no Allianz Parque, o Alviverde levou só três gols. Se por um lado várias vezes é complicado para a equipe propor o jogo contra adversários bem fechados, caso do Jorge Wilstermann, por outro o time sofre pouco atrás. Quem sofre pouco está sempre mais perto de vencer e o Palmeiras não perde na arena desde 24 de julho (1 a 0), para o Atlético-MG. A última vez que o Verdão tomou dois gols em casa foi em 28 de agosto, diante da Ponte Preta (2 a 2).

Dentro ou fora, por Paulistão e Libertadores, a defesa tem funcionado. O Alviverde sofreu apenas cinco gols neste ano, em dez partidas. As duas únicas derrotas (Corinthians e Ituano) foram por 1 a 0. Com 32 gols sofridos no Brasileirão, o campeão teve a melhor defesa do torneio e manteve todas suas peças para 2017. Edu Dracena tem ganhado mais destaque neste ano, com atuações seguras.

Desde a vitória por 3 a 2 em Recife sobre o Santa Cruz, em 3 de outubro, o Palmeiras não leva dois gols em um jogo de competição (empatou em 2 a 2 em amistoso contra a Chapecoense na primeira partida de 2017). Já são 21 jogos por Brasileirão, Paulista e Libertadores sem que ninguém consiga marcar dois gols contra o Palmeiras em 90 minutos.

A média de finalizações certas dos adversários contra Prass, no Allianz Parque, é de três por jogo neste ano. A única do Willstermann na quarta foi de um palmeirense: Mina não fez contra porque o goleiro palmeirense estava ligado.



MaisRecentes

Novo Mundial de Clubes? Veja quem teria jogado em 2017



Continue Lendo

Vira-latismo dá um golpe na tradição da Libertadores



Continue Lendo

100% melhor! Cinco anos, dois Palmeiras e um abismo



Continue Lendo